Camuflagem de palavrões

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Fodase2.jpg Este artigo é IMORAL!

Você deve estar achando que este artigo é uma afronta, uma pouca vergonha, uma baixaria... FODA-SE!!! Vai fazer algo que preste e não foda minha paciência!!


Cquote1.png Você quis dizer: M3rd4 Cquote2.png
Google sobre Camuflagem de palavrões

Tudo culpa dessa véia chata

A camuflagem de palavrões é uma técnica de disfarce de palavras de cunho chulo, transformando palavras ditas por bocas sujas (sem vergonham...) em palavras comuns que podem ser colocadas até em histórias para criancinhas. Esta técnica surgiu por causa da Associação de Velhas Chatas que dão Chilique Quando Escutam Algum Palavrão na Televisão e em Outros Lugares (VCCQEAPTOL), que queria censurar palavras como merda, bicha e nem fu*****. Ao invés de censurar, tiveram a ideia de apenas modificar um pouco os palavrões, que seriam transformados em "palavras normais".

A inserção da camuflagem de palavrões na mídia[editar]

Tudo estava bem até uma velha doida assistir o programa do João Gordo. Essa velha gagá ficou muito irritada com a quantidade de palavrões por centímetros cúbicos na televisão. Ela se juntou com outras velhas sem nada pra fazer a fundaram a tal associação lá. A Associação dos Boca Sujas Sem Vergonham (ABSSV) fez de tudo para impedir a censura. Depois de um tempo de brigas, a ABSSV conseguiu uma liminar que proibia a eliminação de palavrões dos veículos da mídia.

Certo dia, uma outra velha chata, também da Associação de Velhas Chatas que dão Chilique Quando Escutam Algum Palavrão na Televisão e em Outros Lugares, resolveu ter a brilhante ideia de ler a Desciclopédia. Foi a gota d'água. A velha ficou muito doida. Muito doida. Juntaram as velhas corocas do mundo inteiro e conseguiram proibir o uso de palavrões na televisão, na rádio, na internet e em panfletos de lojas.

Depois da confusão envolvendo as velhas desocupadas e os bocas sujas, resolveram seguir uma técnica muito antiga, usada por maoris. Substituíram algumas letras nos palavrões, transformando estes palavrões em palavras simples do cotidiano do dia-a-dia. Estava tudo resolvido. A ideia foi aprovada até pela ONU.

Exemplos conhecidos[editar]

  • Filho da pu**: Filho da luta, milho da gruta, brilho da fruta. Filho da Pucca, Filho da Fruta" e "'Feira da Fruta"'.
  • Viad*: Fiado, miado ou piado.
  • Pu** que pariu: Fruta que partiu, luta que baliu, Ponte que partiu ou chuta que caiu.
  • Merd*: Lerda, cerda ou Anônimo.
  • Pau no c*: Sal no sul, cal no azul ou mal no Mu.
  • Cara***: Baralho, carvalho, orvalho ou salário.
  • Pau no c* do cara***: Sal no sul do carvalho ou mal no Mu do orvalho.
  • Nem fu*****: Nem podendo, nem prendendo ou nem mordendo.
  • Fo**-se: Morda-se, poda-se ou exploda-se.
  • Buce**: Puxeta, borboleta, muceleta ou buchecha cabeluda.
  • Piro**: Pipoca, bitoca ou mandioca.
  • Vai tomar no c*: Vai tomate crû ou Vai tomar caju

Ver também[editar]