Bundismo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Garota hentai.gif TAAARAAAAADO(a)!

Tava procurando putaria e caiu nesta página "sem querer", não é?! Pelo menos feche a porta do quarto e divirta-se!

Sede oficial da religião.

Cquote1.png Você quis dizer: Oposição no Brasil Cquote2.png
Google sobre Bundismo
Cquote1.png Amo muito tudo isso. Cquote2.png
Ronald McDonald sobre Bundismo
Cquote1.png É Maif popular que meu governo. Cquote2.png
Lula sobre Bundismo
Cquote1.png Ô, que sardade... Cquote2.png
Vô Adamastor, sobre Bundismo

Cquote1.png Bunda nossa que estás no shortinho apertado, gozada seja vossa imagem, venha-a-nos dar, seja molinha, seja durinha. O fio-dental de cada dia usai hoje, perdoai as nossas broxas, assim quando perdoamos quando não nos satisfazem, e nos deixei cair nesta tentação e nos livrai-nos dos vírus de sites suspeitos. Amém
Bundista rezando a oração que Brianna Love o ensinou


Bundismo é a denominação ou nome de uma prática religiosa muito antiga e diFUnDIDA por todo o mundo, dizem que até no Vaticano. Consiste, em essência e aparência, na adoração de uma parte proeminente da anatomia feminina, às vezes nem tão proeminente assim.

Entre os seus mais de 8000 3,5 bilhões de fiéis - a metade masculina da humanidade, tirando Clodovil, Zac Efron e congêneres - os mais esforçados, fervorosos e fanáticos são os brasileiros.

História[editar]

Mulher Melancia, 15000 AC

O bundismo parece ter sido praticado desde a época pré histórica, como indicam as estatuetas primitivas com glúteos de fazer inveja a qualquer musa do funk. Os homens daquela época só saíam das cavernas para caçar o rango nosso de cada dia.

Primeiros registros[editar]

O primeiro registro histórico do Bundismo encontra-se na Bíblia, com mandamentos não-bundistas idiotas como:
Cquote1.png Não pratique Bundismo com a mulher do próximo Cquote2.png
Cquote1.png Não pratique Bundismo com a sua irmã Cquote2.png

Idade Antiga e Média[editar]

Na época clássica, o bundismo era mais bem visto, embora gregos e romanos não fossem lá muito ortodoxos. Eles não diferenciavam entre o bundismo legítimo e o estilo Oscar Wilde de ser, para eles era tudo a mesma coisa. Por isso o famoso filósofo e jogador de futebol, Sócrates, disse a famosa frase parodiando o Lula: Cquote1.png Só sei que nada sei Cquote2.png.

A Idade Média foi a Era das Trevas: o Bundismo foi banido e sufocado, embora por baixo do lençol pano a coisa literalmente comesse solta. Isso, é claro, no Ocidente. Pois no Oriente o profeta Maomé, fundador do Islamismo e grande bundista, autorizou a boca livre para seus seguidores.

Renascimento[editar]

Felizmente o Renascimento, com aqueles quadros de gostosas peladas, melhorou a situação e começou o lento processo de legalização do Bundismo, que prossegue até hoje.

Na época destacou-se o grande pintor Leonardo da Vinci (pronuncia-se dá 20) que conseguiu pintar o sorriso mais famoso da história, o da Mona Lisa,usando uma técnica bundista. Quando estava fazendo o retrato, ele disse pra ela: Depois que terminar de pintar o rosto, vou fazer um retrato do seu traseirinho.

A vinda para o Brasil[editar]

Nosso país já nasceu sob influência do Bundismo, como prova a carta de Caminha que fala das vergonhas saradinhas de nossas índias. Durante todo o período colonial o Bundismo foi a força criadora do povo brasileiro, misturando brancos, negros e europeus em uma suruba de dimensões continentais. Foi também o que fez Dom Pedro I ficar por aqui e proclamar a in-pendência Independência, em vez de voltar para a bigoduda terrinha. Enfim, o Bundismo move o Brasil como a propina move Brasília.

Teoria e prática do Bundismo[editar]

Ícone sagrado para o bundismo.

O Bundismo destaca-se por ser a única religião em que o objeto do culto é concreto e está ao alcance da mão e não apenas da mão. Portanto é a única religião cujo culto não se limita a uma adoração estática, mas pode realmente levar a uma comunhão total. Portanto, o bom bundista não fica como você, cultuando apenas com a mão esquerda e os olhos grudados numa revista ou na tela do computador. Não, ele não fica apenas adorando os Ícones Sagrados (veja adiante). Ele vai à caça e demonstra todo seu fervor de maneira indiscutível!

Os dez mandamentos do Bundismo[editar]

  1. Pensarás em traseiros o tempo todo.
  2. Não verás nádegas em lugar nenhum: verás em todos os lugares!
  3. Quando vires um par de glúteos avantajados, rechonchudos e desejáveis, farás todo o humanamente possível para agarrá-la.
  4. Quando obterdes uma buzanfa de respeito, não a largarás.
  5. Tratarás todas as popozudas com igual carinho e amor, independente de raça, religião ou nacionalidade.
  6. Se não deres conta de um par de ancas, não te irritarás se teu irmão a tomar de ti (seu frouxo!).
  7. Cobiçarás a mulher do próximo.
  8. Cobiçarás a mulher do distante também. É até melhor, dá menos confusão.
  9. Dirás a ti mesmo todos os dias: sem bundas não sou ninguém.
  10. Não consumirás alimentos com o rótulo "não contém glúteos".

Os Ícones Sagrados[editar]

Assim como os muçulmanos tem Meca e os pedófilos católicos tem Roma, os bundistas também tem seus pontos máximos de adoração, para onde dirigem todas as suas preces. São eles, apresentar apenas alguns:

Ver também[editar]

Os grandes ícones, em ordem de tamanho.