Club Atlético Cerro

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Club Atlético Cerro
Escudo do Cerro.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Club Atlético Cero Copas
Origem Bandeira do Uruguai Uruguai - Montevideo
Apelidos
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote
Torcedor Ilustre
Estádio Luis Brócolis
Capacidade
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo
Liga Campeonato Uruguaio
Divisão Primera Divison
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Club Atlético Cerro é só mais um clube de futebol sem a maior originalidade advindo do Uruguai, cujo único orgulho foi ficar 75 anos sem rebaixar. O seu maior rival, claro que não é Peñarol ou Nacional (senão só seria humilhado) é o Rampla Juniors, uma porcaria igualmente desconhecida.

História[editar]

Fundação[editar]

O Cerro foi fundado em 1922, época em que o futebol tornou-se modinha no Urguai, então começou a aparecer times de futebol em tudo quanto é favela de Montevideo, incluindo a Villa del Cerro, onde um grupo de pernas-de-pau decidiu criar um time de futebol que serviria eternamente de sparring para Peñarol e Nacional, os dois times uruguaios que realmente importam alguma coisa. O time é tão sem originalidade, que copiou na cara dura o uniforme da seleção, e depois copiou o nome de um time paraguaio Cerro Porteño.

Foi em 1942 que o Cerro inventou Segunda Divisão do Uruguai, quando percebeu que jamais ganharia a primeira, mas nem a segunda ele foi competente de ganhar rapidamente, conquistando alguns vices até ganhar a segundona uruguaia somente em 1946.

Campeonato Estadunidense de 1967[editar]

Um fato curioso na história do Cerro ocorreu em 1967, quando o clube foi adquirido num leilão, pelo valor de 3 tickets vale-refeição em peso uruguaio, pela United Soccer Association, que rebatizou o clube de New York Skyliners e o fez jogar futebol gaélico no recém-criado Campeonato Mundial de Bocha de Massachussets. O campeonato claro, foi um grande fiasco, e o Cerro foi devolvido ao Uruguai sem nem precisar ter pago a devolução.

Libertadores 1995[editar]

A estreia do Cerro numa competição relevante foi pela Libertadores de 1995, onde só foi respeitar e seguir rigidamente o ensinamento do barão Pierre de Coubertin, no qual diz que o importante é competir, então o Cerro fez isso, competiu, perdeu quase tudo, ficou na lanterna e ficaria mais anos e anos de fora de uma Libertadores.

O primeiro rebaixamento a gente nunca esquece[editar]

Por mais de 70 anos, o único mérito que a torcida do pequeno Cerro poderia se orgulhar, era o de nunca ter rebaixado, porque as estatísticas de vitórias e derrotas contra Peñarol e Nacional beirava a números absurdos como 99% de vitórias dos rivais mais tradicionais. Mas em 1997, mesmo num campeonato que incluía times como Huracán Buceta, o Cerro foi um lixo e rebaixou lixamente na competição.

Libertadores 2010[editar]

Como estamos falando do Uruguai e não de um país de futebol mais decente, o Cerro logo retornaria à primeira divisão, e em 2010 estava na Libertadores novamente. O que não mudou foi a tradição do clube em só fazer número na competição, e mais uma vez sequer chegou perto de passar da fase de grupos.

Títulos[editar]