Catuji

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
SBTTV.JPG Este artigo é coisa da ex-vice maior audiência do mundo! Seu programa é chato e ruim, dá menos audiência que o Vídeo Show e usa os produtos Jequiti. Se vandalizar, você será forçado a aguentar a Camila Uckers no programa da Eliana. Conheça outros plágios mal-disfarçados clicando aqui.


Catuji é uma megalópole histórica centrada no Sul da Bahia Nordeste de Minas Gerais. Foi emancipada em 1993 e desde então ocupa posição de destaque mundial (na ponta de baixo da lista) em desenvolvimento industrial, tecnicológico, científico, cultural e em qualidade de vida. Sua população aproximada é de 8.000 habitantes (contando cachorros, gatos, galinhas, etc)Incluive os eleitores transferidos pela mal-amada e seca irmã do faraó Duchafodcamôm que somam 3.000 eleitores vale transporte.


Cquote1.png Que P... é essa??? Cquote2.png
Nós da Desciclopédia ao recebermos esse artigo para publicação

Cquote1.png É o pior lugar que já fui! Cquote2.png
Qualquer um desafortunado que já tenha passado por lá

Cquote1.png Istu non ecxiste! Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Catuji

Cquote1.png Istu ecxiste! Cquote2.png
Eu sobre o que você está pensando agora
Mapa detalhado de Catuji.
Para fugir de catuji, Magaiver construiu este veículo em cinco minutos usando seu canivete e latas de querosene.

Cquote1.png Catugi Cquote2.png
Analfabeto catujiense sobre "Cidade" no orkut, ou em qualquer outro lugar

Cquote1.png É uma cilada Bino!!! Cquote2.png
Pedro sobre dar carona para uma catujiense na beira da estrada

{{c|É a princesinha do vale do Jequitinhonha!!!|Político da cidade em um discurso inflamado}

Cquote1.png É vale do Jequitinhonha ou do Mucuri? Cquote2.png
Aluno da escola estadual confuso após ouvir a frase acima

Cquote1.png Acho que é do Mucuri! Cquote2.png
Professora da escola estadual (já em dúvida)

Cquote1.png ... e com ele no palco, eu trepo uma! E trepo duas! E trepo três!!! Cquote2.png
Partidário do político acima demonstrando seu apoio ao candidato

Cquote1.png Nunca ouvi falar! Cquote2.png
Frase ouvida em 99,999% das vezes em que alguém diz que é de lá

Cquote1.png Um lugarzinho no meio do nada Cquote2.png
Sandy e Júnior cantando em sua homenagem

Cquote1.png A melhor coisa de lá é que eu atravesso a ponte e já estou em Caralho-aí Caraí! Cquote2.png
Morador de Caraí sobre Catuji

Cquote1.png Toda puta mora lá! Cquote2.png
Velhas virgens sobre Catuji

Cquote1.png Eu voto lá! Cquote2.png
Morador de algum morro de Teófilo Otoni


Histórico[editar]

Caricatura do gênio que resolveu fundar Três Barras Catuji.
No ano de 1993, Catuji (que até então era conhecido por Três Barras) proclamou, enfim, a sua independência. Tal fato consolidou o fim da Primeira Guerra Mundial entre Catuji e os Estados Unidos de Itaipé que a séculos dominava aqueles territórios. Porém, com o fim do conflito armado deu-se início à Guerra Fria entre o império itaipeense e sua ex-colônia. Esse período de grande tensão e instabilidade global teve início a partir de uma série de ameaças, por parte dos Estados Unidos de Itaipé, de retomar em uma única investida 70% dos territórios catujienses ao leste da BR 116, o que representaria metade das terras de Catuji. Foi quando numa demonstração de força e poder, Catuji (utilizando-se de métodos troianos) atraíu os seus rivais para uma suposta suruba festa denominada carnatuji e utilizou do seu exército de mulheres feias (dragões, gabirus, raimundas, cabeças-de-porco, cachaceiras, profissionais do séquiço, professoras de escola da zona rural, putas, etc.) para ameaçar seus adversários, colocando assim um fim nos conflitos. A partir de então, todos os municípios vizinhos passaram a temer o exército de mulheres feias de Catuji, e os catujienses, protegidos pelo seu exército, viviam debochando desses lugares (Caralho-aí Caraí, Itaipé e Cruzado Velho Novo Cruzeiro) por estes não possuírem sequer um acesso asfaltado. MAS O ASFALTO CHEGOU LÁ!!!

