Chain Chomp

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Massacration.jpg Este artigo é metálico!

Ele é revestido ou banhado a algum metal ou liga que se encontra na tabela periódica. Se você corroer este artigo, Mordekaiser vai exterminá-lo!

Chain Chomp.gif

Chain Chomps são entidades demoníacas e sanguinárias que fazem parte do alucinógeno Universo Mario. Tais criaturas são muito conhecidas (e temidas) pelos assíduos jogadores dos games da franquia do bigodudo, principalmente em virtude de sua tremenda capacidade de te fazer perder algumas vidas com uma única mordida. Alguns afirmam que após a mordida de um Chain Chomp, eles perderam todas as suas 99 vidas e tiveram que voltar para o início da primeira fase do primeiro mundo em alguns jogos. Apesar de tudo, atualmente os Chain Chomps figuram entre os principais inimigos presentes nas séries, garantindo seu lugar de destaque na história dos jogos eletrônicos. Estes seres já apareceram em tudo quanto é porcaria de jogo da série, não apenas nos games principais, mas também em spin-offs com os quais ninguém se importa, em jogos esportivos que ninguém conhece e em jogos de tabuleiro que ninguém joga. A primeira aparição do Chain Chomp foi no arcaico e obsoleto Super Mario Bros. 3, um clássico e conhecido jogo lançado na época para o falido NES, onde você controlava um Mario com Síndrome de Down e pança de cervejeiro.


Descrição[editar]

Não se sabe ao certo qual a origem dos Chain Chomps, o que levanta a hipótese de esses seres serem na verdade oriundos de outra dimensão, muito além do alcance do limitado conhecimento humano. Eles são basicamente grandes esferas pretas com dentes e comportamento semelhante a um cão não-vacinado. Caso estes seres sejam realmente obras de outro mundo, há uma grande possibilidade de eles terem sido abandonados aqui pelos aliens ao lado do Chupacabras. Talvez o fato de terem sido abandonados pelos seus antigos donos seja a principal explicação para o seu comportamento hostil e mau humorado.

Flagra em primeira mão de um Chain Chomp na hora do café da manhã.

Caso você um dia se aventure em passear próximo a um Chain Chomp, se prepare para ter seu braço arrancado e devorado como se fosse um aperitivo de festas de gente rica. Entretanto, Chain Chomps não conhecem o significado da palavra discrição: em geral, ficam latindo de um lado para outro em alto e bom som e com seu bafo de ossos humanos digeridos. Por conta disso, qualquer pessoa com o mínimo de inteligência seria capaz de deduzir que estas monstruosidade representam um potencial perigo a vida.

Há quem diga também que os Chain Chomps sejam na verdade demônios enviados para este plano pelo próprio Satã, com o único objetivo de eliminar a raça humana da face da Terra. Também sabe-se que Chain Chomps são seres de difícil domesticação: relatos e restos mortais vestígios indicam que quase todos aqueles que tentaram domesticar uma dessas crias das trevas não sobreviveram para contar história. Os poucos sobreviventes saíram sem alguma parte do corpo ou no mínimo com um trauma psicológico para o resto de sua vida.

Como Chain Chomps são conhecidos por fatiar em finos e simétricos pedaços de carne qualquer um que ouse se aproximar, eles acabaram sendo presos em troncos de madeira, blocos de metal e pedregulhos gigantes, a fim de proteger a humanidade de sua sede sanguinolenta por caos e destruição. Apesar de tudo, boatos afirmam que algumas pessoas conseguiram domesticar Chain Chomps e os mantém em sua casa como cães de guarda pessoal, já que essas aberrações tem um grande potencial para dar cabo de qualquer vagabundo que ouse se aproximar das residências. Porém, caso isso seja verdade, não se sabe de que maneira essas pessoas conseguem acalmar o bicho. Tudo leva a crer que apenas psicopatas são capazes de ter um desses em casa, e que o mantém na linha ao sequestrar vítimas na rua e jogar na jaula do monstro. Acredita-se que o próprio Hannibal Lecter possui um, com o qual costuma dividir frequentemente o seu almoço.

