Comix Zone

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Comix Zone é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Red derruba mais uma torre dos porcos


Zona do Comichão
Comix Zone Coverart.JPG

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Sega
Publicador Sega
Ano 1995
Gênero Beat'em up, Viagem em quadrinhos
Plataformas Mega Drive, Windows, Game Boy Advance, Virtual Console
Avaliação 웃 + 웃 = 웃
Idade para jogar Tanto faz

Cquote1.png Você quis dizer: Comix Escroteria Cquote2.png
Google sobre Comix Zone
Cquote1.png Na União Soviética, quem é levado a Comix Zone é VOCÊ!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Comix Zone
Cquote1.png Tu é meio azarado, né? Cquote2.png
Maurício de Sousa sobre Sketch Turner
Cquote1.png Iczo non ecziste. Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Comix Zone
Cquote1.png Isso é mesmo um Beat' em Up? Ta mais pra plataforma. Cquote2.png
Você sobre Comix Zone
Cquote1.png Worst. Game. Ever. Cquote2.png
Comic Book Guy sobre Comix Zone

Comix Zone é mais um Beat'em Up feito pela Sega, sendo desta vez o propósito de sacanear fazer alguma coisa relacionada a DC Comics, no geral.

História[editar]

Sketch de bobeira nas cidades mal feitas do quadrinho.

Era uma vez um cara chamado Sketch Turner, um cartunista fã de metal pesado que é praticamente um DC Comicista. Ele então estava fazendo seu novo projeto, de uma história em quadrinhos denominada por ele de "Comix Zone", que na qual contém um enredo bem óbvio: Uma raça qualquer de alienigenas querem destruir um Planeta Terra qualquer, e cabe aos humanos qualquer defenderem qualquer a sua terra qualquer e bla bla bla. Segundo Sketch, essa ideia teve inspiração aos seus sonhos e pesadelos (ele ta parecendo um sonhador desse jeito).
Em uma noite, Sketch estava trabalhando no Comix Zone durante uma tempestade. Porém, de repente uma massíva quantidade de trovoadas luminosas acertam os seus quadrinhos, sendo que assim, de alguma forma cientificamente inútil inexplicavel, intantaneamente sai do nada um bebum magrelo desconhecido qualquer o vilão principal dos quadrinhos do "Comix Zone", sendo denominado Mortus. De repente, Mortus pega Sketch e o leva para dentro de seu próprio quadrinho. O objetivo de Mortus era tentar matar de tédio o Sketch dentro dos quadrinhos, sendo que ele não podia fazer isso no mundo real (já que ele era um pedaço de papel farpado).
Dentro do Comix Zone, Skecth é levado ao encontro de chão, e depois de chorar reclamar muito, percebe que tinha alguém perto dele, e esta pessoa era uma mulher chamada Alissa Cyan, que lhe explicou que ele estava própriamente dentro do Comix Zone (acreditando que ele seja "The One"... entendeu?). Ignorando o surto do Sketch, ela o mandou para a missão, lhe dando uma ajuda e instruções via rádio.
Agora o objetivo de Sketch é viajar em seus próprios quadrinhos, surrando os inimigos que Mortus desenha para tentar acabar com ele, evitando as armadilhas, e tentando encontrar um jeito de tentar acabar com a tentativa de Mortus de tentar matá-lo. Que tentação, hein?

Sobre o game[editar]

O game é praticamente mais um Beat'em Up para os jogos dos consoles de quarta geração. Porém, assim como Altered Beast, o game também tem a mesma desvantagem de inliberdade para andar diagonalmente pelos cantos. Mas isso é só um detalhe. No jogo você controla Sketch (que já foi citado antes), que é captavel de, de algum modo, dar socos, chutes, pontapés, surras, pulos, e qualquer coisa que qualquer treinado em artes marciais faria. A jogabilidade, a música e os sons são simplesmente equilibrados, nada de melhor ou pior para se dizer a esse jogo. Mas porém, mesmo Sketch sendo fodão, não pense que você pode fazer tudo que você quiser não. Pois ele pode se machucar se começar a socar coisas duras como paredes ou latas entupidas com alguma porcaria bem estranha (também, você não pensa que pode, com ele, sair socando qualquer porcaria que você vê pela frente né?). Mesmo assim o jogo não deixa de ser uma diversão para aqueles que gostam de algum jogo bem aleatório e porreta.

Episódios[editar]

O jogo é dividido em três episodios (puts, é curtinho), sendo cada um, consistido em 3 paginas em uma area dinstinta (ou levels, para ser mais claro):

  • Episódio 1: "Noite dos Escrotos"
    • Ruas em decadência
    • Base Esfarrapada
  • Episódio 2: "Bem vindo ao Templo"
    • Templo? Que Templo? Parte de Montanhas
    • Templo da Porrada
  • Episódio 3: "Sacanagem ao Piratas do Caribe"
    • Nadando em nojeiras
    • Cemitério Abandonado sujo e fedorento de Navios

Algumas coisas sobre o jogo[editar]

Sketch se preparando para sujar a cara de alguns meliantes.

