Britpop

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
GuardasInglaterra.jpg GOD SAVE THE DESCIC£OPEDIA!!

The Merlim's Order First Class garante que este artigo é 100% inglês. Ele é industrializado, casto, vitoriano e tem a aprovação de Câmara dos £ordes.

Se o artigo for sem graça, é apenas humor britânico.
Rainhavitoriapre.jpg
Britpop
Origens estilísticas: Madchester, Pop, Rock alternativo, Pop rock, Indie Rock, Gay, Post-punk, Rock progressivo, qualquer coisa que apareça na Billboard e que seja do Reino Unido
Contexto cultural: Inglaterra
Instrumentos típicos: Guitarras, baterias, baixos, tecladinhos da xuxa, trombones.
Popularidade: Posers
Formas derivadas: Post punk revival, Post britpopTodos os estilos musicais desse mundo tem POST!?

Cquote1.png Você quis dizer: MPB inglesa Cquote2.png
Google sobre Britpop
Cquote1.png Você quis dizer: Oasis Cquote2.png
Google sobre Britpop
Cquote1.png Experimente também: Indie rock Cquote2.png
Sugestão do Google para Britpop
Cquote1.png Músicas lentas, mas sempre muito bonitas, onde várias bandas fazem várias músicas e são conhecidas por todas elas. Cquote2.png
Especialista sobre britpop
Cquote1.png Ahhh, isso é pop britânico! Cquote2.png
Um animal que acaba de descobrir o mundo sobre britpop
Cquote1.png Pop britânico... Vocês estão malucos! Isso nunca vai fazer sucesso denovo! Cquote2.png
Carinha da gravadora sobre o falido Blur em processo de gravação
Cquote1.png O que você estava falando mesmo, plebeu? Cquote2.png
Realeza Carinhas do Blur podres de rico depois do seu terceiro album em sua casinha de campo sobre citação acima
Cquote1.png Eu sou o britpop. Cquote2.png
Noel Gallagher em um dos seus dias mais humildes após o sucesso da compilação dos Beatles do album (What's the Story) Morning Glory?
Cquote1.png Noel, acho que você deve começar a me chamar de John. Cquote2.png
Liam Gallagher, esboçando a humildade genética da família Gallagher, apesar de não fazer porra nenhuma além de cantar igual a uma galinha botando ovo
Cquote1.png MaS eLe TOcA pAnDEiRoooooooo ELE É MÚSICO TBM! Cquote2.png
Guria retardada Fã que causa repulsa no Noel, defendendo seu irmão vagabundo
Cquote1.png La la la, la la la, feel alriiiiiiiight!! Cquote2.png
Poser Jovem retardado cantando Alright do Supergrass sem a mínima idéia da onde e de quem é essa música
Cquote1.png Já ví em propaganda da Globo. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre música Alright do Supergrass
Cquote1.png Banda de merda. Cquote2.png
Irmãos Gallagher sobre qualquer outra banda do britpop que não seja a deles
Cquote1.png Eu também participei disso! Eu acho. Cquote2.png
Jarvis Cocker, personalidade completamente esquecida, vulgo rei-dos-hipsters do britpop

Jarvis Cocker (eu comia)

Cquote1.png Que moço bonito. Cquote2.png
Tua mãe sobre Jarvis Cocker
Cquote1.png Eu comia. Cquote2.png
Damon Albarn sobre Jarvis Cocker
Cquote1.png Eu também. Cquote2.png
Liam Gallagher sobre Jarvis Cocker
Cquote1.png Eu também. Cquote2.png
Justine Frischmann sobre Jarvis Cocker
Cquote1.png Eu também. Cquote2.png
Tua vó sobre Jarvis Cocker
Cquote1.png Só ficou famosa (ou não) pq dava namorava com o Damon Albarn. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Justine Frischmann
Cquote1.png Mas ela namorou comigo também! Cquote2.png
Bixa inrustida Brett Anderson (???) do Suede (?????), sobre afirmação óbvia acima

Humilde casa de campo do Blur


Britpop é um movimento musical presente no Reino Unido, onde teoricamente foi criado 100% pelo riquinho jovem completamente drogado Damon Albarn e sua banda Seymour Blur após o sucesso (?????) de seu album Modern Life Is Rubbish. O marco do Britpop é o single novamente famoso (???? ninguém nunca ouviu falar desta merda) Popscene, novamente do Blur. A idéia inicial do movimento é falar mal dos EUA e do grunge exaltar a música britânica esquecida.

