Campo Grande

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

"Caipirolandia. Se você procurava vida inteligente, tente no Celeiro!"


Verdade.
Verdade.
Este artigo contém

verdades!

(pelo menos foi o que a Veja disse)
Material verídico:
Use com Moderação.


Wikisplode.gif
Para os fanáticos religiosos entre nós que escolhem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Campo Grande - MS.
Campo Grande - MS
Cachorro.jpg
Típico CÃO-pograndense
Brasao cg ed.jpg
Brasão oficial da quase ex-fazenda
Localização Ali no meio
Clima à noite não é frio, de dia não é quente.
Prefeito Nerso da Capitinga.
Heróis Locais Nelson Trad e Pucinelli. Responsáveis pela Copa de 2014 na TELEVISÃO
Gentílico Não, é todo mundo grosso mesmo!
População 1 milhão pacas, caititus e araras, fora isso tem alguns financiadores de caminhonetes que tiram o escapamento e acham depois disso ela vai andar "pacarai" e se acham agrobois. Alguns poucos cavalos,gaúchos, paulistas e índios. Todos acham que são Paulistas é claro.
Área Avenidas, avenidas e avenidas. Todas congestionadas.²
Densidade Maior concentração de Tédio por /km²

Cquote1.pngVocê quis dizer: CUIABÁCquote2.png
Google sobre Campo Grande
Cquote1.png CUIABÁ Cquote2.png
Joseph Blatter, presidente da FIFA anunciando a Copa do Mundo de 2014 em Campo Grande
Cquote1.png É tudo culpa desse seu governador com sobrenome de caldo de galinha que é amigo do Lula Cquote2.png
Campograndensse sobre comentario acima
Cquote1.png Eu não fei de nada Cquote2.png
Lula, manifestando-se sobre a decisão da FIFA
Cquote1.png Posso ter nome de caldo de galinha, mas vocês só irão ver a copa pela Globo...plim plim Cquote2.png
Blairo Maggi para campograndensse bravo com o resultado das sedes da copa
Cquote1.png Blairo Maggi, o Governador que meteu no Sul! Cquote2.png
Cuiabanos, cantando o jingle do caldo de galinha, para campograndensses bravos com o resultado das sedes da copa
Cquote1.png Jo soy brasileño Cquote2.png
Campo grandense sobre para um paulista que chamou ele de paraguaio
Cquote1.png Ou gaucha boa hein! Cquote2.png
Você quando ve uma campo-grandense
Cquote1.png Capital do Mato Groffo! Cquote2.png
Lula sobre Campo Grande
Cquote1.png DO SUUUUUUUUUUUL Cquote2.png
Campograndense sobre Lula
Cquote1.png Yo gusto mucho de nuestra capital! Cquote2.png
Paraguaio sobre Campo Grande
Cquote1.png Vê um chorinho aí, maninho! Cquote2.png
Você pão-duro sobre Pipoca do Baiano
Cquote1.png Bois no Aeroporto? Cheguei em Campo Grande Cquote2.png
Turista paulistano sobre Campo Grande
Cquote1.png Por que que aqui tem poucos shoppings??? Cquote2.png
Paulistano sobre Campo Grande
Cquote1.png Segue toda a vida até ali, vira pra direita, vira pra esquerda e segue toda vida Cquote2.png
Campograndense sobre como se locomover na cidade
Cquote1.png Mínima de 5°C em Campo Grande e máxima de 31°C, também em Campo Grande... Cquote2.png
Homem do Tempo sobre Campo Grande
Cquote1.png A cada 10 campo-grandenses, 1 é nativo, 1 é japonês, 1 é libanês, 1 é gaúcho, 1 é paulista e 5 são nelore. Cquote2.png
Censo do IBGE sobre Campo Grande
Cquote1.png Cheguei no mato grosso, não sei se estou no lugar certo, mas aqui a grama mede 30 cm Cquote2.png
Loira Burra sobre Campo grande
Cquote1.png Tem mais paraguaio que no paraguai Cquote2.png
Fernando Lugo, Presidente do Paraguay sobre Campo Grande

Campo Grande (mais conhecida como Nova Fazenda, Novo São Paulo, Novo Paraná, Novo Rio Grande do Sul, BIG Field,Abu-Dhábi brasileira, ou Cidade Morena) é uma grande fazenda disfarçada de cidade que está localizada bem no meião de Mato Grosso. Nada acontece em Campo Grande. A pessoa vai pra lá pra terminar a vida e morrer, enfim, de tédio. Dizem que há coisas piores que ali, como ir pra Cuiabá e morrer de calor. Existe uma "filial" da cidade localizada na zona oeste do Rio de Janeiro com o mesmo nome.

Campo Grande também é conhecida como Cidade Morena, não porque lá existem as morenas mais bonitas do Brasil - uma vez que as únicas mulheres bonitas da cidade são as branquelas importadas - mas sim porque a terra é um barro vermelho, criado do sangue de diversos chupa-capras que ajudaram a fundar a região. Para designar os nascidos na Cidade Morena, o jornalista campo-grandense Luca Maribondo inventou o neologismo "morenopolitano", nome esse que foi adotado pela fabricante de sorvetes-alternativos JeitoFrio para um de seus sabores.

Moram ali quase 1 milhão de peões, que acreditam serem fazendeiros. Há quem acredite que apenas bovinos habitam o município, contudo, o último Censo do IBGE deixou claro que capivaras e tamanduás são parte de uma parcela significtiva da população local.

No turismo, o maior destaque vai para o fato da capital estar perto do Pantanal, fato explícito na entrada da cidade através de uma placa com os dizeres "Motorista, dirigir à noite é perigoso, hospede-se em Campo Grande" em grandes e amigáveis letras garrafais. Existe uma severa lei na zona urbana campo-grandense: todos são obrigados a, domingo à tarde, tomar tereré (um chimarrão gelado) nos autos da Avenida Afonso Pena(Ponto conhecido como Bobódromo).

É possível encontrar pessoas que não sejam agroboys nem patycows pela cidade, mas esses correspondem a uma parcela insignificante da população e estão distribuídos entre, emos, nerds, patys comuns, malucos, turistas de passagem e colecionadores de Tazos.

Dentro da cidade as árvores disputam com as casas para ver quem predomina ou é o mais bonito da cidade. Campo Grande possui tanta mangueira que quase foi denominada capital das mangas. Essa árvore, dizem, foi trazida pelos goianos que adoram manga, porque parece pequi mas não têm espinho. A cidade nem é tão grande, mas que quem mora ali se perde. Algumas regiões periféricas da cidade não têm nenhuma utilidade em serem visitados, portanto é comum que muitas pessoas nascidas e criadas em Campo Grande sequer saibam da existência de bairros como: Moreninha 1, 2, 3...479, Aero-Rancho e Lageado.

O dicionário monstrélio classifica assim:

"Campograndense.adj.

1.provavelmente habitante de Campo Grande.

2.cruzamento de bois, vacas e pessoas.

3.caipira misturado com gaúcho e mineiro.

4.ser nascido em Campo Grande que sonha ser paulista ou qualquer outra coisa."


Tabela de conteúdo

[editar] História

A História conta da chegada do mineiro José Antônio Pereira, conhecido pelo apelido de infância de Zé Pereira. Viajando de carro de boi, parou perto de um "pastão" cortado por dois "corgão" para aliviar a bexiga. Percebendo que a região era habitada apenas por índios - alguns pertencentes à Yakuza, graças a um acordo com japoneses vindos do futuro- disse: "É aqui que vô amarrá a minha égua.." Utilizando da avançadíssima tecnologia nipônica do ano 3000, Zé conseguiu enviar uma mensagem para as bandas de Minas Gerais. Informados de seu paradeiro, seus parentes - e alguns conhecidos - acharam que poderiam ficar ricos com Zé no Reino dos Tamagoshis. Após 5 anos de viagem, - afinal, mineiro é um baiano cansado - chegaram lá.

Imediatamente começaram a fazer casas e pães-de-queijo e foi apenas uma questão de tempo até que abrissem a primeira Casa do Pão de Queijo. Pouco tempo depois, o cheiro do pão de queijo chegou até Goiás atraindo uma imigração goiana e, com ela, a pamonha. Felizes em poder comer outra coisa além de sopa, a colônia nipônica e a Gloriosa Tribo Aimoré os receberam de braços abertos - veja O tópico sobre a Feira Central para maiores detalhes.

Conforme a cidade crescia, fez-se necessária a importação de mão-de-obra. Após declararem Independência do Estado de Mato Grosso às margens do Córrego Prosa, começou o êxodo para Campo Grande. Gauchos, paulistas, paranaenses e catarinenses foram os primeiros a chegar. Dos outros países, foram importados Armênios, para servir de artistas globais, Italianos, para ensinar o pessoal a fazer pizza, Turcos para tomar conta do comércio e Paraguaios, para fazer o trabalho sujo que ninguém mais quer fazer.

