Congresso Nacional

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Aviso importante: Politicagem aqui NÃO, cazzo!
A Desciclopédia é um site de humor, logo, NINGUÉM aqui se importa com sua opinião sobre o Fidel Castro, o Che Guevara ou o Chê - Que vara!!!. Seja engraçado e não apenas idiota.

O Congresso Nacional é o órgão excretor brasileiro responsável pelas maiores sandices e desvios de recursos públicos que a humanidade jamais viu. O Congresso, em oposição ao Progresso estampado em letras garrafais no pano de chão rejeitado pelo Brasil, é o órgão responsável pelo poder legislativo nacional logo, você deve imaginar o numero de propostas de leis que surgem no recinto que vão desde penalizar a vitima de um assalto até mesmo mais e mais aumentos de impostos.

O Congresso Nacional é muito bem definido pela estrutura do seu edifício. De um lado temos uma gigantesca privada para acomodar o tamanho das porcarias feitas por nossos representantes e colher outras para que nossos políticos possam pegar um pedaço. De cada lado, tem uma forma de pizza — uma, virada pra baixo, é a das pizzas que estão assando; a outra, já destampada, é a das pizzas que já assaram. Do outro lado fica um pedestal destinado à estátua do primeiro político honesto a ter cargo no local. Logicamente o pedestal está vazio até hoje.

No recinto funciona duas das instituições mais corruptas e caras do mundo, o Senado Federal e a Câmara dos Deputados.


Etmologia[editar]

O Congreço Nacional, a casa de todos os brasileiros, já usa o Lulanês como idioma oficial há tempos

Congresso é uma palavra de origem árabe-greco-romano-venezuelana cujo grafismo mais antigo foi encontrado na caverna de Ali Babá, na Arábia Saudita. O termo vem da articulação do prefixo con (junto, abraçado, enrolado, etc) e da partícula gresso (valor, monetário ou não, passe, entrada, lobby) e foi rapidamente incorporada ao vocabulário dos meios de comunicação de língua portuguesa, particularmente o Brasil.

Congresso significa também encontro de especialistas em determinado assunto, especialmente em economia, alopragem, picaretagem e política interna.

As instituições que compõe o congresso brasileiro é chamado de casa, cabendo aos interlocutor do outro lado da conversa identificar qual e que tipo de casa o primeiro interlocutor (geralmente quem diz isso é alguém da imprensa) se refere, a casa dos Artistas, a uma casa de dança, a casa dos boças ou simplesmente uma filial da Fundação Casa (antiga FEBEM) para adultos. Por ter praticamente a mesma conotação ao ouvinte, o órgão muitas vezes é chamada somente de casa.


Estrutura[editar]

Canaã, a terra que jorra leite e mel.

O órgão possui um processo legislativo bicameral, ou seja, tem de ser oferecido o dobro de cargos ministeriais e comissões aos congressistas para que alguma matéria (projeto de lei) siga a diante ou tenha aprovação. Com exceção dos aumentos de despesas públicas e aumento de salário dos congressistas, todo o projeto restante tem de passar por esse árduo processo. Por isso o país possuía até pouquíssimo tempo um ministério só pra cuidar de peixes.

O congresso é divididos entre o Sem-medo-da Federal, representando a política e os estados e principais responsáveis pelo dano ao erário através das malditas verbas indenizatórias, e também entre a Câmara dos Meretrizados, responsáveis pelas maiores cenas de estupidez produzidas pelo homem — e diferentemente do Jackass, lá na Câmara eles são espontâneos e não forçam nada. Tudo aquilo que é transmitido diariamente na TV Câmara, são os deputados na mais pura essência.

É no Congresso Nacional que são votadas também a lei orçamentária e o Plano Plurianual, incluindo a parte destinada as empreiteiras e financiadores de campanhas e ainda, somado o valor destinada ao bolso dos próprios deputados e senadores. Mas as votações, claro, só serão realizadas com o aval dos ilustríssimos congressistas, mesmo sendo algo de suma importância.

Congressistas[editar]

Congressistas brasileiros.

