Chapecó

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Ponte-HLuz.jpg Se quésh quésh, se non quésh, dish!

Este artigo é catarinense! Já entrou em coma alcoólico na Oktoberfest, sabe o que é boi-de-mamão, tem um poster do Guga e pensa que é alemão!

Venha para o lado barriga-verde da força você também!

Mafiapre.jpg PORCA PUTTANA!!

Questo articolo è 100% made in Italia ed è sotto il controllo di Cosa Nostra! Perciò sta' bene attento a dove metti le tue manacce zozze o i nostri amici verranno a casa tua per spezzarti le gambine!

Cquote1.png Você quis dizer: "Cú de Mundo"? Cquote2.png
Google sobre Chapecó

Cquote1.png Você quis dizer: "Chapecú"? Cquote2.png
Google sobre Chapecó
Cquote1.png Você quis dizer: "Chapecó-có-có-có"? Cquote2.png
Google sobre Chapecó
Cquote1.png Você quis dizer: "O Fim Da Picada"? Cquote2.png
Google sobre Chapecó
Cquote1.png Você quis dizer: "Lugar Onde Judas Perdeu As Calças"? Cquote2.png
Google sobre Chapecó
Cquote1.png Você quis dizer: "Alpes Suínos"? Cquote2.png
Google sobre Chapecó
Cquote1.png Você quis dizer: "Triângulo das bermudas"? Cquote2.png
Google sobre Chapecó
Cquote1.png Chapecó, a cidade de uma bodega só. Cquote2.png
Turismo sobre Chapecó
Cquote1.png nene escapa da estrada e vai tira o leite das vaca Cquote2.png
Habitante de Chapecó sobre Chapecó
Cquote1.png Na União Soviética o Fim do Mundo mora em VOCÊ Cquote2.png
Reversal Russa sobre Chapecó
Cquote1.png Eu tenho medo Cquote2.png
Regina Duarte sobre Chapecó
Cquote1.png Chapeco!? Xaxim!!!! Cquote2.png
Pescadores em margens distintas do rio sobre se o outro já pegou algo.
Cquote1.png Lá só tem índios, torcedores do grêmio e inter Cquote2.png
Outros Catarinenses sobre Chapecó
Cquote1.png Chapecó faz fronteira com Chapecó Cquote2.png
Moradora local sobre Chapecó
Cquote1.png "Ei hômi, vamo comprá um cocão e sentá nas escada?" Cquote2.png
Habitante de Chapecó sobre sua programação da tarde
Cquote1.png O Centro do Longe de Tudo Cquote2.png
Album de uma banda de Chapecó sobre Chapecó
Cquote1.png Compus uma peça em homenagem à cidade, mas nunca encontrei-a-o-lo-ei pra entrega-la Cquote2.png
Johann Sebastian Bach sobre Chapecó
Cquote1.png É uma brasa, mora! Cquote2.png
Roberto Carlos sobre Chapecó
Cquote1.png "Pede pra sair!!" Cquote2.png
Capitão Nascimento sobre Chapecó
Cquote1.png "Se eu pudesse eu matava mil!!" Cquote2.png
Jeremias sobre porcos e frangos na Sadia em Chapecó
Cquote1.png "CRÊÊÊÊINNNDIOS PEDRO LOCO!!!" Cquote2.png
Cidadão da periferia sobre Chapecó
Cquote1.png "Eu ainda boto fogo nessa cidade." Cquote2.png
Psicopadre sobre Chapecó
Cquote1.png "Tem índios lá?" Cquote2.png
Cidadão do litoral catarinense
Cquote1.png "Sarte menégo iam! Comprimu imçúcia" Cquote2.png
Trabáiadô da Sadia
Cquote1.png Foi aqui que a mãe de uma menina tentou me estrupar Cquote2.png
Roger sobre Chapecó