História[editar]

A história dos Chain Chomps começa no pacato vilarejo de Pac-Man. Pac-Man, por ser o mascote dos Caça-Fantasmas sempre foi considerado um verdadeiro herói em sua terra-natal, sobretudo devido ao seu excelente trabalho como matador de espíritos, espectros e outras aparições das trevas. Por conta disso, ele era reconhecido em toda a região, servindo como símbolo de esperança e orgulho nacional. Muitas crianças queriam ser como Pac-Man, e o mesmo não podia sequer sair na rua sem ser assediado por uma revoada de fãs.

Chomp sentia tanta inveja de Pac-Man que tentou fazer de tudo para ser igual a ele, porém, fracassou miseravelmente. Posteriormente, ele teria sido processado por plágio e indenizado em 10000 coins.

Entretanto, nem todos os Pac-People gostavam de Pac-Man. Muitos os detestavam profundamente, em geral, movidos pela inveja, já que ao passo que Pac-Man era querido e conhecido por todos, eles não passavam de uns zé-ninguéns que boa parte da população local sequer sabia da existência, e quando sabiam, não davam um foda para sua medíocre existência. Um desses rejeitados não era ninguém mais ninguém menos que o próprio vizinho do Pac-Man, conhecido como Chomp, que detinha um ódio profundo por este. Não apenas pela inveja, mas também porque volta e meia Pac-Man realizava raves em sua casa, e convidava toda a cidade para festejar, e ficava até altas horas da noite ouvindo techno e trance, não deixando qualquer cristão dormir em paz.

Frustrado com sua vida de fracassos enquanto seu detestável vizinho era aplaudido até se falasse abobrinhas em rede nacional, não demora muito para que o pobre Chomp caia em depressão profunda, infeliz com sua própria existência. A cada novo dia, era uma desgraça diferente em sua vida, e quando se deu conta, já havia tentado o suicídio no mínimo umas três vezes (mas era tão azarado que em nenhuma delas ele conseguiu dormir). Todas as tentativas frustradas de suicidar-se abriram seus olhos: com certeza, havia algo superior por trás daquilo, que queria que ele continuasse vivendo.

Então, finalmente Chomp cai na real, e decide que ele deveria dar um novo rumo para a sua vida, e sair daquela situação deplorável. Ele então decide optar pelo caminho mais viável para conquistar seus sonhos e aspirações, e acaba caindo no mundo da drogas. Aquele emprego era perfeito, já que o crack, LSD e ecstasy andavam em alta no mercado ilegal, se tornando-se traficante, ele conquistaria o que jamais conseguira antes. Dessa forma, Chomp começa a comercializar substâncias ilegais por toda cidade, faturando uma grana alta como ninguém. Era questão de tempo até que superasse Pac-Man, e muito em breve, ele é quem o estaria invejando.

Transformando-se numa cria das trevas[editar]

Tudo ia muito bem até que certo dia, Chomp depara-se com um cliente inesperado. Para sua surpresa, o próprio Pac-Man o teria procurado em busca de LSD para sua próxima rave. Chomp fica espantado com aquilo, já que nunca imaginaria que alguém todo certinho e politicamente correto como Pac-Man seria chegado num bagulho. Entretanto, quando Pac-Man reconhece seu vizinho, ele sai correndo do lugar. Aquilo seria um problema, pois se essa fofoca caísse na boca do povo, a reputação de Pac-Man iria pro saco. Dessa forma ele entrega Chomp para as autoridades locais, e no dia seguinte a polícia destrói a boca-de-fumo e leva Chomp em cana, jogando-o numa cela suja, onde seus único companheiros pelos próximos anos seriam os ratos e as baratas.

Chomp depois de ter sido possuído pelo Capeta.

