Cinema do Brasil

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
NewBouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Cinema do Brasil.

O Cinema do Brasil foi inventado pela ditadura Vargas nos idos da Revolução de 1930, só que quase ninguém sabia ao certo o que era isso. Mas essa situação se inverteu quando em um belo dia entrou em cartaz nos cinemas nacionais o filme Central do Brasil (filme brazuca que conta a história de uma trambiqueira que viaja rumo ao nordeste pra devolver um menino pro seu pai e realizar suas fantasias eróticas). O filme foi indicado ao Oscar e desde então o povinho do meio cinematográfico empolgou e não parou mais de filmar, sendo curioso salientar que todos os filmes (com exceção dos filmes da Globo) são pagos com dinheiro público.

Mas a Central do Brasil não está entre os filmes nacionais que encabeçam a lista dos mais pedidos e mais amados. O primeiro colocado sem dúvida nenhuma é a Ilha das Flores, filme de George Mal-Amado que centraliza-se basicamente no polegar, nos tomates e nos porcos. Depois dele os filmes do Mazzaropi e da Turma da Mônica são os mais aclamados pela mídia.

Essa produtividade cinematográfica toda se deve também ao fato de o governo ter abrido as pernas e bancado boa parte das produções com incentivos fiscais, verbas e outros trambiques. Antes disso cinema nacional era sinônimo de filmes da Xuxa, dos Trapalhões, do Zé do Caixão e pornochanchadas (inclusive com a Xuxa). E só.

O Brasil dos filmes[editar]

Filmes brasileiros em sua gigante maioria são porcaria de filmes com historias de sexo, crime, drogas e sem nenhum conteudo emocional, nunca ganharam um Oscar, tanto por serem mal escritos, pessimamente dirigidos e tambem porque as instituições que patrocinam (isso inclui o governo) não contribuem com muita verba para o que realmente chama atenção (efeitos de computação grafica). E além disso deixa essa merda de pai$ com uma bela imagem de de um verdadeiro prostibulo, repleto de putas e marginais(o que não é nenhuma mentira).

Embora essas pífias obras de lixo sejam uma porcaria, ainda assim existem riquinhos que são fanáticos por Rede globosta, que adoram e defendem essas verdadeiras micro novelas da Globo sempre com os mesmos atores e como já dito acima repleto de fudelanças, drogas, e outras merdas que a principal emissora do pai$ tenta e consegue empurrar nos trouxas burrileiros. Em resumo podemos dizer que esses filmes na sua esmagadora maioria mostram o lado mais podre do Bra$il e dessa forma muitos turistas visitam nosso pai$ em busca de carnaval e de gostosas de bunda grande, que essas falidas obras mostram a eles.

Os filmes nacionais têm características bem definidas. Fica fácil de identificá-los observando duas coisas:

  • Eles são falados em palavrão português
  • Em algum momento do filme aparece alguém pelado ou falando palavrão (ou os 2 juntos).

Essas são as características mais marcantes das nossas produções.Mas existem outras peculiaridades que podem ser observadas.

No Brasil dos filmes, a população é composta exclusivamente por nordestinos, pobretões, garotas de programa, mendigos e bandidos. Todas as pessoas são feias e têm pelo menos um desvio de caráter. E até os padres falam palavrão. Além de qualquer coisa ser motivo para as pessoas praticarem sexo. Você SEMPRE vai encontrar ao menos uma cena de sexo incluída em um filme nacional. Segundo fontes, inclusive o filme de Sandy e Junior continha uma cena onde Sandy e Junior sem o Junior, finalmente perdia sua virgindade aos 45 anos, e que foi cortada por motivos não revelados.

Com exceção dos filmes de Didi e Xuxa, o filme nacional tem uma visão bem realista do país, ou seja: é tudo uma imensa putaria.

