Ceará Sporting Club

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Aviso importante: Futebolismo aqui NÃO, cazzo!
A Desciclopédia é um site de humor, logo, NINGUÉM aqui se importa pra quem você torce, seja a Seleção Brasileira, a Seleção Portuguesa ou a Seleção Argentina. Seja engraçado e não apenas idiota.


Ceará Sporting Club
Escudo do Ceará.png
Brasão
Hino É o "vovô" Ceará, vai tomar!
Nome Oficial Ceará Spobre Club
Origem link={{{3}}} Ceará - Fortaleza
Apelidos Carniça, Urubu, Kanal, Come Ovo, Time do esgoto
Torcedores Humoristas, kanalenses, esgotinos, ovinos
Torcidas Aquele seu avô que só reclama da vida
Fatos Inúteis
Mascote Velhinho do asilo
Torcedor Ilustre Didi Mocó
Estádio Pintão
Capacidade 5500 monas
Sede Esgoto
Presidente Desconhecido
Coisas do Time
Treinador Tom Cavalcante
Pior Jogador Nuvola apps core.png Maria Bonita
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png Lampião
Patrocinador Falcão
Time
Material Esportivo Disney
Liga Campeonato Brasileiro
Divisão 1.º Divisão MWAHAHAHAHAHA!
Títulos Festival da Rapadura 2008
Ranking Nacional PQP.º
Uniformes Uniforme02.jpg
Uniforme02.jpg



Cquote1.png Você quis dizer: Sem nacional Cquote2.png
Google sobre Ceará Sporting Club
Cquote1.png Que merda hein? Cquote2.png
Marinho, o maior ídolo da história do Ceará sobre seu próprio clube
Cquote1.png Aquele que está sempre na Série B, Ceará Cquote2.png
Desconhecido sobre Ceará Sporting Club
Cquote1.png Quando pagar o mês de novembro, eu jogo!. Cquote2.png
Atacante do Ceará sobre Ceará Sporting Club
Cquote1.png Eu 5 muito... Cquote2.png
Horizonte sobre Ceará Sporting Club
Cquote1.png Non acredito que essa carniça ecziste. Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Ceará Sporting Club
Cquote1.png Grande cliente! Cquote2.png
Produtor de ovos sobre Ceará Sporting Club
Cquote1.png Só não caiu de quatro porque foi de sete Cquote2.png
Torcedor do Sergipe (que time é esse?!) sobre Ceará Sporting Club
Cquote1.png Nós nos conhecemos em 94 na Série B, bem o Tiradentes caiu mais eles ficaram na B desde 94 Cquote2.png
Torcedor do Tiradentes de DF sobre Ceará Sporting Club
Cquote1.png Velho conhecido Cquote2.png
Tribunal de caus sobre Ceará Sporting Club
Cquote1.png Nóif eftamuf confencidof de que o Fiará, até o fim duf meuf dôif guferno, ferá o maior clube do Brasiu e do fiftema folar e quem fabe do univérfo Cquote2.png
Lula sobre Ceará Sporting Club
Cquote1.png 5.0 era o nome do seriado do Ceará Cquote2.png
Torcedor do Avaí depois da vitória de 5 x 0 no ceará sobre Ceará Sporting Club
Cquote1.png Meu vice Cquote2.png
Torcedor do Floresta sobre Ceará Sporting Club
Cquote1.png A pipa do vovô não sobe mais. Cquote2.png
Silvio Santos sobre Ceará Sporting Club

Ceará Sporting Club é um time pequeno que é considerado grande pela imprensa cearense (Inclusive foi daí que surgiu a fama dos cearenses serem humoristas). Disputou a Série A na época em que a bola era quadrada, mas voltou em 2009 para que em 2011 fosse rebaixado novamente pelo Bahia, o Siará entrou em campo e viu as cores do time tricolor e tremeu pensando que fosse seu rival.

Um ranking levantado pela Federação Cearense de Corrida de Jegue apontou os cinco times que mais vezes tinham sido vice-campeões e, adivinhem: até nesse o velhinho do asilo foi vice, daí a alcunha do seu campinho de parque dos vice-campeonatos.

