Cáceres (Mato Grosso)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Mico azul.JPG


O Mico Azul passou por aqui em 1778!!!

DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...Nunca na história da humanidade alguém falou alguma frase sobre Cáceres até a data deste presente artigo.

Cquote1.png Bienvenido a Bolivia Cquote2.png
Placa de rodovia sobre Cáceres.
Cquote1.png Fim do Mundo Cquote2.png
Placa de rodovia sobre Cáceres.
Cquote1.png ...*@#!&%¢£¢¬@#...!!! Cquote2.png
Motorista sobre Cáceres.
Cquote1.png Quem perdeu tempo escrevendo isso? Cquote2.png
Você sobre este artigo.
Cquote1.png Mas o que diabo é isso? Cquote2.png
Qualquer outro que não seja de Cáceres sobre Cáceres.

Cáceres é a maior cidade da Bolívia localizada em Mato Grosso, teoricamente deveria ser uma cidade-polo, mas não passa de uma fazenda inútil.

Mato Grosso é um estado bizarro, só possui 11 municípios e destes onze, só quatro (Cuiabá, Chapada dos Guimarães, Várzea Grande e Rondonópolis) são realmente mato-grossenses. Sinop, Primavera do Leste, Sorriso e Tangará da Serra são cidades do sul do Brasil que por acaso, ficam em Mato Grosso. Barra do Garças é uma cidade goiana que também por acaso está em Mato Grosso. Alta Floresta que não passa de uma corrutela Paraense bizarra formada pela cruza de sulistas gays com maranhenses arretados, localizada no norte de Mato Grosso. E Cáceres, no caso, é uma cidade boliviana que também por acaso está em Mato Grosso.

A cidade disputa com Aquidauana (conhecida também como Aquidaoânus) o posto de segunda cidade pantaneira em importância, já que a primeira é de Corumbá (outro fim de mundo pantaneiro).

História[editar]

Fronteira de Cáceres com a Bolívia. Note toda a segurança que garante a paz do local, as onças e sucuris ocultas nesse mato impelindo quaisquer atividades ilícitas na redondeza.

No século XVII um grupo misto de ex-comungados gatos de botas que carregavam bandeiras, índios tabajaras, freiras lésbicas celibatárias, e fugitivos de um circo de horrores holandês fundaram essa cidade. O progresso da cidade foi vertiginoso, tanto que no início do século XX chegaram as primeiras notícias sobre a invenção da roda e do fogo na cidade. Todavia nem tudo são flores, pois em 1970 uma praga destruiu todos os pés de manga da região, o que resultou num período de fome que matou 40% da população da época.

Na época das tratativas prévias sobre o Tratado de Tordesilhas, a disputa sobre Cáceres foi ferrenha entre espanhóis e portugueses. Nem um nem outro queria ficar com essa vila. Após muito se debater, o acordo foi: Cáceres é boliviana mas gerida por Mato Grosso. A partir de então, a cidade de Cáceres postulou-se como a maior e a mais rica cidade da Bolívia em Mato Grosso. Como a Bolívia só aceita dentro de seu território pobreza e miséria, Cáceres foi cedida ao Brasil e hoje figura em Mato Grosso.

Diante desse belo retrospecto, atualmente Cáceres é a cidade mais rica da Bolívia e a mais miserável do Brasil. Para saber mais sobre Cáceres, procure por qualquer artigo sobre a Bolívia.

Atualmente um local renegado, Cáceres é só uma cidade esquecida cujas únicas importâncias é servir de porta de entrada de todo tipo de drogas e ilícitos tóxicos ao Brasil e porta de saída de veículos roubados.

Geografia[editar]

O relevo de Cáceres é predominado por um planalto ultra-encharcado/seco onde pulam veadinhos contentes atrás de algumas plantas comestíveis, como a maconha. O Rio Paraguai corta a cidade ao norte, sendo essencial para que haja algum local para que os dejetos da cidade sejam lançados. Só porque há alguns jacarés os cacerenses acreditam que estão no pantanal, quando na verdade o real pantanal é só no Mato Grosso do Sul.

O clima é o quente pra cacilda como tudo em Mato Grosso, com calor nas montanhas, e frio nos campos de coca. Há o dito popular que diz que "o sol nasce para todos", mas nesta cidade cada cidadão tem seu próprio sol, justificando o calor dos infernos que faz por lá. Esse clima ultraquente só é apreciado pelos "turistas" que lá chegam, e por algum motivo peculiar desejam sentir na pele como é o calor dos infernos.

Economia[editar]

Produtos tipicamente cacerenses sendo apreendido pela polícia devido à falta de um imposto local denominado "Propina".

Cáceres ostenta as maiores transações comerciais da Bolívia, sendo, portanto a cidade boliviana em que mais se trafica drogas, mais se rouba carros, mais se "desmonta" carros roubados, onde mais se contrata pistoleiros, onde mais se aluga matadores. Ou seja, a cidade goza do pleno emprego, há opções de trabalhos para todos.

O segredo do crescimento do PIB cacerense se deve a uma matemática simples: Além de ser importante entreposto comercial no tráfico internacional de drogas, o município não gasta 1 centavo na compra de bens, produtos ou mão-de-obra para a cidade. Afinal tudo o que se vê em Cáceres foi roubado de alguém: carro, carretas, drogas, barcos ou comprado com o dinheiro roubado de alguém ou advindo de atividades proibidas no Brasil mas totalmente liberadas na Bolívia. Como a cidade é na verdade boliviana, ela goza da vantagem de poder transportar tabletes de maconha para qualquer lugar sem qualquer intervenção da polícia municipal. Com um custo zero nas suas importações, Cáceres consegue 100% de lucro ao vender os produtos provenientes de roubo ou furto.

