Cavaleiros Músicos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Arband.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Humm... Boiola!
Cavaleiros Músicos é algo que Misty de Lagarto aprova!

Este é um típico artigo Yaoi, que menciona coisas gays que só gays yaoístas curtem. Se você é cabra omi e odeia Yaoi, NÃO LEIA este artigo, pois ele pode levá-lo para o lado rosa da força, mas se carapuça serve, sente, digo, sinta-se à vontade.

Bernardinho nervoso jpg.jpg Please STOP the music!

Este artigo se trata de cantores, bandas ou músicas cantadas muito, mas MUITO mal.

Emblem-sound.svg.png Cavaleiros Músicos
Instrumentos-musicais.jpg
Os instrumentos do Grupo
Nome Cavaleiros Músicos
Origem Cavaleiros do Zodíaco
Sexo Gays
Instrumentos
Nuvola apps kcmmidi.png
Lira, Flauta, Harpa e Harpa (de novo?).
Gênero Horrível
Influências Cantores Sertanejos
Nível de Habilidade Baixo, ruim, pobre... Mais ou menos. Ou não.
Aparência Bem fresquinhos
Plásticas Nenhuma (ou não)
Vícios
Nuvola apps atlantik.png
Emices
Cafetão/Produtor
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Respectivos deuses

Cquote1.png Você quis dizer: Trupe musical dos CDZ? Cquote2.png
Google sobre Cavaleiros Músicos

Cquote1.png Experimente também: Fresno Cquote2.png
Sugestão do Google para Cavaleiros Músicos

Cquote1.png Cada deus possui um! Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Cavaleiros Músicos

Cquote1.png Eles animam o ambiente do anime! Cquote2.png
Masami Kurumada sobre o porquê de ter criado os Cavaleiros Músicos

Cquote1.png Falta de criatividade! Cquote2.png
Otaku sobre Cavaleiros Músicos

Cquote1.png Vou tapar os meus ouvidos! Cquote2.png
Inimigo de algum dos Cavaleiros Músicos

Cquote1.png Não adianta tapar os ouvidos, o minha música atinge direto o seu cérebro e...! Cquote2.png
Resposta dos Cavaleiros Músicos à tentativa do inimigo de tapar os ouvidos

Cquote1.png Não acredito que quem toca tão bem possa ser mau! Cquote2.png
Shun de Andrômeda e suas patéticas ideias de julgar os outros pela música que toca

Apresentação[editar]

Notasmusicais.jpg

Cavaleiros Músicos é o nome da trupe musical do anime Cavaleiros do Zodíaco. São Cavaleiros que receberam as suas "Sagradas" Armaduras que acabaram vindo equipada com um pequeno instrumento musical, o que obrigou cada um a aprender na marra a tocar alguns acordes no equipamento para que o mesmo servisse para realizar ataques contra os seus inimigos e como atrativo feminino (o que nem sempre funciona, visto a grande quantidade de Cavaleiros Músicos Morde-Fronhas). Como ainda estão em treinamento no quesito música, suas notas músicas são tão horríveis que explica o motivo de todos morrerem ao escutarem tais arranjos.

Tais Cavaleiros foram criados em um completado estado de falta de criatividade de Masami Kurumada. Ele com certeza pensava que ninguém fosse perceber que a ideia dele era colocar um Cavaleiro Músico para cada deus foderoso que existisse na saga do anime, afim de cobrir o rompo que a falta de um simples Cavaleiro poderia fazer na série (como promovendo o encontro antecipado de Seiya de Pégasus com um desses deuses, que duraria dois episódios até Seiya acabar com o (disque!) "Deus", finalizando com o anime mais cedo, trazendo prejú a Tio Kurú (rima não intencional).

