Carélia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Finland-Flag.jpg

SUOMEN SIVU! Estte ärttigö é suomolainen!

Ele joga hökkei, frekkuentta saunas, chuppa salmiakki, usa o mesmo jino dos esttönjanos, louva Heävy Mettal e dettestta huusos! Näo vandaliize, ou te faremos se suycidäär!


Caralha Carélia (em russo, Kapeля), conhecida como Região dos Lagos da Rússia, eufemismo para Região dos Pântanos Fedorentos e Frios Russos.

História[editar]

Um habitante de Carélia.

Habitada por pescadores e povos antihigiênicos durante toda a história, Carélia é o maior pântano do mundo. Bárbaros antigos do tipo mais nojento, arrotão, glutão e peidorreiro formaram a linhagem que veio a habitar as terras.

A Carélia porém detém traços finlandeses, por isso é uma região silenciosa, sinistra e com pescadores depressivos.

O grande acontecimento histórico para Carélia se deu quando um poeta de nome difícil finlandês (Elias LöąĦÐæåŷŵ) compôs um poema gigante de 789 páginas chamado Kalevala, e na página 234, parágrafo 5, linha 23 há a citação Arcanjo de Carélia (algo que o poeta teve que forçar para rimar com Orfélia). Realmente tedioso.

Todos na região são imunes a qualquer tipo de doença, pois sua carga genética carrega a cura para qualquer coisa. O governo russo atualmente produz vacinas a base de sangue de carelianos.

Etnia[editar]

Os habitantes da Carélia são seres modificados com o tempo, acostumados e adaptados a viver em pântanos, causam inveja ao mais tradicional pântano matogrossense.

Lar do Shrek, o povo de Carélia possui coloração de pele esverdeada, membramas entre os dedos, não possuem olfato, conseguem esticar sua língua pegajosa a mais de dois metros, respiram embaixo da água, protagonizam filmes de terror, comem com as mãos, peidam em público e sua língua é incompreendível. Ah, e antes que eu me esqueça, OTarja Turunen é de lá. É. Tenebroso.

Geografia[editar]

Uma habitante de Carélia

Localizada na fronteira com a Finlândia, em Carélia acontece o fenômeno peculiar da não-precipitação das neves apesar das temperaturas abaixo de zero.

A neve de tudo quanto é região vizinha derrete e se acumula em Carélia que se torna um pântano gelado. Não há terra firme em Carélia, apenas lama, argila e água suja.

A região é composta por mais de 60.000 lagos, charcos e poças de diversos tamanhos, cores e tipos de animais sinistros. Os lagos Ladoga e Onega são os mais importantes e vastos. Abrigam em suas águas larvas de mosquitos da dengue/febre amarela, serpentes gigantes, crocodilos gigantes, monstros do pântano, matogrossenses, bestas, orcs, criaturas fantásticas e muita monotonisse.

A ilha de Kizhi no Lago Onega e suas construções 100% em madeira são uma grande atração da Carélia.