Anos mais tarde, Chomp é liberado mais da prisão por bom comportamento. Porém, seu ódio por Pac-Man tinha aumentado ainda mais, já que tinha perdido tudo o que tinha conquistado com seu negócio honesto e digno. Chomp então compra um tabuleiro Ouija na lojinha do 1,99, e por meio de uma série de rituais macabros, ele invoca o demônio, pedindo poder para destruir Pac-Man e sua terra-natal em troca de sua alma. Como o demônio não rejeita uma boa alma dando sopa, principalmente quando o próprio idiota vem oferecê-la para ele praticamente de graça, ele concede poder a Chomp.

Entretanto, nunca se pode confiar plenamente em um demônio, e por conta de não ter lido as linhas pequenas no contrato assinado, as coisas não saem como o esperado. Chomp acaba sendo corrompido pela magia de Satã, e começa a aumentar bruscamente de tamanho. Seus braços e pernas desaparecem, e os dentes de toda sua arcada dentária ficam maiores que e mais pontiagudos que estalactites. Chomp acaba perdendo sua consciência, e sua noção de realidade se esvai para dar lugar a uma animalesca fome por carne humana, devorando todos que passavam pelo seu caminho (e despedaçando alguns outros).

Assim que se dá conta de que seu povo estava servindo como sobremesa para uma aberração diabólica, Pac-Man liga para o o serviço de exorcismo do Vaticano, e eles enviam o padre Alexander Anderson para dar cabo do problema. Assim que chega no local, concentrando todo o poder de Cristo e de Saga de Gêmeos em seu crucifixo, o padre consegue acertar uma rajada de luz divina em Chomp, enviando-o para outra dimensão e o banindo completamente da terra-natal dos Pac-People.

Após viajar anos-luz pelo portal interdimensional, Chomp acaba caindo em Mushroom Kingdom. Passeando pelo local naquele momento, Bowser, após identificar o potencial destrutivo daquela estranha criatura que acabara de surgir sabe-se lá deus de onde (e também não importava, já que Mushroom Kingdom era um mundo alucinógeno onde nada mais surpreendia ninguém), decide capturar o bicho e fazê-lo de seu bichinho de estimação. Usando sua magia negra, ele consegue prender a monstruosidade em uma corrente no porão, transformando assim o antigo Chomp no agora Chain Chomp. Com a ajuda das células do monstro e de sua macumba, Bowser então cria Chain Chomps em massa, e os espalha por toda Mushroom Kingdom. Até hoje essas criaturas podem ser encontradas em pontos estratégicos, bloqueando caminhos importantes, ferrando com a vida de noobs e tocando o terror em encanadores e em todas as criaturas da natureza.

Primeiros relatos[editar]

A primeira aparição do Chain Chomp foi em Super Mario Bros. 3, um jogo criado pela Nintendo em parceria com um Tiranossauro, que fora lançado ao mercado de games ainda no Jurássico. Chain Chomp nesse game aparece em Desert Land, mais conhecido como segundo mundo. Desert Land nada mais é do que um pseudônimo adotado pelas autoridades de Mushroom Kingdom para se referirem ao deserto do Nevada, lar dos mais obscuros e sinistros acontecimentos.

Há uma alta probabilidade de este ser o primeiro Chain Chomp a ter chegado na Terra. Porém, por ser imediatamente identificado como uma potencial ameaça a vida na Terra, ele foi rapidamente contido e trancafiado no fundo de uma cela escura na Área 51. Nessa época, Bowser trabalhava como agente infiltrado no governo dos Estados Unidos, e tinha como hobby principal roubar criaturas aberrantes das instalações americanas e levá-las para Mushroom Kingdom, onde estas eram submetidas a um longo processo de adaptação e posterior reeducação, sendo treinadas com o único objetivo de destruir encanadores italianos.

Chain Chomps costumam ficar muito mais hostis e agressivos do que o normal caso submetidos a temperaturas escaldantes, motivo pelo qual não é uma boa ideia tentar criá-los no Nordeste.

Dessa forma, Bowser raptou o Chain Chomp e o levou para seu novo lar, transformando-o numa máquina destrutiva com o único objetivo de matar o próximo e tocar o terror nas pobres criaturas do deserto. E para Bowser aquilo era perfeito, pois com uma criatura como Chain Chomp ao seu lado, ele conseguiria dominar Desert Land em menos de um mês, já que não existia criatura naquele fim de mundo com força (e coragem) suficiente para enfrentar um bicho daqueles.