Os Cavaleiros Músicos[editar]

Os Cavaleiros Músicos são quatro (formando um quarteto - O RLY?), sendo representados por Mime de Benetnasch, Sorento de Sirene, Faraó de Esfinge e Orfeu de Lira (sendo esse último o único que tem o nome do instrumento musical que utiliza nas batalhas e uma constelação com o mesmo nome do instrumento, só podia ser Cavaleiro de Athena mesmo). Agora, apresentaremos cada um:

Mime de Benetnasch[editar]

Ver mais no artigo: Mime de Benetnasch

Harpa final.jpg

Mime de Benetnasch é o Guerreiro-Deus de Asgard do Norte da Europa e que jurava destruir o Santuário, capanga de Hilda de Polaris, puta-paga serva e representante de Odin na Terra. Foi agraciado com a Armadura Sagrada do Guerreiro-Deus da Estrela Éta que vinha com uma harpa "totalmente de grátis".

A armadura de Harpa, sendo que ele utiliza uma lira nas batalhas

Teve uma infância difícil (como todo bom Guerreiro-Deus tem que possuir uma história trágica, ele não foge a regra), possuindo somente um pai adotivo. Quando cresceu, começou a desconfiar que o homem que o ensina, vestia e treinava, se tratava de um pedófilo que o preparava para o abate do assassino de seus verdadeiros pais. Com isso em mente, acabou matando o cara do nada, vivendo uma vida completamente emo (como todo Cavaleiro Músico, para assim poder ter temas sofróticos para tocar) e servido aos desejos de Hilda.

Na Saga de Asgard, tem um encontro amoroso com Shun de Andrômeda que não quis ficar com ele e ainda deu uma de cu doce o enfrentou, mas acabou perdendo (como sempre!). Quando ia matá-lo, Ikki de Fênix aparece do nada (como sempre!²) para proteger o seu ximãozinho fraco. Em uma conversa que durou cerca de 5 episódios, Mime explica o porque de ser emo e toda a sua merda de vida.

Utilizando-se do Golpe Gasparzinho Fantasma de Fênix, Ikki mostra para Mime que o homem que ele havia matado era mesmo o seu pai e não um impostor (ou não), deixando Mime ainda mais revoltado, fazendo-o tirar toda a roupa armadura e lutar no mano-a-mano com Ikki. Acabou morrendo à toa.

Sorento de Sirene[editar]

Ver mais no artigo: Sorento de Sirene

Cquote1.png Não adianta tapar os ouvidos, minha música... blábláblá Cquote2.png
Sorento sobre tapar os ouvidos ao ouvir a sua música
Flautinha.jpg

Sorento de Sirene é o único do quarteto dos Cavaleiros Músicos a ainda continuar vivo e pode dizer com orgulho e a plenos pulmões que sobreviveu ao encontro com os Cavaleiros de Athena. É um dos Generais Marinas, um grupo de escravos servos foderosos do Imperador dos Mares Poseidon. É possuidor da Armadura Escama Sagrada de Sirene (mas que se parece muito com uma galinha, se olhada de longe), que vem com uma exclusiva Flauta só para animar a situação.

A Escama de Sirene, não é que parece uma galinha mesmo?

Sua história de vida não contem nada trágico (diferentemente da de todos os Guerreiros-Deuses), se bem que nenhuma parte de sua vida é citada no anime. Aparece de vez em quando batendo punheta um descontraído papo do Kanon de Dragão Marinho e desconfiando das reais intenções do Cavaleiro sobre dominação mundial. É o fiel servo de Poseidon e um dos mais inteligentes também, tendo em vista que foi o único que sobreviveu (fora Kanon) à fúria destruidora dos Cavaleiros da Deusa Athena, que por onde passam deixam um rastro de destruição.

Lutou na Saga de Poseidon (adivinhem com quem?) Shun de Andrômeda (pelo visto ele gosta de pegar Cavaleiros Músicos) e mostrou para ele, "de pertinho", o poder que seu objeto musical é capaz de fazer. Invocou as Sereias para que elas matassem Shun. É a favor da Revolução do Mundo de uma forma pacífica, e, obediente às ordens do Imperador dos Mares, acata as ideias de inundar o mundo para o surgimento de uma raça mais perfeita (bem nazista tal ideia!).

