Campeonato Amazonense de Futebol

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Campeonato amazonense)
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png É a única coisa que consigo mais ou menos ganhar Cquote2.png
Nacionalino antes do campeonato começar
Cquote1.png Tô nem aí, tenho 3 Copas Norte! Cquote2.png
Sãoraimundense depois do campeonato acabar
Cquote1.png Nem queria ganhar mesmo, o que vale é competir! Cquote2.png
Fastiano depois de conquistar o vice
Cquote1.png Ninguém vai apagar nossa história! Cquote2.png
Rionegrino após mais um rebaixamento
Cquote1.png Que porra é essa? Cquote2.png
Operariano defecando pela boca enquanto fala do futebol da terra

Campeonato Amazonense de Futebol, vulgo Barezão é só mais um torneio pra lá de fodido da falida região norte do Brasil, e que nem possui times direito, apenas umas agremiações amadoras aqui e acolá cuja torcida composta por meia-dúzia de fanáticos que não possuem coisa melhor na vida pra fazer algum dia sonham serem superiores ao campeonato paraense (que é também outra bosta foda, mas pelo menos tem um time que já foi pra Libertadores). Não serve pra nada, o campeão conquista o direito de disputar a Copa do Brasil e a Enésima Divisão do Campeonato Brasileiro.

Final do Campeonato Amazonense de 2013, antes da Arena Amazônia, na decisão por pênaltis time do Nacional perde cobrança decisiva contra Princesa do Solimões, que ganha seu primeiro título amazonense.

O primeiro torneio foi organizado no longínquo ano de 1914, envolvendo apenas times de Manaus, que estranhamente só tinha um único time em atividade, o tal de Manos Athletic, uma equipe formada por playboys e almofadinhas que eram os donos da bola e portanto não deixavam mais ninguém brincar, jogando eles sozinhos e portanto sendo eles os primeiros bicampeões do campeonato amazonense.

Os ingleses do Manos Athletic morreram, assim surgindo espaço para os tradicionais Nacional e Rio Negro que durante décadas dominaram o campeonato amazonense que conforme registros era disputado apenas por estes dois times, que se reuniam todo final de tarde para jogar peladas nos bosques, parquinhos, terrenos baldios ou gramados descampados. Já o Fast surgia como terceira potência, embora infelizmente ninguém tenha explicado para eles que o objetivo do campeonato era ser campeão e vencer a final, porque parece que esse Fast adora vice-campeonatos do amazonense, colecionando nada menos do que 26 vice-campeonatos, com direito a sete vice-campeonatos consecutivos na década de 30.

No ano de 1964 houve uma tentativa frustrada de se profissionalizar o futebol amazonense, com a criação da Federação Amazonense de Futebol, alguns empresários realmente acreditaram que aquele punhado de peladeiros de final de semana poderiam realmente largar suas vidas para jogar futebol nos precários times de Manaus. Obviamente dos 20 times amadores, 19 times faliram em menos de 1 ano se profissionalizarem, sobrando apenas o Deportivo Táchira de profissional, que nem é do estado do Amazonas e só jogava a Liga Amazonense porque eles haviam se perdido na selva venezuelana.

Depois disso, o campeonato amazonense apenas afundou em desprestígio, e alguém muito gênio ainda teve a coragem de construir a Arena Amazônia, sendo que se reunir o público pagante dos últimos 10 campeonatos amazonenses somado, não daria conta de lotar o novíssimo estádio de Copa do Mundo que está tão às moscas quanto o campeonato do Amazonas.

Audiência[editar]

É o maior espetáculo da terra, superando o Super Bowl 2015 como o evento de maior audiência da história da TV mundial. Sua primeira edição aconteceu em meados de 1.957 a.C com o Ianomâmis FC conquistando o título, Fast foi o vice. Em 1948 d.C a Europa criou uma cópia descarada e deu nome de Taça dos Clubes Campeões Europeus que atualmente é conhecido como Champions League, nome bem bosta, comparado ao sensacional Barezão. Hoje as duas competições rivalizam, apesar da crítica considerar a competição dos europeus como uma versão homossexualizada do certame amazonense.

Estádios[editar]

  • Vivaldo Lima (Vivaldão) - O melhor estádio já construído para eventos esportivos de quaisquer espécies, raças interplanetários, organismo vivente ou robótico. O estádio Vivaldo Lima, também conhecido como Vivaldão ou Colosso do Norte, foi construído em 1970 e demolido em 2010, quando construíram uma coisa estranha parecida com um estádio (Arena da Amazônia). Diversos gladiadores do terceiro milênio puderam pisar nesse santuário do futebol.
  • Colina (Arena David Assayag) - Construído em 1961, o estádio da Colina era a La Bombonera Baré, até que foi demolido em 2013 para construírem uma bela bosta de CT pra Copa do Mundo. Após a reconstrução (defecada), o estádio passou a se chamar Arena David Assayag devido os infinitos pontos cegos que caracterizam esta bosta arquitetônica.
  • Gilbertão - Localizado no município de Manacapuru, o estádio mescla uma grama tipo queijo suíço e arquibancadas distantes 12km do campo, o que faz os torcedores precisarem levar binóculos para acompanhar os jogos.
  • Arena da Amazônia - Custou R$12 bilhões para os cofres do Governo (o nosso bolso, seu otário!) e hoje é assombrado pela alma de todos que adentraram o Vivaldão e não entendem por que destruíram o templo do futebol mundial pra construir esse monte de estrume por cima.