Essa é a história real verdadeira e com selo de qualidade da Rainha Elizabeth, mas o que aconteceu na prática foi que uma banda chamada The Noel and Liam Brothers Oasis fez sucesso pra caralho mesmo de montão na ilha, fazendo o Blur ser esquecido e infectar o mundo todo fazendo que todas pessoas com a menor instrução musical possível fossem capazes de cantar e tocar Wonderwall.

As músicas nesse movimento, por ser um rock diferente, vide, do estilo que faz você dormir ficar viajando mas que ainda sim não é rock progressivo (ou sim). Na verdade o que fez o movimento ser grande são os plágios as cópias do Oasis, que são tão comuns quanto grama. Ou seja, toda e qualquer merda que fez sucesso no Reino Unido é britpop.

O movimento[editar]

Típicas criaturas Birtpop e seus cabelos estilo capacete.

É igual muito semelhante ao movimento indie, a diferença é que só tem bandas do Reino Unido (O RLY?) e os pederastas que integram esse movimento usam cabelos que mais lembram capacetes e/ou guachinins na cabeça, para ficar igual à Noel Gallagher. Isso ficou muito visto como a cara do Reino Unido dos anos 90, mas ultimamente vem em baicxa perdendo pro próprio indie mundial.

Mas já tem mesmo uma cara de MPB, pois suas músicas são em sua maioria velhas e cujo sucesso já passou tem um tempo, ou seja, só são lembradas por fãs nostálgicos e pelas próprias bandas que as criaram (nem sempre). Outra característica marcante é que as principais bandas do movimento são aquelas que lançam um single tão famoso quanto Smells Like Teen Spirit mas o resto das músicas é tão conhecido quanto a idade verdadeira de Glória Maria.

A depressividade e falta de visão otimista além de um toque romântico deu uma visão caracteríatica melancólica ao movimento (antes melancolia do que emismo), o que atraiu muita gente que está em estado de depressão à ouvir músicas do Pink Floyd para poder dizer que não se matou pela sua situação decadente, mas sim por ter se cansado de um solo de mais de 96748673 minutos de guitarra.

Grandes exemplos são Blur[1], cuja única melhor música é Song 2 (tamanha falta de criatividade típica do Britpop demonstrada até na escolha do nome da música, sem ideias melhores, colocaram mesmo o número da música na ordem do CD), The Verve com Bittersweet Sympony (uma amada por filmes de comédia romântica e talvez pornô cujo ritmo é facilmeste lembrado por todos como tã-tã-tã-tã-nã-nã, tã-nã-nã, tã-nã-nã e todas as versões cover são melhores que a original), e por aí vai.

Quase todas essas bandas rivalizam com o Oasis, pois o Oasis foi a única coisa foda do Reino Unido nesse movimento, além, é claro, do Beady Eye (o ressurgimento do Oasis, mas isso não inclui o Noel Gallagher, que, por motivos desconhecidos, odeia essa banda de Liam Gallagher). E se não rivaliza, é protegida por algum ex-integrante do mesmo por puxar o saco deles.

Principais Bandas[editar]

Oasis[editar]

Única banda que sobreviveu antes, durante e depois da batalha chá da tarde que foi o britpop. Obviamente única banda que conhecem dessa merda desse movimento, única banda que fez muito sucesso, única banda que conseguiu chegar nos outros continentes... enfim, se vc disser que britpop = Oasis há 90% de se dar bem na rodinha pseudo-cult com seus amigos retardados que só conhecem Michel Teló, Calypso e Beatles. Mas cuidado, se alguém conhecer Blur é capaz de você ter que cair na porrada e espancar a criatura com uma versão limitada de vinil com capa de ferro fundido a laser e com autógrafos até da groupie que deu pro Liam Gallagher naquele dia do sagrado (What's the Story) Morning Glory?. Na verdade mesmo, só existem porque Liam e Noel foram ao show da então mais drogada maior banda da Inglaterra no momento, The Stone Roses, que na verdade era uma banda cover de Beatles, e lá se drogaram tão violentamente que resolveram fazer uma banda cover do cover.

