Chakal

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapaminas.gif Minas Gerais... quem te viu, não te esquece jamais...

Uai, sô! Este artigo foi inscrito pur um minerim! Se ele inda num tá completo é por causo de que o disgramado deve tá comeno um pão de quêjo, um paster de milho ou a vaca atolada da tua mãe purque minêro come quéto!

Passarinho.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Chakal é uma banda de forró metal criado nos anos 80 por Marcelo Laranja (que tem esse apelido por que trabalhava na feira vendendo laranjas e certo dia seu pai o pegou transando com uma garota encima da banca) e pelo comunista de origem russa Vladimir Korg (que fundou a empresa de teclados que leva seu nome).

A Criação[editar]

Das profundezas do inferno até você!!

Korg um humilde gerente de uma loja de teclados decide criar uma guerrilha para derrubar a ditadura e instaurar o comunismo no Brasil com ele e sua namorada Marília (ex-gerente de cabarés) a frente do novo governo Korg então decide por chamar dois de seus antigos colegas de escola para fazer parte da guerrilha o magrelo Mark (parente de Lampião), Guilherme ex-jornalista da globo que após ser demitido jurou vingança contra Roberto Marinho mas não concluiu antes deste bater as botas,também é chamado pra guerrilha o ex-traficante Pepeu que saiu dessa vida e jurou vingança contra seus ex-colegas criminosos e por fim Marcelo o cara que faz sexo na banca de Laranjas. A experiente Dilma Rousseff (que mais tarde chegaria ao poder) também foi chamada para o grupo mas se recusou por que era fiel a religião de Mao diferente de Korg adorador de Lenin.

Atividades guerrilheiras e entrada na música[editar]

O grupo guerrilheiro denominado Chakal logo espalhou terror por Belo Horizonte nós anos 80 ,vários assaltos a bancos,sequestros de gatinhos,ataques a bailes funk (onde Pepeu tentava encontrar seus inimigos), em pouco tempo a guerrilha ganhou força e começou a meter medo na ditadura, Korg foi colocado na "lista negra" da ditadura (provavelmente por que devem ter deixado cair muita tinta preta quando fizeram a lista) o exército cassava os guerrilheiros incansavelmente ,mais eles sempre conseguia fugir ,até que quando Korg e Marília decidiram fazer um forró para comemorar a queda de um reduto dos paramilitares de direita(liderados pelo Alien Roberto que mais tarde com Korg formariam a banda O Peido). o exército atacou de surpresa na calada da noite e conseguiu prender Korg e os 5 cangaceiros líderes do tal movimento. Após passar quase um ano na prisão a tropa sai devido ao pagamento de fiança devido a grana de Korg na empresa de teclados e as laranjas de Marcelo, eles decidem por abandonar sua ideologia e formar um grupo de forró e axé com o mesmo nome da guerrilha, Marília decide por se unir a um grupo de garotas evangélicas e formar a banda Placenta Fernanda Brum fez parte dessa banda até brigar com as colegas o que levou o fim do grupo.

Anos mais tarde Korg saiu da banda e junto com seu antigo inimigo o Alien Roberto e Rapadura da Tropa de Malucos do SBT criam a banda The Misto Quente , cantando sobre as histórias que aconteceram com eles quando frequentaram a casa da família Adams. Até o novo baixista trair Korg e dar encima de sua esposa Marília ,eles brigaram feio Korg quebrou seu teclado na cabeça do baixista novo e saiu pela porta dos fundos anos mais tarde Korg influenciado por André bombadão e malvado retorna para o Chakal e volta a cantar músicas de louvor com seus antigos amigos

Discografia[editar]

Integrantes felizes por produzirem mais um cocô álbum.
  • 1986 - War Gay
  • 1987 - Abominable Snowman
  • 1988 - Tales of the Little Girl
  • 1990 - The Man eating the Jackal
  • 1993 - My Business is down
  • 2003 - Disneyland
  • 2004 - Presiding Demon
  • 2013 - Beating,Beating,Beating!

Integrantes atuais[editar]

  • Vladimir Korg - vocal,teclado,macumba
  • Marcelo Laranja - Baixo e viadagem
  • Mark - guitarra e aparelho de musculação
  • Guilherme - bateria e latas velhas
  • André Malvo - guitarra e bombas