...e hoje em dia os catujienses estão ainda à procura de um novo argumento para zuar com o povo das cidades vizinhas.

Cquote1.png Bem, Catuji agora tem um artigo na Desciclopédia, e eles não!!! Cquote2.png
Eu sobre a dúvida acima.


Economia[editar]

A era digital está chegando à cidade. Lançamento previsto para o próximo ano.
O período de maior progresso econômico da cidade se deu entre as décadas de 70 e 90 quando sua população baiana com aversão ao trabalho ou qualquer tipo de esforço físico começou a extrair pedras preciosas de crack de dentro da terra, o que gerou muitas riquezas para a população naquele período. A estratégia do Banco Central de Catuji foi o estabelecimento da venda das pedras preciosas de crack aos camelôs de Teófilo Otoni por 10% do seu valor comercial, evitando assim que um Boomm econômico na então colônia dos Estados Unidos de Itaipé levasse ao colapso das demais economias do planeta. A proclamação da independência veio junto com a proibição do garimpo das pedras, o que levou a cidade a um período de instabilidade econômica, gerando altas do petróleo e desestabilização generalizada do sistema financeiro, o que resultou na atual crise econômica e risco de recessão em todo o planeta Xuxa. Atualmente a principal fonte de renda da cidade é a prefeitura municipal que gera renda para 90% da população ativa com carteira de trabalho assinada, os outros 10% são empregados do colégio estadual. O trabalho exercido pelas profissionais do séquiço também tem papel de destaque no cenário econômico local com a retirada de dinheiro dos inocentes caminhoneiros que passam pela região. Os economistas afirmam que hoje em dia essa atividade já foi superada pela comercialização de votos que corresponde em média por 32,4% da renda das famílias.

Com o fim do ciclo das pedras negócios como erva e vêm se mostrando promissores no município .


Curiosidades sobre Catuji[editar]

  • "99,998% DOS CATUJIENSES NÃO SABEM O SIGNIFICADO DO NOME DE SUA CIDADE." O que em Tupi-Guarani quer dizer: Local onde o Judas perdeu as botas (Isto aconteceu durante uma tentativa desesperada de escapar das garras de uma nativa da cidade).
  • 60% de sua população urbana na verdade mora no município vizinho de caralho-aí Caraí.
  • O mercado municipal, assim como, a quadra de esportes e a maior praça da cidade (pasmem) inexplicavelmente também ficam no município vizinho.
  • Os ônibus escolares não vão até o colégio porque o ar é rarefeito e os motoristas, pouco adaptados, estariam sujeitos a causar acidentes graves.
  • Catuji tem o menor índice de obesidade infantil do país: cada criança gasta em média 14.700 kcal só para chegar à escola.
Vala do Mucuri.
  • Catuji está localizado no Vale Vala do Mucuri (ao contrário do que diziam seus imperadores governantes), portanto é só mais um dos distritos de Teófilo Otoni.
  • As ruas de Catuji foram projetadas apenas para a passagem de fuscas e Fiat 147, qualquer coisa com dimensões maiores não entra na cidade.
  • É a cidade que mais exerce a cidadania no Brasil com uma proporção de 1,8 eleitores por cada habitante.
  • O povo catujiense é aficcionado por limpeza, especialmente quando se trata de retirar da beirada do asfalto qualquer vestígio da carga de algum caminhão que tenha se acidente na Serra do Rio Preto.


Lugares badalados da cidade (Roças)[editar]

Sílvio Santos.
  • "Caroca" (isso mesmo, não é carroça)
  • "Formoso"
  • "Funil"
  • "Fumaça" (... sou inocente na parada!)
  • "Landin"
  • "Pontalete"
  • "Porfírio" (Só tem princesa!...)
  • "Manilhas"
  • "Quebra Viola"
  • "Us Miranda"
  • "Tatu"
  • "Rochedo" (onde se encontram os eleitores mais conscientes)
  • "Jenipapinho" (Maior que Jenipapão)
  • "Jenipapão" (Eu tenho medo!!!)</i>