Versão limitada de vinil com capa de ferro fundido a laser e com autógrafos até da groupie que deu pro Liam Gallagher utilizada para matar fãs de Blur

Álbuns do movimento[editar]

  • Definitely Maybe: Vendeu pra caralho logo de início, colocando medo nas bixinhas do Blur. Tudo por ser igual parecer muito com Beatles. Na verdade o álbum todo tem uma música só, Supersonic, que se estende pelos 51 minutos e 55 segundos do álbum, uma vez que todas as outras músicas são iguais ou derivações dela. Há controvérsias sobre o Oasis ter alguma música além dessa em toda sua carreira, uma vez que são todas iguais e apenas o nome muda. Mas não fale isso muito alto porque se não a legião de posers fãs hoolingans do Oasis vai te espancar e roubar todo seu dinheiro e usar pra comprar coisas legais.
  • (What's the Story) Morning Glory?: Se você não ouviu falar desse álbum na sua vida, provavelmente você nunca ouviu música, ou você não é britânico. Vendeu tanto, mas tanto, mas tanto, que o Oasis pôde comprar a Inglaterra toda, todas as bandas do britpop e ter certeza que elas nunca mais fossem atrapalhar seus planos de dominação mundial, e assim fazer sucesso. Só tem uma música também, a Poserwall, que se estende pelo álbum todo. Dá sono pra caralho, toca em todas as rádios do mundo até hoje em dia, o que faz Liam Gallagher nunca ter precisado aprender um instrumento, uma vez que ele já ganha dinheiro pra caralho sem esforço nenhum. Noel Gallagher odeia esse álbum, porque ele não é tão poser assim.
  • Be Here Now: O Oasis tava tão rico que comprou infinitas quantidades de entorpecentes. Liam e Noel fizeram uma criação de gatinhos no meio do estúdio, se enfurnaram lá com os outros membros e cheiraram eles sem dó. O resultado foi o álbum mais chato do mundo. As músicas tinham no mínimo 30 minutos cada, e todas se pareciam com Beatles (pode-se perceber um padrão de alta criatividade aqui). Foi tão chato, que todos os críticos pró-britpop morreram durante a avaliação do álbum, o que fez os críticos da oposição poderem colocar as mangas para fora. Como a princesa Diana já tinha morrido misteriosamente num acidente de carroça, a Inglaterra tava na merda de novo mesmo, esses críticos (que na verdade eram espiões americanos) anunciaram a morte do britpop. E assim foi feito. Esse chá-da-tarde que foi essa movimento tinha acabado, e então as boybands toscas de pop americano podiam dominar o mundo.

Blur[editar]

Blur, em inglês, embaçado, era uma banda britânica (jura?) de garotos de classe média (mas se voccê for fã do Oasis pode dizer que eles eram riquinhos) britânicos (genial). Originalmente chamada Seymour, venderam sua alma para seu agente que mudou o nome da banda, as músicas do primeiro álbum da banda, as roupas da banda, até as mães dos integrantes tiveram que ser trocadas. O primeiro álbum deles, Leisure, até que era legalzinho, mas o pouco dinheiro que deu foi investido completamente roubado pelo agente. Putos da vida, os garotos foram tomar chá, falar mal de Elizabeth Thatcher, correr pelo parque e ver o por do sol no Big Ben. Após essa atitude de relaxamento de espirito tipicamente inglesa, eles (na verdade só o Damon Albarn mesmo) tiveram uma brilhante ideia: se drogar e fazer pop britânico, utilizando todas as características da música do passado glorioso da ilha (que criatividade assombrosa) para então criar um movimento e re-erguer a Inglaterra de toda a merda que o Grunge havia trazido para o país.

