Charrua

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gauchodanc.jpg Mas bah, tchê!

Este artigo buenaço e tri-legal é do mais puro humor gaudério dos pampas, vivente, então veste tua bombacha, recolhe teu pelego no galpão e toma um mate amargo com a gente, macanudo!

Chima.jpg
Charrua sendo vista da colina do Conde.
A fortaleza anti-mísseis de Charrua.

Charrua é uma ferramenta antiga pra caraleo uma cidade do Rio Grande que tem fama pelo seu nome que representa uma máquina muito antiga que era usada para colheita... Mesmo assim, a cidade não é conhecida nem dentro do Rio Grande do Sul e nem fora. Talvez você não conheça também, pois é uma cidadezinha pequena que por ser tão desconhecida só podemos dizer que o povo de lá é simpático e gentil.

Dizem que no final do século XX um conde teria escondido seu tesouro aos arredores da cidade. O povo não sabe disso porque não tem Desciclopédia, grande fonte de informação para indicar quem deixou e qual é o tesouro. Muitos acham que é a coleção de revistas pornográficas do conde que eram muito raras na época, quando não era normal um menino de 11 anos bater uma na frente da web cam para os amigos.

Geografia[editar]

A geografia do local é desinteressante, mas pode ser melhor definida como uma mulher cheia de pneus e muito barriguda, sendo que as poucas curvas que tem são todas acidentadas e arredondadas. Pela metáfora digna de um prêmio nobel, não foi o melhor lugar para fundar uma cidade.

Ou seja, Charrua seria o povo mais azarado da Terra, mas como não tem uísque lá e os russos são o povo mais azarado da terra, acabaram pelo título de segundo lugar.

Economia[editar]

Se baseia na agricultura e em nada menos que agricultura. A cidade é desinteressante por isso mesmo: quem irá querer ver pessoas plantando cana-de-açucar enquanto ficam cantando a última canção mais tocada no Brasil no ano de 1901... Sim, as rádios por lá são 100 anos mais atrasadas e eu não sei qual foi a banda/artista/cantor que cantou a droga da música mais tocada nos rádios no Brasil.

Cquote1.png Mas o rádio nem existia! Cquote2.png
Você sobre o rádio

Sabemos que é um lugar muito bizarro, os habitantes são mais bizarros quanto o costume de cumprimetar enquanto coça o saco, mas esse é o típico cumprimento caipira.

Ver também[editar]