Chaves (Pará)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Chaves
"Ninguém tem paciência comigo"
Bandeira de Chaves.png
Bandeira
Fundação Não disponível
Gentílico chavino
Lema Lá vem o Chaves, Chaves, Chaves!
Apelidos Moleque do Oito
Prefeito(a) Tinha que ser o Chaves mesmo!
Localização
Localização de Chaves
Estado link={{{3}}} Pará
Mesorregião Ilha dos Búfalos
Microrregião Piriri
Municípios limítrofes Não disponível
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área Não disponível
População Não disponível
Idioma Não disponível
Clima Não disponível

Cquote1.png Você quis dizer: Chaves? Cquote2.png
Google sobre Chaves (Pará)
Cquote1.png Experimente também: Kiko Cquote2.png
Sugestão do Google para Chaves (Pará)
Cquote1.png Isso, isso, isso! Cquote2.png
Chaves sobre Chaves (Pará).
Cquote1.png Porque colocaram esse nome no município? Cquote2.png
Qualquer um sobre essa ilógica
Cquote1.png Com certeza era algum viciado na série mexicana! Cquote2.png
Outra respondendo o mais óbvio ainda
Cquote1.png Nem eu sei a resposta! Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre esse "Ióbvio"
Cquote1.png WTF? Cquote2.png
Eu sobre tudo isso

Chaves, apesar do nome ser muito semelhante com aquele seriado de 1900 e guaraná com rolha o qual Silvio Santos ainda insiste em passar como se fosse o último lançamento do momento, no seu canal televisivo SBT, é também o nome de um municipiozinho de nada, localizado no meio do México da Ilha do Marajó, no Norte do Brasil, mais precisamente no Nordeste do Pará.

Com um passado totalmente obscuro, muita gente ainda acredita que lá tenha sido o berço de nascimento do seriado, ou mesmo a própria e extinta Acapulco, apesar dos moradores de lá (que nem muitos são) sequer ouviram falar desse seriado mexicano. Pertencendo ao Estado do Calypso desde que foi descoberto por alguns padres Inquisidores catequistas, ainda é mais fácil e rápido chegar por lá da capital do Estado do Amapá, Macapá, do que por Belém. Não é a toa que o sonho de todo e qualquer Chavense é morar na capital amapaense do que na paraense, haja visto que praticamente nenhum deles sequer conheceu a capital do Pará.

História[editar]

Assim como muitos municípios localizados no norte do Brasil, perdidos entre as águas (naqueles tempos puras) do Rio Amazonas, Chaves (o município, não o menino da Vila do Seu Barriga) nasceu cercada de um bando de índios, que mal sabiam falar o nome uns dos outros e, se falavam, somente eles entendiam. Com a chegada do homem branco, eles tiveram o primeiro contato com tudo de ruim que pudesse vir deles, como: doenças, fome, guerras, sexo, filhos bastardos, escravização e IPTU.

Ao final dos bons tempos de caça e pesca (coisa que índio fazia antigamente e que hoje deu lugar à compras em açougues e peixarias), houve um crescimento exacerbado da cidade, de duzentas pessoas para duzentas e cinco, ficando próxima dessa numeração até os tempos de hoje (ou não). Depois que os padres foram expulsos daquelas terras por terem recebido várias acusações de pedofilia por parte dos índios que adoravam "comer" o homem branco, a cidade foi esquecida, jogando às traças, por onde acabou recebendo a denominação de vila.

A orla de Chaves com o seu trapiche. Se você for comparar com o trapiche de Macapá, vai perceber que é a mesma merda.

Para receber a tal denominação, a Vila precisaria, primeiramente, de um nome que lhe fosse reconhecida como tal por todos os moradores, para que fosse lhe dada a posse tão sonhada de vilarejo marajoara da Ilha do Marajó, e não somente um nomezinho estrambólico como: "Vila localizada três horas após Afuá e quase seis de Macapá, em linha reta, e seis mil dias de Belém", já que isso seria totalmente ilógico e desperdiçador de palavras. Mas o nome ainda era uma coisa que nenhum dos habitantes dali tinham ideia de qual seria, sabiam somente que moravam em uma porção de terra cercada de água por todos os lados e nada mais.