Sabendo que uma monstruosidade como aquela tinha tomado conta do pedaço, os pobres e fracotes habitantes do deserto se viram obrigado a procurar por ajuda de terceiros, já que eles não serviriam nem para limpar os dentes do Chain Chomp caso o desafiassem. Eis então que um bom samaritano, portador de um legítimo bigode de escova de penico, que estava de passagem por ali para tentar salvar um princesa aleatória de uma dragão-tartaruga macumbeiro, decide ouvira história daqueles pobres coitados.

Como aquele indivíduo era mais um desses mocinhos clichês que gostavam de ser politicamente corretos e carregar o mundo nas costas, ele aceita ajudar os indivíduo, se comprometendo a dar cabo do Chain Chomp, que por sinal, já tinha devorado 12 viajantes só naquela tarde. Assim que fica frente-a-frente com o bicho, Mario percebe a fria na qual tinha se metido, já que o monstro era muito mais aterrorizante e apelão do que aparentava. Se que ninguém estivesse vendo, Mario decide sair de fininho sem que ninguém percebesse, deixando o povo da região à Deus dará.

Porém, mais tarde Mario fica com um peso na consciência por ter deixado a sorte decidir o destino daquelas pobres almas, e então decide tomar vergonha na cara de uma vez por todas. Mario estava decidido a acabar com a raça daquele bicho nem que fosse a última coisa que fizesse em vida. Para tal, ele decide se munir de todas as bugigangas que estavam ao seu alcance: cogumelos alucinógenos, estrelinhas lisérgicas e cascos de tartarugas humanoides. Mesmo sendo imponente e amedrontador, nem mesmo Chain Chomp era páreo para tamanha apelação, e assim que Mario usa toda aquela tralha contra ele, o pobre animal sucumbe, deixando assim Desert Land livre de sua era de terror. Posteriormente, Mario teria sido recompensando pelos moradores do deserto com um kit de drogas cogumelos coloridos raros, cada um responsável por um efeito único e característico no organismo.

Tornando-se capachos de Bowser[editar]

Não é à toa que Bowser o designou para ser um de seus guardas: Chain Chomps são ótimos na hora de proteger coisas importantes de arruaceiros, vândalos e criminosos de todas as espécies.

Vendo que sua influência no deserto tinha perdido força graças a derrota humilhante do seu primeiro Chain Chomp, Bowser decide apostar numa manobra mais ousada. Assim, com a ajuda de seus diversos contatos dentro das empresas de transporte de carga, Bowser passa exportar Chain Chomps para toda Mushroom Kingdom, visando o domínio de inúmeros pontos estratégicos importantes que lhe ajudariam em sua empreitada rumo a dominação mundial. O primeiro passo, é claro, era enfraquecer Mushroom Kingdom, e a melhor maneira de fazer isso seria abalar o povo, sequestrando para isso a líder política do reino, Princesa Peach. Após raptá-la e jogá-la num pântano pútrido afastado da civilização, com crocodilos e tartarugas mutantes como seus guardas, Bowser toma posse do castelo de Peach, realizando um antigo sonho de consumo, já que o castelo de Peach era o único do reino que possuía sinal Wi-Fi e TV por assinatura.

Com sua macumba, Bowser transformou todos os quadros do castelo em portais dimensionais para universos paralelos. Como Bowser queria paz e sossego para assistir aos seus seriados na Netflix, ele decidiu transformar cada um dos fragmentos da chave da porta para o cômodo em que se encontrava em estrelas, e as distribui entre esses reinos. Assim, com seu estoque de Doritos com Coca-Cola, ele estava certo de que ninguém atrapalharia suas maratonas de séries. Porém, Bowser deparou-se com um problema: um desses universos paralelos era povoado por terroristas kamikazes, liderados por King Bob-omb, um dos inúmeros discípulos que Bin Laden deixou antes de bater as botas. Como Bowser já o conhecia e um não ia com a cara do outro, era arriscado demais deixar as estrelas naquele reino sem a devida proteção.

