Penso, logo existo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Cogito, ergo sum)
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png E o Quico? Cquote2.png
Mãe do Quico sobre essa frase
Cquote1.png Fantasmas non pensam, logo, non eczistem Cquote2.png
Padre Quevedo sobre a frase do título
Cquote1.png O Acre não pensa Cquote2.png
Qualquer um sobre óbvio ululante

Descarta não pensa mais, logo, não existe mais. Faz sentido.

Penso, logo existo (cogito ergo sum) é uma das frases mais conhecidas do mundo das frases conhecidas, dita pela primeira vez por Reinaldo Descarta, há muito tempo atrás. Reinaldo Descarta estava sob o efeito do chá de flor-de-lis quando, em uma viagem mediúnica pelo Universo paralelo ao eixo cartesiano da árvore da montanha, criou esta frase. Esta frase é uma das mais usadas em tatuagens, talvez esteja atrás apenas da já batida Carpe Diem.

A frase[editar]

Penso, logo existo! Foi com esta frase que Reinaldo Descarta provou para todos que existia. Seu médico acreditava que estava em Matrix, em uma realidade irreal, e que todos que estavam presente na sala não existiam de verdade. Reinaldo Descarta, astuto e viajão, bolou a frase "Penso, logo existo" em alguns minutos. Foi o suficiente para o médico acreditar que não estava mesmo em Matrix. Mas também, este médico nem existia mesmo. Era tudo imaginação do Reinaldo.

Reinaldo já tinha a faca, o queijo e a frase, só faltava dominar o mundo. Passeando pelo bosque, Reinaldo se viu cercado de nada. O caminho que estava sendo percorrido havia desaparecido. Ele não pensava, logo não existia. E se no meio deste caminho tinha uma pedra (tinha uma pedra no meio do caminho), depois do pensamento de Descarta, esta pedra já não existia mais pois ela não pensava. Logo, Descarta estava no meio do vácuo, com vários animais e pessoas ao seu redor. Mas Descarta estava intrigado: Será que animais irracionais pensam? Após pensar, logo existir, os animais que "sobrevoavam" os arredores do vácuo sumiram. Reinaldo Descarta havia feito uma descoberta: Animais não pensam, logo, não existem.

Após estar rodeado de pessoas que pensavam, Reinaldo Descarta chegou à conclusão que este artigo é apenas mais uma viagem de um sujeito vagabundo que não tem mais o que fazer. Assim, depois de pensar, Descarta viu tudo que havia sumido reaparecer, logo ele percebeu que tomar chá de cogumelo tinha um efeito nada agradável.

A filosofia por trás da frase[editar]

Este artigo pensa?

A frase "Penso, logo existo" é uma frase filosófica, logo, não tem um significado significante. Esta frase já motivou várias teses, todas distintas.

O primeiro a utilizar esta frase em seu estudo foi o embriagado Godofredo Lebino. Sua tese, Coisas que não existem, listava milhares de coisas que não pensavam, logo não existiam. Lebino descobriu por acaso que sua tese também não pensava, logo não existia. Lebino então sofreu um acidente. Um tijolo voador caiu sobre sua cabeça. Lebino parou de pensar por alguns minutos, logo, parou de existir por alguns minutos.

Alguns pensadores menosprezavam esta frase. Nietzsche, por exemplo, achava que a frase não tinha nenhum significado especial, e que era apenas uma viagem lisérgica. Mas Nietzsche achou que poderia usar esta frase para tentar provar algo para as pessoas. Para provar que Deus não existe, Nietzsche gritou bem alto "Deus não pensa, logo não existe!". Foi atingido por um raio e após isto ficou inconsciente. Do alto se ouviu uma voz: "Nietzsche não está pensando, logo ele não está existindo".

Cquote1.png Tá, vamos parar que este artigo já ficou repetitivo demais Cquote2.png
Você sobre este artigo

Certa vez Papai Noel queria provar sua existência. O bom velhinho citou a frase de Descarta. Alguém que duvidava de sua existência havia lhe questionado: "Como eu posso ter certeza que você existe mesmo? Eu nem sei o que você está pensando e se está pensando mesmo em algo". Papai Noel, muito esperto, levantou a seguinte hipótese hipotética: "Se eu vejo um filme pornô, eu fico agitado, certo? Se eu fico agitado, é porque eu pensei besteira, certo? Então, vou provar que eu existo através de um filme de sacanagem que eu aluguei. Se eu ficar em êxtase, é porque estou pensando bobagem, logo estarei existindo." Papai Noel lançou o desafio mas esqueceu de ver qual filme tinha alugado. O filme em questão era o filme da Gretchen, logo o bom velhinho não conseguiu pensar em sacanagem, para o bem da sanidade dele. Por não pensar, Papai Noel chegou à conclusão que não existia mesmo.

Se você é n00b em português, não vai entender a piada

Ver também[editar]