Copa União

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Copa João Havelange Cquote2.png
Google sobre Copa União
Cquote1.png Meu time é Penta! Rumo ao Hexacampeonato! Quero a taça de bolinhas. Cquote2.png
Flamenguista em 2009 sobre como usa a Copa União na contagem de títulos
Cquote1.png Se for o caso pode fazer duas taças se a CBF quiser, até porque também somos Penta, ou melhor Hexa... Ou melhor ainda, a caminho do Hepta. Cquote2.png
São Paulino sobre o comentário do Flamenguista
Cquote1.png Se fosse assim, a gente era Opta! Temos 8 brasileiros (contando Robertão e Taça Brasil). Cquote2.png
Santista e Palmeirense sobre o choro dos dois acima
Cquote1.png Se fosse assim, a gente era Putaqueparopta! Temos 920 brasileiros (contando com todas as peladas de domingo) Cquote2.png
Torcedor do Íbis F.C. ownando todos acima
Cquote1.png E grande Pelé! Ganhamos 5 brasileiros seguidos nos anos 60 e até hoje a CBF não reconhece. Cquote2.png
Santista sobre o choro dos Flamenguistas que dura até hoje

O que é isso?[editar]

Um dos estádios que receberam partidas da Copa União.

A Copa União (narrada aqui numa versão de um são-paulino choroso, mas quem chora é o Flamengo), chamada também de Copa da Elite ou também por Campeonato do Clube dos 13, CUnião ou mesmo por CUnição foi um torneio realizado em tom de protesto a marmelada existente nos camponatos anteriores, que tinham um modelo de mata-mata somado a uma classificação completamente intrincada no qual eram jogados o número de 1900 e guaraná com rolha de times, nos quais só um cantava o direito de ser campeão brasileiro.

O fato é que em geral times de melhor campanha ao fim podiam (ou não) perder na fase final para um time com campanha bem inferior, o que azedava em muito o gosto de marmelada existente nas disputas, sendo que marmelada por marmelada, os times preferiram armar a sua própria marmelada, na tentativa de tirar os times de pobres e de descamisados da disputa.

No entanto, houve grandes problemas, pois a CBF havia desistido de organizar o campeonato porque estava falida e era controlada pela figura de Nabi Abi Chedid que perante os clubes tinha a credibilidade de uma nota de R$ 1,99. Como a entidade resolveu ficar de fora do campeonato, logo depois se arrependeu por não poder embolsar nenhum centavo dos lucros que os grandes clubes conseguiram arrecadar com a grana dos patrocinadores que arranjaram para realizar o torneio. Depois a CBF desiste de desistir e volta atrás tentando realizar algo jamais visto na história da humanidade futebolística: ela decide mudar o regulamento com a competição já em andamento, e ainda sem nenhum consentimento dos clubes participantes. Mas por ainda ser a representante do país na Fifa, tornaria o campeonato realizado pelo clube dos 13 uma afronta ao mesmo, sendo feito um pacto na tentativa de passar a instituição para trás, deixando somente os seus "escolhidos" na dita "elite" do futebol brasileiro.

O fato é que ao fim, este foi um dos campeonatos mais melados da história do futebol brasileiro, a ponto de o título dos flanelas não ser reconhecido a não ser como um título de um campeonato menor, como ocorre com a atual Copa do Brasil e com as taças do Robertão e da Taça Brasil. O estranho é que essa estória do Flamengo, que a CBF desistiu nunca existiu na realidade. Apenas disse: que tinha problemas com dinheiro e que tentaria um patrocinador ou acordo com os clubes para eles se autofinaciarem, ou então, realizaria um torneio regionalizado(onde a CBF diz que desistiu?). O Clube dos 13 se rebelou contra a CBF que não abaixou a guarda determinado quadrangular e etc. O Flamengo não quis escutar a CBF, por isso, o choro é livre. Não adianta inventar estórias, contos de fada que nunca existiram. Como a CBF desistiu? Mentira, Mudou o regulamento com o torneio em andamento? Mentira, antes do início ficou estabelecido o quadrangular, quem tentou muda-lo foi o Clube dos 13. Módulo Amarelo era 2º divisão? Mentira, era tudo primeira divisão. Módulo Verde era um campeonato? Mentira, onde já se viu módulo,chave, grupo de um campeonato ser outro campeonato. E por aí vai... Joseph Goebbels que dizia: "uma mentira contada mil vezes, torna-se uma verdade", assinaria embaixo essas estórias flamenguistas.

