Castanha-do-pará

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Bambu.jpg 'Castanha-do-pará faz parte do Incrível Mundo Vegetal Folhoso'
Este vegetal foi certificado pelo Greenpeace como um artigo livre de agrotóxicos, transgênicos e outras pragas nocivas.


Castanha-do-pará
Castanha-do-pará pelada
Castanha-do-pará pelada
Classificação científica
Reino: Vegetal
Filo: Angiosperma
Classe: Monocotiledônia
Ordem: Zelite
Família: Caju & Castanha
Gênero: Bissexual
Habitantes: Amazônia
Ris. extinção: Bem difícil
Int. Econômico: Nem vende tanto assim
Int. Culinário: Engordar
Calypsus castanhas paraenses
Distribuição geográfica
Em azul no mapa, os lugares onde a castanha-do-pará não pode ser encontrada (ou não).
Em azul no mapa, os lugares onde a castanha-do-pará não pode ser encontrada (ou não).
Nome popular
Castanhas-paraenses


Cquote1.pngVocê quis dizer: Semente dura pra porra?Cquote2.png
Google sobre Castanha-do-pará
Cquote1.pngExperimente também: Bambu Cquote2.png
Sugestão do Google para Castanha-do-pará
Cquote1.png Como eu quebro isso? Cquote2.png
Você sobre Castanha-do-pará.
Cquote1.png Quebra na dobradiça da porta! Cquote2.png
Qualquer um sobre como quebrar uma Castanha-do-pará.
Cquote1.png Castanha? Cquote2.png
Morador do Pará sobre Sobre Castanha-do-pará.
Cquote1.png Putz! Quebrei a dobradiça! Cquote2.png
Você ao fazer o que todo mundo diz.
Cquote1.png Seu filho da puta! Cquote2.png
Tua mãe ao ver que você quebrou a quina da porta.

Banda Calypso aprova esse artigo! E aí deles se não aprovassem Reparem que a verdadeira bandeira do Pará apresenta o fruto em questão.

Castanha-do-pará (banda calipsus fruticulos) é uma semente da mesma família do Caju & Castanha, geralmente encontrada em florestas de mata fechada e de difícil penetrabilidade (ui!), principalmente próximas à Linha do Equador, como é o caso da Mata Atlântica Amazônia. Antes chamada de Castanha-do-pará, ela agora também acata o nome de Castanha-do-brasil (que é a mais "correta"), por ter sido privatizada pelo Governo Federal, com o apoio do presidente Lula, somente para dizer que nada é somente de um estado qualquer, mas sim do País inteiro, mostrando que a ditadura ainda não foi embora como nós pensamos e os estados não tem tanta autonomia assim.

A semente é retirada de um fruto de cor amarronzado, que chega a beirar ao preto afro-descendente e que cai de uma (óbvio) castanheira. Tal fruto é comumente chamado de Sonic ouriço, sendo que o mesmo tem alto poder de provocar uma disenteria em seres humanos, caso seja consumido em excesso (como toda e qualquer comida gordurosa). Somente a sua semente deve ser consumida, não o fruto, mesmo sendo ela altamente calórica, nada demais, pode comer a vontade, ou não (sim, é isso mesmo, não se come o fruto, se come a semente do fruto). A Castanha-do-pará também é muito utilizada como supositório por nativos da Floresta amazônica e de regiões locais (e até internacionais) aonde a semente é encontrada, por meio de medicina natural, ou por coisas do tipo.

Tabela de conteúdo

[editar] A Reprodução

A Castanheira-do-pará. Imagine o trabalho para pegar uma fruta direto do pé (mas tem gente que sobrevive disso).

Por mais que não apareça em nenhuma foto e seja tão rara de se ver de perto quanto o aparecimento do Mico Azul em um dia de chuva de um centro urbano, a castanheira possui flores no topo de sua copa (copa aqui no sentido do alto de uma árvore, e não de Copa do Mundo seu burro), sendo que esta copa possui mais de oito mil metros de altura, sendo basicamente impossível a qualquer um verificar de perto a sua sacanagem reprodução.

Os frutos da castanheira-do-pará, todos abetos e unidos, para começar o bacanal.

Mas como todo bom botanófilo cientista, que não sossega até descobri como se faz as coisas como se tivesse uma pulga no rabo atrás da orelha, o que não falta são suposições de como essa fecundação ocorre. A principal ideia que se tem é a da polinização da florzinha, através de uma abelhinha, que vem chupar o melzinho e acaba fecundando a pobre plantinha, que está parada na copinha, sem nenhuma defesa apropriadinha e acaba recebendo o esperma do machinho, sendo que a abelha nem sequer usar uma camisinha ou pergunta se a flor fêmea está afim de um companheiro ter um filho.

