Camocim de São Félix

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Camocim de São Felix é uma invisível cidade do interior de Pernambuco. Camocim não aparece no Mapa. Podem ver no Google Earth, na latitude -8,3500 e Longitude -35,7500, aparece um monte de mato e em cima, o nome Camocim de São Felix.

História[editar]

Camocim de São Félix, um ponto no meio do nada!

O local onde hoje está Camocim de São Félix foi sendo colonizado despretensiosamente por tropeiros que se perdiam do caminho para Bonito, seres que achavam que estavam indo para aquele paraíso no Mato Grosso do Sul, mal sabiam que estavam só perdendo tempo no meio do sertão. Sem ter nada de melhor para fazer da vida, ergueram um vilarejo, batizando a cidade em homenagem ao Gato Felix.

Inicialmente apenas uma fazenda distante do município de Bezerros, este como sequer sabia da existência de tal vilarejo, foi fácil conquistar a emancipação e tornar-se município em 1953.

Geografia[editar]

Localizado no meio da serra, não é tão seco quando o interior mas nem tão agradável como no litoral, fazendo até um certo frio de média de congelantes 21ºC, sendo a cidade mais fria de todo o Nordeste.

Economia[editar]

Em Camocim de São Félix não se vive, sobrevive-se. A Economia se baseia no plantio de verduras. Há os que plantam hortaliças e há os que plantam tomates. Mas todo ferrado morador de Camocim de São Félix já plantou tomate um dia, ficou muito rico e em seguida plantou tomate e ficou muito pobre. Pelos menos é isso o que eles dizem.

O comércio de Camocim de São Félix é, realizado quase que totalmente em Caruaru. O habitante local precisa viajar duas horas nas veraneios véias, no maior acocho, se quiser comprar qualquer coisa. Qualquer coisa mesmo, porque em Camocim de São Félix não tem nada e em Caruaru tem de tudo que há no mundo, inclusive ladrão. Pois como se fala por aí "Deus ao criar o mundo colocou os negros na África, os amarelos na Ásia, os brancos na Escandinávia e os marginais em Caruaru."

Política[editar]

A política é marcada pela oposição entre azulão e galo de campina. Azulão, agora, é situação e Galo de Campina já foi composição, mas agora está na oposição. A torcida é acirrada: os homens apostam, na vitória do seu candidato. Aposta-se motos, casas, carros, dinheiro e até a mulher. Tudo perante uma testemunha. E, o pior, paga-se. É... em Camocim não tem o que se fazer mesmo!!!

Os políticos, em Camocim, são muito bons... para a família deles e para os amigos deles. O candidato uma vez vitorioso, ocupa-se logo em demitir os servidores do antigo prefeito, aqueles que ele desconfia que votaram na oposição, e também aqueles que têm algum parente que votou na oposição. Em seguida, transfere para os cafundó do Judas os que ele não pode demitir. Feita a limpeza, ocupa-se todas as vagas com seus próprios amigos, parentes e aderentes, em agradecimento pelo apoio e pela consideração que lhe ofertaram. Vê-se portanto, que a democracia é plenamente exercida no município.

População[editar]

Com aproximadamente 18.000 habitantes, a Sociedade de Camocim divide-se em duas classes bem distintas: os pobres e os que pensam que são ricos. Os que pensam que são ricos moram no centro, tem uma bodega pra vender pão, ou móveis de terceira categoria, ou sapatos fuleiros ou sulanca de Caruaru por preços de Gianni Versace, ou então vende veneno pra formiga, cupim e carrapato. E os pobres trabalham pros que pensam que são rico, a troco de míseros trocados do salário mínimo, sem direito a férias, dia santo, FGTS, porra nenhuma.

As famílias de Camocim não têm nomes, têm apelido. O apelido se refere ao seu trabalho, ou apelido de sua mãe ou de seu pai. Assim, se você se chama João e vende pipoca, seu nome será João da Pipoca. Se vender tomate, será João do Tomate. Se você não faz nada mas têm um pai conhecido por Teté, ou por Tota, seu nome será João de Teté ou João de Tota. Assim, se lhe procurarem por seu nome de registro, você não corre o risco de ser encontrado.