Devido à miscigenação, as "gurias" de Campo Grande, quando belas, têm um tempero regional especial, com aquele jeito "caipira" das mineira e malicioso das goianas e uma beleza dígna dos estados do Sul. Entretanto, as misturas não param por aí, portanto a chance de pegar uma dessas é mínima, uma vez que também herdaram a arrogância paulista, a desconfiança mineira e a "desenvoltura" paraguaia. Graças a uma maldição de um Pajé dos Aimoré, os traços bolivianos ficaram todos com os Cuiabanos.

[editar] Clima

um dia típico no Centro

Ao contrário do resto do mundo, o clima de Campo Grande não depende diretamente de massas de ar, umidade ou qualquer fenômeno meteorológico. A previsão do tempo local foi substituída por links ao vivo do céu, já que qualquer outro prognóstico estará quase certamente errado. A única maneira de se ter certeza que choverá em Campo Grande é a observação da agenda cultural e o acompanhamento das opções de entretenimento disponíveis. Por exemplo, quando Ivete Sangalo ou Tradição se apresentam, chove.

Frio e calor são grandes amigos que se encontram em Campo Grande para tomar tereré, portanto é normal que durante o dia os termômetros marquem temperaturas de 43°C, enquanto a noite faça 5°C. Essa variação é causada pelo efeito estufa dos gases emitidos pela grande quantidade de bovinos que vivem na cidade.

[editar] Distribuição de Energia

Campo Grande tem a energia elétrica mais cara do Brasil e uma das três mais caras do mundo, devido a um projeto pioneiro que utiliza açúcar ao invés de fios de cobre para conduzir a energia. Esse é o motivo pelo qual o fornecimento é interrompido toda vez que chove.

[editar] Sistema de trânsito

Avenida Afonso Pena em um dia normal

O trânsito de Campo Grande é facilmente reconhecido por algumas características marcantes que, em geral, são explicadas pela admiração dos campo-grandenses pelos belíssimos engarrafamentos paulistanos. Repare que a admiração é tanta que usaram a Avenida Paulista para falar de Campo Grande. Realmente, há um grande desejo por parte de Campo Grande de querer ser, ops, parecer com São Paulo, porém, diferente de Campo Grande, São Paulo está próxima do mar, então, NUNCA fará o calor de Campo Grande em São Paulo e NUNCA fará o frio de Campo Grande em São Paulo. Uma relação interessante é que, para matar um campo grandense, precisa fazer ou 48°C ou -30°C, e para matar um paulistano, basta fazer 32°C ou 0°C.

Os semáforos da capital costumavam ser cronometrados para que não se pudesse andar mais de uma quadra por vez, contudo, durante a administração de Nelson Trad Filho, foi implementada a "Onda Verde", que, teoricamente, permitiria que se atravessasse as principais avenidas da cidade sem o incômodo de parar nos cruzamentos. A "Onda Verde" pode ser considerada um grande fracasso, uma vez que o campo-grandense dirige mal o suficiente para não tirar proveito dela, preferindo parar a cada cruzamento e observar se os carros da outra rua estão, de fato, parados.

Mesmo quando o campo-grandense prefere obedecer o sinal, o carro movimenta-se apenas após cerca de 20 segundos, que é o tempo necessário para que o campo-grandense perceba que não está lidando com um animal de montaria e pare de fazer sons de beijinho, pisando, finalmente, no acelerador. A partir deste momento, todos colaboram com um dirigir maravilhosamente lento - principalmente nas faixas da esquerda - sem permitir a ultrapassagem. Nos raros casos da faixa da esquerda estar livre, o motorista da faixa à sua direita acelerará proporcionalmente, de forma que a ultrapassagem continue impossibilitada.

É importante ressaltar que em Campo Grande o Código Nacional de Trânsito só vigora quando o tempo está bom, pois ao menor sinal de chuva, fica a critério do condutor do veículo obedecer ou não as leis de trânsito, estimulando os estacionamentos em fila dupla ou sobre calçadas. Outro fato curioso é a interpretação campo-grandense para a placa de "não estacione nem pare": o "X" vermelho sobre o "E" é visto como um alvo, fazendo desta vaga a mais cobiçada.

Como peão que é peão sabe que luzes piscantes são uma grande viadagem, ninguém sinaliza antes de efetuar uma curva, em consequência, todos ficam tensos sempre que chegam em um cruzamento. Nunca se sabe o que pode acontecer. Pode acontecer tudo, inclusive nada.

Como se não bastasse, é praticamente impossível se localizar em Campo Grande fora das avenidas principais. Reza a lenda que um dia todas as ruas eram identificadas, porém um Mafagafo decidiu comer todas as placas e hoje em dia só é possível descobrir o seu posicionamento através do sistema de GPS (Guias, Porteiros e Senhoras). Entretanto, não muito rara é também a existência de ruas sem nome, casas sem número e, em geral, lugares inatingíveis por métodos convencionais, sendo necessário descer por tubos verdes, comer cogumelos e salvar a princesa antes de se chegar ao local desejado.

Enquanto em várias cidades os motoboys são odiados por bater em retrovisores, em Campo Grande eles não são particularmente vítima desse problema, uma vez que os condutores de automóvel também são potenciais e prováveis riscos aos retrovisores alheios. Assim, não apenas os motoboys são odiados, mas todos.

Para ser reconhecido e respeitado no trânsito de Campo Grande, o motorista deve ser o proprietário de um pênis pequeno, característica essa que exibe com orgulho nas ruas da cidade ao conduzir uma caminhonete carregando outro veículo na carroceria, preferencialmente uma moto, barco ou jetski. Aos que preferem motocicletas, é importante parar em frente a todos os bares e restaurantes da avenida Afonso Pena e fazer barulho com a moto, indicando assim o tamanho reduzido do órgão sexual para aqueles que ainda não o notaram.

Os passes de ônibus estão entre os mais caros do Brasil, fato explicado pela grande quantidade de marias-gasolina que chegam nos postos e pedem para colocar 10 reais no carro e 50 reais na goela. O sistema de transporte público é bastante segmentado e pouco eficiente, podendo ser resumido em:

  • Linhas azuis: levam retirantes e boias-frias das fazendas localizadas nas fronteiras do Brasil com a Bolívia e o Paraguai até os terminais, locais onde multidões se aglomeram para entrar nos ônibus vermelhos;
  • Vermelhões: cortam a cidade ao meio, passando por uma praça cheia de malucos e lindos chafarizes inoperantes. A faixa vermelha destes ônibus indica o perigo que aguarda os passageiros em seu interior, com mais de 200 pessoas se espremendo para arranjar um local para se fixar. Aulas de contorcionismo são altamente recomendadas para se ter uma viagem confortável.
  • Linhas verdes: cortam a cidade por fora e foram substituídos pelos Vermelhões;
  • Linhas amarelas circulares: andam à velocidade máxima de 0,1Km/h em horários de pico e também foram substituídos pela febre vermelha que ocorre nos ônibus.
  • Linhas transparentes: só existem no orçamento público e são sempre vistas na garagem dos terminais;

Certo dia alguém da AGETRAN (Antas GErindo o TRANsito) resolveu que poderia economizar uns tostões ao tirar os cobradores dos ônibus, pensando que o próprio motrista poderia executar tal tarefa. Esse mesmo indivíduo, que mais tarde foi eleito "Funcionário do Mês", percebeu também que poderia emendar dois ônibus pra economizar motoristas. Acredita-se que sua próxima sugestão será a eliminação total do motorista, substituído por uma touro mecânico ou espantalho.

Além dos ônibus articulados, famosos por fechar as portas enquanto você sai, o transporte público da capital conta também com os ônibus com ar-condicionado e assentos estofados fedorentos.

[editar] Periferia

Apesar de não existirem favelas em Campo Grande, existem favelados. Há, na periferia, a categoria dos "Malacos", os quais podem ser sub-divididos em maloqueiros, pilacos, favelados, vida-lokas entre outros. Seus principais habitats incluem, mas não se limitam a bairros como Moreninha, Zé Pereira, Jardim Aeroporto, Aero Rancho, Vila Carlota, Nova Lima ,Santa Emilia, Los Angeles, e as minis favelas como Santo Eugênio (onde você mora) e Tiradentes (onde o Judas pedeu as botas e a casa-do-caralho fica). Podem ser facilmente avistados ouvindo músicas do Racionais MC's e têm o sonho de viver na "vida do crime" - como vivem alguns dos favelados de São Paulo, como dizem as letras das músicas. Frequentemente dão as caras em programas televisivos como "O Povo na TV", "Picarelli com Você", "Balanço Geral", tentando esconder o rosto, pois - quase sempre - a aparição se dá ao fato de terem sido pegos roubando, matando, traficando ou tumultuando feirinhas e shows.

Geralmente são vistos em suas "croizinhas" (bicicletas) usando camisetas com trechos de músicas dos Racionais MC's estampadas, com bonés de crochê de aba reta do Corínthians e fazendo cara feia com intenção de intimidar - somente para ter o prazer de parecer um favelado encrenqueiro e que gosta de "apavorar".