As cadeiras do congresso são ocupadas por gente da pior extirpe, odiados pela população até a próxima sessão de hipnose, realizada de 4 (cinco) em 4 (três) anos. Entre essa gentalha possuem pastores charlatões, grandes latifundiários desmatadores da amazônia, cacifes que compactuam com estes latifundiários em troca de uma boa grana, barões, coronéis do nordeste, senhores feudais do centro-oeste, burocratas racistas do sul, pajés do norte e os lalaus e garotinhos da região sudeste.

Assim como os abutres que vivem da merda, os abutres do erário também costumam se reunir em bandos, bandos estes chamados de bancadas. A maioria estão majoritariamente nas bancadas da bíblia, da bala, canal do boi ou sindical. A minoria, como o próprio nome sugere, estão nas bancadas irrelevantes como o LGBT e outras menores ainda, formado por integrantes do PCO, PSTU ou outros partidos que só conseguem eleger representantes durante a passagem do cometa Halley.

Membros do Congresso Nacional[editar]

Candidatos a Presidente da Câmara em 2007.

Os congressistas são formados por todos esses indivíduos, dividindo-se entre os Deputados e Sem Vergonhas, estão:

InCompetências do Congresso Nacional[editar]

  • Pegar uma parte de todas as verbas públicas que passarem pelo local.
  • Empregar parentes, amigos e cabos eleitorais.
  • Distribuir emissoras de rádio e televisão para os congressistas, os parentes dos congressistas, os amigos dos congressistas (e, para calar a boca dos "oposicionistas", também para os parentes e amigos dos congressistas oposicionistas).
  • Fomentar o turismo aéreo brasileiro dentro e fora do Brasil, distribuindo passagens aéreas para os parentes e amigos dos congressistas. Isso inclui o uso de passagens aéreas para pagar o michê das teúdas e manteúdas dos congressistas, inclusive loiras bem-pagas da televisão.
  • Entreter os pseudo-burgueses promovendo o reality show morra de rir fome e miséria 2007.
  • Provar que a Transilvânia é aqui, e que vampiros e vampiras existem, só que em vez de sangue eles sugam o dinheiro alheio.

Congresso Nacional na cultura popular[editar]

Parlamentar fazendo uso de seus acessores.

O Congresso Nacional é usado quando os brasileiros querem se referir da pior forma possível a algo ou alguma coisa. O termo virou sinônimo para circo desorganizado e cheio de criminoso, não por acaso, pois é o que de fato acontece naquele lugar.

A casa também é conhecida pelo mal uso do dinheiro público, desde mero estagiários até os cânceres dos comissionados, tudo tem que ser contratado da pior forma e não importando o que façam, sempre são as pessoas mais bem pagas do país. A prova disso é o copeiro do Senado Federal que ganha mais de R$ 14.000,00 ou deputados que colocam seus eleitores mais populares e que moram na região para trabalharem com ele em troca do voto daquele povo na próxima eleição.

Veja como alguns analfabetos ilustres se referem a casa que eles mesmos ajudaram a criar:

Cquote1.png Com certeza, o Congresso Nacional é o melhor e mais divertido lugar do mundo, afinal, onde você encontra reunidos: Clodovil, Collor, Frank Aguiar, Palocci, Maluf, ACM Neto?
Diogo Mainardi sobre o órgão


Cquote1.png O Congreffo é uma cabefa penfante com muitaf cabefaf penfantef ao mefmo tempo. Cquote2.png
Lula sobre sobre o Congresso Nacional, em discurso após vencer as eleições de 2006 e antes do impeachment da Dilma em 2016.

Cquote1.png Miasmas pútridos emanam do Congresso em Brasília, contaminando o ar da Metrópole. Mas o meu nome não exala odor mefítico, porque não chafurda no pântano da ignominia. Meu nome nunca esteve ligado à imundície, por isso não aparece em lista alguma de deputados suspeitos de assaltarem o povo.
Dr. Eneias o lugar onde passou a maior parte da vida.


Cquote1.png Congresso nacional é o primeiro e único circo que só possuí palhaços Cquote2.png
Eu sobre Congresso Nacional

Ver também[editar]