Desistiu dos objetivos de Poseidon, quando descobriu que tais ideias não eram suas, e sim de Kanon de Dragão Marinho, que manipulava o Imperador dos Mares com o seu golpe Tinhoso Imperador Satã Imperial. Foi Sorento o iniciante da ideia de "Não adianta tapar os ouvidos, a minha música chagará diretamente ao seu cérebro e acabará com você... MWHAUHAUHAUHUA", copiada por todos os outros Cavaleiros Músicos. Ultimamente, segue carreira solo internacional, tendo em vista que todos os seus companheiros musicais estão sentados no colo do Capeta.

Faraó de Esfinge[editar]

Ver mais no artigo: Faraó de Esfinge

Faraó tocando o que sabe de melhor em sua harpa de bambú
Harpapequena.jpg

Faraó de Esfinge é o Cavaleiro Negro do Submundo, domínios comandados, à punhos de ferro, pelo Imperador Hades. Foi o Cavaleiro Músico que acabou morrendo pelas próprias mãos de outro Cavaleiro Músico (WTF?), Orfeu de Lira. É o utilitário da Armadura Sapuris de Esfinge, que foi (também!) agraciada com um instrumento musical, uma harpa (mais uma?) de bambú (só pra ficar mais diferente e gostosa).

Possui uma história de amor e ódio com o Cavaleiro de Athena (e outro integrante do Quarteto de Cavaleiros Musicais) Orfeu de Lira. Quando chegou ao Inferno (no sentido literal da palavra), Faraó tornou-se o músico oficial do Submundo, sendo o queridinho aos carinhos do Imperador Hades. Mas com a vinda de Orfeu para o Mundo dos Mortos e por ser um tocador "menos ruim" que o Faraó, Orfeu foi escolhido como o novo instrumentista do Reino dos Mortos, ganhando um pequeno aumento em seu salário, deixando o Faraó muito puto triste.

A armadura de Esfinge... já ví isso em algum lugar!

Eu sua luta contra os Cavaleiros da Deusa Athena, Seiya de Pégasus e (claro, ele não podia faltar nunca!) Shun de Andrômeda, Faraó faz jús ao fato do Imperador tê-lo trocado por Orfeu como músico do Submundo, atacando os Cavaleiros com uma música horrível e, mesmo que eles tapassem os ouvidos (aquela história toda do Sorento de Sirene), não adiantava escapar do seu poderoso golpe Balanço da Maldição (ou não, como Orfeu acabou provando). Utilizando-se do poder de sua lira, Orfeu salva os cavaleiros, salvos, descobrem que foi a trama de Faraó e Pandora que causou a permanencia de Orfeu no Submundo, e uma batalha é travada entre os dois músicos.

Balanço da Maldição vs Réquiem de Cordas (que Mime de Benetnasch também utiliza, mas é coincidência). A disputa está acirrada, Faraó de Esfinge consegue sobrepor o seu som sobre o de Orfeu de Lira, cortando uma corda de sua lira, justamente a que ele mais utilizava. Mas, só para humilhar o cidadão de cabelos ensebados, Orfeu toca a sua lira com a corda arrebentada entre os dentes (WTF? tu é doido é?) e consegue vencer o Faraó que acabou virando múmia perece.

Orfeu de Lira[editar]

Ver mais no artigo: Orfeu de Lira

Só pra humilhar a todos, Orfeu mostra que toca muito bem com a boca
LIRA.jpg

Orfeu de Lira é o fodão do Quarteto dos Cavaleiros Músicos (e não é a toa que é justamente ele o representante da Deusa Athena), mesmo não estando vivo pra continuar a carreira. É um Cavaleiro de Prata, mas considerado por todos com um poder equiparado aos Cavaleiros de ferro-velho Ouro (pura chacota, já que os Cavaleiros de Ouro perdem fácil para os de Cavaleiros de Bronze que já cansaram de vêce-los), possuidor da Armadura Sagrada de Lira (a única que vem com uma arma e uma constelação de mesmo nome). É o único que mostrou ter alguma relação com uma mulher que não seja somente no pensamento, tendo Eurídice como a sua amada.