É válido ressaltar que Campo Grande é a única cidade do país onde pode ser encontrado o favelado caipira, uma variante rara e pouco estudada.

Uma característica peculiar dessas regiões é que os apelidos também são um atrativo nesses locais:

  • todo GURI de olhos puxados tem o apelido de JAPÃO
  • todo GURI nascido na fronteira tem o apelido de PARAGUAI
  • todo GURI com descendencias indígenas tem o apelido de BUGRE ou BUGUE

[editar] Educação

Campo Grande conta com uma quantidade assustadora de universitários desocupados, uma vez que cursar faculdades particulares é tão fácil quanto pagar a matrícula. As opções para os que não querem estudar são muitas, passando pelas irmãs Uniderp e UNAES, filhas de Edir Macedo, chegando à UCDB, universidade conhecida por ficar longe de tudo. Aos que preferem estudar um pouco no Ensino Médio para aderir ao alcoolismo no Ensino Superior, a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul é a melhor opção, circundada por botecos vagabundos, prostíbulos e outros estabelecimentos de índole duvidosa.

[editar] Religião

A religião campo-grandense pode ser, de várias formas, comparada ao hinduísmo, já que as vacas e bois são animais sagrados e idolatrados por esse povo. Ao contrário dos hindus, os campo-grandenses comem os bovinos. Quando decidem confratenizar, se reúnem na casa de alguém para comer "xurras", beber cerveja e discutir sobre bois, obviamente, ao som de música sertaneja.

A proliferação e também a multiplicação das igrejas tem sido alarmante. Bancos, casas de shows, e até terrenos enormes centrais foram comprados por igrejas e agora são centros de lavagem de dinheiro. Uma igreja que vem adquirindo muitos adeptos é a Igreja Boiolistica do Sétimo Chifre, umas vez que, chifrudos estão na moda.

É comum avistar crentes usando seus ternos marrons, sentado em bicicletinhas e indo para o culto. Estes estão quase sempre acompanhados de suas esposas, cujos cabelos precisam ser presos para não enrolar no aro da bicicleta e sua saia que começa abaixo dos peitos, terminando no calcanhar. Ela normalmente fica na parte traseira da bicicleta se equilibrando com dificuldade no banquinho pois, por usar saia, é obrigada a sentar-se com as duas pernas para o mesmo lado e precisa levar a biblia com uma mão para segurar-se no marido com a outra.

O novo ponto do turismo religioso na cidade é a casa da moeda, uma templo em homenagem ao dinheiro no qual não cabem todos os fiéis mantedores, que preferem ser chamados de evangélicos da Universal ou IURD. Suspeita-se que este Palácio do Bispo Edir Macedo, seja um dos maiores bunkers da Guerra Santa já construído pelo homem. Há também quem diga que se trata de uma fábrica de aeronaves de guerra. Para mais detalhes sobre a construção do monumento, veja o segmento sobre a Feira Central. Já os árabes e descendentes têm na sua Abu-Dhábi brasileira a mesquita "Nour al-Imân".

[editar] Comércio

Um dia de trabalho típico
Centro da cidade em um dia normal de trabalho

Campo Grande pode ser definida como a capital mundial das farmácias, já que a cada esquina há uma - algumas vezes, mais de uma. O crescimento do mercado de farmácias foi tão grande na década de 90, que engoliu padarias, mercearias e bicicletarias, cujas funções foram absorvidas pelas farmácias. Dificilmente você encontrará o medicamento que procura à pronta entrega, pois o estoque padrão das farmácias é composto basicamente por Novalgina, Lactopurga e ENO. O restante da loja está voltado para a venda de salgadinhos, produtos de higiene pessoal, refrigerantes, tubaína e paçoca.

Entretanto o setor está em baixa, devido principalmente ao crescimento das academias na cidade. Tudo leva a crer que o quadro da década de 90 se repetirá e as academias absorverão as drogarias e o resto do comércio local. Uma prova disso é o aumento nas vendas de hormônios de cavalo e outras drogas que antes não eram tão populares.

Outro ponto forte no comércio da cidade devido ao aumento do plantio de cana-de-açucar, é o de Garapa e rapadura. Hoje em dia também é comum encontrar remédios e espetinhos à venda nas Garaparias.

Cuidado! Não deixe que pessoas velhas te conduza para fazer compras na cidade, pois provavelmente irá te levar para comprar na Av. Calógeras (no centro) sim, aquelas lojinhas que pararam no tempo e reclamam que o comércio não está bom. PS. lá só é bom pra comprar Havaianas.

Sem nos esquecermos de que também dá pra ganhar dinheiro emitindo notas frias para o Governo Estadual.

[editar] Opções de lazer

  • Se irritar com os "funkeiros" passando com seus carros cheio de cuecas dentro e rebaixados (corsa 94 ,fiat 147 mola cortada)ouvindo aquele funk chiado bem alto e o porta-malas aberto com um cabo de vassoura segurando a tampa
  • Sair de carro a noite passando pelos barzinhos com o vidro aberto para ver se reconhece alguém, mais nunca acha ninguem.
  • ir no shopping na sexta feira,encontras aquele velho amigono quiosque do macdonald's e ficar mais 40 minutos falando do transito da cidade e do calor
  • acordar as 4 horas da manha e ouvir seus vizinhos encherem o cú de pó
  • dar uma passada no almondega's ou no picanha's depois que eles pintaram a parede do banheiro e falar como o lugar ficou diferente pros seus amigos
  • ir no posto tomar uma cerveja quente pacarai escutando som automotivo com seus amigos playboys que ganharam hilux do pai que é advogado
  • ir no mcdonald's e reclamar da demora pra atendente do drive thru
  • ir pra afonso pena com uma cara de cu e dar 32363564 voltas em torno da avenida
  • ir na orla morena e ficar vendo gente fumando um beck e cheirando umas carreiras
  • Ir na crakolandia ao lado da rodoviária encher o cu de crack e namorar com umas mulheres lindas;
  • Fazer um esquenta antes de ir para a Move, ficar muito loco e acordar no dia seguinte sem lembrar de nada do que aconteceu na festa e com uma coceira no bizuin...
  • Fazer sexo com uma guria no Parque das Nações.
  • Ver parentes, amigos e conhecidos sendo presos nas operações "Xeque-Mate", "Sucuri", ...
  • Ir ao postinho do montanhas tomar vodika com suco Del Valle enquanto escuta música altomotiva e maconheiros tossindo alí por perto.
  • Ir pra avenida Afonso Pena todo domingo de carro, ver as brigas dos maloqueiros...
  • Beber "bolha" e fumar "madeira"
  • Ir nos parques e ficar olhando os bichos(capivaras, preás, gansos e mais capivaras)
  • Comer um saboroso X-Bactéria ou X-Morte nas higiênicas lanchonetes itinerantes que eram na Avenida Afonso Pena e agora estão na antiga Rodoviária, afim de tornar um ponto de turismo com altas onças e nego cheirando do outro lado da rua;
  • Comprar 6 bolas de sorvete por apenas 5 reais do carro do sorvete (traga sua vasilha);
  • Comprar cerveja e carvão ou sorvete em uma das milhares de lojas da Drogaria São Bento;
  • Tomar tereré olhando para a cara dos outros;
  • Fazer um "xurras";
  • Fazer uma violada no quintal de casa e incomodar os vizinhos
  • Tentar fazer amizades (apenas tentar, pois conseguir é quase impossível) ;
  • Ir a Expogrande;
  • Ouvir sertanejo. Sempre. Nenhuma " enraização Pagodeira ou de Axé. " ;
  • Andar nos ônibus articulados (presente dos curitibanos) pagando umas das passagens mais caras do Brasil;
  • Andar nos frescuzinhos (os mini-ônibus onde não cabe um);
  • Pegar dengue
  • Ir ao Shopping Campo Grande e dar a volta nele nos dois andares treze vezes em duas horas;
  • Sentir muito frio e/ou muito calor, no mesmo dia;
  • Colocar três ou quatro amigos na caminhonete que você ganhou do seu pai e ir fazer moral com as "guria" em postos de gasolina ao som da trigésima versão de uma música sertaneja (ou o funk carioca) em volume máximo.
  • Ir em bares (nas vilas mesmo) jogar sinuca e encher a cara.....
  • Comer pastel de vento no Pastel D'ouro.
  • Ir no XIMBICA tomar umas canas, depois de uma trágica semana de brigas e reclamações de namorada, família e escola...
  • Passar o domingo no Pissurno localizado em um bairro,cujo nome Cophavilla 2 tomando cerveja e esperando a próxima briga de piriguetes brigando para ver quem fica com o cara do Golf ou Hilux.
  • Assistir ao show 0800 todo 1° domingo do mês que acontece no Parque das Nações Indígenas (que coincidentemente fica nos "altos da Afonso Pena").
  • Ir para o shopping com o uniforme de um colégio particular, pra mostrar que estuda em escola de playboy.
  • Comer um verdão da julio de castilho ou um hot dog no chocolate com aquele monte de variedades de maionese e depois ficar passando mal de tanto que comeu.
  • Ir ao Fly (bar de rock e derivados) e ver aquele agroboy pedir pra tocar um modão.
  • Ir ao 21 (também um bar rock e derivados que por incrível que possa parecer fica bem perto do Fly) e ver os Playboy pedindo pra tocar Raul no dia que esta tocando reggae.
  • Ter a calma de esperar os dois playboys (cada qual em seu carro) terminarem a animada conversa fechando a rua.
  • Ver um agroboy se gabando quanto a compra da sua botina (que mais parece a bota da Xuxa) de couro de avestruz.
  • Tomar um chope na praça da alimentação enquanto você observa seu vizinho, seu chefe e a família, sua amante com o marido, sua empregada, seu inquelino entre outros conhecidos passarem de um lado para o outro já que a mesma é círculo e a maioria roda, roda,roda ate se decidir onde vai se sentar.
  • ir ao Karaoke da Brilhante!
  • Ir a Feira da Moreninha 2 , na Chamada Paquera (toda Quinta) escutar o Grupo Internacionalmente Conhecido "Pagode Maneiro"
  • e ver que as menininhas de 12 anos namoram com caras de 30
  • Ir no Shopping na sexta-feira ver desfile de EMOS para tudu quanto é lado e alguns grupos espalhados de garotos de 13 anos que vão ao shopping somente para bater nos citados EMOS.