Campeões[editar]

Ano Campeão Vice
1914 Manos Athletic Regional - AM
1915 Manos Athletic Manos disputou sozinho o campeonato deste ano
1916 Regional - AM Rio Preto
1917 Regional - AM Rio Preto
1918 Regional - AM Rio Preto
1919 Regional - AM Manos Sporting
1920 Regional - AM Rio Preto
1921 Rio Preto Regional - AM
1922 Regional - AM Rio Preto
1923 Regional - AM Rio Preto
1924-1925 Ninguém se arriscou a disputar nestes anos
1926 Rio Preto Regional - AM
1927 Rio Preto Russo
1928 Selênio do Sul Rio Preto
1929 Manos Sporting Selênio do Sul
1930 Selênio do Sul Ninguém jogou além do Cruzeiro
1931 Rio Preto Ninguém jogou além do Rio Negro
1932 Rio Preto Slow Clube
1933 Regional - AM Lento Clube
1934 Descendente Portuguesa - AM Slow Clube
1935 Descendente Portuguesa - AM Slow Clube
1936 Regional - AM Slow Clube
1937 Regional - AM Slow Clube
1938 Rio Preto Slow Clube
1939 Regional - AM Rio Preto
1940 Rio Preto Regional - AM
1941 Regional - AM Rio Preto
1942 Regional - AM Slow Clube
1943 Rio Preto Olimpique de Manaus
1944 Olimpique de Manaus Rio Preto
1945 Regional - AM Rio Preto
1946 Regional - AM Olimpique de Manaus
1947 Olimpique de Manaus Slow Clube
1948 Slow Clube Guaraná Barés
1949 Slow Clube O Dourado
1950 Regional - AM Slow Clube
1951 Aérea - AM Slow Clube
1952 Aérea - AM Slow Clube
1953 Aérea - AM Slow Clube
1954 Aérea - AM Regional - AM
1955 Slow Clube Aérea - AM
1956 Automóvel Esporte Regional - AM
1957 Regional - AM Slow Clube
1958 Prantos - AM Automóvel Esporte
1959 Automóvel Esporte Regional - AM
1960 Slow Clube Aérea - AM
1961 Seu Raimundo Rio Preto
1962 Rio Preto Regional - AM
1963 Regional - AM Aérea - AM
1964 Regional - AM Seu Raimundo
1965 Rio Preto Regional - AM
1966 Seu Raimundo Rio Preto
1967 Olimpique de Manaus Regional - AM
1968 Regional - AM Slow Clube
1969 Regional - AM Slow Clube
1970 Slow Clube Regional - AM
1971 Slow Clube Retrógrada
1972 Regional - AM Slow Clube
1973 Retrógrada Rio Preto
1974 Regional - AM Rio Preto
1975 Rio Preto Regional - AM
1976 Regional - AM Rio Preto
1977 Regional - AM Slow Clube
1978 Regional - AM Slow Clube
1979 Regional - AM Rio Preto
1980 Regional - AM Rio Preto
1981 Regional - AM Slow Clube
1982 Rio Preto Regional - AM
1983 Regional - AM Rio Preto
1984 Regional - AM Rio Preto
1985 Regional - AM Rio Preto
1986 Regional - AM Rio Preto
1987 Rio Preto Regional - AM
1988 Rio Preto Aérea - AM
1989 Rio Preto Regional - AM
1990 Rio Preto Regional - AM
1991 Regional - AM Slow Clube
1992 Sul América Paradiso Rio Preto
1993 Sul América Paradiso Regional - AM
1994 Aérea - AM Regional - AM
1995 Regional - AM Princesa sem Limões
1996 Regional - AM Clips de Papel
1997 Seu Raimundo Princesa sem Limões
1998 Seu Raimundo Rio Preto
1999 Seu Raimundo Rio Preto
2000 Regional - AM Seu Raimundo
2001 Rio Preto Regional - AM
2002 Regional - AM Clips de Papel
2003 Regional - AM Rio Preto
2004 Seu Raimundo Grêmio Coador de Café
2005 Grêmio Coador de Café Regional - AM
2006 Seu Raimundo Slow Clube
2007 Regional - AM Slow Clube
2008 Umbanda Slow Clube
2009 Aérea - AM Regional - AM
2010 Despenarol Slow Clube
2011 Despenarol Regional - AM
2012 Regional - AM Slow Clube
2013 Princesa sem Limões Regional - AM
2014 Regional - AM Princesa do Sem Limões
2015 Regional - AM Princesa do Sem Limões
2016 Slow Clube Princesa do Sem Limões
2017 Manos Regional - AM
2018 Manos Slow Clube
2019 Manos Slow Clube

Títulos por clube[editar]