A origem do confronto milenar[editar]

Chain Chomp perseguindo um típico vagabundo ladrão de estrelas.

Bowser decide enviar também vários de seus capangas para vigiar essas estrelas e garantir que seu inimigo traiçoeiro não as tentasse roubar. As lutas acirradas e frequentes entre os capachos de Bowser e o exército de King Bob-omb acabaram por render ao campo de batalha alcunha de Bob-omb Battlefield. Dentre os mais temidos seguidores de Bowser, estava o aterrador Chain Chomp, que ficou com a missão de proteger a estrela de localização mais indiscreta e estúpida de Bob-omb Battlefield, não apenas do exército inimigos, mas também de ladrões pés-de-chinelo que tinham interesse em vendê-la a um preço altíssimo no mercado negro.

Chain Chomps são os animais de estimação preferidos dos sociopatas, superando de longe os pitbulls.

Entretanto, enquanto movia seus batalhões, Bowser não contava com uma coisa: a própria Princesa Peach tinha seus próprios seguidores fiéis, que fariam de tudo para resgatá-la do pântano (e experimentar o bolo de chocolate que ela fazia). A frente dessa força-tarefa de resgate, estava ninguém mais ninguém menos do que Mario. Mario, por meio de fofoqueiros e X9's infiltrados entre as tropas de Bowser, ficou sabendo que para salvar a princesa precisaria dar um chute no traseiro de Bowser (de novo), e que antes, precisava encontrar os fragmentos da chave transformados em estrelas.

Assim, o jovem encanador parte rumo aquele caótico mundo, e ao chegar lá já sai pintando o 7, enchendo de sopapos toda criatura que cruzava seu caminho (inclusive alguns pobres coitados que só estavam por ali de passagem). Após juntar até o coitado do King Bob-omb no sarrafo e conseguir 5 das seis estrelas que encontravam-se naquele fim de mundo, só lhe resta a mais difícil de todas, que por coincidência (ou não), era a estrela guardada pelo destemido Chain Chomp. Até mesmo Mario estava hesitante em enfrentar a fera, já que sabia do potencial destruidor que o monstro possuía, e Mario decide ir para casa dormir e pensar numa estratégia de ataque para o dia seguinte.

Naquela mesma noite, porém. Mario recebe em sonhos a visita de uma entidade ancestral portadora de sabedoria e conhecimento infinito. O ser denominava-se Wisemon, e após consultar as estrelas, cochicha no ouvido de Mario o que ele deveria fazer para dar cabo da monstruosidade e conseguir a estrela. Assim, no dia seguinte, seguindo a risca as instruções do dito cujo, Mario parte para o ataque: coloca veneno de rato numa pizza de calabresa e joga para o Chain Chomp. Como essas criaturas possuíam uma fome insaciável, ele dificilmente se recusaria a comer aquele rango fácil dando sopa. Dito e feito: as coisas saem como esperado, e após devorar a fatia de pizza, o monstro começa a se debater de dor e se contorcer em agonia. Quando o veneno começa a atingir o sistema nervoso da criatura, ela perde totalmente a noção de mundo, e bate com a cabeça no portão que guardava a estrela, quebrando-o e permitindo que o bigodudo passe a mão na mesma sem maiores dificuldades.

Não se sabe ao certo o que teria acontecido com o Chain Chomp em questão, mas é bem provável que ele tenha percorrido um longo caminho, em meio a latidos desesperados de sofrimento, até que finalmente seu cérebro parou de funcionar e o fez cair duro no chão. Posteriormente, ao ter conhecimento da morte de seu irmão mais velho, toda a raça dos Chain Chomps declarou guerra ao sanguinário encanador bigodudo, perseguindo-o em jogos de tabuleiro, kartródomos clandestinos e até em galáxias bugadas. Reza a lenda que até os dias de hoje, o psicopata vermelho não consegue nem ir ao banheiro em paz sem que hordas de Chain Chomps atentem contra sua vida miserável em busca de vingança.

Ver também[editar]