[editar] Vida Noturna

O campograndense é um povo que gosta de novidades, portanto a vida noturna da cidade nunca se estabeleceu de fato. Os bares têm uma atividade limitada a poucos meses, pois após a animação inicial com a inauguração, as pessoas desaparecem e voltam à tomar tereré na frente de casa, portanto todos os bares da cidade fecham alguns dias para passar por reformas periódicas, anunciando "grandes novidades" que em geral se resumem a uma nova cor da parede; algo que surpreendentemente reatrai o público. Frequentemente acontece de dois estabelecimentos passarem por reformas ao mesmo tempo, o que divide a opinião popular que não gosta da ideia de ter que decidir onde ir. Percebendo isso os donos dos bares assinaram o Tratado de Tordesílhas, que diz que "nenhum bar deve estar a mais de 50m do outro", pois assim podem dividir o mesmo público, que pode comprar um Chope no Santo Mé, uma porção de fritas no Miça, enquanto utiliza o banheiro do Café Mostarda e toma um Mickey Mouse no Bodega. O tratado é necessário, uma vez que existem milhares de bares e choperias iguais na principal avenida de cidade, frequentados por manés de camionete e "gurias" escovadas. São uma espécie de bobódromo para ver, ser visto e pagar caro por aquilo que é barato.

É raro ver um bar cheio após a 1:00, o que talvez seja o legado das gerações passadas que dormiam e acordavam com os galos, por isso há também opções para quem quer dormir com as galinhas, como o Enigma e o Marisa's Bar.

Para os baladeiros, não faltam opções. O Garage foi por anos a casa noturna da juventude abastada e sofisticada da capital, que gosta da "boa" música eletrônica, mas recentemente foi substituída pela Move, que fica no mesmo local, toca as mesmas músicas e proporciona a mesma experiência de tentar descobrir se a guria do seu lado é bonita mesmo ou se é só a "bala" e o álcool que estão te fazendo ver coisas.

Já para a juventude abastada com um pé no chiqueiro, existe a Valley, um ambiente especialmente projetado para proporcionar a sensação de estar no parto de um bezerro, da perspectiva da vaca. É uma casa apertada, onde os filhos de fazendeiros levam seus amigos para ouvir a tradicional música da terra - o sertanejo universitário - e "pegar mulher". É importante ressaltar que, nesse caso, a palavra "pegar" está no sentido literal, pois o método de aproximação nesses lugares resume-se a agarrar a fêmea pelo braço e mostrar a fivela. O sucesso da Valley foi tão grande, que ela está dando cria. Existe também o Valley Pub, um barzinho onde é obrigatória a apresentação de chapéu de caubói, fivela e camisa xadrez pra entrar. A palavra Pub não se refere aos Pubs britânicos, mas sim aos pelos pubianos que estão espalhados pelo lugar, graças a atmosfera homoerótica proporcionada pelas roupas de caubói, homenagem direta ao Village People.

A saída das baladas é sempre emocionante, enquanto você corre para desviar dos guardadores de carro que tomaram conta da rua e cobram 10 reais para você estacionar na via pública.

O Bar Fly é um dos lugares que atraem a fatia alternativa da população. Até pouco tempo o Fly era considerado um lugar decadente com mesas de sinuca ruins e sujas, hoje, contudo, a situação não se alterou, apesar de terem colocado espelho no banheiro após a última "grande reforma". O 21 é o concorrente direto do Bar Fly e é conhecido por ser o único lugar que realmente exige a apresentação de identidade. As mesas de sinuca do 21 são melhores que as do Fly e o ambiente é ainda mais claustrofóbico e escuro, perfeito para as pessoas feias que geralmente frequentam esses estabelecimentos.

Ainda no segmento alternativo, nenhum estabelecimento supera o L V J (antigo The Club) no quesito "gente bizarra". A regra da casa é se esforçar pra ser feio. A fachada do local foi carinhosamente apelidada pelos moradores locais de "Trem Fantasma", sendo a atração proibida para cardíacos e gestantes. É também altamente recomendável manter os braços e pernas dentro do veículo. Há quem diga que o L V J seja frequentado pelo público homossexual, contudo é difícil acreditar que alguém, por mais macho que seja, tenha coragem de encarar alguém de lá.

O verdadeiro público GLS frequenta o SIS, tendo ainda como opção a Boate Bistrot para onde fogem varias garotas heterossexuais dos insistentes agroboys, agora também muito frequentado por andrógenos.

Para o público maduro existe o Voodoo, um estabelecimento onde as pessoas que gostariam de ter piercings, mas não têm, vão para sentirem-se um pouco menos normais. É frequentado por professores, médicos e cidadãos de bem que já foram metaleiros ou hippies na juventude.

Duke substituiu o famoso atalaia opem bar que fica as margens do formoso córrego anhanduí onde vira piscinão e point de bronze das dançarinas fds do glamouroso Duke, onde predomina a classe C,E,F. Imagem:Http://cameralenta.files.wordpress.com/2008/11/pobre1.jpg

O Postinho do Parque dos Poderes já foi conhecido como o ponto de encontro dos motoclubes de Campo Grande que não têm nada para fazer entre um Motoroad e outro, mas hoje em dia é conhecido como "o lugar com música de graça". A Av. Manoel de Barros(vulga avenida do Poeta), onde o postinho se encontra, é também o lugar preferido para estacionar o carro de madrugada e dar uma rapidinha desconfortável no banco de trás.

O Clube Bom D+ é o lugar de escolha das empregadas, motoristas de ônibus da capital e agromaloqueiros, tanto pelo preço acessível como pela música popular. As chances são de que você saia de lá morto, gravida ou, com muita sorte, assaltado.

Também existe o famoso C.C. das Moreninhas II (Centro Comunitario), onde você ouve os "mais péssimos" grupos de Pagode que existem na belissima regiao. Quanto à segurança, é muito rigorosa, com os traficantes fortemente armados garantindo sua tranquilidade. O porteiro lhe pergunta se "está armado" e se você disser que não, eles respondem "está maluco? Pois pegue uma arma aqui e pode entrar". Verdadeiro atalho para ter um contato imediato com Jesus...

No bairro Universitário, há mais de 20 anos existe o "Bailão do Francis". Local onde o dono do point é considerado ex-policial, pois só vive com um trabucão na cintura. Os seguranças sim, são sempre policiais, que para complementar a renda (isso até a PEC 300 emplacar) distribuem chutes nos bêbados que ali frequentam. Tomar uma cerveja no Francis é um ato sublime, pois no interior do clube o calor e catinga de suor e demasiadamente insuportável.

[editar] Atrações turísticas

Quintal de casa e tereré com os amigos.E tambem o Parque dos Poderesver capivaras peidando e cagando

[editar] Feira Central

Há muito, muito tempo atrás uma colônia nipônica fugia do Godzilla, terremotos e outras desgraças que acontecem no Japão, com destino ao planeta Vênus em busca de um novo começo. Entretanto um acidente envolvendo o Megazord que os transportava e um avião da TAM fez com que caíssem em meio ao Pantanal. Logo se adaptaram à região e dominaram as outras espécies existentes, tornando-se, então, a grande raça dominante. Tudo ocorreu bem por meses, até que o clima começou a mudar. Desesperados os sobreviventes pediram ajuda à gloriosa tribo Aimoré, que decidiu ajudá-los se houvesse um sistema de cotas para índios na filial local da Yakuza. Era costume dos Aimoré que os visitantes preparassem um prato típico. Devido à ausência de arroz, arroz, arroz e outras coisas necessárias para a tradicional culinária japonesa, improvisaram uma sopa. O cacique, fanho, anunciou que haveria "soba", eis que nasce o Sobá.

