Burundi

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
●Burrowing Nation of Burundi
●Burundi Hills
●Matas de Burundi

Bandeira do Burundi.png Brasao do Burundi.png
Bandeira Brasão
Lema: Cuidado com o crocodilo
Hino: Destruam Ruanda!
Burundi1.png
Capital Bujumbura
Maior cidade Bujãobura
Língua Francês arranhado
Tipo de Governo guerra declarada
Marechal Jacques Ngadjembola
Heróis Nacionais O negão que matou 1000 Ruandenos
Independência Guerreia até hoje por isso
Moeda Armas
Religião Macumba
População 20.345 ontem 20.260 hoje 19.980 amanhã
Área Menor que o Distrito Federal (tem um lago por ali% de água)
Analfabetismo 90%
PIB per Capita 97 USD/hab.
IDH 0.1
Fuso Horário O céu está sempre encorberto por fumaça
Clima de guerra
Site do Governo ...


Cquote1.png Você quis dizer: Morumbi Cquote2.png
Google sobre Morumbi
Cquote1.png Eu nunca vi!!! Cquote2.png
Stevie Wonder sobre Burundi
Cquote1.png Aãããnn, não sei Cquote2.png
Casagrande sobre Burundi
Cquote1.png Quem quer dinheiro? Cquote2.png
Silvio Santos sobre Burundi
Cquote1.png Oh loco, meu! Cquote2.png
Faustão sobre Burundi
Cquote1.png É uma cilada Bino!!! Cquote2.png
Pedro sobre Burundi

Burundi é um pedaço de terra possívelmente localizado entre a Lapônia e o Reino dos Cogumelos, em algum lugar na Terra Média.

História[editar]

Reino do Burundi[editar]

Quando alguns crocodilos-do-nilo sofreram severas mutações, por volta do final do século XVII, criando pernas e adotando hábitos humanos de assassinar seus semelhantes, surgiam assim os jedi e os sith versão afrodescendente (hutus e tutsis), cujo principal passatempo é ficar se matando para decidir quem é mais mal.

Colonização[editar]

É... não havia muito o que explorar...

Em 1890 a Alemanha estabelece Burundi como uma colônia, mas como os alemães não tinham a mesma aspiração colonizadora dos portugueses, espanhóis ou ingleses, Burundi ficou completamente às moscas e nem pareceu que foi colonizada pois continuou a mesma porcaria de sempre, não que a Alemanha tivesse grandes coisas a se explorar por lá.

Agora porque eles falam francês permanece um mistério até hoje.

Independência[editar]

Com a derrota alemã na Primeira Guerra Mundial Burundi é passada para a Bélgica como punição pelos belgas terem amolecido na guerra. A Bélgica se mostra completamente despreparada como metrópole e Burundi fica mais abandonada que na época do domínio alemão, por isso em 1946 Burundi passa a ser um território da ONU (ou seja, oficialmente uma casa da mãe joana).

Somente em 1962 alguns tutsis tiveram a brilhante de criar um país só para eles e surgia a República do Burundi.

Guerra civil[editar]

Tutsis, hutus e twas disputam quem tem a maior média de pênis do Burundi.

Os europeus que não são idiotas deram o fora rapidinhos daquelas terras, abandonando os tutsis e hutus numa guerra civil étnica interminável por aquele pedaço de terra inútil onde só crescem ervas daninhas. Para completar ainda vieram os judeus que colocaram três estrelas de davi na bandeira do país.

Em 1992, o ditador da época lança a Constituição do país, sob o qual ele próprio foi derrubado com um golpe militar sobre si mesmo, assim começou o caminho para a democracia no Burundi.

Apenas duas guerras civis e mais outros quatro golpes militares ocorreram antes do fatídico outubro de 1993, quando fanáticos tutsis matam com tiros de zarabatana envenenada o então presidente hutu eleito, com suspeitíssimos 678% dos votos, Melchior Ndadaye. Ocorrem várias revoltas, 300.000 habitantes ficam brancos de tanto guerrear, e 1 milhão vão ir conquistar a ótima vida de ir morar nas favelas da África do Sul ou conviver com os leões da savana da Tanzânia.

Após um ano de muita matança, em 1994 é eleito presidente do Burundi o hutu Cyprien Ntaryamira, que claro, foi assassinado com uma elefantada quando os tutsis colocaram em ação sua nova catapulta de elefantes.

