Catende

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png A gente ja chegou? Cquote2.png
Burro do Shrek sobre Catende
Cquote1.png Nunca na história desse país houve uma cidade tão pequena Cquote2.png
Lula sobre Catende
Cquote1.png Vou danado pra Catende, vou danado pra Catende, vou danado pra Catende com vontade de chegar! Cquote2.png
Comercial Cultural da Tv Asa Branca sobre Catende
Cquote1.png Catende tem fãs meus? Cquote2.png
Carla Perez sobre Catende
Cquote1.png Não, mais temos uma cana das boas Cquote2.png
Catendense sobre a pergunta acima
Cquote1.png É de comer? Cquote2.png
Patrick sobre Catende

Catende é uma pequena aldeia localizada aproximadamente (um pouco depois) de onde Judas perdeu as botas, caracterizada por um clima quente que só a porra e governada pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra, com uma população aproximada de 40 mil boias-frias. Catende é a única cidade do mundo que foi construída ao redor de uma praça.

História[editar]

Catende na sua pequena imensidão

Dom Pedro II desejava-se livrar de certos senadores, então doou terras na área da Puta que o Pariu (interior pernambucano) para alguns senadores. Estes senadores, óbvio, jamais visitaram a região, mais seus capatazes e caseiros foram para lá, onde foram abandonados à própria sorte naquela terra hostil de calor e tédio geral.

Aproveitando-se da desocupação destes seres abandonados, um coronel muito esperto decidiu se estabelecer na região, onde escravizou a todos, e suas futuras gerações, a servirem-no como boias-frias, para sustentar a Fantástica Fábrica de Açúcar (Usina Catende) fundada em 1890 e operacional até hoje. O antigo dono morreu, mas seu fantasma assumiu a presidência da usina, o que explica porque o povo trabalha como escravo até hoje, mesmo séculos depois da homologação da Lei Áurea.

Economia[editar]

Tem como maior polo econômico as atividades como grande exportador de carvão, além de ser um município produtor de formigas por causa do açúcar da usina.

Catende tem o ar mais limpo de Pernambuco, as pessoas são conscientes e sempre respiram as partículas de carvão expelidos pela Fantástica Fábrica de Chocolate de Cana da Usina Catende. Aliás, a Fantástica Fábrica de Chocolate de Cana da Usina Catende é a unica coisa que diferencia Catende das outras cidades daquele fim do mundo (interior pernambucano), pois já foi a maior fábrica de chocolate de cana do Brasil mas depois de um destrutivo ataque de formigas-gigantes-da-amazônia que destruíram todo o estoque de chocolate de cana o que resultou na falência da fábrica. Esta falência levou a cidade e a população ao declínio total, já que a economia da cidade girava em torno da Fantástica Fábrica de Chocolate de Cana Usina Catende, mas ai o alguns cachaceiros se uniram e um bar local e resolveram transformar a falida Fábrica de Chocolate em uma mísera Usina de cana-de-açúcar, para quem sabe terem a oportunidade de trabalhar como boia-fria, pelo menos. Hoje em dia tal usina é um monte de ferro enferrujado que não serve pra nada, só para sujar a cidade e os nativos todos de carvão. Em Catende ninguém sai de roupa branca porque senão volta pra casa de preto. Fora que deve a Deus e ao mundo e não paga. A fábrica não tem dono, uma força do mal atua por lá, dizem os antigos que a usina começou a falir depois que Darth Vader começou a levar os operários para o lado negro da força estrelar.

Bairros[editar]

  • Nova Esperança - Mais conhecido como Bambuluá, o bairro Nova Esperança já foi um bairro muito rico, mas hoje em dia abriga catimbozeiros e bebarrões.
  • Vila Oxfam - Mais conhecida como O Quinto dos Infernos, está mais perto da Vila de Jaqueira do que do centro de Catende. Para se chegar ao centro da cidade onde a mesma é sediada, precisa-se vencer a distância de 15420km, passando por diversos acidentes geográficos, dois bairros nobres: o Matadouro e o 18, onde a paz reina em 99,99955% do ano.
  • Matadouro - Bairro onde fica localizado o matadouro municipal, que é o centro industrial e internacional do bairro, o polo de empregos do lugar. Todos os homens que moram lá são machantes, todas as mulheres limpam as carnes e as crianças carregam e vendem. (In)felizmente, o matadouro vai se mudar de mala e cuia para o Eng. Monte Alegre, criando um novo Pólo industrial e internacional de agro-exportação de carnes, leites e derivados texteis.
  • Diamante - Um bairro que está localizado em torno de uma favela, também conhecida como favela do diamante. O maior passatempo de seus moradores é falarem da vida alheia. É também conhecida em toda Catende como a maior concentração de maconheiros e bocas de fumo. No diamante existe de tudo, tem até lugar para você fazer macumba.Ademais, também neste bairro está localizado o Campinho Mundialmente conhecido com areinha, onde muitos jogadores desta cidade tiveram o privilegio de jogar.
  • Canãa - Apesar do nome, não é nenhuma Terra Prometida a que Deus se referiu na Bíblia. Pode ser considerada a terra prometida das pessoas que conseguiram a liberdade forçada dos presídios das cidades vizinhas. Localiza-se beeeeeeeeeeeem distante do centro, e por causa da Fantástica Fábrica de Chocolate de Cana Usina Catende, muitos chegam quase cegos ao centro, por causa do carvão que a mesma solta nos habitantes do bairro, pois nem todos de lá podem comprar óculos (leia-se, ninguém pode comprar). Tem o canal de esgotos que todos insistem em chamar de rio que leva uma legião de muriçocas para o bairro. Como opções de lzer, apenas tomar um banho na Prainha, o nome da parte menos poluída do esgoto que passa pelo bairro.
  • Cohab - Pode ser considerado o bairro mais nobre da cidade (o único que tem asfalto) e por isso lá residem pessoas de ótima índole! Todos os seus 8 moradores possuem canoas, pois o bairro é cruzado por um belo rio (o mais importante de Pernambuco), que quando chove transborda espalhando terror no local, forçando os moradores a usar suas belas e arrojadas canoas.