Anos mais tarde, os descendentes dos japoneses do Megazord acidentado continuaram a tradição da sopa, servida todas as quartas-feiras e sábados, em um ambiente chamado de feira-central. No início eles só chamavam de feira, mas logo perceberam que estavam no centro e acrescentaram o referencial. Com o tempo, outros povos se reuníram, e toda uma rede de barracas vendendo contrabando se organizou em um ambiente com muita água suja correndo pelo chão. Assim perdurou por anos, até que a Igreja Universal do Reino de Deus expulsou a feira de lá para a construção de um mega-templo em homenagem ao dinheiro.

Indignados, contrabandistas, pasteleiros e vendedores de outros quitutes exigiram uma posição da prefeitura que os realocou na antiga Estação Ferroviária assombrada. Hoje o termo "feira-central" está caindo em desuso, já que não está mais tão no centro da cidade, dando espaço para "Feirona" e outras expressões depreciativas.

[editar] Morada dos Baís

Na época natalina a Morada dos Baís (antiga morada dos bois) fica repleta de luzes compradas do outro lado da avenida no shopping popular (camelódromo). Durante o resto do ano ninguém lembra de sua existência até ser perguntado sobre os pontos turísticos da cidade, mas mesmo assim, não sabe explicar o que é e pra quê serve,na verdade serve de quadro para diversos desenhos legais que os maluko da night faz.

[editar] Eventos Importantes

[editar] Expogrande

Ali existe a famosíssima EXPOGRANDE, também conhecida por EXPOFIGHT, em que os agrobois se reúnem para babar coisas que nunca viram antes e também para desfilar seus tradicionais trajes de cowboys. Nesta festa são realizados rituais como beber sangue de boi ou vaca com febre aftosa, comer bosta do boi ou vaca que é de sua fazenda para provar que você é "o cara" e dançar em volta de uma fogueira gigantesca gritando o nome dos povos que formaram a cidade, as etnias zebu, nelore e girolanda. As vezes ocorrem show onde não é raro ouvir as bandas, duplas ou o cantor agradecer ao povo de Mato Grosso, seguido da expressão "DO SULLLLL, sua anta!!!", vinda do público.

[editar] Moto Road

Também tem o MOTO ROAD uma festa onde os moradores vão admirar a beleza das motos de verdade vindos de outros cantos do país como Harley Davidson. Há ainda os pseudo motoqueiros que andam de CG Titan e só porque colocam um escapamento furado na moto acham que apavoram alguma coisa. Esses pseudos motoqueiros que usam CG TITAN, BIZ, YBR, TWISTER, CALÓI, entre outras motocas, foram banidos do MOTO ROAD e hoje em dia só motos com acima de 500 cilindradas podem participar do 'evento'. Com esta medida, os organizadores temem perder público, mas o dono da festa - o Boi Bandido - disse que é melhor qualidade do que quantidade. A maioria da população gosta de diversão gratuita, por isto no MOTO ROAD deste ano os ingressos irão custar 150 reais, o que irá espantar de vez a população.

O Moto-Road (COISA DE GAY) também é caracterizado por pegadinhas dos seus idealizadores. Eles costumam prometer a presença de "celebridades" internacionais, que nunca aparecem. Foi o caso do ex-ator Peter Fonda (pai da gostosa Bridget Fonda) e da banda germano-americana Steppenwolf (lobo da estepe em alemão). Depois, eles se desculpam por email, afirmando que compromissos marcados ulteriomente impediram a vinda da tal celebridade. Se tinha compromisso marcado, por que foi convidado?!

[editar] Morena Moto Fest

Criada pelas Usuarios de CG TITAN, BIZ, YBR, TWISTER, CALÓI e qualquer outra coisa que faça muito barulho e ande pouco. Tradicionalmente esse evento e celebrado no centro comunitario das Vilas Moreninhas e acreditem em um dos eventos teve a presença do grupo Sepultura, infelizmente ouve muito pouco público pois os que conheciam ficaram com medo de ir e serem assaltados, os que foram não conheciam e pensaram ser um grupo de vanera e os demais acharam longe pra BURRO.

[editar] Outras atrações

  • Ir tirar fotos na Praça das Araras coxudas de cara comprida que estão tentando carregar uma sucurí.
  • Ir ver a estátua daquele índio idiota caindo do cavalo com uma lança.
  • Ir ver capivara no Lago do Amor e acabar levando carrapatos.
  • Shopping Campo Grande: O Shopping favorito do Campo-grandense, mesmo porque é o único. Também serve como ponto de encontro de emos e afins. Público com idade mental média de 6 a 10 anos. Na verdade agora tem o Shopping Norte-Sul, inaugurado dia 25 de maio de 2011. Todos estão muito faceiros.
  • Casa do Artesão: vende produtos que simulam arte indígena e ribeirinha, tipo cestas de palha, gamelas e colheres de madeira e outros. Na maioria produzidos pelos índios Tereré-na, que usam os ganhos pra comprar os mesmos artefatos, mas de plástico ou alumínio, muito mais baratos, duráveis e principalmente higiênicos.
  • Parques das Nações Indígenas: Antiga reserva indigena que após a expulsão dos antigos moradores, se tornou cartão postal da cidade. Todo domingo no parque tem apresentação de grupos locais e atrações nacionais. Já se apresentaram: Zeca Baleiro, Martinália, Zélia Duncan, Chico Cézar, Nando Reis, entre outros.
  • Aeroporto: Considerado uma das saídas de emergência da cidade. Também é considerado o melhor hospital, shopping, e qualquer outra coisa que se possa conseguir saindo daqui
  • Rodoviária: Antigo "point" do município, mantém o único cinema adulto da cidade, o Cine Melequinha.
  • City Tour: Meio de transporte urbano gerenciado pela Prefeitura de dois andares: embaixo é fechado e em cima a pessoa se sente desabrigada.
  • Parque Laucídio Coelho : Lugar favorito das duplas sertanejas e dos grupos de pagode, sempre fazendo um show com o lançamento de seu 36º CD ao vivo.
  • Camelódromo : Centro de compras da cidade, estando 4 vezes a mais na frente do Shopping Campo Grande no quesito vendas.Vende-se desde o ursinho de pelúcia fabricado na Bolivia até aos eletrônicos de ultima geração(que sempre são apreendidos pelos policiais para levarem para casa combaterem a pirataria).
  • Ficar com o pescoço doendo ao olhar os paraquedistas do exército treinar na base aérea da cidade.
  • Mercadão Municipal:Onde você come o pastel e o japonês só te avisa que a azeitona tem caroço depois que você morde a própria.
  • Garage: casa noturna, de música eletrônica, na qual também já teve pagode, e sempre tem o seu famoso 'hip-hop', em que centenas de pessoas ficam horas em uma fila para entrar na festa, escutar alguns funks brasileiros da moda, tirar várias fotos dos sites que ali comparecem, para na segunda-feira você postar no orkut e colocar na legenda: "GARAGE", somente pra mostrar para os outros que você é, quer, ou tenta ser mais um 'fitinha' da cidade. E quando algum desses fitinhas ouve ou lê comentário como esse, diz que só vai ao Garage porque a música é boa, sendo que é muito fácil de você encontrá-lo também em alguma violada, pagode ou coisa do tipo, ou seja, ele não tem gosto próprio, apenas vai para ver aparecer para todo mundo.
  • Assalto à casa do prefeito Nelsinho Trad, em maio de 2009. Estranhamente, apesar dos assaltantes não terem sido capturados, até a imprensa sabia o que havia sido dito por eles: "não vamos machucar ele, porque o prefeito é do bem", disse um dos bandidos durante o evento.
  • Multistore Wall-Mart, que provocou um espírito esportivo e medo enormes na concorrência. Por isso, o Comper Jardim dos Estados (localizado na avenida Mato Grosso) passou por uma reforma de última hora (na verdade o que mudou mesmo foi porra nenhuma). O sucesso da nova loja foi tão modinha e passageiro quanto Restart em 2010.
  • comer o melhor cachorro quente de campo grande, num cara cabeludo, meio socialista e que não abre na terça-feira cachorro quente do lucio, fik perto da duque de caxias no bairro santo antonio, por ali todos conheçem como tio do cachorro quente.