História

São diversas as hipóteses relacionadas à origem e ao significado do nome do município. Todavia, a suposição mais difundida aponta "Chapecó" como vocábulo de origem Kaingang, que significaria "Donde se avista o Caminho da Roça". À parte a ocupação da região por povos indígenas - sobretudo kaingangs e em menor proporção guaranis - desde tempos imemoriais, acredita-se que os primeiros exploradores a percorrer o oeste catarinense tenham sido bandeirantes paulistas, ainda no século XVII. Há, entretanto, historiadores que sugerem que a região já teria sido pisada por homens brancos em meados do século XVI. De qualquer forma, pode-se afirmar que o território que atualmente compõe o oeste de Santa Catarina foi pouquíssimo explorado até pelo menos o início do século XIX. A partir de então, em função de uma frente agro-pastoril vinda do norte, a região passa gradativamente a ser ocupada por criadores de gado. Tal fato está relacionado com a descoberta, por volta de 1839, dos chamados "Campos de Palmas", os quais vinham sendo procurados havia tempo por fazendeiros que já tinham ocupado os campos de Guarapuava. Dessa forma, graças à demanda dos pecuaristas guarapuavanos por novas áreas de pastagem, grandes porções do atual oeste catarinense começaram a ser ocupadas por fazendas de criação. Com a expansão das atividades pecuárias, surge a ideia de abrir-se uma estrada - ou caminho de tropas - que ligasse os Campos de Palmas à região missioneira do Rio Grande do Sul, a fim de viabilizar uma nota rota de tropeiros no sul do País. A abertura desta estrada - que ficou conhecida como "Caminho das Missões" - deu-se por volta de 1845, e para tanto foi decisiva a atuação do Índio Condá. Cacique kaingang de grande ascendência sobre os índios da região, Condá, que relacionava-se bem com os novos povoadores brancos, concordou em apaziguar os indígenas que habitavam os lugares por onde passaria a futura estrada de tropas. O "Caminho das Missões", logo após ter sido aberto, passou a receber um grande fluxo de tropeiros. Esta nova rota lhes era vantajosa porque encurtava consideravelmente o trajeto entre o sul do Brasil e as feiras de gado de São Paulo. Além disso, passando por ali as tropas escapavam dos tributos devidos à Província de Santa Catarina, caso utilizassem o antigo "Caminho de Viamão", que passava por Lages. (Até essa época, a região que atualmente faz parte do oeste catarinense pertencia à Província de São Paulo) O intenso fluxo de tropeiros que passou a existir na região foi responsável pelo aparecimento dos primeiros núcleos de povoamento, que surgiram nos locais de pouso e descanso das tropas. A cidade de Chapecó, de fato, desenvolveu-se a partir de um desses peculiares agrupamentos populacionais. Percebe-se, dessa forma, a importância do tropeirismo para a economia regional na segunda metade do século XIX. Concomitantemente, passou a ser relevante a atividade extrativista de erva-mate na região.

Origem do Nome

Sábios contam que Chapecó significa em tupi-guarani "lugar de onde se avista o caminho da roça", o que não deixa de ser uma contradição, já que ali é que é a roça, mas é lógico, pois de ali se observa todas as estradas que até ali chegam! Porém a origem real do nome é de conhecimento de todos os verdadeiros estudiosos, do episódio dos colono que tavam pescando nas margens do rio Uruguai e que gritaram um para o outro: "Chapecô??" e o outro respondeu "Xaxim, mas foi Xanxerê" e o um:"Então Faxinal", dando o nome a essas três colônias do velho oeste. - Mas cientistas especializados em sobrevivencia humana certificam que os seres que vivem nesta determinada cidade nomeada de CHAPECÓ vem de outro mundo, outra galaxia pois seria quase impossível residir em uma cidade longe de tudo e de todos, "É intediante viver no meio do mato" certificasse um sobrevivente da cidade senhor Jauseslindo Tucunavara. Eis que agora entramos em um verdadeiro misterio daonde vieram os Chapecoences? Terian uma ligaçao com os Aliens? Ou seriam seres superdesenvlvidos em treinamento? não se sabe a verdadeira resposta para todas essas perguntas interrogativas.Continue...

Economia

Porco Mutante criado pelo lixo tóxico

Chapecó é uma cidade que sobrevive com base no setor primário, a agricultura, entre eles, criação de porcos mutantes e plantação de tomates assassinos. Também ganha muito dinheiro armazenando o lixo toxico e os utilizando como merenda, o que faz as crianças desse lugar nascerem com sérias disfunções e acabam virando play boys emos e outros bichos mais. Alem da exportação de Lombadas Eletrônicas e por multas de rebaixados que isso é uma estupidez total!

Cultura

A cultura é ampla na cidade, com destaque para a suinocultura, agricultura e frangocultura. Outra forma de expressão encontrada pelos habitantes é a pirocultura (mania de incendiar coisas), desde 1950 quando queimaram a catedral e O clube cidade, até mais recentemente quando o gigantesco estátuo do "Ronaldinho Sacucho" todo feito de papel higiênico machê, com cerca de 8 metros de altura e 35 metros de crepusculo peniano, mais recentemente uma outra estátua de papel machê, também teve seu fim decretado pelas chamas da cidade.

Entre as lendas destaca-se a do Psicopadre, padre maníaco que, cansado de pregar aos colonos burros, ateou fogo na cidade. O incidente culminou com o linchamento do pobre padre. Atualmente, após sua morte, o Psicopadre habita o fundo da lagoa do Goará, onde é comumente confundido com sapos e algas pelos banhistas.