Outra ideia que se propaga e que tem mais ilógica mesmo, é a da suruba dos frutos, em que um fruto se deixa comer por outro e assim surge uma nova plantinha, como se fosse mágica (THANRAN!). O fato que ninguém consegue notar é que isso não acontece na planta, mas sim quando o fruto cai da árvore na cabeça de alguém e vai se acumulando em um cantinho. Esse acúmulo, ou seja o contato, é que vai fazendo com que a suruba frutal ocorra, claro que de uma forma silenciosa e sem fazer muito estardalhaço, igualmente a um mineiro, comendo quieto. Depois de um tempo, uma nova árvore cresce nesse bendito local. Já que ninguém viu uma abelha fecundando uma flor de castanheira, mas vê um monte de frutos da castanha acumulados no chão, então se pode concluir isso como um verdadeiro FATO!

[editar] Características físicas

Cquote1.png Hum... parece delicioso! Cquote2.png
Você, antes de conhecer (e comer) essa porcaria.

Antes de você sair por aí saboreando uma belíssima e rara castanha-do-pará, quebrando a sua casca mais dura do que o adamantium das garras do Wolverine, sentindo um odor tão exuberante quanto um chumaço de papel velho, provando do seu exclusivo sabor de sabe-se lá o que (afinal, aquilo não tem gosto de nada), é bom conhecer um pouco sobre esse bendito alimento oleoso, mas muito importante para a nossa saúde (onde? sabe lá Deus!), não que isso seja realmente importante, que você deva realmente se preocupar se pode, ou não, comer, ou que você vá morrer se não souber nada sobre ela (comemos várias coisas de esquina e nunca perguntamos a sua origem, porque deveriamos saber sobre a da castanha-do-pará?), mas como isso é um site de desinformação (pelo menos é o que eu acredito), nada mais justo do que explicarmos para idiotas, como você, que só sabem mandar coisas pra dentro sem nem saber a procedência.

Isso tudo é não só para o seu bem, mas também (sim!) para que não saias por aí fazendo merda (principalmente se comeres muitas dessas castanhas de uma vez, afinal, tem um grande risco de ganhar uma baita dor de barriga depois disso), ou mesmo falar alguma bobagem e sujar o nome de nosso amado site, dizendo que aprendeu tudo por aqui. Então, vamos por partes:

[editar] O Fruto

O fruto da Castanheira-do-pará. Reparem no seu furo suspeito, perfeito para práticas ilegais contra a natureza (principalmente se você for um japonês).

Assim como todo bom fruto de uma árvore qualquer, quando está choco bom o suficiente para a colheita, despenca da copa do vegetal tal qual a maçã na cabeça de Newton, tudo isso graças a bendita força da gravidade, que faz tudo o que está em pé despencar bizarramente. O fruto da árvore não tem um nome apropriado, haja visto que o que realmente importa é o que está dentro dele (a semente, ou você achava que a castanha é um fruto mesmo?) e não o fruto em sí, pois ele não tem nenhum valor energético e nem comível é. Ele é semelhante a uma bola quadrada, mas só que redonda (WTF? Te decide então!), bem seca, esquisita e contém outros mais de oito mil adjetivos negativos e que não vale a pena citar nessa sessão (mas que bem que seriam úteis para dar uma expandida no artigo).

O perfume de Priprioca em uma embalagem feita da casca do fruto da Castanheira-do-pará. Como eu sei disso? Basta olhar para o buraco na embalagem, que não foi feito de forma artesanal não (Ou sim?).

A maioria, se não todas, tem um curioso furo no meio, dando uma aparência ainda mais estranha que o comum à fruta. O motivo desse furo foi descoberto recentemente por especialistas. O caso é que alguns nativos da região faziam um furo no fruto para a pratica de sexo vegetal, uma nova modalidade que vêm ganhando espaço no Norte e no Nordeste, devido a falta de mulheres, jumentos e outros animais do gênero. O seu uso é bastante comum em campos de futebol da região, como uma substituta da própria bola devido a falta de dinheiro para comprar a mesma (sabe como é localidade pobre, é tudo na improvisação). Geralmente nessas partidas pode ocorrer alguma fatalidade mas ninguém se importa muito, pois sempre tem-se em mente que a prática esportiva é demais importante e não deve ser interrompida em nenhum momento.