História[editar]

Na Copa União, a união prevaleceu. Na imagem, um atleta do Flamengo confraterniza com um atleta do São Paulo (este que, diga-se de passagem, adorou a confraternização.

Como podemos ver, este campeonato tem uma história razoavelmente longa e repleta de intrigas, marcando a história da evolução do futebol brasileiro, ainda que seja para pior (ou não), uma vez que a partir daí houve todo um conflito que acabou por fortalecer um grupo limitado de times em detrimento de outros, coisa que ao fim minguou a torcida dos times menores, os condenando a quase-falência (ou não).

O fato é que até hoje se discute se sem esse rompimento teriamos um campeonato mais organizado ou apenas um futebol medíocre que não seria capaz sequer de disputar uma Libertadores da América da vida, como podemos mostrar a seguir, nas várias fases deste projeto de campeonato.

A organização[editar]

O campeonato(Chave=Grupo=Módulo Verde) foi organizado pelo Clube dos 13(queria organizar sozinho o Brasileirão), com seus 13 associados,(Mas a CBF não deixou) conhecidos pelos nomes de Corinthians, São Paulo, Palmeiras, Santos, Flamengo, Vasco, Fluminense, Botafogo (que deveria tar nos Modulos Azul e Branco nesse ano), Atlético Mineiro, Cruzeiro, Grêmio, Internacional e Bahia.

Como nesta lista se excluiam times de vários estados, foi colocado para completar a tabela com 16 os times do Coritiba (o único campeão brasileiro com saldo NEGATIVO de gols), do Goiás (que nunca ganhou nada) e do Santa Cruz, conhecido saco de pancadas que recentemente foi disputar o campeonato local do Acre.

Há teorias conspiratórias de que o campeonato teria sido realizado com chave tão reduzida pelo simples fato de que os times ditos "grandes" não queriam ver seus interesses ameaçados por um Guarani ou por um Bangu da vida, que sempre vinham de surpresa disputando os campeonatos anteriores, coisa que metia muito medo nos timecos daquela ocasião.

O Módulo Amarelo foi organizado pela falida CBF(que não abriu falência nem desistiu do campeonato, apenas dizia ter problemas com dinheiro e que tentaria um acordo com os clubes). Os excluídos do campeonato do Clube dos 13 que ficaram de fora por não serem rentáveis financeiramente (incapazes de atrair um número considerável de idiotas para assistir a porcaria dos jogos, quer dizer, espetáculos). Esse módulo amarelo era composto pelos seguintes timaços: America, Atlético Paranaense, Atlético Goianiense, Bangu, Ceará, Criciúma, CSA, Guarani, Inter de Limeira, Joinville, Náutico, Portuguesa, Rio Branco, Sport, Treze e Vitória. O acordo da CBF era campeão no cruzamento dos módulos, o Flamengo não quis ouvir a CBF, então, não adianta chorar o leite derramado.

O América do Rio, que sempre vivia sonhando que era um time grande, ficou de fora do campeonato da elite, e por isso, se recusou a participar da competição realizada com os timaços do módulo amarelo.

A realização[editar]

Inicialmente, o campeonato foi realizado com duas chaves de oito times, que ao final abriam uma disputa entre os dois primeiros de cada chave, sendo que o Flamengo só conseguiu o acesso a final por ter sido segundo no grupo e o feito de ganhar duas vezes do time do conhecido Patético Mineiro, seu velho adversário na primeira chave.