Depois de dois anos de guerra civil sangrenta em 1996 os tutsis aplicam um sangrento golpe militar e tomam o controle do país, mas no mês seguinte os hutus elegem um primeiro-ministro, mas ele é assassinado por tutsis, mas os hutus 3 meses depois elegem Jacques Ngadjembola o síndico de Bujumbura, mas ele é deposto por um golpe militar... bem... já deu para entender como as coisas funcionam no Burundi...

Em 1999 Burundi foi invadido por russos bêbados que de acordo com os dados históricos venceu usando batatas e mudaram o nome do país para reino das batatas,mas foram expulsos quando alienígenas os atacaram com bananas inteligentes. Após isso apagaram a memória de todos e por isso o país até hoje é conhecido por ser um poço de inteligencia.

Fatos recentes[editar]

Recentemente, em 2006, um grande passo foi dado rumo ao desenvolvimento de Burundi: foi inaugurada a primeira loja de biscoitos da nação. O evento contou com a presença de personalidades importantes como o Papa e o bispo Macedo.

Em 2010 é eleito com 91,62% dos votos válidos Pierre Nkurunziza, pois estranhamente se candidatou sozinho, e mais estranhamente ainda não ganhou com 100%, matemática não é o forte dos burundianos.

Subdivisões[editar]


Economia[editar]

Um luxo em Burundi.

Ainda pouco conhecido pela civilização ocidental, Burundi é um país altamente desenvolvido, ocupando a 237498792374ª posição no ranking do IDH, na frente apenas do Acre. Com uma expectativa de vida de aproximadamente 4,67 anos e um população de 46 pessoas, os estudiosos preveem que Burundi é o grande candidato a desbancar os EUA e a China no século MMCCXXXVI e tornar-se a grande potência econômica do planeta.

Os principais produtos de exportação burundianos são o vírus HIV e a carne humana. A carne humana constitui o principal alimento dos habitantes de Burundi, especialmente a de turistas e estrangeiros que visitam o país. Entretanto, o setor terciário da economia do país já está se desenvolvendo.

Política[editar]

O povo de Burundi ainda não descobriu a política e eles ainda vivem como nômades e é "cada um por si e Deus contra todos", ou seja, cada um cuida da sua terra.

População[editar]

A capital, Bujumbura, é onde vivem 136% dos habitantes de Burundi. Os outros 45,2% estão espalhados pelas tribos canibais da região.

Cultura[editar]

A festa popular mais tradicional de Burundi é a Carnificina. Tem-se notícia que os burundianos praticam a carnificina como forma de alimentação e sobrevivência desde o período Paleolítico. Além da Carnificina, a queima de reservas florestais é usada como forma de entretenimento de grande parte da população do país, tornando-se uma marca registrada de Burundi.

Burundi por um burundiano[editar]

Ole manu-manu lebo lebo, eto'o. Aluspah manaribo arigatô, sayonará masne kebô. Leco-lebo drogba. Okocha-kanu hujidane mjunkeno, habibs. Tourré, kilimanjaro.

Tradução: "Burundi é um lugar bom de se viver"

Flag-map Burundi.png Burundi
HistóriaPolíticaSubdivisões
GeografiaEconomia
CulturaTurismo
Salve mãe África, mano!
África
v d e h

Países: África do Sul | Angola | Argélia | Benim | Botswana | Burkina Faso | Burundi | Cabo Verde | Camarões | Chade | Comores | Congo | Costa do Marfim | Djibouti | Egito | Eritreia | Eswatini | Etiópia | Gabão | Gâmbia | Gana | Guiné | Guiné-Bissau | Guiné Equatorial | Lesoto | Libéria | Líbia | Madagascar | Malawi | Mali | Marrocos | Maurício | Mauritânia | Moçambique | Namíbia | Níger | Nigéria | Quênia | República Centro-Africana | República Democrática do Congo | Ruanda | São Tomé e Príncipe | Senegal | Serra Leoa | Seychelles | Somália | Sudão | Sudão do Sul | Tanzânia | Togo | Tunísia | Uganda | Zâmbia | Zimbabwe

Territórios: Canárias | Ceuta | Galmudug | Mayotte | Melilla | Reunião | Saara Ocidental | Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha | Somalilândia