Típicos filmes nacionais[editar]

Os filmes brasileiros são divididos em 3 categorias:

  1. Filmes que a tua mãe, criancinhas, emos e outras pessoas retardadas gostam
  2. Filmes que tua mãe e você gostam
  3. Filmes que nem a Tua mãe gosta

Filmes que a tua mãe, criancinhas, emos e outras pessoas retardadas gostam[editar]

Xuxa em um de seu filmes só para baixinhos

Esse tipo de filme é o mais ridículo – bem ao estilo Sessão da Tarde –, que inclui filmes da Xuxa e do Didi.

São filmes retardados, com piadinhas à la Zorra Total e cheios de criancinhas prodígio pela-saco correndo pra lá e pra cá.

O elenco geralmente é composto por atores decadentes e desempregados, que, por falta de opção, são obrigados a aceitar trabalhos indignos como esses. Além, é claro, das crianças pentelhas.

Todos os filmes têm praticamente a mesma história. A Xuxa sempre é boazinha, fica com o mocinho no final,salva o mundo e canta músicas que são obras primas de composição naquela afinação de sempre. Já o Didi sempre é o pobretão bunda mole, dá um monte de cambalhotas e piruetas (na verdade é um dublê tão parecido com ele que até Ray Charles, assistindo em uma TV de 14 polegadas, preta e branca, a 50 metros de distância, percebe que não é ele), contracena (???) com um monte de ex-BBBs e afins e se dá bem no final (sério?! Não diga!).

No mais, somos obrigados a assistir a depoimentos de pessoas que foram assistir aos filmes no cinema. A grande maioria é contratada (claro, ninguém em sã consciência é capaz de gostar desses filmes, a não ser tua mãe e outras pessoas retardadas) ou fazem parte do elenco.

Alguns exemplos desses filmes são:

  • Xuxa e os Duendes (Xuxa fala igual criança, ama os animais e salva o mundo… e vê um monte de duendes.)
  • Didi e o Fantasma Trapalhão (Didi dá um monte de cambalhotas e fica rico no final)
  • Xuxa — Gêmeas (Xuxa fala igual criança, ama os animais e salva o mundo… e tem uma irmã gêmea.)
  • Didi Quer Ser Criança (Didi dá um monte de cambalhotas e vira criança)
  • Xuxa Popstar (Xuxa fala igual criança, ama os animais e salva o mundo… e é famosa.)
  • Didi e Alguma Coisa (igual a todos os outros e com um final besta… igual a todos os outros.)
  • Xuxa e o caralho a quatro (idem)

E por aí vai... E tambem tem os de genero adulto da Xuxa como: - A rainha dos baixinhos e o Rei do futebol - Xuxa e vesgo do panico

Filmes que tua mãe e você gostam[editar]

Incluem todos os outros filmes. São as comédias românticas sem graça água com açúcar e os filmes cheios de putaria e bandidos pé de chinelo. Além daqueles pseudocult que você não entende nada e são muito chatos...

O primeiro tipo geralmente se passa no Rio de Janeiro, onde as pessoas fazem sexo casual e ficam o filme inteiro filosofando sobre a vida. São filmes tão profundos quanto pratos de sopa e o elenco é composto sempre por globais. Os dilemas dos personagens se resumem a cor de cabelo que se deve usar, se é certo dar uma puladinha de cerca com o vizinho ou o que vai ser feito pro jantar. As pitadas de humor são importadas d’A Praça É Nossa. E sempre tem uma ceninha de sexo só pra constranger os espectadores que geralmente estão acompanhados de suas mães. Na verdade são novelas de Manoel Carlos resumidas.

Os filmes cheios de putaria são encenados nas periferias. O filme geralmente mostra o quanto é ruim ser pobre. Os diálogos são mais ou menos assim:

— Bom dia, caralho! Eu queria cinco pãezinhos de merda, por favor.

— Aqui está a porra do pão! São 2 reais de merda!

— Tá aqui, porra! Brigada!

— De nada! E vai pra puta que pariu!

Entre um diálogo e outro as pessoas fazem sexo e cometem contravenções penais.

Os pseudocult são filmes que às vezes quase concorrem ao Oscar mas nunca chegam lá.

