Carlos Latuff

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Palestinians hail.jpg All heil the glorious Palestinian Master State!

Este artigo é um árabe fake e, até por isso, quer destruir o território dos outros. Ele pode seguir
o Twitter do Ahmadinejad, Latuff, Al Gore ou do David Duke.
Venha logo buscar as 72 virgens, ou então explodiremos sua casa. =)

ALLAH BLESS HITLER!!!

Hammer and sickle.png Este artigo foi aprovado pelo Conselho de Proteção à Moral da Família Soviética como sendo livre de conteúdo subversivo.
O Cortador de Sisal: Latuff, do Brasil para o Mundo.

Carlos Latuff (Cidade do Pan, 2 de Onzembro de mil novecentos e trezentos) é um semi-cartunista brasileiro. Mesmo tendo iniciado sua carreira como servidor de café ilustrador numa pequena empresa de publicidade, devido as dificuldades da vida, e sem conseguir coisa alguma, virou cartunista mesmo. Foi descoberto num concurso de desenho e rabisco para crianças especiais. Seu desenho foi escolhido o melhor entre todos os 3 participantes. Carlinhos ficou famoso no mundo todo, principalmente depois de ter ganho um concurso promovido pela Casa da Bomba do Irã, onde, em resposta a uma charge alemã feita mostrando um homem-bomba, cuja bomba falhou, a Casa da Bomba premiaria quem fizesse a melhor charge satirizando o Holocausto. E Carlos ganhou, após apresentar sua charge em que retrata GAZA e Campos de concentração na palestina feitos por sionistas.

Charge de um sionista retratando Latuff

Cquote1.png Todo mundo que falar mal de sionistas será tachado de anti-semita e Nazista para toda a imprensa e ser boicotado por todas as empresas pertencentes aos nossos amigos do nosso clubinho racista sionista internacional Cquote2.png
Sionista Racista Censurador
Cquote1.png E quem falar mal de árabes? Cquote2.png
Assalariado Editor chefe da Editora de propriedade do Sionista Racista Censurador
Cquote1.png Deve ganhar espaço nos nossos meios de comunicação e patrocínio dos nossos amigos do clubinho Cquote2.png
Sionista Racista Censurador
Cquote1.png Ok chefinho, faço tudo para manter o meu emprego Cquote2.png
Assalariado Editor chefe da Editora de propriedade do Sionista Racista Censurador

Em O Cortador de Sisal (Fig 1.1/2) Latuff colocou todo seu sentimentalismo e impressionismo, tentando desmascarar a dura realidade nacional, em que milhões de crianças eram tragadas pela bilionária indústria de tapetes de sisal. Após sua obra O Cortador de Sisal, Latuff sofreu uma parada cardíaca na mão esquerda (a que ele desenha) por isso parou suas atividades. Algum tempo depois bateu o trator numa árvore, em alta velocidade, e acabou perdendo as duas pernas. Hoje frequenta o Instituto Joseph Climber.

Latuff tem uma séria tara em fardinhas, segundo o IBGE de cada 10 rabiscos 8 são sobre alguma personalidade representada fardada e 11 sobre alguma analogia nazista, oque mostra seu profundo preparo retórico e argumentativo sobre os mais variados assuntos. Em 2010 ele recebeu o prêmio "mãe dinháda" por seus rabiscos psicografando o futuro, onde conseguiu acertar todas as previsões, fazendo campanha para Dilma (não foi o Lula que trouxe a Copa para o Brasil heim!). É doutor em economia, direito internacional, história, geografia e stalinismo desde os 18 anos de idade. Na verdade ele é tão inteligente que ninguém entende muito bem por que ele é só cartunista, e não professor de curso universitário. Seus traços são comparados aos de aleijadinho (no caso de Latuff, aleijamento mental).

Ver também[editar]