Geografia

Apesar de os moradores jurarem que moram no Rio Grande do Sul, a cidade fica perto da cidade conhecida de Coronél Freitas, ou CF (Caipiras Frutinhas), fazendo fronteira com o Uruguai. Chapecó é situada junto eixo X de Santa Catarina: Xaxim, Xanxerê, Xavantina e Faxinal. Existe até mesmo um rio que foi batizado com o seu nome, cuja cor da água varia muito, em razão das altas quantidades de lixo tóxico jogado ali. Antes deste lixo tóxico começar a ser utilizado como merenda, esse o rio era seu destino.

População

Gremistas(60%), Colorados(40%) e Colonos(99%), que usam como principal meio de locomoção o Trator, existe também, mas em pequena quantidade, uma espécie única de malacos(1%), adaptada a viver no campo. Não existe população urbana, sendo composta de 191% dos habitantes residem na área rural.

Um Trator, principal meio de locomoção dos colonos moradores de campo.

Um fenômeno cultural chamado êxodo rural consegue fazer com que toda a população urbana da cidade resida em Florianópolis, Curitiba e Porto Alegre, basicamente espalhada nos cursinhos e faculdades destas.

Um fenômeno interessante que ocorre em Chapecó é que os tratores carros na cidade não necessitam de sinaleiras,existem placas de PARE só que invés de estar escrito PARE nas placas esta escrito ÔÔÔÔHHH cavalo... Isso tem um impacto importante na venda dos carros que tem seu valor diminuído, o que para os chapecoenses é um fator vital (literalmente vivem pra seus carros, ou como dizem ali "caros" ou autos").Nênê vai limpar meu alto, colhi milho e sujou e baro tem uma bassora ali no palhol(casa)da uma barrida nos tapete.

Turismo

O índice de turistas é mínimo, que sobrevive daqueles que voltam para visitar a família, que é dependende de lixo toxico, durante as férias de verão e de inverno. Chapecó tem um museu, que está fechado desde 24 d.D, ninguem ainda descobriu o conteúdo do museu, mas alguns dizem que contem O Segredo da Vida, outros, que Contem o tamanho exato do Pênis de Chuck Norris, Talvez aí esteja a explicação do porquê ninguém que entrou lá saiu com vida. Os organizadores do The Burning Man Project estudam a possibilicade de incluir a cidade como local de realização de festivais incendiários, pois a cidade é conhecida por maior número de reencarnações de Nero, já tendo queimado uma igreja, um clube, 4 magrão vivo em praça pública, a estátua do Ronaldinho Sacudo e mais recentemente outra estátua, de um gaucho vesgo. A cidade conta com uma estátua de lata e a prova de chamas, que sendo assim nunca será queimada e causa ira nos incendiários de plantão. Tal estátua homenageia o mais lindo, bonito e bem sucedido coronel da cidade. Este mereceu a estátua por abrir a picada que levava o pessoal da igreja matriz até o longinquo Bar da Dulce, que foi a primeira bodega da región. Tão antiga quanto os indigenas, especula-se que a Dulce é na verdade a mãe do Highlander. A picada mais tarde tornou-se a avenida Nereus Ramos, primo da cachaça e primo irmão do vinho, parente também do Toni. A prefeitura e o governo estadual juram que a estátua é um Megazord e portanto nunca investiram em segurança na cidade.

Política

Atualmente o prefeito da cidade é uma espécie de ratinho regional(parasita), vindo de uma outra cidade da região metropolitana, Pinhalzinho, para substituir o antigo, este sim, um legítimo colono oestino. O Partido que substituiu o PT na administração é o DEMOcratas{'D'EFICIENTES 'E'STUPIDOS 'M'UAMBEIROS 'O'MOSEXUAIS} mas, sobretudo por causa do filme de drama que mais emocionou a cidade: Porks e de Porks contra-ataca o retorno de Chucky Norris x Rambo O aliado sem fim adora comer aipim ÇÇ, o mesmo tem suscitado debates para alterar o nome regional para DEMOpigs que demo origina-se do latim:{'D'EFICIENTES 'E'STUPIDOS 'M'UAMBEIROS 'O'MOSEXUAIS} , o que tem ligação direta, mas não assumida, com os porcos mutantes que se vingam da população que os transforma em salaminhos e bacon. O Partido atual roba pra caraleo e ninguem da bola, como localmente se fala: Crendiorendio nene, nós é sentado mesmo.

Tecnologia

Típica lombada eletrônica de Chapecó.