Outras pessoas, composta por nerds, biólogos, botânicos e botanófilos em geral (claro que são a minoria), acreditam que esses buracos no casco da fruta são feitos por animais do tipo roedores, haja visto que somente eles teriam paciência para penetrar (ui!) nessa casca dura para tirar a castanha, ou mesmo coletá-la e levar para a sua toca. Ainda esses mesmos caras afirmam que muitos desses animais plantam tais sementes, afim de proliferar ainda mais as castanheiras-do-pará por mata adentro. É claro que isso são ideias de quem realmente é praticante da milenar arte de cheirar gatinhos. Onde já se viu um animal plantando alguma coisa? Cada doido que aparece.

A maior utilização atualmente para o fruto da Castanha-do-pará é realizada pela Natura, uma fabricante de cosméticos da Zelite, que revendo aromas da natureza à preços de uma simples cueca da Calvin Klein (como se a natureza cobrasse algo dela para que a mesma repassasse a sua beleza adiante e dentro de vidros). Como a casca da fruta não serve para porra nenhuma, a Natura resolveu aproveitar-se dela para fazer a sua caixinha de presente do perfume de "Priprioca", que nada tem haver com a Castanha-do-pará (ou não), mas quem se importa? Se eles estão vendendo é isso que realmente eles querem. Um perfume desses custa na faixa de uns cem reais em barras de ouro, que valem mais do que dinheiro ou mais, e você ainda compra isso, mesmo tendo de graça na natureza.

[editar] Semente

A semente e a sua semelhança com um órgão genital

Depois de esperar quase uma eternidade para que um pezinho de castanheira-do-pará dê frutos (isso se você resolver plantar uma e viver até lá para vê-la frutificar), pouco nos interessa a bendita coisinha que é gerado em sua copa (ou na suruba entre frutos caídos), ou seja, o que tem-se na mente como o fruto. O que realmente importa é o que está dentro dela, ou seja, a sua "castanha" (que nem castanha é, na verdade, mas sim a semente), mesmo sabendo que o que está dentro da castanha é a única coisa comível de toda a planta (ou não, caso você seja um botanófilo).

Para se chegar à ela, necessita-se de uma enorme força bruta, que somente Hércules poderia ter, ou mesmo a Mônica, moradora do Bairro do Limoeiro, mas como eles são personagens que non eczistem, sobra para um pobre coitado qualquer que resolver colher a bagaça e sobreviver de sua "castanha".

Como qualquer outro cocô coco, o fruto deve ser estrategicamente quebrado, através de um corte em sua área menos concreta, mas como isso ficaria difícil de saber para um simples noob como você, algumas dicas de como quebrá-lo podem ser vistas abaixo:

  • Utilizar-se de um terçado (mas sem ponta, para que não se mechuques);
  • Utilizar-se de um martelo (mas bata com força);
  • Utilizar-se da força bruta (mas sem bomba, para que não fiques broxa);
  • Utilizar-se da cabeça (mas sem capacete, para que morras logo);
  • Utilizar-se de uma montanha (caso você esteja em uma área de planalto);
  • Utilizar-de de outro fruto (caso queira bancar o australopitecos);
  • Utilizar-de de uma tesoura (mas sem ponta também, pelo mesmo motivo do terçado).
Uma marretinha dessas seria muito útil para quebrar castanhas. Caso encontre alguma, não exite em usá-la.

Se porra nenhuma adiantar para quebrar o fruto, vai ser burro assim lá na puta que pariu e vá comer outra coisa. Mas, caso consigas logo de primeira, parabéns, pelo visto o mundo ainda não está perdido e você, finalmente, pode apreciar a semente da coisinha.

A semente tem a forma peculiar de uma vagina morena, sendo a da castanheira desidratada, bem áspera e dura para abrir (nada comparado a de uma morena de verdade - ou sim?). Por ser formada por uma casca única e praticamente inquebrável, esse é um dos motivos para se dizer que a castanha não é uma castanha e sim uma simples semente mal feita pelo Criador. Para chegar-se à castanha comível é necessário alguma coisa forte o suficiente para pulverizá-la.

Geralmente as pessoas desistem de comer a castanha por causa da dureza da semente que a cobre, alguns Sem-terras aproveitam essa durabilidade da semente e utilizam a mesma como munição para invadir territórios locais e ameaçar alguns nativos, mas isso são outros 300 500, um caso raro e particular que não precisa ser dada muita atenção, afinal são tudo pobre mesmo, que morram não irá contribuir em nada para esse artigo e sua grande importância na sociedade.

