Byako de Necromancer

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Patrick.gif "Que burro! Dá zero pra ele!"

Este artigo é sobre algo ou alguém burro ou completamente imbecil.

Provavelmente usa Oi Velox e digita "kkk"...


PoR-Death.gif
Byako de Necromancer já morreu!

Não era corredor, mas esticou as canelas!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno


Byako de Necromancer

ByakoCanvas.jpg

Classificação Espectro
Cavaleiro
Deus a que serve Hades
Armadura Necromancer
Golpes Cadeado Mortal (Morphy Candeal)
Perfil
Nacionalidade Ninguém sabe
Local de Treinamento Pouco importa
Nascimento Nem interessa
Frase Favorita "Socorro! não sei se sou homem ou mulher!"


Cquote1.png Você quis dizer: Loiro burro? Cquote2.png
Google sobre Byako de Necromancer
Cquote1.png Experimente também: Brioco de Necromancer Cquote2.png
Sugestão do Google para Byako de Necromancer
Cquote1.png Vamos torturar todos os moradores da vila, como o senhor Minos nos pediu! Cquote2.png
Byako sendo mau
Cquote1.png Como é cruel o Cavaleiro de Ouro de Peixes! Cquote2.png
Byako de Necromancer sobre Albafica de Peixes
Cquote1.png Grande Chifre! Cquote2.png
Hasgard de Touro sobre Byako de Necromancer

Apresentação[editar]

O Espectro da Estrela Terrestro do Espírito, Byako de Necromancer, posando para uma foto.

Byako de Necromancer (conhecida na night como Bianka de Necromancia, ui!) é somente um dos mais de oito mil 108 fantasmas Espectros do Imperador do Submundo, Deus do Tártaro e tio da Deusa Athena nas horas vagas, Hades, presente no anime/mangá The Lost Canvas, de Masami Kurumada e mais uma otaka, conhecida como Shiori Teshirogi (WTF? Que nome bizarro!).

Sua história, vida feliz na infância, amigos e companheiros de bebedeiras e muitas outras coisas chatas são totalmente deixadas de lado nesse artigo, já que tal Espectro nem merece tanto destaque assim por sua total inutilidade em ajudar o Imperador do Inferno a dominar o mundo, bem diferente de Kagaho de Benu, por exemplo, que além de conseguir ocupar dois episódios de destaque na primeira parte do anime, ainda conseguiu uma reencarnação muito legal em outra era mitológica no corpo de Ikki de Fênix.

Biako é responsável pela invasão ao Santuário de Athena e destruição do vilarejo próximo ao mesmo, apesar de não conseguir fazer porra nenhuma do que lhe haviam pedido.

História[editar]

Cquote1.png OMG! Como vocês descobriram isso? Cquote2.png
Byako assustado com seu artigo na Desciclopédia

Nascido na puta que pariu com a casa do caralho, bem de esquina com o cu do mundo, Biako teve uma vida muito pacata e feliz no lugar em que passou a sua infância (ou não, nunca se sabe da verdade). Ele brincava diariamente com as meninas de sua rua (sim, meninAs), sendo que tais brincadeiras eram exclusivas do sexo feminino como bonecas, casinha ou mesmo brincar de médico papai-e-mamãe, apesar das mesmas evitarem tal brincadeira assim que descobriram o significado disso em um livro chamado Kama Sutra.

Ele brincava de tudo isso não porque Biako gostasse ou coisa do tipo (imagina!), o fato é que, até os 18 anos de idade, o futuro Espectro de Hades foi educado como uma menina, tratado como uma menina, ou seja, sempre foi uma menina, apesar de preso no corpo de um homem (ou o contrário?).

É claro que a sua fisionomia ajudava e muito para que essa confusão acabasse por ocorrer, já que o mesmo rapaz tinha uma comprida cabeleira loira, falava com suavidade e ainda usava um par de Brincos de Potara em cada orelha, apesar dos mesmos não realizarem fusão (ou não).

Byako arregalando os seus olhos, só porque ele sabe que eles chamam a atenção.

Uma característica marcante de Biako sempre foram os seus olhos, que possuiam uma cor que nunca foi antes vista na história desse país. As íris dos dois são roxas (WTF? Que coisa, não?), sendo que a parte dos olhos que deveria ser branca, pelo menos na maioria das pessoas, nada mais são do que de uma cor preta afro-descendente, deixando-o com uma vista ainda mais amedrontadora.

Todo mundo tinha medo de brincar com ele, principalmente a noite, quando seus olhos ficavam ainda mais assustadores. Os pais de Biako o levaram a vários oftalmologistas, mas nenhum conseguiu saber porque cargas d'água tais olhos possuiam esse traço tão peculiar e únicamente vistos em tubarões.

Para tentar parecer um pouco mais normal, Biako começou a utilizar-se de lentes de contato, pois assim assustaria menos todo mundo, mesmo que isso lhe deixasse triste por dentro (ui!), já que tinha que renegar às suas origens para poder fazer os outros se sentirem bem ao estarem próximos à ele. Mesmo com lentes, ninguém nunca conseguiu o ver como um igual. Pobre criatura.

Reencarnação[editar]

Byako se apresentando aos seus adversários, porque educação ele teve quando pequeno.

Há 243 anos atrás, em um belo dia sem sol, com uma chuva aterrorizante e um frio de lascar, a montanha onde repousava obrigatoriamente o espírito do Imperador do Submundo, Hades, irmão de Zeus e Poseidon, acabou sendo destruída, pois o selo paraguaio que Athena utilizava para prender a alma de seu tio por alí tinha perdido a sua validade de 1.000 anos mais depressa do que o esperado (como toda e qualquer muamba coisa comprada no Paraguai).

