Carmo do Paranaíba

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Carmo do Paranaíba, também conhecida como Onde o Judas perdeu as Butinas e Carmo de Perna-pra-Riba, é uma raríssima cidade interiorana de Minas Gerais que possui mais do que 10.000 habitantes vivos, descontando-se os porcos, galinhas, vacas e outros animais, que a população considera como sendo da família. Mesmo tendo essa população considerável, Carmo do Paranaíba não deixa de ser mais uma cidade roceira, em que a população adora plantar maconha para subsistência e cheirar alguns gatinhos após a pescaria de domingo.

Cidade[editar]

A moderna e complexa infra-estrutura de Carmo do Paranaíba: Esta arquitetura milenar é desenvolvida desde os primórdios.

Diferentemente do que aconteceu em todas as outras cidades mineiras, durante a "corrida do ouro brasileira", que aconteceu na Idade da Pedra Lascada, os garimpeiros gananciosos não sentaram a picareta em todos os recursos naturais de Carmo do Paranaíba, deixando para trás apenas um terreno esquecido, sem recursos, e sem chances de desenvolvimento humano. Na verdade, os garimpeiros usaram o terreno de Carmo do Paranaíba para erguer os seus barracos, construindo uma imensa favela, para morarem enquanto iam para as cidades vizinhas coletar todo o ouro que pudessem carregar. Por conta disso, a cidade de Carmo do Paranaíba conseguiu se desenvolver normalmente, enquanto que as cidades vizinhas, como por exemplo Canápolis, nunca conseguiram ser algo melhor do que um grande e pobre terreno baldio, que todo mundo passa longe por causa dos imensos matagais, que vivem infestados de estupradores e maconheiros du caraio.

Por outro lado, apesar de Carmo do Paranaíba ter conseguido se desenvolver normalmente, não podemos dizer que isso foi bom, afinal, toda a população que mora na cidade se dedicou apenas em levantar mais e mais barracos, expandindo infinitamente a favela, que hoje já ocupa quase todo o território da cidade. Ou seja, Carmo do Paranaíba acabou se transformando em uma das principais bocas de fumo do Triângulo Mineiro, em que até mesmo os moradores de Belo Horizonte gostam de ir para puxar um baseado du bão...

Como já foi dito, por conta do desenvolvimento da cidade, em Carmo do Paranaíba não existem tantos matagais quanto nas cidades vizinhas. Podemos dizer que 905 do território é urbano, sendo que destes, 89% é ocupado pelos barracos dos moradores, e 1% é composto pelas vielas, que os moradores traficantes de Carmo do Paranaíba usam para "fazer com que os devedores acordem com a boca cheia de formigas". Os outros 10% é composto pelas grandes estradas, que estão sempre movimentadas, por conta da grande quantidade de turistas que visitam a cidade, em busca de um lugar para puxar um fuminho sossegadamente.

Esportes[editar]

Uma das mais tradicionais equipes de futebol de Carmo do Paranaíba demonstrando toda a sua técnica.

Como é uma cidade de tamanho considerável, em Carmo do Paranaíba surgiram diversas equipes de futebol (ou algo que deveria ser futebol) que representam a cidade em diversos eventos nacionais e internacionais (mesmo que fazendo isso malmente). Apesar de terem surgido mais de 8000 equipes na cidade, iremos citar apenas as três principais, que são as mais famosas e as que possuem um pouco menos de caneleiros em seus elencos.

  • Paranaíba Futebol Clube: Uma das principais equipes da cidade, que, certa vez, conseguiu o feito de vencer uma partida amistosa contra o também poderoso e tradicional Íbis Sport Club, este que é considerado um dos times mais vorazes e perigosos de todo o Brasil. Como é a equipe local mais forte (ou menos fraca), o Paranaíba Futebol Clube recebe o patrocínio de uma multinacional riquíssima, que é conhecida como Bar do Zé Inc., que paga, aproximadamente, 5 reais por mês para o clube colocar o nome da empresa em seus uniformes.
  • Bela Vista Esporte Clube: Uma equipe também poderosa, que conta com diversos jogadores de nome em seu elenco, que já foram até mesmo pretendidos por grandes clubes, como o Asa de Arapiraca e o Agex/Iguaçu Futebol Clube. Os principais jogadores são o meia Zé da Roça e o zagueiro Tião do Caminhão.
  • Independentes Esporte Clube: Outro clube de muita tradição, mas que de independente não tem nada, pois o seu presidente é um político estadual, adepto do coronelismo. A equipe está sempre disputando grandes clássicos contra equipes poderosas, em especial as de Goiás, que é o estado rival. No último grande clássico, disputado contra o Atlético Goianiense, o Independentes Esporte Clube jogou bem, mas teve um pouco de azar e acabou perdendo de 24 X 0.

Esportes Populares[editar]

  • 500m com obstáculo: Esse é um dos esportes mais comuns da galera da cannabis, que tem que se mandar pro mato quando a polícia estoura a boca de fumo.
  • Capoeira da Peixeira: Esse era um dos esportes mais populares nos butecos da cidade, quando o costume era matar um cedo e deixar outro amarrado para a tarde.