Colônia (Alemanha)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.


Colônia é uma pitoresca cidadezinha da Renânia do Norte-Vestfália considerada uma embaixada da Turquia na Europa Ocidental. A cidade em si impressiona com seu charme mórbido, caracterizado principalmente por casas degradadas e ruas cheias de lixo.

História[editar]

Colônia surgiu por volta do século 0 devido à sua excelente localização na intersecção do Rio Reno com uma das maiores rotas comerciais de salsichão e chucrute da Europa Ocidental e Oriental. A grande quantidade de caravanas levando salsichões de um lado para outro fez florescer uma das mais influentes cidades germânicas quando a combinação genética de prostitutas promíscuas e alemães nada viris deu origem ao típico habitante de Colônia.

Os primeiros a colonizarem Colônia foram os romanos, e a cidade recebeu esse nome justamente porque era uma colônia de férias dos romanos que visitavam o interior da Alemanha para comer putas baratas regados a muita cerveja local, e depois ir embora deixando os cornos locais cuidando de seus filhos. Esses filhos de romanos nunca aguentaram ficar em Colônia e sempre iam embora, por isso a cidade nunca cresceu.

Na Idade Média Colônia tornou-se um centro eclesiástico do tal Sacro-Império Germânico Romano de Deus, tornando-se um importante centro de artes e aprendizado. Ficou famosa por formar caçadores para combater vampiros na Transilvânia e exorcistas para irem trabalhar na Noruega.

O século XX foi desastroso para a cidade de Colônia. Foi severamente atingida ao longo da Segunda Guerra Mundial. Por estar próximo da fronteira, os Aliados lançavam bombas na cidade matinalmente. No metade final do século não passou de zona de refugiados da Alemanha Oriental o que torna Colônia até hoje como a cidade com o maior número de mendigos da Alemanha.

Economia[editar]

Economia baseada na produção da famosa cerveja Kölsch, feita com base em Água-de-Colônia. Além dos trambiques dos inúmeros turcos que vivem na cidade vendendo kebabs.

Turismo[editar]

A Catedral de Colônia. Que beleza arquitetônica. Eu vou pra lá ver essa maravilha.
  • Catedral de Colônia - O grande símbolo de Colônia é a sua catedral gótica enorme e opulente construída para nada, mas bonita. Ao invés de usarem esse dinheiro para combater a fome na África é mais viável construir uma enorme e detalhada catedral onde o povo poderá ir rezar para que Deus ajude na fome na África. Apesar dos seus 700 anos de idade, só em 2004 foi descoberto que o interior da catedral é totalmente oco, porque ninguém nunca entra lá mesmo, e esse ambiente oco só existe porque simplesmente não tinham pedras suficientes no momento da construção.

População[editar]

Estimar a população exata de Colônia é difícil, tanto que é considerada a única megalópole do mundo com menos de 1 milhão de habitantes, pois apesar de aparecer na estatística como cidade de 990.000 habitantes, ao se contar a sua região metropolitana e os imigrantes, os números saltam para quase 5 milhões de sanguessugas do sistema governamental alemão.

A demografia é bem simples, 80% são imigrantes e os demais são uma minoria étnica formada por alemães, tchecos e brasileiros.

Cultura[editar]

Uma tradição que sempre prevaleceu entre o povo de Colônia é a grande vontade de ser homossexual, o que torna a cidade a capital gay do Leste Europeu, fato esse que se deve à cultura sexual da cidade que foi moldada pelo clero durante séculos. Viciados em soja, os homens locais com seus pênis de menos de 10 centímetros precisam ceder suas esposas para os imigrantes, o que torna a cidade a capital dos cornos mansos do leste europeu, tanto que até o time local, o FC Köln, tem uma cabra como símbolo, um animal chifrudo e submisso.