Caibaté

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gauchodanc.jpg Mas bah, tchê!

Este artigo buenaço e tri-legal é do mais puro humor gaudério dos pampas, vivente, então veste tua bombacha, recolhe teu pelego no galpão e toma um mate amargo com a gente, macanudo!

Chima.jpg
Até hoje dizem que os padres foram enterrados aí... Ou sim.

Caibaté é uma cidade que é chamada de coração da região norte do Rio Grande do Sul. Tal nome ridículo foi mais tarde considerado uma piada das clássicas para os habitantes de Caibaté que querem abolir tal piada do estado inteiro. A piada é de cunho completamente desconhecido e isso soaria humor privado aos ouvidos de uma outra pessoas com tendências homossexuais.

História[editar]

Antigamente os jesuítas estavam no meio de missões para implementar sua cultura em um lugar contra a vontade das pessoas de lá, tal como os Estados Unidos tentaram fazer na Guerra do Iraque, mas não conseguiram por terem usado bombas e liderados por um idiota que mal sabia o significado de "inteligência".

Lá os jesuítas tentaram converter os nativos que chamavam a região de Caibaté porque a maioria das pessoas tropeçavam e acabavam sumindo por algum motivo. Poderiam ser os tatus gigantes do sub-solo que as usavam como alimento. Nunca se sabe, o interior do Brasil pode ser a parte mais estranha dele.

Após terem expulsado e matado os jesuítas, eles trancaram o corpo deles em um túmulo que mais tarde foi ocupado pelos jesuítas ainda mais revoltados que dessa vez fizeram a população de nativos aceitarem sua cultura na marra.

A cidade[editar]

A cidade é dividia em zonas. As zonas tem privilégios especiais para ode cada um mora. Mesmo a cidade sendo minúscula, ela ainda é dividida em zonas.

  • Zona baixa: a zona dos pobres, e por lá que vivem os macacos que ficam pulando de galho em galho e os tatus gigantes. Geralmente as pessoas que vivem na zona baixa são alimento dos tatus gigantes e sua fome insaciável.

Cquote1.png Peraí... Não existem macacos no Sul! Cquote2.png
Você sobre a fauna bizarra de Caibaté

  • Zona franca: Zona onde ficam os que não fedem e nem cheiram. Geralmente só estão lá para os ricos poderem ter alguém para zombar. Fazem parte da parcela das pessoas que tem uma vida chata como classe média que é de 40%. 59% é pobre e 1% é rica.
  • Zona real: Bairro das pessoas que comem caviar e andam com monóculos, fazem parte de 1% da população e só estão em Caibaté para cuidar das fábricas e motivar as pessoas que trabalham lá, mostrando que o chefe deles também sofre morando nessa cidade miserável.

Ver também[editar]