É a capital mundial de Lombadas eletrônicas, sendo a cidade com mais técnologia e que as tem em maior número, mais ou menos, uma por metro, mas sobre outras técnologias, é tudo de outras cidades, e é sempre mandado o pior e mais barato, pois a cidade não ganha muito dinheiro com a venda de Lombadas. A cidade sobrevive de agricultura, citada acima, e venda e exportação de lombadas eletronicas, se você, algum dia, tiver a oportunidade de ver uma lombada eletronica de perto, procure onde ela foi feita, vai estar escrito Made in Chapecó, não importa onde você esteja. Apesar disso, em Chapecó ainda existem alguns colonos mais bem favorecidos que conseguiram juntar dinheiro com a venda de tomates assassinos e de porcos mutantes suficiente para comprar um pentiun 366 de 12 anos e conseguir colocar uma linha telefônica para que seu filho possa talvez não ser um "tchuco" quando crescer e que ele possa ter um pouco de lazer com jogos super emocionantes. Tais como a pior invenção do homem depois do polystation : tibia, mas como o colono agricultor nao tem mais dinheiro, o filho dele só pode jogar aos sábados apartir da 13:00hs e domingo o dia inteiro (porque não paga) com o ibest, que transmite pura diversão com vários pixels de entretenimento.

Entretenimento

Tendo em vista que os chapecoenses tem uma forma de pensar binaria, eles não entendem muito bem como funciona esse "demonho" de "tela magica maldita dos infernu" ou computador para o resto do mundo, e muito menos vídeo game ou como é conhecido em Chapecó "videu guami" as formas de entretenimento desta cidade são classificadas em 10 subclasses, são elas;

"Caro" ou "auto"(mas para facilitar iremos chamar apenas de carro mesmo) bom, enfim, são elas;

Carro-Ter um carro barulhento que tenha um som maldito que seja tao alto que te deixe completamente surdo.

"Muié"-Tem que ter órgão genital feminino, mas não é uma exigência além de, lavar passar e apanhar, isso tudo sem reclamar.

"Toma uns góle home"(bebidas alcoólicas)-Tomar qualquer bebida que tenha álcool e que possa deixa-los “tchucos nêne” para poder dirigir melhor.

Musica ruim-Existe um criterio bem interessante e complexo para entender qual tipo de musica eles escutam, cientistas estudaram o comportamento dos chapecoenses por 2 meses e concluíram que a musica deve conter letras que falem de alguma orgia ou suruba, além de bebida tomar chifre beber muito ate cair depois levantar e assim sucessivamente, alias os cientistas concluíram também que esta palavra não existe no dicionário "Colonês", que é o dialeto usado pelos chapecoenses.

"Trabaia em qualquer emprego medíocre pra pude banca as mordumia de cima"- Ter qualquer emprego para bancar os entretenimentos citados acima, qualquer emprego mesmo tais como gari, servente de pedreiro, esterqueiro(muito nobre) e a preferida dos chapecoenses trabalhar em frigoríficos além das razoes obvias como ganhar mal e trabalhar muito, esta é a preferencia dos chapecoenses pelo fato de aproximar-lhes de porcos galinhas e tripas, algo que lhes lembra muito de suas infâncias.

"Punha fogo"-Pode ser em lixo, carros igrejas tanto faz, o importante é a emoção e a adrenalina primitiva que o fogo traz, o único problema encontrado pelos chapecoenses nesta atividade é obter o fogo através da fricção de duas pedras mas quando obtido é diversão garantida.

As outras 4 categorias restantes se repetem, isso é um fato que os cientistas não souberam explicar, porém especula-se que seus "celebros" não acumulam mais que 5 informações simultâneas passando a repeti-las com o tempo.

Esporte

Tem um jogador de handebol, e um time de futebol chamado Associação Chapecoense de Futebol que ganhou os campeonatos catarinenses de 2007 e 2011, outros títulos são os de capeão da Série "D" e "E" durante a segunda guerra mundial, onde foi o único time que não foi considerado Judeu e não foi morto pelos Nazistas. Também foi sede dos JASC (Jogos Argentinos de Satanta Caratina), o que fez seu índice de turistas subir de uma pessoa, para impressionantes 3 pessoas! Em uma grande participação no campeonato brasileiro de futebol da primeira divisão, a "Assôcia" sagrou-se como a 93ª colocada do certame, entre outros 94 competidores. É um polo do skate mundial, com diversas pistas espalhadas pela cidade, além de ser famosa pelo povo que motiva cada vez mais os atletas a continuarem progredindo.

Outro grande esporte na região é o basquete, os jogadores se enforçam para ganhar, mas sempre encontram a derrota para cidades como Xaxim, Concordia e São Miguel do Oeste, não sendo capaz nem de ganhar um unico regional.