Junto com o Imperador, todas as 108 Estrelas Malígnas também foram ressuscitadas, para mais uma vez tentar tomar a posse da Terra que era controlada pela sua sobrinha, que tirou todo o poder de sua mãe, a Deusa da Terra, Gaia.

Depois de ter o seu espírito desperto, a primeira coisa que Hades tinha que fazer era encontrar o corpo do sacripanta mais puro do mundo, sendo que tal criatura acabou sendo definida como o pintor loiro de igrejas Alone, um órfão que vivia em um orfanato na Itália e adorava pintar o sete por aquelas bandas.

Byako não é nenhum pouco bonzinho, mas pelo menos é obediente.

Depois de, com a ajuda de Pandora, tomar posse do corpo de Alone, restou agora ao Imperador encontrar os corpos que seriam o receptáculo de suas 108 Estrelas Malígnas, seus Espectros.

Depois de conhecer um pouco a história de Biako, ao ler sobre ele em um jornal qualquer do mundo, em que falavam dos seus olhos negros como o ébano, Hades acabou se interessando pelo cara (ui!), principalmente pelo seu jeito hermafrodita de ser, já que ninguém (até hoje) sabe se ele é homem ou mulher. Convidando-o para um encontro às escuras, marcado pelo Bate-papo da UOL, Hades lança a proposta para Biako de se juntar a ele em sua dominação mundial, prometendo fama, fortuna e uma vida eterna (afinal, do que adianta tudo isso se vamos todos morrer no final?).

Tentado por essas propostas, Biako (claro!) aceita, tornando-se, a partir desse dia, Biako de Necromancer, a Estrela Celeste do Espírito, sendo que tal nome acabou nunca sendo compreendido, mas que ficou bem legal no cara cabou ficando (ou não).

The Lost Canvas[editar]

Um presentinho de Albafica de Peixes para Byako. Com muito amor, claro, já que foi bem no coração.

Assim que a guerra entre Athenas e Hades foi realmente travada, Hades começou a planejar a infiltração de seus Espectros no Santuário de Athena, somente para que a Guerra chegasse logo ao fim (vocês sabem como ele não gosta de guerras, ainda mais contra parentes).

Depois que o Imperador mostrou para alguns de seus Espectros sobre um novo modelo de verificar se um Cavaleiro de Athena estava vivo ou morto (através de uma imenso relógio da vida no teto de seu castelo que mostrava a constelação de Tenma de Pégasus sendo apagada), Pandora enviou alguns Guerreiros das Sombras para o Santuário, sob o comando de Minos de Griffon, nada mais e nada menos do que um dos Espectros mais fortes de Hades e um dos três juízes do Mundo dos Mortos, mais conhecido como Titãs infernais.

Minos de Griffon tinha a fama de ser o maior ventríloquo do mundo, perdendo somente para Gepeto, o pai do menino de madeira que virou menino de verdade (WTF?) Pinóquio, e para Kankurou e Chiyo, os ventríloquos de Naruto e moradores da Vila da Areia.

Mas não adianta de nada, ele parece estar morto mais sempre está vivo (ou não).

Biako de Necromancer era um dos Espectros que estavam sob o comando de Minos e que foram para o Santuário como os peões em um jogo de xadrez (sempre os peões vão primeiro para morrer). Chegando lá, todos enfretam um grupo de fracos Cavaleiros de Prata, que estavam fora dos domínios do Santuário, impedindo o caminho para o mesmo. Minos, com toda a elegância da Estrela Celeste Nobre, matou-os um a um, com a sua Marionete Cósmica.

Após isso, um canteiro de rosas aparece no cenário, abrindo espaço para o Cavaleiro de Ouro mais mara! de todo o Santuário, Albafica de Peixes. Minos de Griffon, admirado com a beleza do Dourado de Peixes (ui!), preferiu mandar os seus Espectros irem adiante, depois que Niobe de Deep, a Estrela Terrestre das Trevas, destruiu todo o campo de Rosas Diabólicas Reais de Albafica antes de morrer pelo Espinhos Carmesin, deixando o espaço livre para os outros Espectros. Controlado pelo poder de Minos, Albafica acabou deixando Biako e os outros Espectros passarem, mas ele ainda tinha uma carta na manga.

Duas mortes? OMG![editar]

Depois do presentinho de Albafica, agora veio de presente de Aldebaran.

Assim que passaram por Albafica de Peixes e deixaram Minos de Griffon às próprias custas, Biako e os outros Espectros da guarnição foram em direção ao Santuário, mas antes passariam por uma aldeia que fica próxima ao local, onde destruiriam, saqueariam, estuprariam e matariam a todos os moradores, tudo por ordens de Minos.

A Surplice de Byako não possui asas, mas ele voa que é uma beleza.

Biako foi o líder desse grupo assim que o Juiz do Mundo dos Mortos ficou para trás, o que acabou demonstrando o fracasso do trabalho todo. Assim que chegaram próximos à vila, uma chuva de Rosas Sangrentas os atacaram, perfurando os seus corações e matando-os quase que instantaneamente, sendo que nem Biako, que ficou para trás, foi capaz de sair ileso da armadilha de Albafica.

Após sua primeira morte, acabou sendo ressuscitado pelo poder do Imperador do Submundo. Assim que acordou, deu de encontro com Hasgard de Touro, mais um Cavaleiro de Ouro, que tinha ido alí exatamente para matá-los (de novo!). Os cinco Espetros atacaram Hasgard sem hesitar, para a derrota de todos que morreram (mais uma vez) com o Grande Chifre.

Dessa vez eles não ressuscitariam, já que foram colocados dentro da barreira de Athena, que impedia Hades de chamá-los à vida. Azar o deles!

Ver também[editar]


Cavaleirospredef2.jpg