Canápolis (Minas Gerais)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Pão-de-queijo... hum... bão dimais...
Minas
Uai sô, ocê num intendeu?
Esse artigo é de humor mineiro uai! E foi feito por arguém que tava comeno um queijim... Pra entender, só comeno um pãozim de queijim com um copo de leitche! Ooooô trem baum de mais da conta, sô!


Um exemplo de arquitetura modernística presente em Canápolis, que intriga até mesmo os mais renomados arquitetos, como Oscar Niemeyer.

Canápolis é mais uma daquelas cidadezinhas localizadas no interiorzão de Minas Gerais, mais precisamente na roça conhecida como Triângulo Mineiro, que serve apenas como esconderijo para bandidos que estão fugindo das grandes metrópoles e querem morar em um lugar onde a polícia não consiga achá-los nem fodendo. Dizem as fofoqueiras locais que a cidade serviu como esconderijo até mesmo para o Osama bin Laden, porém, este acabou fugindo, pois percebeu que na cidade não poderia formar um harém digno, visto que em Canápolis só existem mulheres que mais se parecem com canhões de Dom Pedro do que com mulheres propriamente ditas.

Cidade[editar]

A paisagem mais comum em Canápolis.

A cidade de Canápolis é tão minúscula que nem mesmo o poderoso Google Maps consegue dizer com exatidão qual é a sua localização. A única coisa que podemos dizer é que a cidade (ou vilarejo, se preferir) fica localizada bem na fronteira de Minas Gerais com Goiás. Ou seja, se você estiver andando de carro na cidade e passar da primeira marcha, acabará saindo de Canápolis, e chegará no estado goiano.

A geografia local é a mesma que predomina em 99% dos outros municípios interioranos brasileiros, em que a grande maioria da população possui menos de dois dentes na boca: A vegetação nativa é puramente composta por matagais, que os criminosos locais usam para seguir os conselhos de Paulo Maluf, e estuprar sem matar. Porém, do jeito que as mulheres são feias, os estupradores acabam não resistindo, e muitas vezes acabam apenas matando com um tiro na testa, sem nem terem encostado nas vítimas.

Em seus mais de 50 ânus de existência, Canápolis nunca conseguiu recepcionar sequer um turista, o que é bem compreensível, pois na cidade não se tem nada para ver. A única coisa existente na cidade que é de interesse nacional são os queijos (produto este que movimenta a economia local), porém, estes queijos podem ser encontrados em todas as outras cidades de Minas Gerais, até mesmo nas cidades vizinhas, que não são tão isoladas do resto da civilização.

Entretenimento[editar]

Inexistente Muita gente pensa que, por ser apenas uma aldeia indígena isolada, Canápolis não possui nada de interessante o que não deixa de ser verdade. Para se entreterem, e fazer com que o tempo passe mais rápido, os moradores de Canápolis costumam fazer apostas nas acirradíssimas corridas de feno, que ocorrem todos os dias na avenida principal da cidade.

Ver também[editar]