Catherine Deneuve

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Francia d.JPG ALLONS EN₣ANTS DE LA PUTARIE!!

Este artigo è ₣rancês! Ele não toma banho, come camembert e faz biquinho. O autor já mendigou na Avenue Champs-Elysèes e è xenofòbico.

Cuidado! A qualquer momento um alemão pode invadi-lo!

Cquote1.png Essa puta se inspirou a mim pra ser famosa pra caralho! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Catherine Deneuve

Catherine Deneuve é mais uma dessas atrizes pornográfica no Universo dos cinemas.

Sobre a Catherine Deneuve[editar]

Cquote1.png Esses tradutores brasileiros são uma verdadeira piada... Cquote2.png
Catherine Deneuve sobre sua atuação no filme Repulsion (que recebeu o título de Repulsa ao Sexo no Brasil).

Ela também conhecida como Catherine Fabienne Bondisex parida em 22 de Outubro de 1943 é uma atriz francesa, considerada um modelo de elegância e beleza gálica e uma das mais respeitadas atrizes gostosas do cinema francês e mundial.

Filha do ator de teatro fracassado e cinema Maurice Dorleác e irmã da também atriz Françoise Dorléac, Deneuve estreou no cinema aos 13 anos, em 1956, e durante a adolescência trabalhou em diversos pequenos filmes com o diretor Roger Vadim até chegar ao estrelato mundial em 1964, em Os Guarda Chuvas do Amor, do diretor Jacques Demy, embora aquele filme nunca virou um sucesso mundial, ou sim.

E a sua carreira[editar]

Descoberta por Roger Vadim, (também descobridor de Brigitte Bardot e responsável pela transformação de Jane Fonda em símbolo sexual com o filme Barbarella) com quem teve muito trabalho com ele e tendo um filho (Christian Vadim), Deneuve foi casada com o famoso fotógrafo de moda londrino David Bailey (em quem o diretor italiano Michelangelo Antonioni se basearia para criar o principal personagem na sua obra-prima pornográfica cinematográfica Blow-Up) e após o fim do casamento, envolveu-se com o ator italiano Marcello Mastroianni, com quem teve uma filha, Chiara Mastroianni, em 1972, sim ela estava gostando do seu trabalho no cinema.

Querendo mais, em 1980, Deneuve continuou fazendo trabalhos importantes em O Último Metrô de François Truffaut e Fome de Viver, de Tony Scott, junto com Susan Sarandon e David Bowie, no papel de uma vampira gótica e bissexual, que a transformaria num ícone de lésbicas, gays, góticos e novos artistas da década de 1980.

Enfim ela levou dois Oscars por esses filmes e atualmente ainda continua fazendo seus filmes, como o Novo Testamento e um remake de "Repulsa ao Sexo".