Obs: Retirando uma pequena circunferência da semente quebrada (se você conseguir quebrá-la, claro) e jogando-a guela abaixo, na sua sogra pode ocorrer resultados muito satisfatórios e totalmente importantes para o bem humanitário, além de curar problemas como ronquidão e asma, o que provavelmente ela deve ter por causa do excesso de cigarro.

[editar] A parte comestível

Um exemplo prático de como quebrar a sua castanha-do-pará (mesmo que o nosso modelo esteja usando uma noz, mas relevemos esse detalhe).

Depois de trepar na árvore, apanhar o fruto (caso você queira um colhido diretamente do pé, por não achar o chão realmente limpo para comê-lo dalí), achar um jeito quebrá-lo e pegar a sua castanha, basta agora o último passo para saboreá-lo com gosto, quebrar a casca da semente (Putz! Mais uma casca?). Sim, mais uma coisinha dura, mas todo essa trabalho valerá a pena no final, pois você desfrutará de algo que somente algumas pessoas do mundo podem desfrutar (se bem que, se você for da Reginão Norte, isso nem é mais novidade).

Assim como o fruto da castanheira, a semente também possui um revestimento protetor, uma casca, sendo esta ainda mais resistente do que a do fruto para o azar de quem irá comer. Para quebrar essa parte você não deve se utilizar dos mesmos instrumentos acima citados, haja visto que a dimensão da castanha não permite coisas absurdas, como cortá-la com um terçado (se bem que tem pessoas dessas regiões que conseguem fazer isso com maestria mesmo que um dedo vá junto com a castanha na hora do corte e total habilidade de um exímio castanheiro.

Observe algumas dicas para quebrar a sua Castanhinha-do-pará de uma forma segura, limpa e preservando o meio ambiente mais prática:

  • Quebra-a utilizando a porta da sua casa, colocando a castanha próxima à dobradiça e fechando-a com cuidado (afinal, o objetivo é quebrar a casca e não fazer uma farofa de castanha ou danificar a porta);
  • Quebre-a com um pequeno martelo, nesse caso pode ser aquele que o ninguém mais usa e que está enferrujado, ou mesmo um martelinho de comer caranguejo à TOC-TOC;
  • Quebre-a utilizando um quebra-nozes, mesmo sabendo que isso se trata de uma castanha semente. Se bem que eu nunca ví um quebra-nozes, além de achar isso muito gay!
  • Quebre-a tacando-a na parede mais próxima (mas com força, homem, nada de frescura), se isso não adiantar pelo menos você já tem um buraco na parede para brechar alguém tomando banho, caso faça o buraco no lugar certo;
  • Quebre-a jogando a sua mãe em cima dela. Caso isso não funcione e sua mãe continuar jogada no chão, em cima da castanha, jogue o seu pai em cima dela, se isso não quebrar a castanha, pelo menos mais um novo irmão pentelho você terá.
Expressão de um indivíduo na hora de defecar um pedaço mal mastigado de Castanha-do-pará.

Depois de muito trabalho para abrir a maldita semente (acredita-se que uma dessas dicas vai funcionar no final - pelo menos assim eu espero), finalmente chega-se à parte comível da castanha, ou a que deveria ser no mínimo. Ela tem cor de nada com coisa alguma, branca e brilhante, é bem oleosa e tem um cheiro característico de uma Castanha-do-pará (O RLY?). O gosto é esquisito, travoso e de difícil digestão, é recomendável que mastigue bem a castanha no processo alimentício, pois a sua dureza pode provocar alguns ferimentos no seu toba na hora de defecar alguma coisa mal mastigada, mas são a maioria raras exceções. Caso isso aconteça, é recomendável utilizar um pano umedecido, embebido com gasolina, para passar na região do seu olho retal após o processo.

Se você adorar o sabor da castanha (o que raramente acontece, a não ser que você esteja esfomeado), com certeza tentará fazer um bendito suco da fruta, principalmente se você for daqueles "ecologicamente corretos". Porém algumas coisas você precisa saber antes disso. Não dá pra fazer suco com a semente da Castanha-do-pará a não ser que você tenha um Juicer Philips Walita, caso você faça a durabilidade do seu Juicer Philips Walita alcançar o patamar de criar um suco de castanha, das duas uma: Ou a sua castanha estava estragada (pois geralmente ela fica mais mole do que o normal quando está podre), ou a qualidade do seu eletrodoméstico vai para o espaço literalmente (pois nunca um Juicer Philips Walite conseguiria sequer raspar uma lasca da castanha).