Por uma puta duma sacanagem jogada do destino, acabou perdendo a mulher. Com muita coragem, foi atrás dela até o Inferno (e não utilizo de "sentido figurado", ele foi mesmo!) e pediu permissão ao Imperador Hades para trazê-la de volta. Concedido o desejo, depois de realizar alguns favores ao Imperador do Submundo, ele a leva de volta, porém, por mais uma sacanagem, agora armada por Pandora e Faraó de Esfinge, acaba ficando para sempre no Inferno, junto de sua amada petrificada. Acompanhando o trama citada acima, após Orfeu matar Faraó de Esfinge, ele deixa Eurícide morrer em paz e decide ajudar os Cavaleiros de Atena a derrotar Hades, aproveitando as suas constantes idas ao salão central do castelo de Hades para tocar-lhe algumas notas como uma oportunidade ao seu assassinato.

A armadura de Orfeu de Lira. Essa sim parece com o nome dela!

Ao chegar no local de sempre, se depara com os Três Juízes do Mundo dos Mortos: Radamanthys de Wyvern, Aiacos de Garuda e Minos de Griffon, além da vaca/puta paga da Pandora. Em maus lençóis, Orfeu se utiliza do seu só emotivo, baseado em músicas do Fresno para fazê-los dormir. Aproveitando o sono de todos, e com Shun e Seiya escondidos em uma baú com flores, bem seguros (ou não), decide dar cabo (ui!) de Hades sozinho. Porém, surpreende-se ao ser atacado por Radamanthys de Wyvern que, em louvor ao Deus Metal, não gostava de Fresno e nem escutou as músicas de Orfeu.

Com as poucas forças que ainda possuia, Orfeu conseguiu atacar o que ele pensava ser Hades, mas que não passava de um Genjutsu criado por Pandora, para fazer todo mundo achar que Hades estava no Inferno, sendo que ele estava "enfiado" no cu corpo de Shun de Andrômeda. Não podendo mais fazer nada, Orfeu é pego por trás por Radamanthys, que o utiliza como escudo humano para se proteger de Seiya. Orfeu, como último pedido, fala para Seiya atacar e não se importar com ele. Seiya vacila um pouco, mas acaba acatando o pedido de Orfeu e atinge os dois com um "Meteoooooooro de Pégasuuuuuus", porém matando somente Orfeu. Terminando assim com o quarto Cavaleiro Músico.

Curiosidades que ninguém sabia[editar]

Por pouco, muito pouco, eles não viram isso!
  • O primeiro Cavaleiro Músico que se tem notícia é de Sorento de Sirene, sendo que é ele que presenteia Hilda de Polaris com o anel de Sauron Nimbelungo.
  • Se os Cavaleiros Músicos se reunissem para um show, o dinheiro arrecadado seria uma mão-na-roda para a reforma dos templos de seus respectivos deuses, que se encontram totalmente em ruínas.
  • Os ataques de Mime de Benetnasch e Orfeu de Lira, por utilizarem dos mesmos instrumentos de combate (apesar deles insistirem que um utiliza uma harpa e o outro uma lira) possuem exatamente os mesmos golpes, se os golpes não tiverem o mesmo nome, com certeza tem a mesma função.
  • Sorento de Sirene foi o que iniciou o grupo e é o que irá terminá-lo, tendo em vista que é o único que sobreviveu às lutas.
  • Se continuassem carreira, o Fresno seria substituído por eles nas paradas emos do mundo todo, tendo em vista que sofrer (ou falar de sofrimento) é com esses cavaleiros mesmo.
  • O único instrumento que não é de cordas no anime é o de Sorento de Sirene, mas a função de "não adiantar tapar os ouvidos" é comum à todos os outros.
Cavaleirospredef2.jpg