Caio Blinder

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Jornalfail.jpg Atenção! Este artigo informa sobre um jornalista!

Caio Blinder é mais um(a) mala sem alça que quando não fica fazendo apologia política, só dá notícia ruim.

Confira outros oportunistas pseudo-intelectuais clicando aqui.


Cquote1.png Meu sonho é trabalhar na Russia Today![1] Cquote2.png
Caio Blinder sobre Caio Blinder
Cquote1.png Ele não aguentará passar um dia na tv aberta! Cquote2.png
Qualquer um sobre Caio Blinder
Cquote1.png Elas são só mais umas piranhas Cquote2.png
Caio Blinder sobre Sobre a rainha da Jordania e a mulher do Assad(- a Carla Bruni)
Cquote1.png A Culpa é do Capital Cquote2.png
Caio Blinder sobre Sobre a crise do Subprime
Cquote1.png Mao Tsé Tung, Roosevelt, Mobotu agora Barack Obama são progressistas Cquote2.png
Caio Blinder
Cquote1.png A Culpa é do Capital Cquote2.png
Caio Blinder sobre Sobre seus heróis de ontem e hoje
Cquote1.png A Culpa é do Capital Cquote2.png
Caio Blinder sobre a fome na Somália
Cquote1.png A Culpa é do Capital Cquote2.png Cquote1.png Obama representa a nossa melhor opção para presidente do Mundo. Cquote2.png
Caio Blinder sobre quem seria sua escolha para presidente dos Estados Unidos
Cquote1.png Você não passa de um Moleque Mimado Cquote2.png
Paulo Francis, Soldado Neoliberal, sobre Caio Blinder
Cquote1.png A corrupção não é um mal. Cquote2.png
Caio Blinder sobre como defender a corrupção hindu
Cquote1.png Vamos matar! Cquote2.png
Caio Blinder sobre matar russos na Ucrânia
Cquote1.png É normal matar cientistas, a inquisição espanhola já fazia!Você às vezes precisa matar gente agora, assassinar, é um assassinato… e não só isso… você também intimida os outros cientistas Cquote2.png
Caio Blinder sobre Sobre matar cientistas muçulmanos
[2][3] Cquote1.png Eu não escolho as mulheres pela religião nem pelo sexo Cquote2.png
Caio Blinder sobre Travestis e vadias
Cquote1.png Eu sou agente do mossad Cquote2.png
Caio Blinder sobre ser terrorista
Cquote1.png O Mali é uma democracia Cquote2.png
Caio Blinder sobre os mormons serem eleitos lá antes do golpe de 2012
[4][5]

Caio Blinder (ou Leandro Fortes) é um jornalista brasileiro, terrorista, sionista e ditador saudita, ex-namorado traído por Jean Wyllys na era da guerrilha, inimigo político declarado do Bashar al-Assad, doutor e mestre em filosofia progressista, formado nas Faculdades liberais da França para a Causa Bolivariana FSCCB, e influente profeta do acontecido. Blinder desde pequeno já mostrava incrível habilidade de conjurar sínteses unidimensionais para explicar fenômenos complexos (Crônica Jornalística) e sonhava em sentar no Quibe de um homem árabe. Nasceu em São Paulo, no bairro do Bom Retiro, e foi criado por um amigo do avô materno, já que os pais fugiram do país para escapar da perseguição dos Comunistas Getulistas que odiavam Liberais Humanistas Militantes. A infância de Blinder foi muito marcada pela paixão pelo futebol e leituras ávidas dos clássicos humanistas como: Michel Foucault e Benito Mussolini. A Infância de Blinder é retratada do filme: O Ano que Meus Pais Saíram de Férias, onde o nome de Blinder foi suprimido no filme para salvaguardar sua integridade física sempre ameaçada por apresentadores de talk shows no rádio brasileiro.

Caio Blinder virou até selo postal!!!

Blinder deixou o Brasil em 66 e migrou para Israel para participar das comunidades de mutualismo voluntário agrícola (Kibutz em hebraico) onde conheceu seu mentor intelectual Olavo de Carvalho, conceituado filósofo e maluco (Olavo de Carvalho é o Chomsky do centrão americano). Influenciado pelo humanismo de Mussolini, e de saco cheio de lavar latrinas nos Kibutz, Blinder migrou para os Estados Unidos e passou a combater o conservadorismo de dentro do estômago da besta.

Caio Blinder é formado em Ciências Sociais e relações internacionais na Faculdade de Columbus, e é Doutor Mestre em Filosofia Progressista formado nas Faculdades Socialistas da Colômbia para a Causa Bolivariana FSCCB. Tornou-se correspondente jornalístico para assuntos internacionais e especialista em hiper simplificações partidárias, em 1986, trabalhando para a Rádio Jovem Pan. Caio Blinder escreveu centenas de milhares de artigos ridículos, fazendo jus ao cargo de Braço Ideológico do PdCPUCMCKZ (Partido do Complexo PUC/Mackenzie) nos Estados Unidos. A sua marca registrada é o estilo crônica: simplório, acessível às massas, rápido, direto e... ...totalmente equivocado. Os Profetas humanistas do jornal israelense Haaretz do Brasil (Folha de S.Paulo) passaram, então, a exaltar essas qualidades que promovem a inclusão e a igualdade das massas menos privilegiadas a corrupção às ideias pseudo-humanistas, e arranjaram uma boquinha para Caio, no cargo de Saco de Pandadas de Paulo Francis, no programa Manhattan Connection da Rede de TV Neoliberal, Globosat. Apesar do evidente conteúdo neoliberal, Caio foi capaz de vencer os soldados do capital e construir uma fortaleza trotksysta no seio da máquina capitalista, sempre com suas explicações bastante acessíveis, unidimensionais, simplórias e estapafúrdias dos fenômenos sociais e atualidades. Caio Blinder tornou-se muito mais prolixo em sua produção jornalística após o advento da Wikipédia. E Chegou a declarar: "A Wikipédia é como um Kibutz, só que digital".

Referências[editar]

  1. Russia Today: Contratar Caio Blinder para ser âncora da RT em espanhol
  2. veja isso (em português)
  3. veja este video tambem aos 09:50 minutos (em português)
  4. veja isso (em português)
  5. veja isto tambem (em português)

Video[editar]

Ligações Externas[editar]