O maior desejo dos torcedores da carniça é ver seu arremedo de clube manter-se na série B do campeonato brasileiro, pois só muito raramente o canelau do kanal consegue sentir um aroma puro da série A (Nem tão puro assim, pelo fato de que sempre quando joga é o saco de pancadas da competição), em uma ou outra partida do campeonato estadual cearense o clube consegue uma vitória. Quando joga contra o Fortaleza, o clube dos campeonatos apelidado Leão do Pici, o Siará quase sempre sai de campo derrotado, e quando ganha faz carreatas nas ruas da cidade, pois é algo raro, principalmente desde o ano 2000.

História[editar]

Fundação do Ceará[editar]

Este time surgiu em 1914 (e foi extinto em 1944), criado por um grupos de amigos que chutavam pedregulhos numa calçada e se convenceram de que eram habilidosos o bastante pra jogar futebol profissional. O time foi criado com o mesmo intuito que criamos nossos times peladeiros de fim de semana, só pra dar uma zoada mesmo, mas como estes eram mauricinhos mais frescos, fizeram um time com nome uniforme e tudo. Neste ano de fundação ainda era chamado de Rio Branco Football Club em homenagem ao Acre que era a fonte inspiradora do mal futebol do time recém-formado, e seu primeiro uniforme era rosa, copiando o Palermo da Itália.

Apenas um ano depois, em 1915, modificou o seu escudo, e depois o nome para Ceará porque surgiu uma moda nacionalista das instituições se chamarem pelo nome de seu estado, e as cores ficaram preto e branco ao invés do rosa por causa da crise das violetas que tornavam uniformes rosas difíceis de se confeccionar, enquanto um uniforme preto era só pegar qualquer uniforme, jogá-lo no esgoto e tirá-lo de lá preto.

Primeiros anos[editar]

Orgulha-se de ser supostamente o único time penta-campeão da Liga Metropolitana do Ceará ao conquistar em 1900 a.C. 5 títulos consecutivos, sendo que nem mesmo tinham sido oficializados como estadual, inclusive o clube inventou uma súmula para tentar convencer alguém de que esse penta foi algo real, porém usaram a velha opção de copiar e colar de forma errada, os inteligentes editores de seu site oficial copiaram o nome de um jogador criado nessa súmula e quando foram colar colocaram no lugar referente ao árbitro da partida, quem ver pensa que os árbitros na época podiam jogar (Mas é bem provável que isso tenha acontecido pois a Federação nem existia ainda). O Kanal aproveitou-se bem, porque nesta época o Fortaleza ainda não existia, time de quem viria a se tornar freguês de finais, sempre precisando recorrer, a partir de então, para auxílios extra-campo para ser campeão estadual. Em 2008 após ver seu rival disparando novamente em títulos estaduais o Siará consegue no tapetão o reconhecimento do penta fantasma, após reunirem vários juízes que torciam para o time do esgoto eles conseguiram ganhar nos tribunais o tal penta, a Federação não teve escolha a não ser oficializar esses títulos amistosos que aconteceram antes mesmo dela ser fundada, apesar disso a Federação por não ter aceitado a súmula que dizia que os árbitros poderiam jogar na época, ela resolveu colocar as 5 edições sem artilheiros, sem vice-campeões e reconhecendo o time do Kanal como único clube participante no período do falso penta.

1920 a 1940[editar]

Com o surgimento do Fortaleza, o Ceará parou de ganhar títulos, seria só uma triste coincidência para as vovozetes? A palavra "jejum" foi incorporada ao dialeto cearês já nesta época a partir dos anos 20 e 30, quando o Ceará já começava a se acostumar a longos anos sem títulos, todos perdidos para o Fortaleza.

Temendo tornar-se um time que ninguém se importa, o Ceará recorreu a uma atitude drástica, mas que deu certo, e começou a comprar juízes, dirigentes de outras equipes e funcionários da Federação Cearense, assim começando a ganhar seus primeiros títulos estadual no completo roubo. A tática deu tão certo que a quantidade de torcedores praticamente quadruplicou, pois pessoas mal-caráter e de péssimo gosto haviam aos montes no estado do Ceará para gostar de uma equipe dessas.