[editar] Desmistificando a sementinha

DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...A Castanha-do-pará não é uma castanha e sim uma semente?

Muitas pessoas possuem ideias erradas sobre esse bendito alimento (isso quando ainda conhecem que ela existe), achando muitas coisas que não tem porra nenhuma a ver com a sua realidade ou que realmente sejam um pouco próximas da verdade, que acaba sendo desmascarada por pessoas de um QI apropriado para esses temas (algo que VOCÊ provavelmente não tem).

Célebres conhecedores do Reino Plantae, como Pedo Bear Bear Grylls, Richard Rasmussen, Sérgio Rangel e Dainidankai, além de outros nerds e botanófilos em geral, sabem as reais verdades por trás de um monte de baboseiras que inventam no nosso dia-a-dia. Vejamos algumas dessas bobagens que foram (finalmente) desmascaradas:

A bobagem A verdade
A Castanha-do-pará é uma Castanha Apesar de se chamar "castanha", nem castanha a coisinha é. Sim, isso mesmo, desde muito tempo você vem sendo excitado instigado a falar errado, passando a maior vergonha perto de botânicos, biólogos e outros profissionais que trabalham no meio do mato (se bem que ninguém se importa com isso mesmo, já que são poucos os quem realmente se incomodam com o que esses caras falam). Isso se deve ao fato da "castanha" ser, na verdade, uma semente (O RLY?), já que a castanha (a verdadeira), propriamente dita, não possui uma casca única, como é o caso da "do-pará", mas sim uma casca que se parte ao meio, tal qual a uma bunda, tendo duas metades (bom, acho que com esse exemplo deu pra ficar bem mais fácil de ser visualizar a ação, não?). Outra coisa que para afirmar ainda mais isso é o caso dela estar dentro do fruto, ou seja, o que vem dentro do fruto (além da polpa) é a semente. Um exemplo de uma castanha que realmente chega perto de uma real castanha é a Noz, aquela coisinha que você só lembra de comer no Natal (caso você não seja pobre).
Ela é do Pará Apesar de se chamar "Castanha-do-pará, ela é tudo, menos paraense. Essa sementinha dá (ui), mais do que chuchu na serra, em toda a América do Sul (pelo menos na parte coberta pela Amazônia é assim), ou seja, não é restrita a somente um estado do País, muito menos a um tão vergonhoso e feio internacionalmente quanto esse. O nome Pará acabou sendo dado a ela por causa do tamanho territorial que o estado tinha durante o período colonial (ou seja, há muito tempo) e acabou ficando por causa da falta de criatividade em colocar um nome mais bonito. Em outros estados mais desconhecidos xenófobos, como o Acre (sim, o Acre), o nome da "castanha" é "castanha-do-acre" e, como o estado, ninguém nunca viu, nem comeu, mas já ouviu falar.
Ninguém vende mais dessa bagaça que o Brasil Mesmo que o seu nome tenha mudado, a algum tempo atrás, para "Castanha-do-brasil" (afim de nacionalizar a sementinha e despertar o patriotismo), nem é esse país favelado o maior produtor e exportador dela (garantindo assim mais um fail no quesito dominação mundial fracassada), pois a Nação Canarinho perde para a mais favelada ainda Bolívia (que vergonha, perder para a Bolívia). Isso tudo devido ao vergonhoso desmatamento causado no Norte do país pelos grandes latifundiários e baloeiros de Festas Juninas, que fazem com que milhares e milhares de espécies dessa planta sejam transformadas em cinzas e virem pasto para um bando de vacas ou somente para contruir (mais um) campo de futebol.

[editar] Os castanheiros

Coletores de castanhas em meio a um harém, repare no tamanho dos cestos que eles carregam diariamente (e você ainda reclama do peso da sua mochila).

Cquote1.png Essa profissão é uma puta falta de sacanagem! Cquote2.png
Castanheiro sobre a sua profissão ingrata.
Se tem profissão realmente ingrata com os seus profissionais são aquelas em que eles tem de trabalhar com algum bem natural proveniente de paus árvores. Depois da velha piada sobre os seringueiros que vivem a masturbar a seringueira para a retirada do seu leite (acabei fazendo a piada de novo), tem também a dos Castanheiros, os coletores das bolas da Castanheira-do-pará que não param no lugar. Essa humilde profissão pode até não estar inclusa entre as piores profissões possíveis, mas com certeza não é orgulho para quem sobrevive disso e tem de ficar aguentando as piadinhas de sempre quem mandou não estudar.

