Chapadão do Céu

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
O Rio Aporé é o último obstáculo para quem quer fugir de Goiás.

Chapadão do Céu é uma bucólica cidade do interior de Goiás, as suas belas paisagens floridas repletas de camponeses recolhendo esterco em muito lembra aquelas o feudalismo da Idade Média, trocando-se os castelos por casas de pau-a-pique, as tavernas por botecos imundos e as princesas por barangas gordas sem dentes.

Chapadão do Céu é a última fronteira antes de alguém conseguir fugir de Goiás... Ah! Mas é o Mato Grosso do Sul do outro lado do Rio Aporé, então não estará ganhando nada mesmo, é melhor se matar.

História[editar]

A moderna rodovia de entrada de Chapadão do Céu.

Tudo começou no século XVIII, quando certa vez, um bandeirante conhecido como Alberto Rodrigues da Cunha que trabalhava numa fazenda de Jataí, estava executando uma limpeza anal nas vacas de seu patrão quando por acidente o seu braço enganchou no ânus do animal que sai em disparada caindo a ribanceira levando o pobre Alberto junto. O homem que havia batido a cabeça consecutivas vezes nas rocha sobreviveu, porém ficou lesado, dizia ouvir vozes que o mandavam para o sul, para onde foi, e então no sul de Goiás desbravou valentemente o cerrado e ficou por anos cortando mato fazendo trilhas e estradas. Aos poucos outros caipiras com problemas foram se ajuntando por ali, até surgir diversas fazendas.

Até o século XIX todo aquele mato pertencia à Jataí, e era oficialmente reconhecido como "longínqua fazenda de Jataí".

séculos se passaram e aquela terrinha nunca progrediu ou evoluiu, até 1970 quando de uma hora pra outra surge uma estrada chamada BR-060, e com ela o povo descobre aquelas planícies do Parque Nacional das Emas, e então aquele outrora fim de mundo se transforma num grande polo ecoturístico, e tudo parece ir às mil maravilhas mas como só existe prefeito incompetente nessa birosca, a cidade em si nunca progride, os turistas vem, comem suas mulheres, deixam uns trocados e vão embora achando por motivos óbvios a Chapada dos Veadeiros um local bem melhor devido à existência de civilização (água, eletricidade, essas coisas que não existem direito em Chapadão do Céu).

Em 1981 Chapadão do Céu foi urbanizada ao ser elevada à município, mas não foi grandes coisas.

Atualmente é uma cidade que se orgulha por possuir um dos melhores índices de qualidade de vida de Goiás, mas como estamos falando de um estado pra lá de fudido, isso está longe de ser alguma vantagem.

Geografia[editar]

Cidade cercada de capim, mato e muito barro. Experimente ver Chapadão do Céu em fotos de satélite, está localizado literalmente no meio do barro.

É uma das cidades "cortadas" pela BR-060, a estrada de quem errou o caminho para o Triângulo Mineiro e por onde trafega o lendário motoqueiro fantasma.

População[editar]

População formada por grande número de veados, antas e emas. Dizem também que há uma pequena comunidade de pouco mais 5.000 de uma raça humana, conhecida como caipira.

Turismo[editar]

Toda a beleza de emas nas plantações de soja que só as paisagens de Chapadão do Céu pode oferecer.

Chapadão do Céu é um grande polo goiano do turismo ecológico. Aquele turismo que o povo vai pro meio do matagal se esbaldar. Há várias opções para os visitantes:

  • Águas emendadas do Angiquinho - Local que normalmente deveria ser altamente protegido por se tratar de uma zona de nascentes de importantes rios, mas como virou atração turísticas, abriu-se vários quiosques por ali e o povo não tem dó de jogar todo o lixo na pobre nascente.
  • Canyon do Rio Sucuriú - Literalmente um cu imenso cheio de mato lá no fundo. O que o pessoal vê de turístico nisso eu não sei.
  • Corredeiras do Rio Formoso - Trecho do Rio Formoso onde um pessoal bem desocupado mesmo vai fazer competição de canoagem.
  • Morro do Pião - O maior formigueiro do mundo.
  • Parque Lago Água Amarela - Parque que inclui piscinas, toboágua, quadras, campos, pistas, infra estrutura de esportes e lazer. Claro que isso é só no folheto turístico.
  • Parque Nacional das Emas - Chapadão do Céu é a porta de entrada para quem quer perder tempo visitando o famoso Parque das Emas. É um bom lugar para acampar por ser uma região repleto de animais como onças e lobos-guará que te devoram enquanto você dorme.
  • Praínha do Formoso - Que elogio chamar de "praínha", é só um bando de barro na margem do rio.
  • Rio Jacuba
  • Salto do Rio Formoso - Águas cristalinas próprias para o banho de adultos. Eita diversão de pobre tomar banho no rio.
  • Cachoeira do Requeijão - Cachoeira de 12 metros que recebeu esse nome porque é o destino de quem cai lá de cima, virar requeijão.
  • Saltos do Rio Prata - Várias cachoeiras do Rio Prata repletas de grutas e outros lugares repletos de mosquitos e morcegos.