[editar] Traços culturais

Campo-grandense tomando tereré
  • Os campograndenses sâo descendentes da tribo dos aquidauanus.
  • Grande variedade de jovens abastados e desaculturados, oriundos da aristocracia bovina da região, eventualmente denominados de "Agroboys" e "Cowgirls". Podem ser identificados por seus chapéus ridículos, utilização de frigideiras como fivelas, botinas exageradas , o cheiro de bosta de vaca característico, usado aliás para atrair as fêmeas para acasalamento, junto com seu histórico escolar na DOM BOSCO,MACE,LATINO AMERICANO,MONTESSORI,UCDB-AGRONOMIA,UCDB-VETERINARIA,UCDB-ZOOTECNIA,UCDB-DIREITO, UCDB-ADMINISTRAÇÃO, UNIDERP-DIREITO, UNIDERP-ADMINISTRAÇÃO, UNIDERP-VETERINARIA, UNIDERP-AGRONOMIA, UNIDERP-MEDICINA, UNIDERP-ODONTO, UFMS-MEDICINA,UFMS-DIREITO E UFMS-VETERINARIA.
  • Escutam uma mistura de polca paraguaya, rasqueado, chamamé e de vez em quando, música gaúcha tipo vanerão e chote. Portanto, não apresentam sequer traços culturais próprios, muitos menos dos outros, pelo menos dignos de nota.
  • A população se alimenta basicamente dos produtos fornecidos por vendedores populares que se instalam nas principais avenidas do município. Mesmo competindo com as cadeias de fast-food mais tradicionais, os "Xis-Bacterias" ainda detém maior público pagante, além da opção mais saudável, o zero calorias "X-Óleo". Tem também o sanduíche conhecido como "Morte-Lenta" e o "Entope-Artéria".
  • Os que possuem alguma alfabetização preferem comidas como o "Sobá de Okinawa", a "Chipa" e a "Sopa Paraguaya", outros sinais evidentes de ausência de qualquer iguaria típica local que mereça servir como alimento, além do capim, é claro.
  • Não existe esporte profissional no estado. Exceto matar pernilogo e tomar Tereré.
  • muitos sonham em ser veterinario ou agronomos. é chique criar nelores, andar de camionetes F250 e cheirar bosta de animais.
  • campo grande pode ser invadida por alienigenas ou sofrer um ataque militar estadunidense, mas a educação manda que nesses casos é necessario ficar parado tomando terere
  • desenvolvimento é algo super demorado em campo grande, prova disso é quando você viaja para são paulo e compara as duas cidades. muitos medicos e advogados são contra o desenvolvimento por causar desmatamento, ja que eles não necessitam de trabalhar pros outros

[editar] Como identificar um campo-grandense

Como você sabe que é um campo-grandense? Não é só pela certidão de nascimento não! Talvez você tenha um campograndense dentro de você e não saiba!

  • Cola um adesivo do Shopping China no vidro traseiro do carro, para todo mundo ver que você já fez uma viagem ao exterior do país, cruzando a fronteira com o Paraguai.
  • a maioria da populacao,os boys,fazendeiros e agroboys tem uma hilux ou picape ou caminhonete
  • É funcionário público, seja federal, estadual ou "burricipal". Segundo dados do IBGE, 99,9 % dos habitantes de Campo Grande são xupins do dinheiro público e o fazem prestando concursos para um cargo inútil em um órgão público exclusivo do povo "sul-matogrotesco". O estado tem vários órgãos públicos criados pra resolver os problemas que eles mesmos criaram.
  • Deve até as cuecas no Banco
  • Se acha o tal
  • Acredita e jura de pés juntos que Campo Grande é a melhor cidade do mundo.
  • Nunca passou dos limites da cerca de arame farpado que limita a cidade, por isso tem uma visão de mundo fabulosa!
  • Arrasta a mulher pelos cabelos como na idade da pedra.
  • Toma TererÉ na calçada, come uma xipa e ao mesmo tempo acha que é brasileiro!!!
  • Você ouve seus amigos dizerem: “Morena bunita dos dente aberto, vai no pagode que o baruio é certo!”
  • Tem orgulho de ter uma das maiores exposições agropecuárias do Brasil, mas odeia passar pelos pavilhões de gado e sentir aquele cheirinho de cocô de vaca.
  • Se acha mais legal por ter um carro com envelopamento fosco.
  • Come Big Mac por status, mas não resiste a um x-Bacteria dos carrinhos da Afonso Pena no fim da balada.
  • Vai pro Comper Jardim dos Estados beber no estacionamento depois da balada. Ou durante a balada.
  • Nas férias de inverno, vai pra fazenda.
  • Nas férias de verão, vai pra fazenda.


  • Você classifica “selva de pedra” como substantivo abstrato.
  • Você sabe o que é uma "guria".
  • Ouve Jads e Jadson, João Carreiro e Capataz e o tal de Grupo Zíngaro.
  • Diz que São Paulo é poluída demais, mas quando anda no centro, joga lixo no chão. E vive reclamando que o centro da cidade é muito sujo.
  • Você percebe que tem cocô de capivara no seu sapato, depois que você volta da Universidade Federal.
  • É capaz de passar um dia inteiro tomando tereré se os amigos quiserem. E a noite inteira também.
  • Você se enquadra em alguma dessas classificações: boy, agroboy, fazendeiro, nerd, ou maluco.
  • Sabe que um Joselito é um agroboy e já estudou com uma média de 10 agroboys em toda a sua vida.
  • Diz “vou no Macalé” sem ter a mínima ideia se vai realmente lá.
  • Sai a 1 da manhã do sábado de casa e ainda não escolheu em qual balada vai. E quando escolhe alguma, não tem mais ninguém lá.
  • Faz happy-hour pra encher a cara.
  • Leva ½ hora para dar a volta de carro no seu quarteirão (tem que parar pra tomar tereré em todas as casas).
  • E, como não podia deixar de ser, acha a sua cidade a mais linda, a que tem as ruas mais largas, mas também acha que está ficando muito violenta, que o trânsito é um inferno, que vai morar em outra cidade. Mas não consegue sair daqui.
  • Você sabe o que é um sobá.
  • Aliás, você termina suas baladas de sábado na feira.
  • Acha que os Bugrinhos da Conceição dos Bugres são a coisa mais cult do mundo, além de serem presentes baratos para pessoas distantes.
  • O maior point da sua turma é um posto de gasolina.
  • Os bares da cidade são inagurados e fechados num intervalo de tempo de 3 meses, em média.
  • Sabe que as bandas de vanerão da cidade tem nomes mais compridos do que as de rock.
  • Sabe que o governador do Estado e o Michael Jackson tem algo em comum.
  • Jura de pés juntos que não existe melhor peixe do que o da Casa do Peixe, na cabeça de Boi.
  • Jura, também, que o melhor cachorro-quente é o dógão do tiozinho da Av. Mato Grosso, perto do Dom Bosco.
  • E na quarta-feira faz aquele programa básico de pobre: meia-entrada no Cinemark e Batata recheada de frango por 5,50.
  • Você tirou carteirinha de estudante mas não é todo lugar que aceita.
  • Sua mãe acorda cedo no domingo e dirige até o centro, pra ver se saiu em algum jornal distribuído gratuitamente na Afonso Pena.
  • Você visitou tantas vezes o Museu Dom Bosco que já sabe de cor a ordem das borboletas empalhadas.
  • Você fala que não gosta de ir ao shopping, que a cidade não precisa de um shopping novo, mas no fundo no fundo tá doidinho pra que se inaugure um novo shopping.
  • Quando se esgotam as opções de “balada”, vai gastar gasolina a toa dando uma volta no parque dos poderes.
  • Tem péssima memória “climatológica”. Jura até a morte que ano passado não fez frio, mas que esse ano, está sendo supreendido por um frio intenso e passageiro. Ano que vem se esquecerá completamente disso, dirá que este ano não fez frio, e se emocionará, novamente, com a descoberta de uma frente fria no ano que vem.
  • A mesma coisa com o calor. Se esquece completamente que 2 dias antes da temperatura cair a 8 graus estava fazendo 38 graus e não chovia há 1 mês. Ano que vem, você dirá que este ano não foi assim tão quente. É tudo culpa do aquecimento global.
  • Qualquer dor de cabeça ou mal estar que você tenha, independente dos exames médicos, necessariamente pra você será dengue. Ou qualquer tosse ou gripe que você tenha é “virose”. E não só você tem, mas a cidade inteira tem.
  • Você sempre perde o par de luvas que comprou durante a frente fria passada e terá que comprar outra no camelódromo. Você perderá essa luva no dia seguinte.
  • Você tem Orkut, já usou o mIRC e conheceu pelo menos 30% dos seus amigos atuais pela internet.
  • Você gosta de provocar os cuiabanos. Mesmo sem necessidade nenhuma disso.
  • Depois que consegue irritar os cuiabanos, assume a personalidade blasè e diz que eles estão sendo infantis.
  • E quando eles finalmente são apaziguados e quase topam ser seu amigo, você alfineta eles de novo.
  • Quando sai notícia de Campo Grande na mídia Nacional, fica todo animado. Daí respira fundo, conta até dez e faz pose blasè: “Cidade merda… Nem pra aparecer no jornal com noticia boa!”.
  • Se emociona quando descobre que vão contruir o 1° Wal-Mart na cidade(foi estimado a presença de aproximadamente 750 mil pessoas para a inauguraçao do wall mart, com um detalhe: a populaçao é de campo grande é de aproximadamente 750 mil pessoas).
  • Você sabe que chipa não leva fermento.
  • Tem o "hábito" de jogar lixo e papel no chão quando está dirigindo, e se acha muito asseado e civilizado.
  • Você possui dois ou mais itens da indumenáaria típica de um Campo Grandense (bota, calça jeans, cinto com fivela frigideira, camiseta polo listrada, chapéu ou boné de fivelinha.
  • Fica doido pra comprar whisky na época da exposição.
  • Diz que nunca vai haver um bar igual ao Stones em Campo Grande.==
  • Você é capaz de atravessar a cidade para comer um cachorro quente no Denny "cachorro quente do denny já era, muito carro e da uma peidorreira lascada" ==
  • Você diz que não existe lanche maior que o lanche do Zé do Verdão.
  • quando querem virar a esquerda, eles dizem: "vamos descer" e quando querem ir para direita, eles dizem: "vamos subir"
  • ciclistas são chamados bicicleteiros, pizzaiolos são pizzeiros, empresarios são fazendeiros e vadias são piriguetes
  • são caipiras que se acham cowboys (cowboy significa vaqueiro e esses caras que se dizem "cowboys" não têm nenhum gado, muito menos fazenda)
  • têm como prato principal a mandioca. Pode faltar até arroz no prato mas mandioca jamais faltará.
  • sabe que é melhor que o cuiabano porque não se importa com eles
  • * é reconhecido como (parente) por goianos, gauchos, paulistas e mineiros;
  • se orgulha de ter o melhor ensino fundamental do país;
  • se orgulha de não precisa comprar ar-condicionado;
  • se orgulha de tomar tereré e não guaraná ralado como alguns brochas do norte
  • Você nunca aprendeu que campo-grandense se escreve com um hífen e sul-matogrossense, com dois, porque, como bom campo-grandense, você se orgulha de ser ignorante e não saber sequer seu próprio nome.
  • as pessoas da periferia não se importam com estudo e sim com balada, terere, sexo e bebida.
  • os agroboys só querem brigar, pois o papai é rico e não acontecera nada com eles. isso porque os agrobois não brigam com pessoas do bairro lageado, jardim los angeles, bairro nova lima, jardim sao conrado e jardim santa emilia, nestes bairros as brigas são resolvidas com tiros.
  • os guardas da prefeitura tomam conta do patrimonio municipal mas nunca da segurança publica.
  • ele vai na iplace do shopping campo grande só pra tirar fotos,mesmo que nao va fazer merda nenhuma la as menininhas de 13 anos vao la pra tirar fotos
  • só ouvem músicas sertanejas, moda de viola, corno music, chifre queimado e pouco pagode.
  • acham a cultura caipira o maximo (mal sabem que nos países ricos isso é comparado ao feudalismo)
  • muitos empresários são machões até o dia em que a esposa ou a mãe viajam. Enquanto elas viajam,os empresarios mantem relações homossexuais com seus funcionários
  • levam todo domingo para a avenida afonso pena (principal da cidade) som automotivo do tamanho de caixões de defunto, alguns atingem aproximadamente três metros de altura e os rapazes musculosos dançam a "dança da garrafa" ou a "dança da bundinha"
  • compram terrenos e não constroem nada. Deixam o terreno abandonado apenas para depósito de lixo e criação de focos de dengue. este é um dos motivos que o campo grandense é considerado um dos povos mais sujos do Brasil.
  • tenta espancar todo metaleiro que ve na frente, mas sempre leva a pior, pois a calça enfiada no anus não permite movimentação para brigas.
  • Só podem ter inveja dos paulistas por não terem um campeonato de futebol igual ao deles.
  • As mulheres usam rasteirinhas sempre, mesmo que esteja 10Cº e elas estejam de cachecol; o que é curioso, pois, embora ciganamente emperequetadas, não deixam de ser chinelos, e mais ortopédico e confortável seria usar havaianas. É importante mencionar o fato de que a ascendência boliviana de muitas não permite que todos os seus dedos ou mesmo seu pé caibam dentro do referido calçado...
  • para o campograndense, a utilização da seta para indicar o direcionamento do veículo que está dirigindo é uma convenção social totalmente desnecessária; ademais, para ele é deselegante seguir com o veículo logo que o sinal abre, é mais educado aguardar uns 2 minutos.
  • é importante ressaltar que a utilização das concordâncias verbais e nominais e das demais regras ortográficas, tanto na fala como na escrita, não são culturalmente aceitas em solo campograndense, bem como a utilização de qualquer vocábulo diferente (ou seja, nunca veiculado em nenhuma novela) também não é permitida, sob pena de sofrer com o severo preconceito social que atinge quem se expressa de maneira a destoar das "variantes linguísticas" encontradiças na capital.