Álbuns do movimento[editar]

RAIRAIRAIRIAIR DORGAS MANO
  • Modern Life Is Rubbish: O primeiro álbum dessa pequena grande merda que foi o britpop. É drogado demais, após ouvi-lo parece que você consumiu tanto cháde cogumelos que se tornou britânico. Em algumas músicas não dá nem pra saber quais os acordes são tocados, como em Oily Water, de tantas drogas. O álbum (que depois de muito tempo vai ser reconhecido chamado de genial pelos críticos paga-paus britânicos) vendeu quase tanto o anterior (ou seja: nada) e a banda continuou na merda, pouco conhecida na Inglaterra e odiada nos EUA, onde quando fazia show, eram recebidos com xingamentos, garrafadas, e eram obrigados a ouvir covers mal feitos de Smells Like Teen Spirit como forma de tortura, o que fazia os integrantes da banda quererem chorar e voltar correndo pra Inglaterra.
Foto bombástica de Alex James (fugindo pra não ser fotografado) e seus amiguinhos tendo uma festinha em alto mar. As coisas não iam bem pro Blur...
  • Parklife: Putos da vida (denovo), vendo que a vida deles era uma merda mesmo, voltaram pra Inglaterra com tanto ódio dos EUA e da obesidade mórbida que era o lema da nação (já naquele ano - 1994 - os EUA se empenhavam em engordar o máximo possível) que resolveram escrever um álbum sobre isso. O álbum todo na verdade é uma puta zoação nos EUA, que dizem que eles tem que se exercitar e que onde é legal mesmo é a Inglaterra. Aí você pensa: do que os ingleses mais gostam? Falar mal dos seus filhos bastardos que são mais ricos e mais poderosos que eles, os Estados Unidos, é claro. O álbum fez sucesso exatamente porque xingava sarcasticamente os americanos e exaltava a ilha. E como era sarcasmo, os americanos não entendiam, e achavam que era só música britânica normal mesmo. Outra estratégia foi a utilização de cachorros emaconhados como propaganda. A capa do álbum seria a percursora de um dos cachorros mais famosos do mundo, o DORGAS MANO RAIRAIRIAIIR. Resumo dessa merda toda: Damon Albarn e sua trupe enfiaram dinheiro no cu na sua conta bancária e se tornaram a maior banda Inglesa de muito tempo.
  • The Great Escape: Era tudo uma maravilha. Damon, Graham (o guitarrista, tá) e os outros dois (nem vale a pena falar o nome porque se nem na época eles eram famosos, imagina agora) comiam, bebiam, fudiam, se drogavam, ah, o paraíso das estrelas de rock. Mas como tinham vendido a alma, precisavam continuar gravando. Como o Oasis estava crescendo absurdamente e seu plano de dominação mundial Operação Poserwall já tinha sido posto em prática, o Blur precisava lutar para manter o título de rei do britpop. Então eles contraram os maiores experts em música naquela época, ou seja, eles mesmos, pra fazer o álbum perfeito. Mas tudo começou a dar errado. Primeiro, Alex (o baixista) foi flagrado tenho relações duvidosas num iate. Segundo, Graham bebia tanto, que achava que era um passarinho e tentou se jogar de uma janela no meio de uma festa e acabou caindo em cima de Liam Gallagher. E então as bandas caíram na porrada alí mesmo fizeram uma guerrinha de venda de singles (pq se fossem cair na porrada os magrelos riquinhos do Blur iam apanhar pros hooligans fácil). Esse incidente ficou marcado como A Batalha Do Britpop. Sério, teve festa do chá e tudo, registrada em todos os livros de história da época. Bla bla bla, o álbum foi lançado, vendeu igual água, o Blur ganhou a batalha mas perdeu a guerra (foda-se o porque, depois eu explico).

Pulp[editar]

Pulp, não confundir com o filme Pulp Fiction, esse realmente famoso e importante na vida das pessoas (ou não), foi/é uma banda de indie pop, post-punk, acid house, dance music, rock alternativo, britpop, rock bucólico, gay rock, e mesmo tentado ser todos esses estilos não fizeram sucesso nenhum.