O primeiro título roubado já ocorreu em 1931, quando a Federação Cearense, mancomunada com o Ceará, de má fé antecipou o seu calendário fazendo com que o jogo da final coincidisse com a data em que o Oreo Futebol Clube (time de uma indústria de biscoitos que era uma grande revelação no Ceará) estivesse jogando a semi-final da Libertadores daquele ano lá em Bariloche na Argentina, de maneira que eles não puderam comparecer para a final do estadual cearense, que foi vencida pelo Ceará por W.O., título este que tirou o Ceará de seu terceiro jejum de títulos já em 1931.

Extinção do Ceará 1 e fundação do Ceará 2[editar]

Em 1944 o Ceará por exemplo, recusou-se a jogar o Campeonato Cearense pois a federação não havia concordado em subornar árbitros e comprar algumas partidas, assim sua diretoria ficou revoltada e o clube não apenas ficou sem jogar o restante do estadual naquele ano, como também foi extinto. E dois anos depois, mais precisamente em 1946, quando a federação recebeu uma grana irrecusável, fundaram outro Ceará e consideraram como sendo continuação do antigo Ceará (Como sempre o time do esgoto sendo ajudado, pois o clube anterior foi extinto, então não poderia voltar a existir) e o Ceará jogou o estadual na vaga deixada pelo Maguari, que foi extinto na marra.

Mais títulos roubados[editar]

Outro título cearense roubado muito famoso ocorreu em 1957, quando na final, temendo todo o poderio do famoso Usina Ceará, o time do Ceará começou a recorrer a uma série de catimbas, falácias e demais roubos e atividades extra-campo irregulares. Primeiro pediu adiamento da final ao alegar que 9 jogadores titulares do time contraíram hepatite B após uma noitada, reagendamento este que foi negado. Depois, no jogo, fizeram 3 gols de mão que foram validados.

Taça Brasil de 1964[editar]

Um suposto orgulho do pequeno Ceará é sua campanha pela Taça Brasil de 1964, quando chegaram a uma inédita semi-final. O que poucos dizem, é que para tal feito, foi necessário eliminar antes apenas meros 3 times, sendo eles o Confiança do Sergipe, o Náutico e o Fluminense de Feira... nem a Copa do Brasil é tão mole assim de se chegar numa semi-final. Aliás, perdeu duas vezes para o Flamengo.

Década de 70[editar]

Mantendo a ideia de ser campeão só se for roubado, tornou-se campeão cearense em 1971 logicamente roubado novamente. Na final contra o Fortaleza, quando a bola claramente não entrou no gol após último lance da partida, estranhamente tal arremate foi validado o que custou o título para o Ceará. Estranhamente o time estava outra vez em mais um jejum de títulos, que foi quebrado pela terceira vez com mais roubos.

Década de 80[editar]

Ao longo da década de 80 o Ceará estabeleceu-se como um mero time local, conhecido apenas nas proximidades da capital Fortaleza, ganhando apenas uns títulos cearense, todos uns mais roubados que outros.

Copa do Brasil de 1994[editar]

O Ceará chegou à final da Copa do Brasil de 1994 como a maior zebra da história da competição ao lado do Paulista de Jundiaí, mas ao contrário da equipe do interior paulista que não devia nada a ninguém e pode ser campeã tranquilamente, o Ceará pagou seus vários anos de ladroagem ao ser garfado pelo Grêmio na final.

Copa Conmebol de 1995[editar]

Graças ao vice de 1994, o Ceará garantiu direito de jogar a Copa Conmebol de 1995, a sua primeira competição internacional, da qual foi eliminado rapidamente sem nem viajar pra fora do Brasil, após dois empates com o Corinthians, precisando forçar orgulho de que pelo menos terminaram a competição de maneira invicta.

Século XXI[editar]

Em 2003, o Siará se torna o primeiro e único clube brasileiro a perder duas vezes no mesmo dia, o time apanhou pro gigante Boa Viagem pela Champions League pelo Campeonato Cearense e pro imbatível Fluminense de Feira pela Copa do Nordeste.