Inimigos[editar]

Os inimigos são, na maioria, lutadores de artes marcias de grande habilidade, principalmente em ficar parados para levar uma boa surra de você. Na maioria são baseados em robôs laranjas que atacam com um mola, magrelos com toalha verde na cabeça que usam pé de cabra para atacar, lutadores de artes marciais com roupas brancas que atacam com bastões (em outras palavras, prontos para rasgar teu cu!), e mulheres com roupa verde (Sósias da Cammy) que fazem malabarismo e atacam com facas (não são tão gostosas assim). O restante, contando os chefões até, não passam de mutantes escrotos melosos que você tem que atacar usando qualquer porcaria que você encontra pelo caminho. Obviamente, no final você enfrenta Mortus, o chavecão branco que fuma uns baseado, usa chapeu de cowboy e ataca pra caralho. No final, você entra em uma parte incompleta do seu quadrinho. Aparece Alissa na parte de cima tentando cancelar uma bomba nuclear que foi ativada do nada. Porém, Mortus aparece e rapta ela, lhe prendendo em uma cabine que começa a ficar se enchendo de xixi água. Assim, Sketch põe sebo nas canelas para derrotar Mortus e resgatar Alissa a tempo, antes que o tempo do jogador no Mega Drive acabe.

Itens[editar]

"Porra, Sketch! Olha que roupa besta é essa que você desenhou pra mim!"

Os itens são divididos entre esses objetos, sendo que você só pode guardar apenas 3 deles para usar depois.

  • Faca: Serve para fundir nos peitos de qualquer coisa que se mexe (objeto extremamente comum em jogos Beat'em Up).
  • Granada: Artefato militar utilizado pelo BOPE (altíssimo poder de fogo, é claro, pois explode).
  • Dinamite: Conjunto de dinamites caseiras produzido pela Al'Qaeda em parceria com os traficantes do Rio de Janeiro. Essencialmente, sua utilidade é explodir passagem trancadas (aquelas que quebram a mão do Sketch ao tentar porradeá-las), barris e, óbviamente, os inimigos.
  • O Roadkill: O Roadkill é o rato de estimação de Sketch. Ele também foi afetado pelo trovão e acabou na Comix Zone. O problema é que ele foi capturado pelos mutantes. No entando, é muito fácil resgatar ele. Assim, ele então pode ajudar de 2 maneiras; A primeira é dando um choquinho no pé dos inimigos (que, em algumas vezes, se for ao canto do cenário, produz um bug que faz o inimigo cair fora da tela para um Buraco Infinito); e a segunda é procurando e encontrando itens secretos, salas secretas, alavancas secretas, e qualquer coisa secreta secretamente escondida que seja segredo.
  • Porrão: Quando Sketch usa uma mão (não mamão, uma mão.. eu disse UMA MÃO!!) que aparece como item, ele, instantaneamente, adquire o poder de 300 litros de Esteróides, arranja um colante afrutalhado com uma roupa esfarrapada vermelha da campanha do Lula para a presidência, e se transforma em ninguém mais ninguém menos do que o Super Sketch (não diga...)!!! Assim, Super Sketch levanta o braço com fedor de suvaqueira, mostra os dentes super limpos tratados com Colgate Total 12, e por fim dá uma porradona no chão, fudendo com praticamente qualquer inimigo que apareca em seu caminho. Depois ele volta ao normal.
  • Cerveja Skol: Sketch, como todo bom adulto e bêbado de fim-de-semana, toma Cerveja. E assim ele toma uma Skol para recompor sua vida e não sofrer com os efeitos da abstinência.
  • O Cenário: WTF?. Como assim? Na verdade o Sketch também pode usar o próprio cenário para atacar. Primeiramente Sketch, com muito esforço, retira uma parte do papel do cenário (lembra que ele foi preso no seu próprio quadrinho? então...), e depois de retirá-lo e estranhamente o cenário se recompor, transforma seu pedaço de celulose industrializada em um simples aviãozinho. Depois, ele joga joga-o no ar para mostrar a todos os presentes que seu Aviãozinho na verdade é feito de lâminas de aço, com o poder de dar uma porreta na cara de qualquer inimigo que apareça, tudo isso, é claro, obedecendo aos princípios da lógica e as normas da sã realidade.

Algumas curiosidades[editar]

Possívelmente o Sketch, atualmente.
  • Mortus geralmente dá a você alguma chance. Isso porque Mortus é daquele tipo de vilão que adora tirar uma com a sua cara. A cada episódio completo, você ganha uma chance por cada vez que você se fodeu durante o jogo. Como só existem 3 episódios, então você só pode ganhar 2 chances extras. Ou seja, o jogo é uma grande barbada!
  • Quando Sketch não está batalhando com seu inimigos, ele fica fazendo duas coisas distintas para passar o tempo; uma é ficar peidando e cagando, e a outra é catar constantemente seu sapato para ver se está precisando de algum talco para o pé.
  • O jogo tem 2 finais diferentes, sendo um bom e o outro mau.
    • No final fodão bom, Sketch limpa o chão com o Mortus, salva Alissa e cai fora da Comix Zone a tempo de evitar que o gibi seja destruido. Assim, Comix Zone torna-se a história em quadrinhos mais vendida da história, Sketch vira Playboy fica milionario, Alissa é nomeada comandande das forças armadas do E.U.A., e RoadKill ganha 1000 torneladas de queijo.
    • No final eita-você-é-ruim-pra-caralho-hein! mau, Sketch consegue sair da Comix Zone, mas como o jogador é ruim demais não conseguiu salvar Alissa a tempo, esta morre e o gibi Comix Zone vira poeira de esgoto. Logo após, Sketch surge re-inventando o quadrinho para tentar mudar o final desta merda toda, só que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar e tudo o que ele fará daí em diante só é digno de pena e desprezo.