Club Deportivo Palestino

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Club Deportivo Palestino
Escudo do Palestino.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Crubi Deportivo Palestina
Origem Bandeira do Chile Chile- Jerusalém
Apelidos
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote
Torcedor Ilustre
Estádio
Capacidade
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo
Liga Campeonato Chileno
Divisão Primera División
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Club Deportivo Palestino é o único time árabe na América do Sul, aproveitou-se da ruindade do futebol chileno para conseguir ser a sétima força no futebol daquele país, não passando na realidade de um time desconhecido que ninguém se importa, como é com todo o Chile e com toda a Palestina em geral. Sua única utilidade é compor número no campeonato chileno evitando que o campeonato nacional tenha apenas 3 times.

História[editar]

Fundação[editar]

O time foi criado por uma colônia de refugiados da Palestina, que vieram clandestinos na mesma barca clandestina que trouxe os espanhóis do Unión Española, o grande rival da equipe. O Palestino foi criado no ano de 1920, e em quase 100 anos de história não fez algo de útil a não ser empregar árabes em alguma outra profissão que não fosse lavador de pratos na capital Santiago, sendo mais uma empresa de trabalho social do que propriamente um time de futebol, afinal, com uma módica doação o time pode tranquilamente facilitar os seus jogos e servir de pontos grátis para determinados times mais tradicionais dos quais sempre se concentrou em perder.

Campeonato Chileno de 1955[editar]

Em 1955 o Palestino conquistou seu único título chileno, ano de fortíssima resseção na economia chilena, de maneira que os adversários sem ter capacidade de comprar os jogos do Palestino, deixaram o time árabe ser campeão por acidente.

Time-Empresa - 2004[editar]

A partir do ano de 2004 o Palestino é comprado por um grupo de acionistas judeus que auxilia as finanças do time a se alavancarem exponencialmente. A ideia foi um sucesso, não em termos futebolísticos porque o time continuou perdendo sempre, mas agora a diretoria lucrava absurdamente com os lucros das propinas que ganhava em malas pretas e malas brancas. O time chegou à sua primeira Libertadores no ano de 2015, onde apanhou igual mulher de bandido.

Libertadores 2015[editar]

Em 2015 caiu no grupo mais mole e fácil possível na Libertadores de 2015, onde disputaria com os desprezíveis Montevideo Wanderers e Zamora a segunda colocação do grupo, já que o Boca Juniors já estava garantido como primeiro colocado. Ficar na frente do Zamora até o sub-12 do Palestino teria facilidade, mas o time frustrou-se em ficar atrás do Montevideo por ter sido derrotado pelos mesmos por 1x0;

Tentativa de tornar Framengo freguês[editar]

Incapaz de participar de mais Libertadores, o Palestino voltou suas atenções a competições mais irrelevantes, como a Copa Sul-Americana de 2016, onde certamente só enfrentaria times irrelevantes. O grande adversário daquela edição foi o Framengo, que passou a usar desodorante e naquele ano estava sentindo muitos cheirinhos, inclusive cheirinho de Sul-Americana. Apesar de ter perdido o primeiro jogo no Chile, o Palestino conseguiu reverter o resultado no Rio de Janeiro Espírito Santo e se classificar, rendendo boas zoeiras no Brasil (e claro, ficou longe de ser campeão, foi eliminado mais pra frente).

O problema é que o time participou de novo da Sul-Americana do ano seguinte, e em 2017 encontrou o Framengo outra vez. Pessoas sensatas (chamadas de "antis" pelos framenguistas) torceram em vão para que o Palestino tornasse o Flamengo seu freguês. O time chileno tomou duas goleadase não conseguiu repetir a façanha de 2016. Time pequeno é assim mesmo.

Títulos[editar]

  • Repescagem do Rebaixamento 1 vez (2006)