O Coca-Dólar é a moeda local, e esta moeda independente também contribui com o desenvolvimento da cidade. A renda per capta (o que ou aquilo que se consegue "captar" de outrem) de Cáceres superou em 2,5 mil dólares a verificada para Manaus, conhecida como a única Zona Franca de Subsídios existente em território brasileiro.

Outro ponto alto da economia do município são as várias fábricas de bicicletas e ciclomotores. O ano de 1999 rendeu à cidade o título de maior bicicletaria do mundo. As únicas coisas que superam as bicicletarias são as farmácias! Há uma farmácia a cada 20 metros, sendo considerada a capital mundial no ramo de drogarias, principalmente se considerado seu subgênero de drogas tidas (por alguns) como ilícitas, conhecidas localmente como "bocas" e seus respectivos comerciantes como "boqueiros".

A atitude do prefeito veio coroar e firmar na região a Zona Franca de Cáceres (ZFC), com subsídios controlados pela Secretaria da Indústria Automotiva, mais conhecida pela sigla ROBAUTO (especializada em desmontagem e montagem de veículos). Também no sentido de incentivar a economia local, foi fundada a Secretaria de Base, responsável pelo controle da importação, transporte, refino, processamento, distribuição e consumo de substâncias químicas alucinógenas.

Política[editar]

A política de Cáceres é tão lícita e honesta, que este artigo evitará citar nomes de prefeitos, vereadores e empresários porque o autor preza por sua vida e integridade física. A política de Cáceres é voltada para o comercio de coca, (e consumo).

Há basicamente sempre uma roubalheira sobre obras aprovadas cujas únicas evidências são fotos de ruas e fotos de maquinários que nunca passaram de uma fotografia.

População[editar]

O povo de Cáceres tem uma estranha mania de grandeza, muito por causa do tal Festival Internacional de Pesca (FIP), os moradores acham que tudo que vem para a cidade também tem quer ser "Internacional". Qualquer vagabundo que tenha vindo de uma cidade maior, e chega na cidade alegando e criando qualquer evento, todos já dizem ser "Internacional". Os pobres idiotas cidadãos ainda acreditam, mas como eles não se contentam com municipal ou estadual ou nacional...

Transportes[editar]

Todo o movimento de fantasmas do Terminal Rodoviário de Cáceres.

Simplesmente não há, a cidade encontra-se em total isolamento, algo premeditado pelo governo brasileiro que busca tentar coibir o tráfico de ilícitos para o Brasil. Todavia estradas de terra ou porcamente mal asfaltadas foram feitas de qualquer jeito numa tentativa de inclusão da cultura boliviana no Brasil.

A criatividade do povo de Cpaceres é o seu ponto forte. A despeito dos nomes dos dois únicos times de bosta que lá existem: "Cáceres Futebol Clube" e o "Cacerense Futebol Clube" há um super projeto de se criar a "Rodovia Trans-Pantanal" com o intuito de fazer concorrência ferrenha com a "Rodovia Transpantaneira" localizada em outra currutela de igual importância: Poconé.

Idioma[editar]

Cáceres possui seu dialeto próprio, algo muito próximo do caipirês, destacado pela mania intencional de sempre se usa o "R" em substituição ao "L" entre consoantes, preferencialmente sobre "bl", "cl", "gl", "pl" resultando nas palavras grafadas como "brog", "bicicreta", "angro-saxão" e "pobrema".

Esportes[editar]

No estado de Mato Grosso, Cáceres só perde para Rondonópolis no quesito "cidade que tem mais de um time, mas são todos uma várzea ruim pra caralho". Se já não bastasse um time amador, a cidade conta com dois times, que disputam todo ano no campeonato matogrossense de futebol quem é o pior. São eles o Cáceres Esporte Clube e o Cacerense Esporte Clube, que não raramente falidos desistem até de competir, e são reativados quando algum traficante precisa lavar seu dinheiro. O problema é que o público médio de 5 pagantes desses dois times nãos erve nem para lavar dinheiro.

Turismo[editar]

Panorama da largada do Festival Internacional de Quem é Mais Picado por Mosquitos de Cáceres.

Por conta da semelhança com o clima do inferno durante todo são realizadas na cidade workshops, palestras e jornadas infernódicas exclusivamente direcionadas para capetas, demônios, LGBTs, petistas, advogados, que vão migrar para o inferno após seu falecimento e que visitam Cáceres para realizar uma prévia "aclimatação" antes de seguirem viagem para o inferno.

O Turismo também é importante em Cáceres. Anualmente ocorre na cidade o Festival Internacional de Pesca - o maior festival do mundo realizado em águas fluviais, mas que na verdade não passa de um bando de bugres pessoas matutas mal-informadas que acham que essa bosta esse evento vale alguma coisa. Os únicos turistas que vão nesse lixo festival, é a própria população da cidade, que, mesmo sabendo que as únicas caras novas são as dos cachorros que nasceram por ali, se iludem e acham que a cidade está cheia de gringos. Quando um raro gringo de verdade participa desse festival, ele acontece de ser o vencedor, caso de quando um turista norte-americano fisgou das águas do Rio Paraguai a carcaça de uma Pajero com dois corpos humanos (motorista e passageiro) dentro.

Turistas também vão a Cáceres por esta ser conhecida mundialmente como a Capital Mundial da Poeira (repare como não importa para o que, é sempre importante enfatizar as palavras "conhecida mundialmente" e "capital mundial".)


v d e h
NEY MATO GROSSO DO NORTE
Bandeira de Mato Grosso.png