Consta ainda que depois disso o time foi a final, ganhando do time do Internacional e se sagrando campeão da copinha, achando com isso que tinha sido o Campeão Brasileiro daquele ano. A CBF logo de cara não concordou com essa ideia de regulamento criado pelo Clube dos 13. Negociando também com os clubes excluidos do Clube do bolinha, e organizando o conhecido Brasileirão. Só que rolou aquele papo de clube diferenciado, Flamengo é Flamengo e macaco é macaco etc. Com isso, Flamengo virou Flamengo e não quis jogar contra o Sport. Moral da História e não estória, Sport campeão brasileiro de 1987. Flamengo ficou chupando o dedo até hoje.

A vergonha[editar]

No frigir dos ovos, foi assim que o Flamengo ganhou a Copa União.

Como a CBF era a legitima dona do campeonato e indicou as vagas para a Libertadores da América, ficou acertado pela mesma a realização de uma final entre os quatro times, na tentativa de coroar o Campeão Brasileiro numa disputa entre o campeão da Copa União(nome falso do módulo Verde) e o da Copa Brasil (nome verdadeiro do Brasileirão 1987) (ganha pelo Sport que só jogou contra times mixurucas) e a concessão de duas vagas para a competição, que seriam dadas aos ganhadores das disputas dos "campeões" (Flamengo e Sport) e dos vices (Inter e Guarani).

No entanto, como o Clube dos 13 não tinha o menor interesse de levantar a moral da CBF e de ver melado o seu campeonato(na verdade Chave,grupo=não campeonato) "de elite", foi combinado um complô pelo qual os dois times representantes do Clube dos 13 NÃO iriam disputar a finalissima organizada da CBF, deixando (ou não) as vagas da Libertadores para Sport e Guarani, uma vez que naqueles tempos a Libertadores tinha tanto valor quanto um pedaço de papel (ou não). Quando o Flamengo ganhou a Libertadores anteriormente em 1981 teve valor(!?).

Ainda assim, até hoje o Clube dos 13 reclama para o time dos "descamisados" do Flamengo o título de campeão brasileiro, coisa rechaçada pela CBF, uma vez que o Sport teria sido declarado campeão em cima do Guarani derrotando por W.O. o Fla, pelo simples fato de que o timinho do Flamengo não tinha nem se dado ao trabalho de disputar a "final"(que dizer quadrangular) de tal competição. E sendo assim, o Internacional também poderia ter sido campeão, existiu um qradrangular 4 times (porque flamengo seria campeão? Se além do Sport, tinha Guarani e Internacional). Coisa que flamenguista esquece.

A confusão[editar]

A famigerada taça das bolinhas.

Como resultado do sucesso do complô armado pelo Clube dos 13, no ano seguinte foi realizada a segunda edição da "Copa União" que foi ganha pelo Bahia e que foi realizada com a presença de 24 (ui!) times, sendo colocados os 16 protegidos do Clube dos 13 e mais 8 times, sendo colocados na lista os times do Sport e do Guarani e mais 6 times escolhidos aleatoriamente.

O fato é que por conta desta edição de 1988 também ter a denominação de Copa União e o mesmo ter o seu resultado reconhecido pela CBF, até hoje o Flamengo tenta ter o seu título de 1987 reconhecido pela entidade, que ainda assim não esquece o vergonhoso antijogo feito pelo time na ocasião.

Ao fim, depois de 20 anos do vergonhoso W.O. e de 15 anos sem o Flamengo ganhar nenhum título no Campeonato Brasileiro, o São Paulo Futebol Clube conquista pela quinta vez a disputa, o que reacende a polêmica, haja vista que o Flamengo se pretendia, com os campeonatos ganhos até 1992 conseguir o título de "Primeiro Pentacampeão" e com isso se apossar da "Taça de Bolinhas", apesar do fato arquievidente de não conseguir nenhum título desde então.

Como o São Paulo era um dos participantes do Clube dos 13, ao fim ficou a polêmica e ainda se discute a quem seria dada a taça, se seria ao Flamengo, dono de um título "ilegítimo", do São Paulo, que possui 6 títulos, sendo 3 deles seguidos ou se a taça vai ser dada ao primeiro time que conseguir o feito (praticamente impossível) de ganhar 5 Brasileirões seguidos.

Há teorias de que Ricardo Teixeira ainda estaria pensando no que fazer, sem ter nada ainda confirmado no momento (ou não).

Ver também[editar]