São cheios de cenas onde as pessoas não falam nada e mostram coisas como o vento soprando, uma vela queimando, uma torneira pingando... São filmes que pretendem te fazer pensar e refletir mas que acabam gerando uma sensação de incômodo nas pessoas, já que não possuem quase nenhuma fala e você não pode comer a pipoca sem que todos do cinema ouçam. Nem soltar aquele peidinho maroto no sofá sem que sua mãe escute. Além das cenas de sexo.

Filmes que nem a tua mãe gosta.[editar]

Diretor Zorra Total responsável pelos filmes da Angélica e Sandy e Junior. Obras primas da sétima arte.

São filmes que ninguém viu, e quem viu tem uma certa vergonha de admitir. Como ninguém os viu, não dá pra dizer muita coisa sobre eles, só que são muito ruins. São eles:

E tantos outros que de tão ruins ninguém nunca ouviu falar... Além dos filmes do Zé do Caixão.

Brazilywood[editar]

O Tom Hanks nacional.

Apesar da qualidade duvidosa dos filmes nacionais, alguns conseguem a façanha de levar alguns milhões de brasileiros aos cinemas. Como isso é muito raro, esses filmes ganham status de superproduções nacionais e ficam quase um ano em cartaz nos cinemas. Geralmente eles têm um roteiro plagiado e batido de filmes estrangeiros – sobretudo estadunidenses.

  • E se eu fosse vocêComédia besta onde Júlia e Nikos já estão casados e acabam trocando de corpo (que original!!!)
  • A Grande Família — O Filme — Comédia besta onde uns cinco episódios da série passam direto sem os comerciais.
  • Cidade de Deus — Conta a história de uma simpática galinha que foge de perigosos bandidos pra salvar sua vida. O resto são histórias paralelas só pra encher linguiça...
  • Dois filhos de FranciscoDois irmãos capiaus que formam uma dupla de dois e ganham o maior dinheirão. Depois crescem, fazem um filme contando a história, e ganham mais dinheiro ainda às custas dos (bobos) fãs que foram assistir.
  • Cazuza — O Tempo não Para — Cantor carioca tem experiências emo e contrai HIV. O filme imortalizou a cena onde Cazuza manda tua mãe tomar no cu.

Assim como as histórias, os atores também são batidos. Existem uma meia dúzia de atores que fazem os filmes. O Tom Hanks nacional é o ator Foguinho (a.k.a Lázaro Ramos). Metade das produções o tem como ator principal. A outra metade, como protagonista. Já é uma característica dos filmes nacionais terem o ator no elenco. Se um filme nacional não tem uma participação de Foguinho, desconfie... Outros atores também são figuras carimbadas na cena, como Fernanda Montepreto, Selton Melo rego,"'Caio Blat Punhetáh"',"'Cássia Kiss Magro"'(geralmente é a mãe do protagonista,só isso)e Pedro, da dupla Pedro e Bino.

Novidades (Fofocas do Leão)[editar]

A estrela de Cidade de Deus quer ganhar mais pra rodar o segundo filme.
  • Cidade de Deus 2 — A Missão já esta em fase de produção. O filme vai contar agora como a nossa querida heroína, a galinha fujona, conseguiu sobreviver ao terrível atentado que sofreu no último filme.
  • O próximo filme da franquia 2 Filhos de Francisco também já tem data definida pra estrear. Em entrevista á Revista Óia, Wanessa Camargo, filha da dupla Zezé di Camargo e Luciano, adiantou que faz uma participação especial como ela mesma no filme Dois filhos de Francisco 2 — O Resgate, que conta a história do famoso sequestro sofrido por um outro filho de Francisco onde o infeliz teve a orelha decepada.
Cenas do próximo filme da Rainha dos Anões: Xuxa — O Retorno do Rei. Previsão para cartaz: 1900 e bolinha.
  • Há rumores de que um filme contando a saga presidencial de 2006 esteja sendo rodado em Brasília. O filme narra a história do nosso super-herói Lulinha Paz e Amor contra o terrível Senhor Chuchu, que quase atropelou o presidente na corrida pela presidência(pleonasmo nem um pouco, né?!). O nome do filme: Corra, Lula, Corra.