Carlos Alberto Sardenberg

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Carlos Alberto Sardenberg era um péssimo aluno de matemática que foi reprovado em um concurso para cobrador de ônibus que resolveu ser economista. Como não conseguia emprego em instituição financeira alguma e muito menos virar ministro ou presidente do Banco Central, resolveu virar jornalista da Globo.

Sardenberg um dia após demonstrar otimismo e recomendar investimentos na bolsa

O jornalista[editar]

Como todo profissional competente, Sardenberg resolveu dar seus pitacos na televisão, assim como Joelmir Beting, Arnaldo Jabor, Padre Quevedo, Luciano Burti e Walter Mercado. Atualmente, Carlos Alberto Sardenberg dá os seus pitacos óbvios no Jornal da Globo, diante dos extasiados (e tapados) William Vaca e Cristiane Pelada, além de ser constantemente elogiado por profissionais competentes como Galvão Bueno e Ana Maria Braga. Sardenberg se especializou em falar mal de funcionários públicos. 8 em cada 10 palavras que vocifera servem para insistir, quase que diariamente, que os ditos funcionários são uns privilegiados marajás (incrivelmente, num ataque de amnésia, sempre se esquece de incluir os banqueiros, os velhinhos de washington, a BOVESPA e todos os seus comparsas, além, é claro, a fabulosa REDE GLOBO, todos vivendo nababescamente com dinheiro público e enconstados no nosso BNDES). Álias, se especializou, ainda, em andar na corda bamba, pois serve apenas de caixa de ressõnância para a família MARINHO. A hora que a caixinha falhar, perde o emprego, e, aí, tá ferrado: vai ter que fazer um concurso público.

O escritor[editar]

Assim como Adriane Galisteu, Bernardinho, Bruna Surfistinha e outras sumidades intelectuais do Brasil, Sardenberg é autor de vários livros.

Um deles, é uma espécie de autoajuda econômica, "Quando o assunto é dinheiro", o terror "Aventura e agonia nos Bastidores do Plano Cruzado" e claro, um livro sobre vinhos, assunto do qual ele (também) não entende nada, mas acha chique.

Ana Maria Braga disse que o livro do Sardenberg foi de muita valia para ela, pois conseguiu fazer um belo pudim de Chuchu seguindo os conselhos econômicos do jornalista-economista.

O economista[editar]

Sardenberg trabalhou também como assessor do ex-governador do estado de São Paulo, Franco Montoro, na época da economia de escambo; como respondedor de perguntas cretinas dos repórteres no Ministério do Planejamento e foi caixa do Mappin.

Como todo economista-jornalista, Sardenberg é especialista em soltar obviedades como "se os preços subirem, existe inflação", "se não há dinheiro na praça, há recessão" e outras pérolas daquelas que a gente só vê em telejornais.

O telejornal[editar]

O Jornal da Globo é aquele que passa depois do futebol ou do Casseta e Planeta, Grande Família ou seja, em um horário que a maioria das pessoas já está dormindo, exceto os pseudo-intelectuais fãs do Jô Soares.

Apresentado por William Vaaka e Cristiane Pelada, com o Arnaldo Jabor fazendo gracinhas cheias de frases de efeito para impressionar os analfabetos funcionais que assistem ao programa do Jô, conta com Sardenberg dando pitacos de economia depois que todo mundo dos mercados e das finanças no Brasil já está dormindo.


{{#logotipo:http://images.uncyc.org/pt/e/e1/Desciclo_e_voc%C3%AA_%28menor%29_copy.png}}

Latino.png Este artigo trata de uma personalidade mortalmente,
putaqueparivelmente e filhadaputamente odiada!
Provavelmente ele(a) é um(a) idiota que só faz merda!

Conheça outros filhos da puta clicando aqui.