Burro espanhol

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Burro espanhol foi uma tortura medieval extremamente barra pesada, por mais que nem tivesse o uso de barra, pau, ou qualquer coisa assim. A tortura basicamente trata-se de um carinha dar uma "sentada" no tal burro, que na verdade é apenas um triângulo pontudo, e graças a isso, com o tempo ele irá partir ao meio o pobre coitado que ousar sentar nele. E por isso mesmo que esse método de tortura é talvez um dos mais violentos, e por isso mesmo é um caminho sem volta para os sadomasoquistas que tentarem adicionar isso nas suas altas horas de sexo e selvageria...

História[editar]

Mulher prestes a ter a sua boceta expandida, no sentido de que ela vai morrer.
Quem diria que uma inocência dessas faria tanto estrago...

O burro espanhol foi muito usado durante a Inquisição Espanhola, talvez por conta disso que ele tenha esse nome, mas está enganado quem pensa desse jeito, pois na verdade, reza a lenda, de que existia um burro na Espanha que era extremamente magro e fino, tão magro e fino que quando seu dono subiu nele o cara foi literalmente partido ao meio. Bem, de qualquer forma, o burro espanhol foi de fato muito usado durante a Inquisição Espanhola...

Contudo, entretanto, todavia, ele também foi bastante usado durante a Guerra Civil Americana, usado para torturar os escravos, pobre coitados que sempre foram vítimas de violências sem sentido, pois eles não precisavam fazer nada pra serem espancados. Sem contar que nem pode ser impossível que ele tenha sido usado na China, já que o povo de lá é fã dessas torturas doentes...

Como funciona[editar]

Simplesmente, nada mais e nada menos, a vítima, primeiramente é obrigada a sentar no burrinho, sem medo de levar coice, no caso seria coice do carrasco... Depois é amarrado aos pés do coitado uns pesos, para obviamente deixar a pessoa mais e mais pesada, para assim atraí-la mais para a crosta terrestre com a finalidade de causar grandes estragos nos órgãos da vítima. Ah, e um detalhe: a pessoa é amarrada nua, pelada, despida de qualquer roupa, assim irá deixar ainda mais legal a situação. Caso seja um homem a vítima, já pode dar adeus ao seu amiguinho...

Outros dados não tão importantes, é que na verdade, a vítima não é largada lá até ser partida ao meio, isso porque, segundo alguns historiadores, os carrascos tinham muita preguiça de ficar catando os pedaços delas, sem contar que atraía ratos e baratas, além do mais, que caso a pessoa não estivesse em dia com seu amigo intestino grosso, possivelmente iria vazar bosta pro todo lado, então era melhor isso não acontecer, e ela "só" morrer de hemorragia mesmo...