Em 2005, a carniça escapou fedendo de ser rebaixado para a Série C, e continuou escapando fedendo em 2006, por um apenas um ponto, inclusive escalou jogador irregular em uma das partidas do campeonato e tinha como punição o rebaixamento para a Série C de 2007, porém como nos tribunais o time é imbatível, permaneceu na Série B. No campeonato cearense, tornou-se acostumado a perder de clubes de renome, como Maranguape, Itapipoca, Icasa e Horizonte como no inicio de 2008 quando o time do kanal levou a primeira com um derrota de apenas 5 a 1 pra a grande e rica equipe do Horizonte. Após mais uma derrota para o Fortaleza, o presidente do Ceará, Eugênio Rabelo, depois de uma ditadura de 150 anos, renunciou, pois não suportava mais ver seu time apanhando.

No festival da rapadura de 2008, seus pipoqueiros atletas provaram que a perseverança traz bons resultados (ou não!) para aqueles que duvidaram do time, a primeira partida contra o Tabajara revelou Marrentinho Carioca, posteriormente vendido ao supracitado adversário mediante o pagamento de dois reais mais um quilo de farinha naquela que é considerada a maior transação feita na sua história, até então, a negociação mais vultuosa tinha sido a do craque Chico Pezão, vendido ao Mulambo Futebol Clube mediante pagamento de dois ovo de codorna.

Finalmente o acesso[editar]

O Ceará é o time do Brasil que mais vezes consecutivas jogou a Série B do Brasileirão, sendo indiscutivelmente o recordista e patrimônio da Série B, jogou esta competição de 1994 até 2009 (16 anos consecutivos) um recorde praticamente inalcançável. Infelizmente esta sequência de permanência na série B brasileira foi quebrada em 2009, após vários anos disputando para não ser rebaixado para a Série C, o Ceará finalmente fez uma boa campanha e subia para a Série A do Brasileirão, porém quando achavam que enfim o time do esgoto fez algo por merecer, descobrem que o time só subiu por causa de manipulações de vários resultados de jogos, até teve um jogo que o Kanal perdeu pro Paraná com gol de mão, mas como nos demais jogos o time kanalense foi ajudado e já era tudo combinado, esse jogo contra o Paraná serviu apenas pra torcida ter uma desculpa e dizer que o time subiu na raça, porém todos sabem que o time do esgoto foi beneficiado.

A campanha do Ceará na Série A de 2010 foi notável! O time foi cagado no começo, passando até pelas primeiras posições, enquanto a maioria dos times ainda comemoravam seus títulos estaduais o Siará que não ganhou nada (Apanhou em mais uma final de estadual para o seu pai Fortaleza) foi um dos poucos times que jogou sério no começo, quando os times começaram a jogar pra valer o time kanalense não conseguiu fazer as cagadas que estava fazendo e passou o restante do campeonato quase todo brigando pra não cair, e no final mais uma vez na cagada não apenas escapou, como conseguiu beliscar uma vaguinha para a Sul-Americana do ano seguinte para tentar jogar fora do Brasil dessa vez (Já que da outra que jogou competição organizada pela Conmebol saiu ainda na fase nacional).

Copa Sul-Americana de 2011[editar]

O Ceará, depois de 1995, consegue em 2011 sua segunda chance numa competição internacional de nível inferior. E novamente, sequer consegue viajar pra fora do Brasil, perdendo de 3x0 para o São Paulo FC.

Rebaixamento[editar]

Em 12 de junho de 2011, seu goleiro, após se aventurar como presidente da república e ser dispensado do time de handebol futebol do Fluminense, causou inveja em Goku, pois numa única surra levou quatro esferas do dragão, coisa que o supracitado sayadim só consegue após várias pêias.

Pelo campeonato brasileiro de 2011 não conseguiu repetir o feito cagado do ano anterior e rebaixou miseravelmente, retornando à sua rotina.

Volta às origens[editar]

Após a pequena e fugaz passagem pela Série A, voltou à sua rotina na Série B de time de meio da tabela. Com a volta da Copa Nordeste o Ceará sendo vice em 2014 e campeão em 2015 até anima a torcida, mas só mesmo os cearenses para acharem grandes coisas nesse campeonatinho que até o Campinense já ganhou uma vez.

