Caitriona Balfe

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.
Keira knightley d-1-.jpg Caitriona Balfe é uma modelo anoréxica!

Este artigo contém fatos sobre uma modelo que pesa menos que uma mulher grávida, descontando o peso da mulher. Sua dieta faz os presos em campos de concentração parecerem obesos e se virar de lado, desaparece.

Caitriona Balfe
Catriona-sam-gg-11jan16-05.jpg
Depois de ter deixado a carreira como modelo, já tem força nos músculos da cara para sorrir
Nascimento 4 de Outubro de 1979
Bandeira da Irlanda Irlanda
Ocupação Modelatriz
Honrando suas raízes irlandesas, mesmo com champanhe francês.

Cquote1.png Quem? Cquote2.png
Você sobre Caitriona Balfe
Cquote1.png Puta! Roubou meu ruivo escocês delícia Sam Heughan!!! Cquote2.png
Guria retardada poser sobre Caitriona Balfe
Cquote1.png Maior diva! Eu amo ela! Cquote2.png
Patricinha sobre Caitriona Balfe
Cquote1.png Adorei ela em Braveheart! Cquote2.png
Poser sobre Caitriona Balfe


Caitriona Balfe (na transliteração isso dá "erro de tradução") é uma ex-modelo irlandesa metida a pseudoatriz. Enquanto para os punheteiros mais antigos, é conhecida por ter "modelado" para a Victoria's Secret nos Anos 2000, para as gurias retardadas é famosa por seu papel de Claire Beauchamp no seriado Outlander.

Infância[editar]

Desde que foi para a Escócia filmar Outlander, Caitriona não larga o whisky.

Nascida em Dublin, passou sua infância num qualquer vilarejo com um nome esquisito, daqueles que só os irlandeses sabem pronunciar depois de já terem enchido o bucho de cerveja. Teve a sorte de nascer morena num país de gente ruiva e sardenta, discriminada pelos ingleses, os rivais mortais da Irlanda, pelo que Caitriona sempre foi considerada "bonita" (em comparação com as outras pitas irlandesas).

Por essa razão alimentou a ambição de se tornar modelo atriz, pelo que foi estudar teatro para o Conservatório de Dublin, mas seus professores de drama estavam cagando e andando para seu talento ou para a falta dele, logo lhe disseram que devia era tentar sua sorte como modelo porque da Irlanda só se exportavam atrizes feias. Seguindo conselho de seus mentores, aos 19 anos foi fazendo uns trabalhos como modelo mas tudo muito brega, pois forçavam-na a vestir-se de leprechaun e do duende verde.

Em 1999, os professores lá a conseguiram despachar para Paris para ir representar a Irlanda na indústria da moda internacional.

Carreira[editar]

Na altura em que passava fome.
Seu ar de felicidade por estar na passerelle em Milão é notório.

Depois de ir para Paris, seu corpo anoréxico fez o maior sucesso nas grandes passerelles do mundo da moda, desfilando para marcas de grife que você nunca terá dinheiro para comprar, como: Victoria's Secret, Dolce&Gabbana, Chanel, Marc Jacobs, Armani, Roberto Cavalli, Louis Vuitton, Lacoste, Givenchy, Calvin Klein, Christian Dior, Cacharel, Oscar de la Renta, Burberry, Alexander McQueen, Moschino, Hugo Boss, Paco Rabane, Miu Miu e afiliados. No seu auge de carreira de promotora oficial de Anorexia, nos Anos 2000 chegou a ser uma das 20 anoréxicas mais requisitadas do mundo da moda: participando em 73 desfiles em 2002, 96 em 2003 e 83 em 2004. Também foi capa das revistas favoritas das patricinhas, como Vogue, Elle e Harper's Bazaar.

Ela não tinha força nem para sorrir.

À custa de trabalhar para os gays do mundo da moda e a iludir gurias retardadas pattys de que sua anorexia é atraente, encheu seus cofres, principalmente pelos seus trabalhos em Milão, em 2002 e 2003. Ela tanto se fartou de sugar grana, que a agência para que trabalhava abriu falência, fazendo com que as outras modelos da empresa perdessem todos os seus rendimentos. Caitriona mudou logo de agência, mas o mesmo aconteceu; então fingiu que não tinha nada a ver com o problema e fez greve, até que lhe aumentassem o salário, e vira sindicalista, criando a organização Model Alliance, o sindicato das modelos.

Pouco depois desses dramas, Caitriona desiste da carreira de modelo, ainda que faça trabalhos para seus miguxos gays de vez em quando. Na verdade, ela não gostava de desfilar o corpo anoréxico para trás e para a frente na passerelle, chegando a afirmar: Ser modelo não era uma paixão minha, por isso aquilo acabou por me aborrecer muito depressa. Estava a ficar muito frustrada. Sua frustração decorria, essencialmente, dos consumos praticados por suas colegas de profissão: é que Caitriona, como irlandesa de gema, gostava mesmo era de tomar um porre, enquanto era exigido que as modelos que tivessem a cocaína como a base da sua alimentação. Ora, ela já só comia maçãs e bebia vinagre, e, como não queria deixar a bebida, acabou por desistir da carreira. Também, ela já não caminhava para nova, e ia ser jogada na sarjeta mais cedo ou mais tarde, pelo que preferiu sair pelo próprio pé e com dignidade. Ou não.

Mas isso não significou que tenha ficado desempregada, pois quando ainda vivia em Nova Iorque, em 2006, conseguiu bancar um papel de ninguém figurante no filme de Hollywood, O Diabo Veste Prada, ainda que ninguém tenha notado, pois havia Meryl Streep a roubar a cena a todo o mundo. Decide mudar-se para Los Angeles para retomar sua carreira de atriz, e vai fazer uns cursos de representação, mas também não lhe serviu de nada, pois só bancou papel de figurante personagem mais do que secundária em alguns filmes hollywoodescos de pouco renome, Super 8 (2011), Truque de Mestre (2013) e Rota de Fuga (2013). Em 2013, consegue um papel quase-de-protagonista no filme de thriller estadunidense, Crush, como uma louca lésbica obcecada por uma amiga: mas isso foi tão bosta que foi direto para DVD sem passar pelo cinema.

Em 2014 chega sua grande oportunidade, quando é escalada para a protagonista do seriado Outlander, Claire Beauchamp, baseado na saga literária de Diana Gabaldon: que conta a estória de uma enfermeira de 1945, que participou na Segunda Guerra Mundial, que viaja no tempo até à Escócia do século XVIII e se apaixona pelo guerreiro escocês William Wallace Jaime Fraser. Depois de andar 6 episódios a prometer ser peituda, tal é o espanto dos punheteiros indivíduos que veem essa porra quando descobrem que Caitriona é, na verdade, desmamada e que aquele volume era todo ilusório e repuxado pelo espartilho: e, para além, de ter "saído ao pai", seus seios pequenos são estranhos, pois parecem meio descaídos. Só porque tem seios bizarros, foi logo considerada "boa atriz" pela crítica, enquanto Scarlett Johansson continua penando só porque é peituda.

Filmografia[editar]

Balfe e seus seios bizarros.

Seriados[editar]

Afiliados[editar]