Colunista

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Kajuru-pergunta.jpg Atenção! Este artigo informa sobre um jornalista!

Colunista é mais um(a) mala sem alça que é um tremendo puxa-saco de seus colegas de classe.

Confira outros oportunistas pseudo-intelectuais clicando aqui.

Loituma.gif Este artigo é sobre algo ou alguém que enche o saco e inferniza os outros por diversão. Se você vandalizar, ele será seu tormento pro resto da vida!
Cquote1.png Sua intenção era pesquisar: Comunista? Cquote2.png
Google dando uma de adivinho com a pesquisa de Colunista

Colunista, por vezes também denominado como Cronista é o à toa responsável por emitir opiniões travestidos de informações, poemas de poetero, dicas anti-culturais ou ainda o que estiver passando na cabeça dele, através de colunas de um periódico. O colunista não precisa ser necessariamente um jornalista (desempregado graduado), mas um colunista acaba exercendo a profissão como jornalista já que para ser um não é necessário ter um diploma, isso segundo o STF, a Rede TV! ou qualquer blog político). Alguns expoentes desse tipo de desinformação estão o Anal do Jabor e Lauro Jardim no O Globo, Luiz Felipe Careca, Reidoanal Azedo, Nariz Nervoso, José Símio, Kid Miguxiri (do movimento apartidário-peessedebista, Magricelas Bandidos Livres), Marcelo Frouxo, Prof. Pasquale, Vladimir Safado e o eterno VJ, Zeca Camargo, na Falha de S. Paulo e por fim Orca Reipete e Leo "Afeminado" Dias no R7 e IG respectivamente.

Tipos de coluna[editar]

Publico alvo de cronista da Folha.
Exemplo de coluna jornalistica.

As colunas podem ser desde um mero desinformativo bairrista (no sentido literal da palavra) ou uma fonte de entretenimento pra gente pobre e fofoqueiros em geral. Normalmente, as colunas costumam ser publicadas em modo industrial nas versões online do periódico, porque é obvio que as empresas de comunicação não iriam gastar tanto papel higiênico para imprimir algo tão fútil, papel este que estão em falta em países como a Venezuela, Coréia do Norte, Zimbabué, etc. Tem alguns jornais que precisam colocar a seção opinativa na versão impressa, como é o caso do Correio Braziliense, Correio da Manhã, Correio do Povo e do Zero Hora. Esses jornais até tem um site próprio (ou alugado, nunca se sabe..), só que ninguém acessa.

As colunas funcionam como o TV Fama, novelas globais, MTV, Multishow ou qualquer outro depósito de ex-BBBs. São ponto de fuga para atores, diretores de filmes bancados pelo Ancine/Lei Rouanet, cronistas, palhaços, ex-futebolistas, pessoas que pagam de descolados, cosplayers, otakus, com mais de 30 anos, mas que ainda mora com os pais, progressistas conservadores ou revolucionários de apartamento enfim, pessoas que se veem fora do mercado de trabalho e que por algum motivo não podem (porque não querem) trabalhar de verdade. Os restaram filosofar, ou seja, praticar o niilismo.

Os colunistas disputam um prêmio chamado Prémio Pulitzer de Comentário. É um premio que você ganha só por emitir opinião sobre algo ou alguma coisa. Este prêmio vale para comentaristas de portal de notícias e de facebook também.

Ver também[editar]