3 derrotas em 4 dias[editar]

Em 1979 o Íbis conseguiu perder 3 partidas seguidas em apenas 6 dias. Até então esse feito jamais tinha sido superado e muitos especialistas do futebol acreditavam que esse recorde permaneceria com o glorioso Íbis eternamente. Mas eis que, em 2015, depois de 36 anos, contrariando toda a estatística e lógica, o Ceará Sporting Club supera o feito e consegue ultrapassar a marca histórica, sendo derrotado 3 vezes consecutivas em apenas 4 dias. Na quarta-feira dia 26/08/2015 pela Copa do Brasil perdeu em casa por 0x3 para o São Paulo, no dia seguinte na quinta-feira dia 27/08/2015 pela Copa Fares Lopes perdeu em casa de novo por 0x1 para o Ferroviário e já no sábado dia 29/08/2015 pela Série B perdia em Goiânia para o Atlético-GO por 3x2.

O mais engraçado de tudo isso é o fato dos três clubes terem os escudos praticamente iguais, inclusive as cores eram as mesmas. Talvez os jogadores do Kanal sofriam de daltonismo e no lugar do vermelho, preto e branco viram vermelho, azul e branco e tremeram como sempre.

A Torcida[editar]

A animada torcida do Ceará

O Kanal (nome pelo qual o Ceará é carinhosamente denominado pelos rivais) mesmo sendo um clube de segunda (Série B) possui uma torcida grande, afinal não é pouco o contingente de vagabundo, viado, caloteiro, criolo, mirim e demais seres que assinam o nome com o polegar direito no estado do Ceará. A torcida é conhecida por ser apaixonada (entre si, é verdade, mas num deixa de ser paixão) e considerada uma das maiores torcidas do Nordeste, sua torcida tem fama de quebrar inúmeras cadeiras nos estádios após o time apanhar em jogos decisivos, foi assim contra o Sport na final da Copa do Nordeste em 2014 (Ano que o Neto Baiano fez o gol do título e ficou frescando) e na final do Campeonato Cearense de 2015, após o time perder mais uma final pro Fortaleza a torcida kanalense ficou revoltada e quebrou 1.160 cadeiras. Mas até nisso o Ceará é vice, quebrando menos cadeiras que a torcida do Fortaleza quando se revolta pela perda de mais um acesso na Série C. Além disso o então presidente do clube com raiva de nunca ter sido penta de verdade deu um soco no árbitro da partida que não teve culpa nenhuma do time do Kanal tremer diante do Fortaleza mais uma vez.

Os apelidos da torcida são cearamor, canelau do kanal, urubuzal e carniçal, reunindo um magote de gente amarela empambada pelos gases pútridos do canal de esgoto que corre a céu aberto quase no meio do campo de treinamento do clube, gente essa que provém de várias classes sociais do estado, abrangendo desde a classe dos mais cagões, à dos simples mijões e pavorosos peidões.

Nenhum torcedor adversário consegue ficar mais de um minuto no meio da carniça, pois é logo sitiado e bombardeado pelos traques e puuums resultantes da digestão da dieta de arroz com ovo dos torcedores do canal. E aqueles infelizes que conseguem, têm seus pertences subtraídos pela corja alvisuja. Dados da PM cearense revelam que os índices de assalto na Região Metropolitana de Fortaleza chegam a reduzir cerca de 3556,7% durante as duas horas que coincidem com os jogos do kanal.

Segundo a mitologia greco-cearensina, a torcida da carniça descende de uma ninhada de urubus que nasceu na porra de um buraco no telhado da casa da Dercy Gonçalves, depois de uma transa entre um urubu velho, preto e baitola, e um urubu recém-nascido, branco e também baitola.

Destaque especial do clube são suas inúmeras torcidas organizadas, por exemplo:

  • RBA - Rodadores de Bolsinha Alvinegra
  • AAP - Alvinegros Adoradores do Pintão
  • USC - Usuários de Supositórios do Canal
  • UU - Unidos do Urubu-não-dá-o-bú (dá é o cú)
  • Cearaovo - Torcida Come Ovo

As Vovozetes[editar]

Típica imagem das torcedoras do Ceará.

