Clichês dos jogos de esportes

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Monopólios e exclusividade[editar]

Quer jogar um jogo da NBA? Só a 2K tem. Quer jogar com o Real Madrid? Jogue o FIFA, só ele tem. A menos que você seja daquele tipo de pessoa que não se importa em jogar com times genéricos e sem licença como naquele jogo em que o Corinthians era chamado de São Paulo[1] ou o Grêmio tinha camisa verde[2].

O clima não importa[editar]

Tanto faz se o jogo é num estádio no deserto ou na Antártida, ou no meio de um temporal, a única coisa que muda de certa forma é o vento. O resto é apenas cosmético para que seu irmão mais novo fique babando na frente da TV dizendo "nossa, olha como o jogo é realista" enquanto as nuvens se mexem no intervalo do jogo na Winning Eleven 2000.

Velocidade é tudo[editar]

A velocidade na qual um jogador se move é o principal atributo, tendo uma importância muito maior do que todos os outros atributos somados. Agora você entende porque aquele seu primo mais velho só jogava com a Nigéria?

Outro atributo é tudo[editar]

Raramente, algum outro atributo que não velocidade se destaca, como precisão, arremesso de 3 ou força.

Alto = lento[editar]

A velocidade do jogador é inversamente proporcional à sua altura, o que faria com que Usain Bolt, do alto de seus 1,95m, fosse considerado um jogador descartável por ser lento demais, enquanto qualquer jogador com menos de 1,70m e mais de 80 de velocidade é considerado a reencarnação do Flash.

Envelhecimento ultra-acelerado[editar]

Quando um jogador atinge os 30 anos de idade, suas habilidades começam a atrofiar em velocidade assombrosa, fazendo com que um jogador de um time de meio de tabela já possa se aposentar por invalidez aos 33 anos porque sua velocidade já atingiu o menor valor possível no jogo.

Seja o jogador[editar]

Modo no qual você cria seu jogador, joga com apenas ele e gerencia a sua carreira, podendo viver como um jogador cigano, que muda pro time mais forte sempre, ou apodrecer até o fim da carreira no seu primeiro time sem ganhar absolutamente nada, pois o time no qual você joga é administrado por uma camarilha de ladrões que só pensa em vender os seus colegas de equipe o mais rápido possível.

Modo História Inútil[editar]

Nesta variação do modo "Seja o jogador", o jogador tem uma história predefinida, com poucas possibilidades de alteração.

Administre o time por vários anos[editar]

Todo jogo de esportes que se preze tem que ter um modo no qual o jogador escolhe uma equipe e cuida dela por um certo número de anos, isso quando esta não é toda a premissa do jogo. Este modo é extremamente complexo, sendo que é obrigatório que o jogador tome pelo menos cinquenta decisões e responsabilidades antes de começar uma partida.

A CPU é estúpida[editar]

Os jogadores do seu time, quando não são diretamente controlados por você, são extremamente ruins até mesmo no nível mais fácil, deixando você resolver tudo. Seu Alisson não vai pegar uma bola sequer. Seu Salah irá perder na corrida numa enfiada de bola pra um lateral newgen com 52 de velocidade e 43 de aceleração.

A CPU é uma filha da puta[editar]

Mas quando você estiver jogando contra este time ou contra um ex-jogador do seu time, prepare-se, pois ele virá com sangue nos olhos, te destruirá e cuspirá na sua cara nos seus últimos suspiros. Espere pelo menos três gols, 150 jardas corridas ou um triple-double desse cara. Se for seu ex-time, você será humilhado por uma derrota de pelo menos cinco gols ou 40 pontos no intervalo. Para obter este efeito, a CPU vale-se de atributos secretos ou até mesmo alterações nas leis da Física. Aquele lateral newgen vai deixar seu Salah pra trás como se tivesse tomado uma garrafa de nitro no café da manhã assim que tocar na bola. O banco do teu adversário vai ter pelo menos dois LeBrons. O cara mais magrelo e de pior rebatida da equipe adversária irá bater um home run pra fora do estádio exatamente quando o time da CPU mais precisa.

Colecione jogadores[editar]

Sempre existe um modo onde é possível montar o time do modo que se quiser, com os jogadores que quiser, desde que se tenha dinheiro suficiente. Este modo sempre é cheio de microtransações, loot boxes e mecânicas que fazem com que o jogo se assemelhe mais com um cassino do que um simulador esportivo. Toda vez que um modo destes é implantado, o foco da produtora passa progressivamente a ser apenas e somente este modo, em busca da maior quantidade de dinheiro possível com o mínimo de esforço possível.