Cquote1.png Ah, é aquela banda que fez cover de Common People do MCR, né? Cquote2.png
idiota de My Emo Romance que não sabe de quem é a única música que fez sucesso(???) do Pulp

A história da banda é basicamente um jovem gay e drogado chamado Jarvis Cocker que juntava de mês em mês um diferente bando de desocupados músicos pra tentar fazer um álbum que prestasse, e sempre falhava. Sendo conhecida pela banda com mais ex-integrantes do movimento, e provavelmente da história do rock, perdendo apenas pra banda da casa da mãe joana. Jarvinho, não confundir com o jogador de futebol do Arsenal Gervinho, esse realmente famoso e importante na Inglaterra nos dias de hoje (ou não), é o único membro que se manteve, o único membro que presta, o único membro bonito (talvez junto com a tecladista cujo nome você nunca ouviu e nunca ouvirá), há até controvérsias se o Pulp realmente tem outros integrantes.

Álbuns do movimento[editar]

Banda de macho
  • His 'n' Hers: Depois de 6 anos sem sucesso nenhum, 1673587516 integrantes tendo passado pela banda, 198 toneladas de gatinhos e nenhum dinheiro no bolso, o Pulp então chegou no 'mainstream', causando repulsa nos hipsters, os únicos fãs as únicas pessoas que conheciam a banda (conta-se suicídio a sí mesmo de 2 hipsters). Com o single Bebê, a banda conseguiu dinheiro o bastante para poder pagar as contas de casa, o estúdio e comprar um pouquinho de coisas legais. Só deu pra isso mesmo, porquê essa merda não fez sucesso mesmo.
  • Different Class: Considerados pelos paga-paus críticos como um dos mais importantes álbuns do britpop (mesmo sem ninguém ter nunca ouvido falar), apesar de ter uma sonoridade que não tem nada a ver com as outras bandas do britpop, mais parecendo um Bee Gees sombrio (uuuuiiii) absurdamente gay. Só fez sucesso mesmo por causa da música Common People, que nos dias de hoje é apenas conhecida por bixasfãs de My Chemical Romance, pelo mesmo ter feito um cover de merda que faria Jarvis Cocker chorar de tão ruim que é. O sucesso (??) do Pulp se resume a isso mesmo, é triste, eu sei, mas é engraçado porque é verdade.

Cquote1.png A letra de Common People é hilária! Devia ser topo das paradas. Cquote2.png
Noel Gallagher falando bem ou sendo sarcástico (nunca saberão) sobre a única música do Pulp
Cquote1.png I said pretend you got no money, she just laughted and said: You're so funny Cquote2.png
Jarvis Cocker fazendo piadas no meio da música

Supergrass[editar]

Olha só que garotos lindos feios igual a fome

Cquote1.png Eu AMO essa banda! Cquote2.png
Poser de 13 anos que ouviu Alright enquanto estava bêbada de uma latinha de cerveja na festa que entrou de penetra

Supergrass, ou Super Grama, é uma banda britânica (isso já tá ficando chato) de uns moleques de imensa beleza física (com certeza não). Você acha que nunca ouviu essa merda, mas eu tenho certeza que se você já foi em alguma festa que não tocasse funk você já ouviu o "hino adolescente", mais conhecido como "música do pianinho chato pra caralho", ou "música do comercial do Pentium 3", "Alright". A banda é completamente desconhecida nos dias de hoje e nos dias de sempre, mas fez sucesso para caralhos voadores na terra da Rainha Elizabeth, por ter um som muito drogado bem adolescente.

Álbuns do movimento[editar]

