Clóvis I

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikisplode.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Clóvis I.
Clóvis I sendo abusado sexualmente batizado pelos padres naquela igreja

Cquote1.png Ele como uma criança era uma gracinha. Cquote2.png
Padres pedófilos sobre Clóvis I

Clóvis I, (ou Clodoveu I, um tataravô de Clodovil) foi o primeiro rei gay da história dos francos a unir totalmente a nação bárbara intimamente.

A sua breve história[editar]

Converteu-se ao catolicismo, em oposição ao arianismo comum entre os povos germânicos, por estímulo de sua esposa Clotilde que tava cheio de saco daquela vaca e foi procurar um boi então para os seus prazeres intimos. Este ato foi de imensa importância na história subseqüente da França e da Europa Ocidental no geral por que Clóvis expandiu seus domínios sobre quase toda a antiga província romana da Gália (aproximadamente a França moderna), além da homossexualidade liberal entre os franceses. Ele é considerado o fundador da França (que seu estado lembra geograficamente quando de sua morte por um cancer nas próstatas) e da dinastia merovíngia que governou a França nos dois séculos seguintes.

Segundo Gregório de Tours, após a Batalha de Vouillé, o imperador bizantino Anastácio I concedeu a Clóvis o título de cônsul e se tornou-se o amante dele. Visto que o nome de Clóvis não aparece nas listas consulares, é provável que a ele tenha sido concedido um consulado sem efeito. Gregório também registra campanhas sistemáticas de Clóvis após sua vitória em Vouillé para eliminar os outros governantes francos e se divertirem um poucquinho intimamente, que incluíam Sigiberto de Colônia e seu filho Clotário; Chararico, outro rei dos francos salianos; Ragnachar de Cambrai, seus irmãos Ricchar e Rigomer de Le Mans que eram contra essa relação entre o Clóvis e o seu Rei.

Imediatamente antes de sua morte, Clóvis convocou um sínodo de bispos gauleses em Orleães para uma orgia matrimonial entre os que tavam naquela catedral. Pode se dizer que Clóvis morreu de prazer.

Após a sua morte[editar]

Clóvis I morreu em 511 devido a um cancer que havia em seu cu, provavelmente foi pego depois de tanta penentração que ele teve. E está sepultado na Basílica de Saint Denis, em Paris, enquanto seu pai foi sepultado com os antigos reis merovíngios em Tournai. Com sua morte, seu reino foi dividido entre seus quatro filhos Teodorico, Clodomiro, Childeberto e Clotário, todos déptos em queimarem as suas roscas. Isso criou novas unidades políticas dos reinos de Reims, Orleães, Paris e Soissons e inaugurou um período de desunião que durou, criando uma onda de revolta contra as suas homosexualidades, matandfo mais de 8 mil gays e emos por causa disto, embora eles sejam em milhões pelos mundo.

Viking.jpg
v d e h
Os bárbaros vêm aí... Olê olê olá!