Pessoas que cagam na escola

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Cagar na escola)
Ir para: navegação, pesquisa

As pessoas que cagam na escola são entidades oniscientes, onipotentes, onipresentes e onívoras que possuem a capacidade de reunir ki, coragem e merda o suficiente para utilizar o espaço público de higienização da escola para defecar. Trata-se obviamente de um(a) adolescente — os funcionários da escola são adultos, têm mente mais desenvolvida, claro que não quereriam se meter num campo minado desse — possivelmente fora de seu eixo mental saudável com o intestino lotado de chocolate que está apertando seu cu o suficiente para não deixar passar uma agulha, ou algum moleque da sexta série que está com diarreia braba e nada neste mundo pode o impedir de adentrar aquele cubículo dos infernos.

O mistério por trás destas pessoas[editar]

Deus ou sei lá o quê não chegam nem aos pés dessas pessoas.

Quase todo aluno de Ensino Fundamental de escola pública já teve que ir ao banheiro ao menos uma vez na vida. Não, nem tente negar nem use aquela desculpa de que ainnn eu nem me lembro, sabemos que todos ou quase todos já foram naquela famigerada parte do colégio, principalmente os meninos. Pois bem, quem nunca se aproximou do vaso sanitário, verdadeira fossa do capeta, e dentre os palavrões riscados na parede e marcas de batom (oi???) e se deparou com uma assinatura marrom na parede do vaso e tentou acertá-la com sua miniatura de lava-rápido? Pois bem, se aquilo tava preso ali podemos concluir que não surgiu por geração espontânea. Alguém produziu aquilo.

Então alguém cagou ali com certeza. Podemos concluir que essas pessoas são alguma espécie de ninjas teens ou fazem parte de alguma sociedade secreta ou são contratados pela ABIN para espionar os professores, porque não é cientificamente possível que nunca um indivíduo desses tenha sido devidamente identificado e detido pela polícia. É uma coisa incrível que toda vez que alguém vá ali encontre sempre, infalivelmente sempre encontre algum pedaço de cocô preso ao vaso sanitário deixado por algum humanoide que aprendeu a se camuflar, ou o dito torpedo do tamanho de um salame boiando no líquido dentro do vaso.

Porque cagar na escola?[editar]

Não sabemos. A pessoa deve ter uma vontade do caralho de cagar em alguma coisa que não seja nas calças, ou então só quer foder com a vida da servente que cuida dali (coitada!), ou então só quer se gabar pros colegas dizendo que foi a única criatura na turma toda que já cagou na escola.

Porque não cagar na escola?[editar]

WTF??? Ainda precisamos especificar pra você? Tá bom então, lá vai:

  • Todo mundo já sentou naquilo.
    Sim, ao menos algumas pessoas já sentaram naquilo. Segundo o Instituto DataFolha se você for de uma escola que não seja do centro da cidade, há uma probabilidade de 77% que os banheiros dessa escola não sejam lavados há 7 anos ou desde sua fundação mesmo. Ou seja, todo tipo de vírus, bactérias, protozoários, fungos, liquens, musgos, amoebas, espermatozoides e bichos quânticos vivem transando ali mesmo na superfície gelada daquele troço. Veja, você está em uma escola pública de ao menos três turnos, seguramente com mais de duzentos alunos cada um: ao menos 600 pessoas estudam neste colégio. 40% já mijaram (e cagaram) ali: há uma altíssima probabilidade de o assento do sanitário conter DNA de pelo menos 250 pessoas de raças, tribos, nações, línguas e noções de higiene diferentes. Ao mais leve contato da derme de seu traseiro, quando o pelinho na ponta da espinha da sua bunda encostar naquela seboseira, considere-se infectado por pelo menos 27 moléstias terminais diferentes ou só AIDS mesmo.
  • Todo mundo já mijou naquilo.
    É verdade. Embora você possa se considerar um sniper quando o assunto é tirar água do joelho, entre os garotos sempre há aquele retardado que não consegue nem mirar o próprio pênis direito em direção ao vaso molhando até o forro com a mangueira descontrolada, principalmente quando vai mijar de pau duro. Mas de pau duro dentro da escola? Bom, o lado positivo da história é que o assento é desinfectado com a uréia do mijo.
  • Todo mundo já sentiu o cheiro daquilo.
    Bom, como se não bastasse a pessoa ter que olhar pra obra de arte deixada ali, o fedor que a bosta costuma soltar dentro do banheiro é simplesmente insuportável. No momento em que você adentra o espaço e sente aquele aroma do Hades, a primeira coisa que vem na sua cabeça é: Coitada da mãe desse sujeito. Ou não, parece que a merda sempre fede mais em espaços públicos do que na própria casa mesmo.
  • Todo mundo sabe que a descarga não funciona.
    Segundo a Lei de Murphy, se algo pode dar errado, dará. Se você, leitor, me afirmar que a descarga do banheiro da sua escola funciona perfeitamente, estará mentindo e você vai pro inferno. Dizem que aquela caixa em cima do vaso na verdade não seria uma descarga: é uma espécie de enfeite ou suporte para as pessoas colocarem algo em cima (dãããã). Há também os que afirmam que as empresas contratadas pelos governos fornecem descargas quebradas ou defeituosas, com o intuito de fazer com que os alunos aprendam a mexer naquele troço sozinhos e levarem esse aprendizado super-útil pra vida toda; ou então é algum tipo de terapia para adolescentes que vivem estressados, para que exercitem a paciência e metam a bicuda naquela caixa do caralho.
  • Todo mundo já tentou usar o papel higiênico. Tentou.
    Não há informações disponíveis a respeito da utilidade daquele troço coldado na parede com um vidrozinho curvo. Dizem que era pra comportar o papel higiênico dentro, mas nunca conseguimos relatos confiávei que alguém já logrou passar um pedacinho que seja no fureba. Você cagaria numa escola sem limpar o cu? sim