É uma invenção criada pelo órgão que comanda a legalização da prostituição time do Ceará, para que torcedoras vão ao estádio para se prostituirem torcer a favor do seu time.

Estádio[editar]

Na sua sede no kanal mais pútrido da cidade encontra-se seu ridículo estádio, o conhecido Pintão, assim chamado até por setoristas que trabalham cobrindo o clube, e com capacidade para 5.500 monas alvipretas (vixe que é mona!). Ele é usado para a abicholada torcida do alvipreto se congraçar de vez em quando, principalmente em dias de apresentação das novas aquisições, a ruma de monas acorre para o estadinho para conferir "o jeito" dos novos atletas do time.

Hino[editar]

Come ovo com arroz, come ovo com arroz, come ovo e peixe queimado (2x)!

Teu passado é todo coberto de bosta,
Dia-a-dia, o rival tira vitórias,
Tua bandeira alvinegra está rasgada,
A derrota para ti é assegurada!

Campeão da marginalidade,
Tuas derrotas envergonham a cidade,
O povo sofre, e só faz chorar!

É tão ruim torcer pro Ceará!

És um time que sempre apanha,
O rival lá no campo só ganha,

Não tem craques, só fracos a apanhar,
Ceará, tua glória é rebaixar!

Apelidos ou demais denominações[editar]

  • SETEARÁ: Alcunha alcançada com a inesquecível derrota de 7 a 0 conquistada contra o temido Setegipe-SE (antigo Sergipe, que mudou de nome após o episódio).
  • VOVÔ: É o mascote do clube, retrata a imagem física do time, um véi, banguelo, imundo, esclerosado, que num põe medo em ninguém. Com a invenção do viagra cogitou-se que o pobre sairia do ostracismo que se encontra, mas foi tudo em vão, pois a mesma encontra-se inacessível ao velho, pelo alto preço. Um dia, quem sabe, o remédio passe a ser distribuído nas Farmácias Populares do governo Lula, o que poderia erguer o já cansado ancião.
  • KANAL: Na sede passa um esgoto
  • COME OVO: Teve jogador saindo e dizendo que lá eles só comiam ovo!
  • MARGINAIS FAVELADOS: A torcida com mais marginais do Nordeste
  • CEARAGAY: Óbvio!
  • Tinky Winkys: Jogaram de Roxo(Úii) como alusão a um time chamado Rio Branco. E também é apontado como um grande símbolo gay. Tempos depois o Corinthians copiou os uniformes alvigays.

Títulos[editar]

  • Não ser o time cearense com melhor campanha na Série A do Campeonato Brasileiro
  • Não ser o time cearense com melhor campanha na Série B do Campeonato Brasileiro (Mesmo sendo o time que mais jogou a segunda divisão com 30 participações)
  • Não ser o time cearense com mais títulos regionais
  • Não ser o time cearense com mais títulos nas categorias de base
  • Nunca ter jogado o Torneio dos Campeões
  • Nunca ter passado da fase nacional de competições internacionais
  • Ser o único time do Brasil a perder duas vezes no mesmo dia
  • Ser eliminado na Taça Fares Lopes por São Benedito e Iguatu
  • Perder de 7 a 0 para o Sergipe
  • Passar 16 jogos oficiais seguidos sem vencer o rival
  • Perder de 8 a 0 do maior rival
  • Ser freguês do rival em finais de campeonato
  • Ficar 8 edições do Campeonato Brasileiro sem jogar a competição (Sem divisão)
  • Ser oitavo colocado em uma edição do Campeonato Cearense (Ficando atrás de Estrela do Mar e Cavalaria na tabela de classificação)
  • Ser vice do Floresta na Taça dos Campeões Cearenses
  • Perder 3 vezes em 4 dias
  • Penta fantasma
  • Festival da Rapadura
  • Taça de quem é esse Jegue
  • Campeão do tapetão
  • Troféu Papai Cassiano
  • Copa do Ovo