Lá vem o Chaves, Chaves, Chaves...
  • I Should Coco: Gaz (sim, o nome do cara é Gaz, pra piorar a situação) e sua trupe, no embalo do britpop das bandas realmente importantes famosas, fazem um álbum tipicamente britânico, porém completamente jovial, tosco, malfeito, emanconhado, igual a todo adolescente. Músicas como Tá Tudo Bem Agora fizeram tanto sucesso que sua insuportável melodia ficou gravada pra sempre nos aparelhos de música das festinhas adolescentes, sendo infelizmente tocada até hoje. Outras músicas, como Fui Pego Fumando Maconha, que fala sobre a rotineira atividade adolescente de tomar porrada de policiais por simplesmente estar carregando umas plantas medicinais, ajudou o álbum a ser vendido (igual a maconha) pelo reino unido, dando dinheiro o bastante para esses moleques que mais parecem ter vindo de um filme tosco da sessão da tarde da Globo comprarem suprimento de biscoitos para o resto da vida.
  • In it for the Money: Deixando claro o porquê da banda estar fazendo esse álbum, logo no título (plagiado de um disco da banda The Mothers of Invention, por sinal), os Super Grama queriam enfiar mais dinheiro na bunda e fizeram de tudo pra isso, fazendo até papeis meia-boca de dublê do Chaves. Por ter sido lançado antes de acabar o britpop, ainda tinha críticos pra falar bem e puxar o saco e tals, o álbum vendeu para caralho de novo, Deus sabe como, porquê ninguém conhece nenhuma música dessa merda. O álbum tem um som mais maduro, mostrando que a banda queria ganhar dinheiro de qualquer forma podia evoluir e se tornar uma das maiores bandas da Inglaterra (???).

Suede[editar]

Suede é uma bandinha criada em 1900 guaraná com rolha onde a maior parte das músicas dão a entender que o vocalista está morrendo ou querendo se matar.

Elastica[editar]

Foi uma banda de "1995" da então namorada do Damon Albarn e ex do bixa enrustida Brett Anderson: Justine Frischmann, que fez sucesso através de covers musicas supostamente "sampleadas" de outros grupos. Suas letras são bem confusas devido ao uso excessivo de dorgas por parte dos integrantes, mais especificamente a Justine.

Carros fortes[editar]

Vai uma dose de britpop aí?

Pra fortalecer o movimento, os críticos mudaram o conceito e alguns incluíram The Beatles, Rolling Stones, The Who, David Bowie, The Smiths, Coldplay, Radiohead, Muse, Arctic Monkeys, A cabeça da minha rola e por aí vai, muito pra poderem dizer que o movimento surgiu bem antes do Oasis Blur e como tudo no Reino Unido, é tão velho e original quanto a própria Rainha Elizabeth. E pra também esquecer a merda que foi o Sex Pistols... Vide...qualquer coisa que faz sucesso hoje no Reino Unido (ah, para com isso, só na Inglaterra mesmo), ou que tenha qualquer elemento que não seja americano, já é considerado britpop. A lista só engrossa se você for perguntar para um suposto entendido quais são as bandas que representam o movimento: é capaz de ele ignorar pelo menos metade das supracitadas e mencionar The Stone Roses, The Verve[2], Happy Mondays, Stereophonics, The Charlatans, Manic Street Preachers, Belle & Sebastian, Travis, Primal Scream, Ocean Colour Scene, Teenage Fanclub, Super Furry Animals, Inspiral Carpets, James, Ash...

Apesar de 90% das pessoas do mundo mal saberem o que é isso - já é um avanço frente ao MPB, visto que 98% das pessoas do mundo não sabe o que é[3]; muitos seguem utilizando essa expressão. E, mais uma vez, isso inclui os indies, para poder dar a impressão que sua banda é reconhecida, e por achar indie bem modinha e post punk revival um rótulo considerado salvação de bandas emo para não serem chamadas como tal, ou seja, é um rótulo bem mentiroso...

Também é considerado britpop as Spice Girls e Robbie Williams, o que fortalece a tese de que o Britpop é um lixo é um movimento bem diversificado e que é mesmo toda e qualquer coisa que faz sucesso em território da Rainha. Apesar disso, The Killers, The Hives e The Strokes copiaram tem influência nesse estilo e para alguns são considerados um Britpop que não é Brit por acidente.[4]

Notas[editar]

  1. E não, não foi o jogo que inspirou o nome da banda, mas pro incrível que pareça, foi o inverso. Pesquise antes de julgar...RÁ!
  2. Essa é pior em termos de comentário, pois o cara pode entrar numa tangente pra falar que o Richard Ashcroft é um gênio que merecia mais reconhecimento e blábláblá...
  3. Bom, podem até saber que Garota de Ipanema é de Vinícius de Morais, mas isso é classificado como Brazilian rock (olha que se o rock brasileiro fosse assim estaria bem melhor do que é hoje hein...)
  4. É bom notar que nenhuma dessas três é britânica; duas são americanas e uma é sueca...