Capelobo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Rambo.jpg Bem-vindo à selva!

Este artigo é sobre algo ou alguém localizado no meio do mato e vai te levar para o Lado Verde Escuro da Força. Se vandalizares, Rambo vai descarregar a metralhadora no meio da tua fuça!

Cquote1.png Você quis dizer: Homem-tamanduá? Cquote2.png
Google sobre Capelobo

Cquote1.png Experimente também: Lobisomem Cquote2.png
Sugestão do Google para Capelobo
Cquote1.png Experimente também: Zumbi Cquote2.png
Sugestão do Google para Capelobo
Cquote1.png Cérebrooooo! Cquote2.png
Zumbi Capelobo sobre o que ele mais gosta de comer

Apresentação[editar]

Misturar culturas nem sempre é uma boa ideia, ainda mais em se tratando de lendas de nosso rincão brasileiro, pois isso sempre dá em merda em algo mais do que impossível. O Capelobo é uma dessas misturas, estando presente tanto na Região Norte (principalmente pelas bandas do Pará) quanto na Região Nordeste (que é mais conhecido pelos habitantes da Sarneylândia do Maranhão), já dá pra perceber que coisa boa é que não poderia surgir dessa suruba regional. O Capelobo tem a forma de um homem + tamanduá + cachorro + lobo + pés em forma de garrafa (WTF?³), ou seja, tem mais misturas em seu corpo do que um ornitorrinco e toda a sua evolução, sem falar que, muitas das vezes, ele pode se encontrar em sua forma animalesca, ou em sua antropormorfa (em forma de homem, caso você não saiba o que é isso), fica a critério dele. Como surgiu e para onde vai ninguém sabe (como a maioria das lendas), mas que existe, existe muitos já ouviram falar dele, ou já o viram, ah, isso sim (ou não).

A Lenda[editar]

A autópsia de um Capelobo

Parente não tão distante do Lobisomem (acredito até que sejam primos), o Capelobo vive nas matas entre o Norte e o Nordeste brasileiro (pelo visto, curte um local quentinho). Como toda boa piada lenda de índio, sempre tem que ter algo de fantasioso em sua vida e sem nenhuma origem lógica na trama, sendo que o Capelobo não tem um nascimento ao certo, o que se sabe é que, de repente, qualquer um pode virar a tal criatura, que tem um apetite insaciável por filhotes de animais, principalmente os recém-nascidos (por terem o sangue mais fresquinho e puro de coração). Mas é claro que se ele somente ameaçasse os animais nenhum humano se importaria, da mesma forma que pouco nos importamos em derrubar árvores para fazer lápis de cor aquarelável, mas ele também ameaça a nossa existência.

Capelobo em sua forma animal, sendo representado em figuras de ação barro

Assim que ver um ser humano vagando sozinho por uma floresta, o Capelobo não pensa duas vezes e se atraca ao indivíduo (ui!), ficando por trás e prendendo os nossos braços com as suas garras fortes e poderosas, fazendo a sua presa sentir o seu pelo roçando na nuca (masoquistas adorariam isso). Porém, ele não faz isso com a melhor das intenções em dar prazer a alguém, muito pelo contrário, ele ataca dessa forma pois fica mais perto da sua fonte de alimentação preferida. Sim, tal qual um zumbi, o Capelobo se amarra em um cérebro e a melhor forma de fazer isso é praticando a Trepanação. Primeiro ele se agarra a sua vítima e depois, com o seu focinho em forma "tamandualística" perfura o crânio com uma única pancada, sugando tudo o que tem lá dentro (se é que tenha algo lá dentro, tem vezes que o cara é tão burro que o cérebro até atrofia), depois de sugar o que tinha, vai embora de barriga cheia. Sem falar que, na falta de uma mente com cérebro, ele não poupa em dar umas bebidas no sangue da vítima, da forma mais vampirística possível.

Capelobo também tem os seus modos de assustar, basta que ele solte um de seus berros, que lembra muito o de uma mulher na TPM, aí é mais quem deve correr pra caralho, pois se ele descobre que tem alguém por perto, ele rapidamente revida e poucos são os que sobrevivem aos seus foderosos ataques. Tal grito também é um desnorteador de caminhos (tal qual o pio do Curupira), pois ele se propaga em todas as direções (sim, o Capelobo manja de Física), sendo que, pessoas que escultam esse som, ninguém sabe de onde vem e acaba enlouquecendo e ficando perdida para sempre na mata. Além disso (como se não fosse pouco), deixa pegadas em forma de fundo de garrafa no chão, coisa bem diferente de qualquer pegada de animal, tudo estratégia pois, como garrafas são redondas, nunca se sabe se ele está indo ou está vindo (bem diferente do Curupira, que só tem os pés ao contrário, nada demais).

Capelobo feito em gráficos de última geração

A única forma de matar um Capelobo (sim, matar, ou você achava que a criatura era imortal?), também conhecido como Lobisomem dos índios, é com um tiro bem na região do umbigo (bem, eu pensava que tal criatura não nascesse assim, mas se ele tem umbigo com certeza foi da sua transformação de humano para Capelobo), isso significa que estaca de madeira e crucifixo, peneiras, ou fogo não vão funcionar, talvez bala de prata até que dê um jeito no monstro, mas como fala-se que é somente um tiro o necessário, não precisa se gastar tanto dinheiro em uma bala de prata. Nisso tudo eu só imagino como é que índios, que no máximo o que tem é uma faca, vão matar um bicho desses que só morre com tiro? Bom, lendas são lendas!

Outra forma também muito útil de matá-lo é de fome, ou enganando-o de alguma forma, isso é bem mais simples, basta que você ande com uma Loira por perto, ou com alguém que tenha tão pouco cérebro também (como a Tua mãe). Quando o Capelobo atacar, basta que você jogue pra ele a loira, assim, quando ele vê que não tem nada alí para se comer vai ficar muito triste, além de chorar pra caramba e, por fim, passar fome, a não ser que ele, aproveitando a carcaça da loira, faça algo melhor com o corpo, como por exemplo, beber o sangue dela (já tava pensando sacanagem, né?).

Ver também[editar]