Times históricos[editar]

Geralmente os jogos de esportes têm equipes históricas que permitem aos torcedores resolver algumas discussões de uma vez por todas: Quem venceria em um jogo entre o Brasil de 70 e a Holanda de 74? Os Lakers de Shaq e Kobe venceriam os Bulls de Jordan e Pippen? A Legion of Boom pararia o Greatest Show on Turf? Ou mesmo perguntas sem resposta para eventos que poderiam ter acontecido: o Real Madrid de Puskas venceria o Santos de Pelé? Romênia ou Bulgária em 94?

Super times[editar]

Junto destas equipes, existem o melhor do melhor de um time ou uma década. Messi e Maradona na Argentina contra Ronaldo Fenômeno e Pelé no Brasil? Sidney Crosby e Mario Lemieux no mesmo time? Tirar de uma vez por todas a dúvida se a melhor década da NBA foi a de 90 ou a de 2000? Mostrar pro teu colega cabeça-de-queijo que o Cowboys tem muito mais história? Yes, you can!

Modo de edição[editar]

Aqui é possível fazer tudo, desde deixar o Kanté branco, um PSG com 11 Neymares, fazer um Stephen Curry de 2,20m, fazer Tom Brady ficar com 20 anos de idade novamente, fazer o Corinthians jogar de camisa verde ou mudar a posição de todos os jogadores para que os jogadores de ataque joguem na defesa e vice versa.

Mude as regras[editar]

Os jogos de esportes permitem ao jogador que altere algumas regras, como eliminar o impedimento no futebol, o limite de faltas no basquete, acabar com o teto salarial ou a prorrogação.

Fenômeno da sobrevalorização britânica[editar]

Como a EA vê qualquer jogador inglês ou que jogue na Premier League

Ser inglês ou jogar no futebol inglês garante pelo menos três pontos a mais nas habilidades do que o número que realmente fazem jus à sua habilidade, podendo transformar o quinto centroavante do lanterna da Premier League em um mini Tó Madeira só porque ele jogou três minutos na trigésima quinta rodada contra o Everton para um total de um chute a gol que passou tirando tinta do travessão ou porque marcou três gols num jogo da Copa da Liga contra o vigésimo segundo colocado da League 2.

Cquote1.svg Internem estes imbecis imediatamente Cquote2.svg
Qualquer torcedor do Vitória de Guimarães sobre o imbecil que fez Marcus Edwards ser melhor que Serge Gnabry no Football Manager 2021[3]

É completamente comum que em um espaço de cinco ou dez anos, a seleção inglesa torne-se um time absolutamente invencível e vencedor de tudo imaginável e inimaginável, mesmo sabendo que nunca vão ganhar nada na vida. Os torneios europeus viram uma mera FA Cup alternativa, enquanto os times ingleses dominam a Europa, Ásia, Américas e mais um continente à sua escolha, a ponto de que Real Madrid e Barcelona lutariam para não cair na Premier League.

A capa é bendita[editar]

O atleta que sai na capa do jogo é absurdamente apelão, tendo uma vantagem clara em relação aos outros atletas do jogo, mesmo se ele não for o melhor jogador disponível.

Saiu na capa do jogo? Parabéns, você acaba de virar um deus


A capa é maldita[editar]

O atleta que sai na capa do jogo invariavelmente se fode de um modo ou outro. Este tropo é completamente evitado no futebol, já que EA e Konami fizeram um pacto entre si para determinar quem coloca Cristiano Ronaldo ou Messi na capa de seus jogos a cada ano, e porque os dois são literalmente inzicáveis.

Saiu na capa do jogo? Meus pêsames

Jogada apelona[editar]

Todo jogo de esporte, sem exceção, tem uma jogada específica que SEMPRE funciona, não importa qual o modo, dificuldade e jogadores envolvidos. Sempre há aquele píxel da quadra em que seu ala sempre vai acertar a cesta de 3, aquele bico da área em que todo chute colocado entra e aquela rota que nenhum defensor cobre.

Complexidade desnecessária[editar]

Como o esporte é uma caixinha de surpresas e devido às limitações dos controles dos consoles, uma tarefa simples pode dar origem a várias variações complexas de acordo com segundos ou terceiros botões apertados ou por quanto tempo se aperta o botão (por exemplo: aperte quadrado para chutar, quadrado + L1 para mandar de cobertura, quadrado + L2 para chutar colocado e mantenha pressionado algum ponto do direcional para mirar seu chute), a ponto de que certas combinações só podem ser feitas por personagens de Mortal Kombat.


  1. Ver This is Football 2 para o PlayStation 1
  2. Ver as primeiras edições do FIFA para o PlayStation 1
  3. Até porque os jogos contra Portimonense e Marítimo na Liga NOS são muito mais gloriosos e difíceis do que naquele torneio de merda chamado Champions League contra timecos como Barcelona e PSG.