Foi então que uma mente brilhante, viciada em seriados mexicanos do tipo Chapolin, Chaves e novelas da Thalia, resolveu indicar ao nome da vila o pseudo Chaves, inspirado em sua série televisiva favorita, mostrando que ainda não tinha crescido, mesmo tenho quase 40 anos. O povo todo, como ignorantes que são, aceitaram a proposta, pensando que o nome era uma homenagem a São Pedro e as suas "Chaves" recebidas do Céu por Zeus Deus.

A mais antiga (se não única) construção de Chaves, a Igreja de Santo Antônio, ou coisa assim.

Quando chegou a catiguria de Vila, foi mais quem queria estar próximo dos bons tempos de Chaves, já que lá todos os seus moradores estavam em dias com os seus aluguéis e lá ainda tinha uns dos melhores restaurantes do Marajó, de uma tal de Dona Florinda. A fama de Chaves foi tanta, que a vila acabou sendo agregada a um monte de outras vilas, conseguindo facilmente ter o seu status de município, chegando até a ter Afuá como um dos seus distritos mais excluídos.

Com o tempo passando, a Época de Ouro de Chaves chegou ao fim, pois os episódios estavam repetindo muito, o Kiko acabou deixando a Vila e o [[Seu Madruga] começou a não pagar os seus aluguéis, chegando à quatorze meses de atraso. Os distritos que antes limpavam a bunda de Chaves, agora lhe davam era um pé na buzanfã, emancipando-se e virando outros municípios. Ao final, somente restou a cidade fantasma de Chaves, junto com um outro distrito que ninguém sequer conhece, mas que recebe o nome hoje de Viçosa e fica a mais ou menos um dia de um barquinho pesqueiro saído de Macapá.

Clima[editar]

Distante algumas horas de Macapá, Chaves possui um clima muito agradável até, nem se comparando ao infernal clima macapaense, ou o abafado clima paraense.

Economia[editar]

O que mais traz dinheira para a cidade (isso quanto traz) são as festas religiosas em honra a São Sebastião e Santo Antônio, mesmo que o de Santo Antônio perca para as realizadas em Santo Antônio do Tauá.

Política[editar]

Apesar de se encontrar mais próximo da capital do Amapá do que da do Pará, Chaves ainda vive sob o domínio da Metrópole da Amazônia, que não abre mão desse município nem fudendo, mesmo que eles pouco se importem em cuidar dele durante todos os 365 dias do ano.

Mas eles não abrem mão de lá não por Chaves ser importante, ter uma posição estratégica, um grande aparato militar ou coisa do tipo, é mais pelo fato dela ser uma mão na roda em épocas de eleições, já que 20.000 habitantes são muito úteis em qualquer lugar quando o assunto é voto. É ou não é?.

População[editar]

Possui um pouco mais de 20.000 habitantes, sendo a sua maioria (claro!) de nordestinos que se perderam no caminho para Belém e lá abriram um monte de lojas em que o principal apelido do vendedor é Ceará e alguns amapaenses que adoram segregação territorial e viagens para o fim do mundo.

Apesar do local estar praticamente dentro do Amapá, os comerciais que passam ali são do Pará, mesmo que a capital do mesmo estado fique quase uma semana de distancia de Chaves.

Turismo[editar]

Se o lugar que você procura para passar as férias tem alguma coisa haver com isolamento social e uma vida quase segregada geoespacialmente, Chaves do Pará é uma ótima escolha.

Comunicações[editar]

Somente a Globo pega nos televisores de Chaves, para provar que o nome nada tem haver com o seriado Chaves, já que o mesmo passa na SBT.