Educação[editar]

As melhores escolas de Camocim de São Félix na verdade ficam na cidade vizinha, Bezerras. Os alunos de Camocim de São Félix são conhecidos por serem vagabundos, por passarem o dia jogando, cabulando aula e namorando sem que os pais, coitados, saibam de nada.

Quanto ao ensino superior, os universitários de Camocim de São Félix precisam ir estudar em Palmares, uma cidade próxima que some do mapa toda vez que chove.

Saúde[editar]

Não existe ninguém no mundo que tenha nascido em Camocim de São Félix. As pessoas as vezes, até morrem em Camocim, mas nascer, ninguém nasce. A única maternidade que existe na cidade só atende doentes de caganeira e gente que tentou se suicidar com veneno de tomate. Parto, nem pensar. Qualquer alma que deseje reencarnar em Camocim de São Félix tem de nascer em Bezerros ou São Joaquim do Monte, outras duas cidades porqueiras do interior de Pernambuco. Morrer em Camocim, só se for de muita velhice ou de mal súbito. Geralmente, os que falecem de mal súbito morrem a caminho do hospital de Bezerros. O restante dos defuntos de Camocim de São Félix só batem no Hospital Geral de Caruaru, ajudando a lotá-lo ainda mais. Enfim, Camocim, não presta nem pra morrer.

Segurança[editar]

Em Camocim de São Félix a segurança pública é total. Por falta do que roubar, na cidade simplesmente não existem ladrões, sendo esta uma solução incrível para diminuir a criminalidade, deixar a população inteira miserável. Camocim de São Félix merece o Nobel da paz. Os ladrões de Caruaru, quando fogem da polícia costumam se esconder em Camocim, mas por falta do que fazer, logo se mudam.

Pistoleiro não prospera em Camocim de São Félix. O custo-benefício da operação não vale o esforço. Em Camocim não há sequer um cidadão cuja morte valha um tostão. Em Camocim só se morre se for des graça. O delegado em Camocim só é incomodado por bêbados e por mulheres que se engalfinham por causa de homem.

Transportes[editar]

Em Camocim de São Félix não existe transporte coletivo, usa-se a auto viação Canela. Como a cidade é enladeirada, quando você não está subindo, está descendo para depois subir de novo. Mas, também, a cidade é tão pequena que se tivesse um ônibus, a traseira do mesmo ficaria em Sairé e a dianteira em São Joaquim do Monte, ou vice-versa.

Cultura[editar]

A cidade conta com bandas famosas, aquelas que todo mundo fala, as que sempre tem uma cantora gordinha, loira, desafinada, com roupas ridículas, dançando mal, acompanhada de umas gostosas vestidas com a mesma roupa da gordinha, também algum playboyzinho com camisa apertada e pose de desviado, e um cantor que no meio da música repete o tempo todo "forró calcinha rasgada Volume II". No repertório, lindas músicas internacionais plagiadas e assassinadas ou as famosas músicas de cachaceiro: "beber, cair, levantar". Como se pode ver a contribuição de Camocim de São Félix para a cultura do seu povo e adjacências é muito relevante.

Lazer[editar]

A Cultura em Camocim de São Félix é marcada por dois eventos importantes: a festa da emancipação da cidade e o João Pedro, uma espécie de festival de inverno de pobre que acontece depois do São João. As atrações das festas são umas bandas que cantam coisas tipo “chupa que é de uva “, “senta que é de menta”, “beija que é de cereja”. O público, 70% é de analfabeto e 30% é de bêbado.

Fora estes dois eventos, os jovens se divertem na lan house, as velhas na igreja e os velhos dando pitaco nas obras que a prefeitura faz. Isso quando a prefeitura faz obras.

Outros eventos são as festas que os candidatos fazem nas véspera das eleições. Então se você for servidor municipal e quiser manter o seu emprego, não vá para a festa do candidato opositor, ou se for, vá disfarçado, bem disfarçado, caso seja descoberto pelos olheiros, o mínimo que pode lhe acontecer é ser transferido do seu confortável lugar de trabalho para ir prestar seus relevantes serviços no Crecré, um sítio bem longe de Camocim de São Félix, onde só se chega de mula.

Turismo[editar]

O Convento dos Padres Carmelitas, com o seu museu de Ciências Naturais, é a única coisa interessante em Camocim de São Félix, e ninguém se importa com isso.