Brittney Reese

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Brittney Reese de Oliveira
Brittney Reese.jpg
Imrã de Pepê e Neném não tendo dificuldades em pular por cima dos CDs alinhados das irmãs que já foram vendidos
Nascimento 9 de setembro de 1986
Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos - Inglewood
Ocupação puladora

Brittney Reese, a irmã perdida de Pepê e Neném, é uma puladora dos Estados Unidos. É especialista em competições indoor, pois o vento costuma atrapalhá-la (frescura de atleta).

Juventude[editar]

Nasceu em algum lugar do Mississippi que tanto faz, mas certamente sua casa ficava num local precário, onde Brittney precisava saltar por valas, riachos, buracos e poças, já desde cedo iniciando o seu treino.

Cursou na MGCCC (Mississippi Golf Coast Capillaries Consultations) onde estudar era a última de suas preocupações, já que fazia parte do time de basquete da universidade e nos Estados Unidos jogadores de basquetes são culturalmente proibidos de estudarem ou sequer saberem escrever. Mas como basquetebolista era uma boa saltadora, mas não de altura pois nem conseguia enterrar uma bola, então foi transferida de esporte para o atletismo onde começou a treinar e praticar a modalidade mais retardada de todas, que é o salto em distância.

Carreira[editar]

Estreou em Olimpíadas em 2008, em Pequim, onde já demonstrou todo seu estilo atabalhoado ao cravar a melhor marca nas fases preliminares onde o salto não vale nada, e não repetir esse desempenho na final, sendo derrotada por uma mera brasileira qualquer chamada Maurren Maggi, quando o Brasil quebrou um tabu de 50 anos sem vencer os Estados Unidos no atletismo. A derrota serviu de experiência para a atleta que nunca mais voltou a perder para uma mera brasileira.

Foi a partir do Campeonato Mundial de Berlim de 2009 que começou a vencer todos campeonatos mundiais de salto em distância, e embora tenha se tornado uma multicampeã, sempre esteve longe dos recordes mundiais cravados na década de 80 quando o consumo de Biotônico Fontoura com Guaraná Dolly quente sem gás eram permitidos pela IAAF, hoje terminantemente proibidos, então Brittney jamais chegou perto de qualquer recorde, mas suas concorrentes inúteis também.

Foi no Mundial de Atletismo de Daegu em 2011 que ficou apelidada como "a saltadora afobada", pois no momento em que ela observou que era impossível bater os recordes mundiais de salto em distância, Brittney decidiu bater o recorde de quantidade de queimação de saltos, pois das três tentativas ela sempre queima pelo menos duas, justificando que faz isso porque ela se arrisca ao seu limite, quando na verdade é apenas falta de coordenação motora mesmo.

O fracasso de 2008 foi compensado nas Olimpíadas de Londres de 2012, quando ganhou seu ouro olímpico porque suas adversárias eram umas inúteis que em 4 anos de treino não souberam saltar mais de 7 metros, que é o mínimo para quem deseja ser campeão. Com a marca de 7,12 m ganhou o seu ouro.

Pela mesma lógica ganhou o ouro no Mundial de Moscou 2013 ao saltar apenas 7 metros, servindo Brittney apenas para comprovar o baixo nível das atletas saltadoras.