Os castanheiros geralmente acordam bem cedo (mais precisamente no exato momento em que você decide ir para a cama dormir, após passar a noite inteira vendo pornografia na internet), antes do sol nascer e sem nem sequer tomar café (alguns porque nem café tem em casa, mas isso são detalhes que não merecem muita atenção), colocam um grande cesto de vime em suas costas (nas deles, não na SUA) e saem fazendo a sua coleta mata a dentro, por um caminho qualquer, sem nenhum destino em mente, a não ser coletar o máximo de frutinhas possíveis, sem saber quando poderão encontrar uma onça faminta e voltar sem alguma parte do corpo para a casa (mas isso são ossos do ofício, fazer o quê?).

O Best-seller que todo Castanheiro deveria ler, mas que não faz isso porque, em sua maioria, não passam de analfabetos.

O trabalho é quase como uma brincadeira de basquete, consistindo em coletar as frutinhas que estiverem jogadas no chão e tentá-las acertar no cesto que se encontra na sua própria costa, contanto que não atinja a própria cabeça na hora do arremesso (bom, se isso acontecer, o problema é do idiota que ainda não tem coordenação motora e noção de espaço). Cada fruto é coletado com uma arma semelhante a um tridente, mas que, ao invés de três dentes enfileirados, os mesmos estão dispostos de forma elipsóide ou triangular (putz, parece que foi um wikipedista que escreveu isso), o que facilita a penetração captura do fruto com um encaixe perfeito. Os mais experientes, claro, possuem uma maior precisão no que fazem, sendo verdadeiros mestres nas enterradas (ui!) e não deixando espaço para que o inimigo lhe roube a bola o fruto. Como todo trabalho de pobre ribeirinho, há uma grande concorrência nesse setor, ainda mais que é uma área que não precisa de experiência e que qualquer um pode atuar.

Para por um fim na concorrência, os Castanheiros se armam (literalmente falando) de tudo o que podem para proteger o seu posto de coleta, evitando que ele seja atacado por outros Castanheiros adversários e que sempre quiseram uma grande área de busca. Para conseguir o maior número de frutos por dia (seja para própria subsistência ou para dar a alguma grande empresa) eles se armam com terçados (essa é uma poderosa arma dentro de uma mata), martelos, pedras ou mesmo com os pobres frutos das castanhas, que são arremessadas selvagemente contra os seus opressores (que normalmente levam os que lhe são tacados), principalmente com os engraçadinhos que vierem tirar graça da cara deles por causa da profissão. Os mais fortes, como sempre, coletam maior quantidade de frutos e recebem mais, ao final do dia, de seu contratador. Porém, a exploração é mais do que óbvia aí, já que eles recebem (no máximo) um real por tonelada adquirida (isso quando consegue esse "pequeno" valor).

[editar] Outros usos

Para quem pensa que a Castanha-do-pará só serve para matar a fome de qualquer lazarento, saiba que seus poderes oculares vão muito além de somente tirar a barriga de alguém da miséria (se bem que ela somente mata a fome de alguém se o cara tiver, literalmente, morrendo na larica). Assim como seu uso alimentar, a Castanha-do-pará é utilizada para muitos outros fins. Citaremos agora alguns deles, para que você, que adora uma modinha, saia correndo do seu computador para alguma loja de cosméticos, esperando ganhar uma nova cara, somente passando algo de castanha-do-pará na fuça, ou outras coisas mais:

