Club Sport Emelec

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Club Sport Emelec
Escudo do Emelec.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Club Sport Émeleca
Origem Bandeira do Equador Equador- Guayaquil
Apelidos
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote
Torcedor Ilustre
Estádio George Capinador
Capacidade
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo
Liga Campeonato Equatoriano
Divisão Primera División
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Club Sport Emelec, ou Figurante Oficial da Libertadores da América é uma meleca de time da cidade de Guayaquil que até hoje não demonstrou a que veio no futebol, sendo medianamente tradicional no Equador, mas um fiasco internacionalmente, e seu nome esquisito não ajuda a popularizar o time também. Atualmente o Emelec é o time utilizado de lastro para medir a ruindade do futebol na América do Sul, pois toda vez que outro time perde para estes equatorianos numa Libertadores ou Sul-Americana, a expressão "perde até para o Emelec" serve para classificar como péssimo ou ruim a equipe vítima do time do Emelec.

História[editar]

Fundação[editar]

O time do Emelec foi criado em 1939 em homenagem à Empresa de Melazo y Mermelada del Ecuador: EMELEC, uma pequena quitanda que havia em Guayaquil, da qual os peladeiros criadores do time gostavam de visitar após os jogos para comer pão com marmelada, como maneira bem humorada de comemorar os resultados e marmeladas dos torneios locais onde não cansavam de perder.

Década de 50 e 60[editar]

O Emelec foi o primeiro campeão equatoriano no ano de 1957, e o feito ficou tão notório que a recém formada Federação Equatoriana achou aquilo muito errado, e não realizou os campeonatos de 1958 e 1959, para que matemáticos pudessem identificar o que houve de errado na fórmula de disputa de 1957 para que o Emelec fosse campeão. O campeonato foi retomado em 1960, e dessa vez o Emelec foi vice, e assim mais relaxados, os organizadores puderam manter a fórmula do torneio, o qual o Emelec ainda viria a ganhar uma vez ou outra.

Década de 80[editar]

Para se ter uma ideia do nível de decadência do time, em 1981 o Emelec chegou a estar disputando a Série E do campeonato equatoriano, o que lhe rendeu o apelido de "É Meleca". Em crise, o time chegou a falir, e o troféu de campeão equatoriano de 1988 foi conquistado apenas por dó que os outros times sentiram. O Emelec todavia se reergueu após assinar um compromisso com a Conmebol de que só serviria para fazer número na Libertadores, e assim o Emelec cumpriu rigorosamente o acordo em troca de uns cruzeiros e passou a disputar a Libertadores apenas para fazer número mesmo.

Libertadores de 1995[editar]

No ano de 1995, estava tudo bem, o Emelec continuava sua saga em ser apenas mero figurante na competição sul-americana. Na fase de grupos perdeu todos jogos possíveis, e mesmo assim se classificou só porque venceu 1 mísero jogo sobre o El Ninguém se Importa em meio a 5 outras derrotas.

Nas oitavas-de-final tentou de todas formas entregar a vaga para o adversário Cerro Porteño, perdendo em casa por 2x0, mas após vencer a outra partida por 2x0, classificou-se nos pênaltis.

Posteriormente passou pelo Sporting Cristal, outro time que assim como o Emelec havia assinado acordo de que nunca seria campeão, então foi um jogo complicadíssimo onde o Sporting Cristal levou a melhor e o Emelec se classificou.

Só na semi-final o Emelec finalmente pode ser eliminado tranquilamente pelo Grêmio e ficar com uma quarta posição na Libertadores como o máximo que poderia alcançar.

Copa Merconorte de 2001[editar]

Vice-campeão para o Millonarios é o máximo que o Emelec poderia desejar, e assim o fez na Merconorte de 2001, após campanha irregular com destaque para o empate contra o Blooming, time que terminou a competição com 9 derrotas, nenhuma vitória, e 1 empate.

Títulos[editar]

  • 4º Libertadores 1 vez (1995)