Centro de Integração Empresa-Escola

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Ptbosta.gif Este artigo tá uma bostinha.
Ele está pequeno, chato e sem graça. Será que teria alguma alma caridosa capaz de fazer uma boa ação, tipo a de editar e colocar coisas engraçadas, de forma que ele fique mais engraçado e menos idiota? Só tome cuidado porque o Moderador Malvado está de olho em VOCÊ!
Carnaval3.jpg Foi golpe sim, companheiro...

Aê, meu, este artigo é verde-amarelo, mano! Só fala de futebol, come feijoada, exporta travestis, puxa o saco dos EUA, paga imposto pra caralho e põe a culpa no governo pela corrupção da sociedade.

O Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) é uma associação pilantrópica brasileira, criada pela união do desunido empresariado brasileiro com o Ministério do Desemprego e suportados de longe pelos Fundos de ação Roberto Malrinho. Tem como objetivo a promoção da prostituição de jovens no mercado de trabalho, por meio da oferta de estágios e outras formas modernas de escravidão, regidas pela lei do Aprendiz.

Logo da associação

A instituição afirma que essa promoção ajuda aos estagiários a integrarem o mercado de trabalho, já que nenhuma das empresa que os contratam gostaria de efetivar os pulhas, fazendo com que os ex-estagiários estejam preparados para ocupar chapas de fast-food, caixa de supermercado e outros sub-empregos que não são encarados nem pela turma do fundão do seu ensino médio.

Além disso, tem uma faixa de idade-limite para as vagas, que é de 24 anos, 11 meses e 29 dias, sendo que se você ultrapassar tal faixa de idade, a possibilidade de você ser chamado para uma vaga, mesmo que seja de estágio universitário se torna menor do que a de você acertar os SEIS NÚMEROS DA MEGASENA, passando a razão de um para uma incógnita cujo limite tende ao infinito, o que mostra que tal instituição só serve para o recrutamento de carne nova para a alegria do Seu Patrão, que além de te pagar uma merreca que pode ser inclusive inferior ao salário mínimo, ainda por cima pode receber subsídios em troca do seu empregamento na categoria de semi-escravo.

História[editar]

Se você completou essa idade, pode esquecer o CIEE.

O CIEE surgiu em meados dos anos 2000, quando o então pecuarista da fazenda Brasil, Roberto Marinho, resolveu ir tirar férias no inferno e ainda não tinha deixado alguma forma de fazer os bezerros trabalharem. Como o presidente tinha regulamentado a lei que permitia esse tipo de trabalho, o governo teve de criar a associação com o empresariado, oferecendo em troca alguns benefícios fiscais (como sempre).

Serviços[editar]

Desde a fundação, o CIEE oferece alguns desserviços como cursos defasados (como Flash I e II) ou inúteis — como se o curso de apresentação em Power Point fosse ensinar alguma coisa. O Ciee também ministra 'treinamento' aos jovens aprendizes em suas sedes, onde os estudantes cursam algumas besteiras teóricas quando não estão na escola.

Por fim, o centro oferece estágio pouco remunerados aos estudantes de ensino médio e superior, onde os candidatos tem de passar por um exaustivo processo seletivo e ainda tem que esperar pelo menos dois meses até a lista de aprovados ser divulgada, quando então os selecionadores começarão a chamar os aprovados. Até lá, o candidato já terminou o curso que estava fazendo, mostrando a eficiência da associação.

Ligações Externas[editar]

Site da entidade

Ver também[editar]