Esse sim é o verdadeiro Sabonete de Castanha-do-Brasil (?) Só não me pergunte como a castanha passa por aquele biquinho (talvez o "cremoso" da fórmula ajude nisso).
  • Na indústria do sexo, a extração do óleo de castanha-do-pará serve como lubrificante em preservativos, além de ser um excelente óleo íntimo para as mulheres, sendo até comestível em alguns casos mais caros especiais (se bem que, por ele ser um óleo, ele é bem mais bebível do que comível);
Típica mistureba de porcarias que leva o nome relacionado a "Alguma coisa de Castanha-do-pará" (e você ainda compra isso).
  • Segundo a Wikipédia Na indústria dos cosméticos, o óleo também é bastante usado para fazer alguns produtos estéticos só não sei como eles fazem isso, entre eles aqueles óleos (bi, homo e hetero-fásicos) de massagens que você encontra em motéis 4 estrelas e que, no dia seguite, deixa o local em que foi passado coçando como se você tivesse com pulga no lugar;
  • Ainda na área de cosméticos, não podemos deixar de falar dos incríveis sabonetes, que sempre vem com um cheirinho de novidade. Eles geralmente são da mesma forma que qualquer sabonete comum, mas são caros e vem com grandes pedaços de castanha no meio, que você não sabe se serve pra comer ou para tomar banho. Sem falar dos esfoliantes, que mais parecem uma lixa de tão duros, mas que você passa no seu corpo mesmo assim e, no dia seguite, está todo se coçando, como se tivesse rolado na urtiga;
  • Na área de decoração, a madeira da castanheira-do-pará ganha espaço e é bastante utilizada pela as Casas Bahia na confecção de armários e guarda-roupas entre outros móveis para serem vendidos em mais de oito mil prestações e a 1° só depois da Copa para nordestinos. As Casas Bahia também oferecem alguns produtos para fiscais do IBAMA como MP3, rebobinador de DVD entre outras tranqueradas para poder fazer o desmatamento sem que ninguém encha o saco nada mais justo;
  • Nas feirinhas populares (principalmente nas barraquinhas do Ver-o-peso, em Belém da Galiléia do Pará), a essência da Castanha-do-pará também pode servir como um revigorante masculino, tudo para que os botos da região sejam poupados de uma matança para a extração de seus piu-pius para servirem de símbolos da sorte para broxas paraenses, sem falar que ainda é mais humano, já que as árvores nunca acabarão.

Existem muitos outros produtos feitos em fundos de quintais que levam o nome de alguma tranqueira extraída da castanha-do-pará, os mais comuns são óleos de massagens (acho que pela facilidade de se fazer um), esses óleos por ter uma procedência duvidosa é indicado que você de um de presente para um inimigo. Caso não ocorra nada de mais o uso pode ser liberado para o seu cachorro.

[editar] A Radioatividade e outras coisinhas

[editar] Radioatividade

É claro que nem só de benefícios vive alguém que se aproveita da castanha-do-pará benefícios? onde?. Essa simples sementinha é capaz de causar um verdadeiro Inferno em terra quando tem os seus poderes usados para o Mal. Primeiramente começando pelo fato de possuir uma enorme quantidade de Rádio em sua composição (transformando-a em um alimento radioativo). Esse é um elemento químico altamente perigoso, explosivo, corrosivo e responsável pelas transmissões de informações via-rádio para qualquer lugar do mundo (principalmente ser houver uma conexão à internet por sinal de rádio, aí a coisa piora de vez).

Uma embalagem para presente granada feita de castanha-do-pará, provando assim que ela pode ser, sim, utilizada como uma arma química.

A Castanha-do-pará possui uma grande carga significativa de radiação (talvez não daquelas mesma que infectaram o Hulk, mas algo parecido). Para ser mais exato, uma simples Castanha-do-pará tem radiação suficiente para carregar mais de oito mil bombas atômicas (sendo isso somente uma média), por isso é considerado segundo o Google o alimento mais radioativo do mundo (já que é composta pelo elemento rádio). Isso é coisa de pessoas que não tem muito o que fazer e acabam descobrindo esses resultados inúteis e idiotas que não leva ninguém a lugar algum (ou não). Ah, me lembrei que ajudou em alguma, coisa por exemplo: o uso da castanha-do-pará é contra indicado a pessoas que passam por quimioterapia no tratamento de câncer, por causa da sua desfamosa radiação. Recentemente, José de Alencar (que está com um pé na cova) vem aproveitando a radiação da Castanha-do-pará para fazer o seu tratamento quimioterápico, os médicos já estão de saco cheio de aturar José de Alencar e indicaram o consumo de castanha-do-pará para ajudar no tratamento do seu câncer ou para matá-lo de vez.

Uma anomalia feita pelo Photoshop ocasionada pela radiação da Castanha-do-pará (ou seria só mais uma tartaruga cagando uma castanha do Pará verde?)

