Catarinense

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Luís Henrique da Silveira.jpg Se quésh quésh, se non quésh, dish!

Este artigo é catarinense! Já entrou em coma alcoólico na Oktoberfest, sabe o que é boi-de-mamão, tem um poster do Guga e pensa que é alemão!

Venha para o lado barriga-verde da força você também!


Cquote1.png Você quis dizer: Gaúcho não assumido ou metido a europeu Cquote2.png
Google sobre Catarinense
Cquote1.png Habitantes de um dos milhares distritos que compõem meus domínios. Cquote2.png
Aquaman sobre Catarinense
Cquote1.png Não gostaria de entrar e tomar uma xícara de café? Cquote2.png
Dona Florinda Catarinense para qualquer visitante


Catarinense é a denominação dada para criaturas nativas do fodastico estado de Santa Catarina. Tais criaturas são caracterizadas pelo seu comportamento hostil para com gringos norte-americanos, nativos de outros países sul-americanos (principalmente argentinos) e até mesmo com brasileiros provenientes de outros estados, sobretudo gayúchos, pois julgam-nos indignos de seu estado pelo fato de se acharem europeus demais para o bico dos povoados em questão.

Características[editar]

Uma típica catarinense apta a lhe oferecer um cafézinho.

Como já foi dito acima, catarinenses são uma espécie de gaúcho metido a europeu que praticamente detestam o continente americano. Ficam inconformados pelo fato de não fazerem parte da Europa, são seres idênticos aos gaúchos embora não assumam por que se acham europeus demais, a melhor forma de irritá-los é: sempre lembre-os que são brasileiros, nativos de um país que ao invés de pizza e chucrute, come feijoada e acarajé. Porém, é um fato que os únicos que são bem recebidos pelos catarinenses são os gringos italianos, alemães e polacos, pois acham que são da mesma nacionalidade.

Os catarinenses também podem ser caracterizados por sempre, sempre oferecer um cafézinho quando você for visitá-los. Não importa se você é um inimigo ou se é o próprio Diabo, sempre vão oferecer uma xícara de café. Mesmo que você seja a pessoa mais odiada por eles, e mesmo que eles te odeiem acima de tudo, sempre vão oferecer café. Mas cuidado: catarinenses psicopatas podem te oferecer café envenenado, por isso, nunca é bom aceitar o dito cujo cafézinho, ainda mais se você for nativo de outro estado brasileiro ou um cigano.

Porém, uma das maiores diferenças entre o restante dos brasileiros e os catarinenses, é que esses últimos, talvez pela necessidade de adaptação, desenvovleram um organismo resistente ao frio e a umidade. Acredita-se que catarinenses tenham desenvolvido brânquias e guelras para que pudessem sobreviver as grandes enchentes que atingem seu estado. Isso explicaria o fato de haverem poucas mortes por enchentes (apesar de elas comumente serem mais fortes que o normal) em Santa Catarina do que nos demais estados que também sofrem com enchentes. Tanto é que todas as mortes que ocorreram durante as grandes enchentes que já afetaram o estado foram de gringos, de nordestino ou foram ocasionadas pelos tubarões que conseguiram ter acesso as ruas aquáticas do estado por meio do mar, que teve ligação direta com o estado devido a enrome quantidade de água que interligou ambos.

Catarinenses também são conhecidos por constantemente serem encontrados bêbados devido a grande quantidade de cerveja que consomem no estado em festas alemãs como a Oktoberfest

Catarinenses Famosos[editar]

Catarinense adaptado se dirigindo para o trabalho (provavelmente como criador de ostras e frutos-do-mar) no inverno.

A seguir, alguns catarinenses muito conhecidos:

Algumas expressões catarinenses[editar]

Acôo: latido dos cães;

Arrombasi!: Arrasou!

Baboseira: Bobagens, abobrinhas;

Boi ralado: carne moída;

Coça: surra;

Diacho:: Diabo (sinônimo de "Demonho");

Dijahoje: agora há pouco, uns minutos atrás, hoje;

Embaçado: complicado, difícil. Também pode significar ofuscado ou de difícil visão dependendo do jumento falante, de forma semelhante ao termo "embaciado". (Ex: vidro embaçado; vidro embaciado);

Uma cena muito comum para os catarinenses no inverno. Acredite, eles adoram isso, pois em sua visão, isso os deixa mais próximos dos europeus.

Fuquinha: Fusca, carro velho e ultrapassado;

Galega: loira;

Hosco: uma espécie de cor da pelugem do gado;

Ishtepô: estúpido;

Joaninha: alfinete;

Lember: lamber;

Mofash cá pomba na balaia: Você irá morrer esperando;

Naco: pedaço pequeno;

Ó-lhó-lhó: Veja só!;

Pila: reais, dinheiro;

Reinar: resmungar, estar bravo, reclamar;

Suli: sul;

Toda vida reto: Sempre em direção reta;

Velhaco: trapaceiro, devedor, trambiqueiro, aquele que deve ou não pagou o que devia.

Bamo: vamos

Bassoura: vassoura

Totu muntu: todo mundo

Ver também[editar]


v d e h
Seres que você encontra no Bandeira do Brasil Brasil

Geral: Branco - Caipira - Cigano - Extraterrestre - Negro - Nordestino - Paulista - Fluminense - Índio - Xavante - Nipobrasileiro

Regional: Acreano - Alagoano - Amapaense - Amazonense - Baiano - Brasiliense - Capixaba - Catarinense - Cearense - Fluminense - Gaúcho - Goiano - Maranhense - Mato-grossense - Mineiro - Paraense - Paraibano - Paranaense - Paulista - Pernambucano - Piauiense - Potiguar - Rondoniense - Roraimense - Sergipano - Sul-Mato-grossense - Tocantinense