Coimbra (Minas Gerais)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome-searchtool blue.png Coimbra (Minas Gerais) é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Quando o fim do mundo chegar, esta cidade não vai ser destruída.

Sciences de la terre.svg.png
Um buraco qualquer de Minas Gerais.

Coimbra (Minas Gerais) é uma cidadezinha em Minas Gerais onde obrigam as pessoas a saberem da porra do hino. Não que isso não importe para eles mas não importa para as pessoas que moram fora de Coimbra. A cidade recebe o nome de uma cidade em Portugal e foi fundada por um "varão" português.

Coimbra fica na zona da mata, é uma cidade amontoada e cheia de mato ao redor. A maioria das pessoas passa reto pela cidade e talvez nem saibam que tinha uma cidade ali.

Cidade[editar]

A cidade foi fundada pelo português varão Manoel Coimbra que dá o nome a cidade. Ela faz divisa com Viçosa O buraco de São Geraldo e o outro buraco de Cajuri que por sinal é muito pior que a pequena cidade mineira pedacinho de minas gerais.

Deixando de lado isso, a cidade é outra daqueles clichês de cidades mineiras, a diferença é que essa aqui não pode e nem tem "turismo histórico" como edifícios da época em que Minas Gerais tinha algum ouro ou do Brasil-colônia. A cidade é empoeirada, não conhece asfalto, tem casas amontoadas, é ao redor de uma igreja e tem um bando de caipiras entediados.

Por causa dos idosos (que depois que morrerem vão fazer com que caia 80% da população de Coimbra) a cidade é conhecida como "capital do carolas" e os playboys são talvez os mais egocêntricos para uma cidade que é pequena e insignificante.

A única foto aérea do município é antiga e mostra geralmente como a cidade sempre está: ensolarada... E quando uma cidade do tamanho de Coimbra está ensolarada significa: chatisse...

Econômica e Culturalmente dependente do município vizinho de Ervália. Embora os vizinhos os vejam com desdém, apenas como um local de passagem para qualquer lugar, a maquiavélica empresa Unida, impõe aos sofridos (mas dignos e avançados) moradores de Ervália a passagem obrigatória em Coimbra. Não sem motivo, é uma forma que o governo do estado pensou de avançar um pouco Coimbra, criando incentivos fiscais para que a Unida procedesse assim, tirando vantagem da localização geográfica de Ervália para haver um míninmo de distribuição de renda e cultura. ps.: quem escreveu esse artigo por sinal é um coimbreses nato.

Hino[editar]

O hino idolatra Manoel Coimbra que foi um benfeitor da cidade. Afinal foi o primeiro morador... E não é qualquer um que se mude e larga uma vida ótima em Portugal para viver em um buraco no Brasil, mais tarde diagnosticaram Coimbra com loucura. Mas enfim, o hino idolatra ele como um "benfeitor, primeiro fundador e primeiro morador".

Não é mole não trocar a Coimbra de verdade por um buraco desses aí.

Com ou sem respeito, este chão melequento
Ele veio pisar com dor.
Escolheu este buraco mineiro,
Por seu berço, logo ficou Lo-o-u-co.
Coro
Manoel, Manoel Coimbra,
Varão português,
Manoel, Manoel Coimbra,
O nome da cidade ele fez.
Ranho eu tiro, e a porsada
Do tropeiro, querendo uma rosca pra queimar
Foi do Coimbra a singela tarefa de dar
É de Coimbra a herança de dar
Coro
Construiu uma linda capela
Que caiu ano passado
Hoje, uma igreja tão bela
Para um cego desinformado
Coro
No lugar pequenino de outrora,
A semente foi jogada fora
E provou para todos
Que o Coimbra era Louco

Tem a estrofe do "gente de cara fechada, e nem um pouco animada" mas é muito papo furado.

Ver também[editar]