A radiação emitida pela Castanha-do-pará faz com que alguns animais e pessoas da Região Norte sofram algumas mutações, sendo que alguns desses indivíduos que sofreram essas mutações foram encaminhados a ser figurantes da novela "Os mutantes, Caminhos do Coração", da Rede Record (sim, Fafá de Belém é uma delas, aqueles seios são prova viva de radiação por castanha-do-pará), e ganham um boné do Edir Macedo como gratificação pela participação. Outras que não deram tanta sorte assim são contratadas para assombrar residências locais e trabalharem em circos, o restante tenta a sorte trabalhando como porteiros, frentistas na região sudeste, wikipedistas e técnico da Microsoft (explica muita coisa). Segundo fontes não confiáveis, o famoso ET do Panamá não passa de um animal que sofreu uma alta dosagem de radiação emitida pelas castanhas-do-pará encontradas na região do Panamá (WTF?) que lá eles chamam as castanhas de...ah, sei lá!

[editar] Oleosidade

Cquote1.png Isso é uma bomba calórica! Cquote2.png
Doutora Lorca sobre Castanha-do-pará

Alguém que visitou a Amazônia e se alimentou (e muito, pelo visto) da castanha-do-pará.

Como se ser altamente bombástico (literalmente falando) não fosse o suficiente para a castanha-do-pará, ainda descobriu-se que nem comer muito se pode dessa bendita sementinha do mal. Além do fato dela poder provocar um pequeno tumor cancerígeno em qualquer parte do nosso corpo (algo básico e leve, nada de muito grave, como um câncer no pâncreas, no fígado ou na próstata), a castanha-do-pará ainda pode nos tornar verdadeiras bombas-humanas. Mas não pense que eu estou falando em uma bomba atômica no seu sentido literal, estou falando em uma bomba-humana de calorias (ou não, seria tão interessante ver você explodindo para todos os lados).

Sim, meu caro leitor, que provavelmente está entre uma cadeira e um monitor lendo esse artigo, coçando o saco (caso seja um homem ou uma lésbica) e comendo algumas suculentas castanhas-do-pará. Você está ameaçado, até o fim da sua vida, em viver rolando de um lado para o outro da sua casa ao invés de andar, em suma, tornar-se um grande e obeso Gordo, daqueles que se conseguem, no máximo, mexer-se de um lado para o outro na cama, é muito. Tudo isso por causa da oleosidade da castanha-do-pará (a mesma retirada para fazer os cremes hidratantes), que se localiza entre os alimentos mais calóricos do mundo depois do próprio e enorme gordo.

Mesmo que isso represente um mal para a humanidade, a Castanha-do-pará ainda não foi abolida da face da terra, haja visto que ela atua como uma verdadeira controladora populacional (ou assassina natural, para os que ainda não entenderam o real sentido de "controle populacional"). Gordos geralmente vivem, em média, menos do que uma pessoa bonita, saudável e magra, não fazem muito sexo e, dificilmente, deixariam crias feias, gordas e prejudiciais à beleza humana para o futuro, ou seja, é um prato cheio para os mais neomalthusianos da contemporaneidade.

[editar] Curiosidades

Broom icon.svg
Tua mãe desencoraja seções de curiosidades, mas nós não ligamos a mínima! Sob as políticas da Desciclopédia
Mas bem que este artigo pode ser melhorado integrando-se piadas decentes e removendo idiotices sem graça.
Cada curiosidade pode render uns bons parágrafos, então faça direito!
Muito cuidado com essa sementinha, meu caro (a), muito cuidado, ela é mortal! MWAHAHAHAHAHA!
  • Se chama Castanha-do-pará mas o maior produtor é a Bolívia, pois o Pará Brasil prefere criar gados à árvores;
  • Joelma, da Banda Calypso, come uma todo dia pra retardar a sua mente o seu envelhecimento, mesmo que isso não dê certo;
  • Silvio Santos mistura castanha-do-pará com formol para retardar o seu envelhecimento, o que dá certo;
  • A Banda Djavú ganhou meio kilo de Castanha-do-pará pra fazer um show no Pará (e aceitou o pagamento);
  • Moradores de Itapecerica da Serra não sabem o que é Castanha-do-pará e, por isso, vivem mais do que um paraense;
  • Uma nova arma de destruição em massa está sendo criada à base de castanha-do-pará, devido as suas qualidade radioativas, sendo que essa arma pretende ser mais mortal do que o Gás Letal de Alcachofra.

[editar] Ver também

Clique e venha fazer parte de nosso projeto!!
Projeto Desconhecimento

Este artigo de Ciências ganhou nota A, sendo considerado de Ótima qualidade

Visite a discussão do artigo ou o projeto e Conheça-nos


Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas