Caio Fernando Abreu

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Insira frase de Caio Fernando Abreu aqui Cquote2.png
Facebook de encalhada


Caio Fernando Abreu (Sãotiago, 12 de Setembro de 1948, morreu dia 25 de Fevereiro de 1996, na sua cidade natal, Pelotas) foi um Jornaleiro, fazedor de drama e escritorzinho de merda.

Posando pra foto do perfil do seu Facebook, horas antes de morrer.

Foi um dos maiores inúteis da nossa geração, com obras falando sobre sexo, medo, morte e principalmente, de ser um Forever Alone. Fazendo drama sobre o mundo moderno, desigualdade social e o caralho a quatro, é considerado um fotógrafo de merda.

Sua vida de merda[editar]

Passou a maior parte estudando Letras e o porquê delas existirem. Depois disso, resolveu trabalhar para revistas masculinas, como a G Magazine, além de colaborar com os Jornais, que só servem pra limpar a bunda.

Na época da ditadura, foi perseguido por fazer muitos poemas emo, o que fez com que o governo caçasse ele pois achava que ele estava contaminando a cabeça do povo, fazendo-os se matarem. Para não ser pego, ele se escondeu no sítio do seu amante, Paolo, em Campinas. Em 1970, triste porque seu amante terminou com ele, se mudou para a França, na esperança de encontrar seu novo amor.

Quando voltou para sua casa, em Pelotas, voltou parecendo um gay: Com dois brincos pendurados nas orelhas, usando un jaleco preto e rosa, cabelo pintado de vermelho e com silicone nos peitos.

Reconhecimento póstumo[editar]

Caio F. Abreu é, ao lado de Clarice Lispector, o autor mais citado no Facebook. Gurias retardadas, emos e todo tipo de criatura encalhada e solitária ou metida a pseudo-intelectual (que necessitam urgentemente ter seu ego massageado) escreve em seus murais as célebres frases do autor. Sendo que algumas nem são dele de verdade.