Segurança[editar]

Catende recebeu três vezes consecutivas o Prêmio Nobel de cidade mais segura do mundo, isso é muito chique e só é possível porque os cachaceiros locais só matam lagartixas.

Cultura[editar]

Com toda simplicidade, Catende é uma cidade acolhedora e uma das mais viadas do mundo, pois foi colonizada pelos franceses, portanto tem muitos pontos turísticos que ninguém se importa, dentre eles uma obra prima, o Cine Teatro Diamante, o primeiro da Amárica Latina em arquitetura barroca, todos os filmes antes de passar nos grandes cinemas do Brasil passam no cinema de Catende, não esquecendo que está em cartaz o filme A Mulher da Sombrinha, com duração 15 minutos.

Por ser uma cidade humilde (pobretona) a população é cercada de crendices típicas de gente sem instrução, sendo a lenda mais popular a que fala da Mulher da Sombrinha, que diz que há um fantasma de uma puta solta na cidade, que atrai cachaceiros até o cemitério.

Culinária[editar]

Os bacanas da cidade podem tomar caldinho (ralo) de camarão ou de feijão (com um belo ovo de codorna no meio) e beber Coca-Cola. Quem tem dinheiro pode arriscar num camarão (ao alho e óleo) ou uma moqueca.

Esportes[editar]

Tem um time de futebol que participa ativamente do campeonato Pernambucano da segunda divisão. O grande problema é que o time vai igual a usina, mal das pernas. O melhor jogador foi vendido por 2 pacotes de café, uma fortuna para os padrões locais, já que os jogadores ganham em açúcar, pelo menos poderá tomar um cafezinho doce!

Lazer[editar]

Não se sabe. Passar o dia nos bares da cidade. Conta-se que uma bela noite, reclamaram que as mesas dos bares estavam muito sujas com carvão, e o dono do estabelecimento, com sua extrema delicadeza disse: "Quando você vier da próxima vez me avise que eu mando fechar a usina". Os donos dos bares de Catende são todos brutos, que escaparam de ser boia-fria, mas não perderam o jeito roceiro e troglodita, tratando seus clientes como pedaços de merda ambulante, o que não está longe da verdade também.

Todo bar na cidade é uma demora da mulesta para atender! Um monte de boyzinho amostrado numa mesa, umas meninas patricinhas se achando e uma mulher gorda horrorosa no balcão. Só não precisa fazer reserva, mas chegando lá, caso falte lugar, você senta no meio da rua e fica tudo certo. Os donos garantem que nenhum jumento puxando uma carroça vai lhe atropelar, afinal, a quantidade de veículos da cidade é por volta de 1 para cada 2500 habitantes. Mas o principal local de lazer dos habitantes são curtir os vários puteiros disfarçados de bar, como o da rua 15. Há bebidas (disfarce) e muitas putas (o prato principal do cardápio). A cidade orgulha-se de ter um puteiro familiar (se é que me entende), por isso se estiver interessado cuidado principalmente se for casado pois as meretrizes também tem costume de macumba, então tome cuidado onde vai amarrar seu jegue, porque só enfeitiçado não percebera a merda que está se metendo e a nega (porque lá só da mulher feia e derrubada, mal-feita, bruaca) feia que esta pegando.

O carnaval local é rodeado de crendices. Dizem que antigamente, há muito tempo atrás, 200 d.C., quando os operários da usina saiam do trabalho por volta da meia-noite, eles viam uma mulher loira com uma sombrinha pendurada no ombro, ela então encantava-os e eles a seguiam por toda a cidade (leia-se duas ruas) até chegar ao cemitério onde ela entrava e desaparecia. Então foi criado um bloco prévio-carnavalesco (sic) que acontece uma semana antes do carnaval onde a negada se junta pra sair pulando e cantando atrás de uma boneca de 4 metros de altura que fica feito um mamulengo balançando os braços e dando porrada em quem chegar perto demais. Sem contar com a porra dos carrinhos de cerveja que fica passando por cima da negada. Mas afinal quem é que não gosta de pular a mulher da sombrinha?