Campo Alegre de Goiás

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Campo Alegre de Goiás é um vasto terreno baldio pertencente à Catalão. Dizem que se trata de um município, mas para os caminhoneiros e viajantes da BR-050 não passa de um pequeno conjunto de postos de combustível com gasolina batizada, e pequenos restaurantes imundos baratos (e cheio de baratas).

História[editar]

Campo Alegre de Goiás. Note a bucolicamente poética união de mato e barro.

O lugar surgiu a muito tempo atrás, nos primórdios da colonização de Goiás quando bandeirantes cabra-macho foram atrás de ouro literalmente no cu do mundo. Nessas aventuras, a antiga Campo Alegre de Goiás era um pacato ponto de parada na Estrada Real, numa bifurcação entre Catalão-Ipameri, paravam por ali viajantes, traficantes, bandidos e foras-da-lei dos cantos mais obscuros de Goiás e redondezas (Formosa, Planaltina , Cavalcante, Posse e Paracatu).

Vilarejo antigamente conhecido em 1833 como Calaça. Não há qualquer registro de existência de ouro ou qualquer outra riqueza que tornasse o antigo vilarejo algo realmente atrativo, havia apenas prostitutas vindas de Catalão mesmo, as que engravidavam iam dando continuidade ao vilarejo.

A "cu"rrutela torna-se município em 1953 com o simpático e idiota nome de Campo Alegre de Goiás.

Atualmente é uma típica cidade de interior que acha que é alguma coisa só porque a Internet chegou por lá.

Economia[editar]

Cidade que possui o quarto maior PIB entre as 4 cidades (fazendas) que compõe a Microrregião de Catalão. Destaca-se na produção de esterco e confecção de espantalhos manufaturados.

99% da pobre economia local está na produção de soja e milho (o que mais esperar?) que é vendido para indústrias de Uberlândia.

Cidade que só existe mesmo até hoje graças à BR-050, uma das maiores rotas brasileiras de muambas, Campo Alegre de Goiás vem a se tornar um bom esconderijo.

População[editar]

Fudida como qualquer caipira. Os campoalegrenses são facilmente reconhecíveis pelas suas colunas tortas, dentes faltando, canelas sujas de barro e roupa xadrez com chapéu de palha.

Turismo[editar]

Nem fudendo que alguém é louco o suficiente para visitar uma droga dessa à turismo, só quem quiser sentar numa espiga de milho mesmo.

Curiosidades[editar]

  • Campo Alegre de Goiás sonha em ser um bairro de Catalão.