[editar] Expressões típicas

  • Malemau
  • Trompei! Dei uma trompada! Acabei trompando... (trombar, bater)
  • "Aoowww" (usado para: ter a atenção, dispersar ou juntar bois e/ou campograndenses.)
  • ôô trem cosquento ( coisa boa, coisa ruim, qualquer coisa, geralamente é dito quando não se tem nada pra dizer.)
  • Toda vida (sempre, claro, vamos sim, já fui...)
  • Alice! (dito quando um ato gay é presenciado) frequentemente dito por Bob Max - morador do Recantão
  • Péts (palavra dita depois que alguém aperta seu peito 'mamilo')
  • Bora lá no postinho...
  • Á te lasca, rapah...
  • Ohh carai de asa!
  • Bizorrinho (Besouro)
  • Ã-rãn!
  • O carro do fulano ESTUCA o meu. (Estucar = Humilhar ou ser melhor)
  • O Verdão regaça (quer dizer que nenhuma lanchonete bate o lanche do "Verdão" - pelo menos em tamanho)
  • Na moral...
  • Eita pêga!
  • guri/guria (já que todo campo-grandense é um meio-gaucho)
  • Mato Grosso do SUUUUUUUUUUUUUUUUUUUULL, PORRA!!
  • Di Boa (ok, beleza. feito)
  • Qual buzão cê vai pega?
  • Isso é di boa.. A gente fica ai morgando!
  • furdunço (bagunça)
  • Agora eu tô buneco (agora eu estou bonito)
  • Aff
  • Que derrota, hein!
  • Fela diuma rapariga! (xingamento)
  • Fela da P***! (outro xingamento)
  • Eu fui beradiando o corgo (córrego)
  • Eita povo moagento
  • Vou dar uma cambota (cambalhota)
  • É pra cabá
  • Ai carai!!! ("Ai caralho")
  • Bemdizê que foi
  • Segue toda a vida até ali..
  • ... pior!
  • O fii! (ei você!)
  • PeRfeito! (qualquer coisa que não seja terrivelmente ruim ao ponto de não se querer comer o próprio rosto é dito "perfeito", principalmente pelas patys, que concorrem em gírias diretamente com as cowgirls... Cowgirls podem ser patys, contanto que os pais sejam donos de fazendas, o que é bastante comum...)
  • Que onça! - demonstrando estupefação
  • pah né véi ou simplesmente PAH ou até sepa, sipa ou sapa - igual a qualquer coisa quando não tem oque dizer
  • Aaaaalass!!!
  • Capaiz né!
  • Fiz tudinho..
  • Nem vô, vai ta cheio de malaco (resposta da pergunta "vai lá no show amanhã?") *Malaco = maloqueiro, favelado do pé rachado.
  • Di certo...
  • Disk ele foi lá..
  • Daqueles que...
  • UAI!
  • UÉ!
  • Massa véi!
  • Ta galãnn heim..
  • Tipassim..
  • "Causando" expressão usada por quase todos mais ainda por malacos que significa arrumando briga ou procurando confusão.
  • ai que feraa..!
  • Fazer moage
  • Saca?
  • Oia que cavala! (expressão usada quando uma mulher gostosa e de altura maior 1,75 é avistada)
  • Nem...
  • Meio que quase ( foi mais não foi )
  • Eu qui vô, eu qui sô
  • Parça ou parcêra (refere-se à parceira ou parceiro)
  • Sapituca, Siricutico. Ex: Deu uma sapituca no velho! (O mesmo que piripaque)
  • Tilangas (qualquer coisa parecida com uma biscate)
  • Aooo Isminino(a)!
  • Bora lá nos altos?
  • Capivara ( nome designado às meninas desprovidas de beleza)
  • Pula no rio, Capivara!
  • Mermão... ( a conjunção de "Meu" com "Irmão" usado pelos malacos para se cominicarem ou chamarem a atenção da vitima na hora do assalto)
  • Borso, Borsa - expressão muito usada pelos agroboys que gostam tanto do 'r' que o colocam ate no lugar do 'l'
  • Se pah eu vou lá ( se der certo eu vou )
  • Aloka
  • Quando é o próximo show do JB & V?
  • O ônibus tá demorando
  • Que tédio
  • Pintei meu quaRto de veRde
  • Poconiano ( pessoa nascida no Poconé )
  • Meu amigo morreu na saída/entrada do show
  • Luan Santana é o sucesso e é de CG
  • TA DE PIERA COM A MINHA CARA NÉ?! (TA MENTINDO PRA MIM?!)
  • NUM ERA BOBO ESSE! (NAO ACREDITO NISSO)

[editar] As paty de Campo Grande

Você sabe quando encontra uma paty em Campo Grande se ela:

  • Estudou a vida inteira em escola particular, foi pra Disney no aniversário de 15 anos pela Condor ou Time Tur, e não passou na Federal.
  • desconhece o significado de palavras como "bom-dia", "obrigado" ou "por favor";
  • o namorado dos seus sonhos tem a cara do Johnny Depp e o saldo bancário do Bill Gates.(necessariamente nessa ordem!);
  • perde metade da noite escolhendo a roupa que vai usar para ir à escola no dia seguinte;
  • sempre chega atrasada na escola porque demorou para se arrumar;
  • está sempre na "moda", por mais ridícula que ela seja;
  • deu um fora naquele cara legal, só porque descobriu que ele dirige um Gol 1000 93;
  • trata todas as pessoas como seus empregados;
  • só se relaciona com pessoas do seu "nível";
  • tem um papai bundão e uma mamãe perua que fazem todas as suas vontades;
  • tem um irmão playboy (e bundão como o seu pai), que só consegue catar as suas amigas;
  • te seca a noite inteira na balada só pra, quando você chegar junto, dar uma cortada beeem escrota e ficar rindo de sua cara com as amigas;
  • as patys de campo grande se acham == se acham as bucetudas == ricas porque andam de carros dos anos 80.
  • sonha em morar na Europa, Estados Unidos, Japão ou até Austrália (ás vezes apenas sonha).
  • Muitas vezes seus pais estão devendo até a cueca, mas faz questão de querer manter a pose.
  • Gostam da queles caras, playboys, que tem fotos do corpo no orkut, mas que não guentam nem um peido, e tem 12837123129378 profiles no orkut, e toca em grupo de pagode.
  • Paga uma nota preta em um cursinho pré-vestibular se achando a rica no meio dos analfabetos, mas só consegue passar na UNIDERP.
  • Tem celular da Vivo (que ela pronuncia "vaivo") ou TIM (que ela pronuncia "tiiiimmm"...)
  • as patricinhas de campo grande são lindas demais, mas é necessario que você tenha o mesmo nivel social delas para namorar com elas, caso contrario podera optar em ficar com uma garota pobre e gostosa mas interesseira. ou uma feia "na seca" que ninguem quer ficar.
  • as patricinhas só pensam em estudar Direito. não existe outro curso para elas, pois pensam que esse curso é facil porque não envolve calculos matematicos, alem de ser chique e não fazer porra nenhuma o dia todo para não estragar as unhas e não suar, mas se frustram quando descobrem que neste curso é necessário muita leitura e como isso toma muito tempo, elas ficam sem poder ir no shopping para comprar roupas (compras de patricinhas levam em media 8 horas porque elas experimentam as roupas de loja em loja, alem de comer com as amigas e ficam fofocando alto).
  • para conquistar uma paty de campo grande, alem de ter o mesmo "nivel social", é necessario alguns cuidados como por exemplo, usar perfume de bosta de gado, camionete suja de barro, botina suja de esterco, camisas listradas, calça jeans socada no rabo e se possível usar chapeu para esconder os chifres e cinto com fivela do tamanho de uma frigideira. que belo par! as patys lindas e cheirosas andando com rapazes fedidos e mal vestidos.

[editar] Ilustres conhecidos campograndenses

  • Comercial Futibol Crube - O primeiro time do estado sul matogrossence durante 109 anos sem ganhar uma partida , ou melhor ganhou uma, mais apenas pelo fato de que o time adversario não possuia "GOLEIRO", seus estádios lotavam de pessoas ao saber que comercial iria jogar, pessoas levavam bombinhas , estilingues , e bixigas d'águas, seu uniforme era vermelho e branco sua meia eram verde, pelomenos algumas vezes quando suas meias eram lavadas apos um jogo espetacular de sopa de barro no campo oficcial do comercial...
  • Almir Sater - Cantor regional e ex-dublê de ator —já atuou até em novela da Rede Grobo. Tem seus shows anunciados como show popular no palácio popular da cultura com um preço nada popular. Cada ingresso não sai por menos de 80 reais.
  • Tetê Espíndola, e toda Família Espíndola
  • Denny (Ex-Macumbeiro e ilustre garçom de um lugarzinho que faz cachorro-quente na cidade "mais preciso av. Julio de Castilhos")
  • Júlio de Castilhos — Jornalista e político gaúcho (tinha de ser!) que foi homenageado pelos pais da cidade com a denominação de uma avenida muito movimentada, mas teve seu nome escrito errado nas placas. Lá, é Júlio de Castilho. O jornalista plural ficou singular em Campo Grande.
  • Mosquito da dengue (mas ele não asusta mais os campo-grandenses, pois a doença ja foi erradicada da cidade)[editado provavelmente por algum político tentando disfarçar] O Aedes aegypti é o cara!
  • Mosquito transmissor da Leishmaniose
  • Abud Lahdo, diretor do filme "Paralelos Trágicos", unico cineasta morenopolitano citado pelo IMDB.
  • Aracy Balabanian (Armênia radicalizada brasileira)
  • Operário Futebol Clube (já foi semi finalista do brasileirão em 77 só perdeu para o campeão(grande bosta se fosse bom teria ganho o campeonato))
  • Boi Bandido ( há relatos de que o bisavô do boi bandido lutou na guerra do Paraguai e cansadão de tanto andar resolveu parar por aqui onde conheceu a vaca mimosa e juntamente com outros bois e cavalos fundaram a fazenda asfaltada)
  • Jânio Quadros (político que não aguentou na presidencia da república e ficou menos de um ano como presidente). Foi derrubado por "forças terríveis".
  • Uma estátua de santa que chora lágrimas de mel. Deu até no fantástico.
  • Paulinho do Rádio que fica com um rádio colorido dançando à noite na Afonso Pena.
  • O Carinha do "Passa a régua": um cara sem ter o que fazer vai ás 8 da manhã de sábado (é isso mesmo que você leu) falar sobre coisas sem nexo e gritando 'Passa a régua!!!!' num autofalante
  • Diego Ferrero ( ou Di Ferrero, vocalista da banda mais chiclete de todos os tempos nx merda, digo; Nx Zero. A cidade até então era rejeitada por todos pseudo emos e afins agora depois dele assumir em rede nacional sua cidade, é moda colocar no orkut em cidades terra do Di (e isso já é viadagem demais).
  • Fábio Sheridon - O bruxo da elites, faz previsões no final do ano do tipo "ano que vem algum famoso vai morrer" ou "haverá catástrofes naturais no mundo" ou "vai haver quedas de avião da TAM" e faz qualquer tipo serviço místico, desde que seja bem remunerado, é claro. Faz de búzios a leitura de previsões de cocô na privada.
  • Picarelli (ou Tio Pica), locutor tão vaidoso que parece patrocinador de si mesmo e heroi local sempre defendendo os fracos e oprimidos (frascos e comprimidos); era famoso por sempre ir pras Olimpíadas do Teleton em São Paulo mas desde então pendurou o cuecão e nunca mais foi visto)
  • Dacio Correa colunista social rico e homossexual. A emissora de televisão local conhecida como Tv Guanandi é responsável pela contratação de apresentadores horrorosos e arrogantes como Dacio Correia e a Cidinha. Que contradição! com tantos jornalistas competentes e bonitos, a tv guanandi contrata cada gente estranha e esquisita para apresentar seus programas.
  • Tio do Radinho, famoso personagem da vida noturna campo-grandense que fica na esquina da afonso pena com a quatorze, com um micro-system ligado e ouvindo a rádio local, dando tchauzinho pros transeuntes e afins, que usam aquele espaço durante à noite pra ir à farmácias, em direção a postos de combustível, lanchonetes ou ganhar a vida.
  • Priscila do BBB9. Apenas por seus dotes físicos, a bem da verdade. Mas ninguém liga, afinal de contas!
  • Uma penca de cantores sertanejos, entre eles Luan Santana o 'gurizinho' ( fala sério ) e o Grupo Tradição.
  • Michel Teló ex-integrante do Grupo Tradição também morou em Campo Grande;
  • Tatá Marques : Apresentador metido a metrossexual, faz um programinha no SBT local chamado O Povo na TV, mas que de povo não tem nada (só propagandas). Certa vez foi assistir ao programa do Jô e tocou um berrante na platéia para chamar atenção. Ao ser perguntado pelo Jô porque tinha feito aqui, disse que era pra chamar mulher (ou seja, chamou as mulheres de vacas). Recentemente chamou uma garota de cavala ao vivo e para seu azar publicaram o feito no YouTube. Metade da cidade não gosta dele, mas ainda assim ele se acha o máximo.

Obs:Aqui quem fala é um cidadão de Campo grande, e digo:Mas q porra! campo grande fika no mato grosso do SUL e não em mato grosso, se é tão burro assim?

[editar] Ver Também

Mirror2.jpg
Conheça também a versão oposta de Campo Grande no Mundo do Contra:


Espelhonomdc.jpg



v d e h
MATO GROSSO DO SUL

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas